Um olhar inovador para a Educação Infantil

Wednesday, 28 November 2018 11:43 Written by 
Um olhar inovador para a Educação Infantil Formação de educadores para a coleção Girolhar: parceria RSB Escolas e Editora Edebê Foto: Paolla Itagiba
Fundamentada nos princípios salesianos, inspirada em práticas pedagógicas que são referência mundial e já adaptada à nova legislação brasileira, a Coleção Girolhar será adotada pela Educação Infantil da RSB-Escolas a partir de 2019.  

Respeitar a criança, sua cultura, seu tempo de aprendizado e seu protagonismo em um processo de aprendizagem no qual essa criança é o centro de atenção, para o qual se voltam o olhar e a ação do educador. Essa proposta tão “salesiana” em sua visão da infância é uma das principais características do novo material didático que será adotado para a Educação Infantil nas unidades da Rede Salesiana Brasil de Escolas (RSB-Escolas) a partir de 2019: a Coleção Girolhar, da Editora Edebê Brasil.

 

Segundo a pedagoga Aline Pinto, autora da coleção, o nome “Girolhar” é uma brincadeira semântica que traduz a concepção da coleção. “Giro remete ao movimento, uma das linguagens principais da infância, e também à necessidade do professor se ‘movimentar’ em direção à criança. O olhar simboliza enxergar essa criança com suas singularidades e especificidades”, explica. Para ela, uma inovação do Girolhar é respeitar a criança e o seu desenvolvimento, sem antecipar conteúdos ou utilizar formas de aprendizado do Ensino Fundamental. “Nossa proposta é totalmente voltada para o brincar e o protagonismo infantil. Outro diferencial é a questão da estética, com uma proposta de ampliação do repertório cultural e imagético das crianças”, afirma.

 

Ainda no campo das novidades, está o trabalho com a lógica da programação. Todas as unidades da RSB-Escolas receberão o robô Cubetto, que vai interagir com as crianças na realização das experiências educativas. “Apesar de uma proposta muito tecnológica ela diz respeito à infância, pois o Cubetto chama a criança para brincar no chão, para resolver problemas, para participar. O Cubetto não é um ‘extra’; ele é totalmente vinculado ao material didático”.

 

Aline frisa outra característica importante da coleção: a Girolhar já nasce totalmente adequada à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Os marcos legais são um dos tripés da Girolhar. “A segunda base são os princípios da salesianidade, de formar ‘o bom cristão e o honesto cidadão’ com a razão, a religião e a amorevollezza. Procuramos dar mais visibilidade para isso na coleção”, afirma a autora. O terceiro tripé são os marcos pedagógicos do interacionismo, que se inspiram em práticas de sucesso mundial e na experiência da própria Rede Salesiana.

 

Encontros de formação

O material, embora tenha abertura para o mercado, foi produzido para atender a RSB-Escolas e, desde agosto, estão sendo realizados encontros de formação para apresentar a Coleção Girolhar aos professores e coordenadores da Rede. Os participantes das formações já realizadas, ministradas pela própria Aline ou pela assessora Larissa Kovalski Kautzmann, avaliam de forma positiva tanto a proposta pedagógica da Girolhar, quanto a construção colaborativa do material.

 

“A pesquisa realizada no ano passado, sondando as necessidades e sugestões de cada escola para a produção do novo material, foi muito importante para sanar algumas das dificuldades do material anterior e atualizar com propostas necessárias para a realidade atual das nossas crianças e escolas”, considera Chana Braz Carelli Chevitarese, coordenadora pedagógica do Instituto Nossa Senhora da Glória de Rio das Ostras, RJ.

 

Ela afirma que a Girolhar apresenta propostas que instigam a curiosidade, a reflexão, a pesquisa e a construção do saber. Também destaca “o carinho e cuidado pensado em cada detalhe, desde os personagens criados dentro da nossa proposta (salesiana), até a parte gráfica muito colorida e atrativa, incentivando a arte”. Algo que chamou sua atenção foi a proposta da robótica dentro do material. “O Cubetto instiga a nós, educadores, girar o olhar para uma nova perspectiva de trabalho, uma vez que será um recurso desenvolvido pelo professor”.

 

Regiane de Souza Ferreira Pereira, professora do Centro Educacional Pio XII de Belo Horizonte, MG, também coloca a robótica como um dos pontos positivos da Coleção, ao lado do “menu” digital que oferece dicas para a interação das crianças e das diferentes dicas de pintura e uso de materiais. Sobre a formação, Regiane considera que a troca de experiências e a realização das atividades permitiram conhecer a proposta da Coleção Girolhar e o papel do professor na “criação de condições para a ocorrência de interações e ações no interior das quais as crianças sejam consideradas como sujeitos ativos e capazes”.

 

Segundo Regiane, a Girolhar vai contribuir muito para o seu trabalho na Educação Infantil: “O material pedagógico é inovador, trabalha os princípios salesianos para formação de cidadãos ativos, protagonistas do mundo e portadores de ética e bons valores. A teoria-prática e a concepção de ensino da Coleção Girolhar sensibilizarão as diferentes linguagens da infância, além do protagonismo infantil e da ampliação cultural das crianças”, ressalta.

 

Girolhar na prática

Lançada pela Editora Edebê Brasil, a Coleção Girolhar é fruto de um trabalho em parceria com a RSB-Escolas que envolveu professores e coordenadores das escolas da Rede, a colaboração de especialistas em Educação Infantil e em áreas específicas e uma intensa produção editorial desde a pesquisa até a finalização do material.

 

A Girolhar será utilizada pela RSB-Escolas em 2019 em três anos da Educação Infantil. “O professor vai trabalhar com essa proposta que é nova, mais integrada, e por isso estamos realizando as formações presenciais. No Centro Salesiano de Formação teremos um fórum para que os professores se engajem e vamos manter ações formativas no primeiro semestre de 2019, então há uma proposta de formação continuada”, afirma Maria Fernanda B. Regis, coordenadora editorial da Edebê.

 

Ela explica que a Coleção Girolhar foi elaborada de maneira a respeitar a autonomia do professor e permitir adaptações de acordo com as realidades locais, mas com base em um material estruturado, que oferece uma gama de possibilidades. “O professor recebe um material digital que é o ‘menu de possibilidades didáticas’. Ele pode seguir o que está nesse material, mas tem abertura para propor outros itens, outras opções”.

 

O Livro do Professor, em formato digital, conta com vários recursos adicionais, incluindo arquivos de áudio e vídeo. E o professor recebe o material didático físico, como o da criança. Este é composto por três caixas, para a faixa etária de 3, 4 e 5 anos. Cada caixa tem dois livros didáticos, um para cada semestre; três livros de literatura (dois impressos e um digital); as “fichas da família” e uma ecobag para o envolvimento dos familiares com o aprendizado da criança; e materiais de apoio, como pranchas de papel cartonado, adesivos e kits com recursos extra. Em cada escola haverá ainda o robô Cubetto, que integra o material didático.

 

A Coleção conta também com o material digital Menu lúdico para professores com fome de aprender e sede de ensinar. Na Entrada deste menu, entre outros assuntos, estão explicações sobre a composição e a organização da Coleção. No Prato Principal, o professor resgata os valores salesianos que norteiam a coleção, conhece os seus princípios pedagógicos e a visão de infância apresentada. Nos Acompanhamentos estão dicas sobre como organizar os espaços educativos, o tempo e os materiais, de maneira a incentivar a criatividade e a aprendizagem. Por fim, as Sobremesas trazem dicas de referências bibliográficas, sites, vídeos, museus etc. “O Menu lúdico para professores com fome de aprender e sede de ensinar configura-se como uma explicação dos fundamentos da Coleção Girolhar. Esse material tem uma base teórica consistente e tem elementos lúdicos também, como jogos digitais”.

 

“A coleção Girolhar tem a cara da Edebê. É um material com excelente qualidade pedagógica e com tecnologia educacional, o que não se restringe só ao uso do digital, mas implica no desenvolvimento de recursos e na aplicação de um capital intelectual aos nossos materiais” finaliza Fernanda.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Um olhar inovador para a Educação Infantil

Wednesday, 28 November 2018 11:43 Written by 
Um olhar inovador para a Educação Infantil Formação de educadores para a coleção Girolhar: parceria RSB Escolas e Editora Edebê Foto: Paolla Itagiba
Fundamentada nos princípios salesianos, inspirada em práticas pedagógicas que são referência mundial e já adaptada à nova legislação brasileira, a Coleção Girolhar será adotada pela Educação Infantil da RSB-Escolas a partir de 2019.  

Respeitar a criança, sua cultura, seu tempo de aprendizado e seu protagonismo em um processo de aprendizagem no qual essa criança é o centro de atenção, para o qual se voltam o olhar e a ação do educador. Essa proposta tão “salesiana” em sua visão da infância é uma das principais características do novo material didático que será adotado para a Educação Infantil nas unidades da Rede Salesiana Brasil de Escolas (RSB-Escolas) a partir de 2019: a Coleção Girolhar, da Editora Edebê Brasil.

 

Segundo a pedagoga Aline Pinto, autora da coleção, o nome “Girolhar” é uma brincadeira semântica que traduz a concepção da coleção. “Giro remete ao movimento, uma das linguagens principais da infância, e também à necessidade do professor se ‘movimentar’ em direção à criança. O olhar simboliza enxergar essa criança com suas singularidades e especificidades”, explica. Para ela, uma inovação do Girolhar é respeitar a criança e o seu desenvolvimento, sem antecipar conteúdos ou utilizar formas de aprendizado do Ensino Fundamental. “Nossa proposta é totalmente voltada para o brincar e o protagonismo infantil. Outro diferencial é a questão da estética, com uma proposta de ampliação do repertório cultural e imagético das crianças”, afirma.

 

Ainda no campo das novidades, está o trabalho com a lógica da programação. Todas as unidades da RSB-Escolas receberão o robô Cubetto, que vai interagir com as crianças na realização das experiências educativas. “Apesar de uma proposta muito tecnológica ela diz respeito à infância, pois o Cubetto chama a criança para brincar no chão, para resolver problemas, para participar. O Cubetto não é um ‘extra’; ele é totalmente vinculado ao material didático”.

 

Aline frisa outra característica importante da coleção: a Girolhar já nasce totalmente adequada à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Os marcos legais são um dos tripés da Girolhar. “A segunda base são os princípios da salesianidade, de formar ‘o bom cristão e o honesto cidadão’ com a razão, a religião e a amorevollezza. Procuramos dar mais visibilidade para isso na coleção”, afirma a autora. O terceiro tripé são os marcos pedagógicos do interacionismo, que se inspiram em práticas de sucesso mundial e na experiência da própria Rede Salesiana.

 

Encontros de formação

O material, embora tenha abertura para o mercado, foi produzido para atender a RSB-Escolas e, desde agosto, estão sendo realizados encontros de formação para apresentar a Coleção Girolhar aos professores e coordenadores da Rede. Os participantes das formações já realizadas, ministradas pela própria Aline ou pela assessora Larissa Kovalski Kautzmann, avaliam de forma positiva tanto a proposta pedagógica da Girolhar, quanto a construção colaborativa do material.

 

“A pesquisa realizada no ano passado, sondando as necessidades e sugestões de cada escola para a produção do novo material, foi muito importante para sanar algumas das dificuldades do material anterior e atualizar com propostas necessárias para a realidade atual das nossas crianças e escolas”, considera Chana Braz Carelli Chevitarese, coordenadora pedagógica do Instituto Nossa Senhora da Glória de Rio das Ostras, RJ.

 

Ela afirma que a Girolhar apresenta propostas que instigam a curiosidade, a reflexão, a pesquisa e a construção do saber. Também destaca “o carinho e cuidado pensado em cada detalhe, desde os personagens criados dentro da nossa proposta (salesiana), até a parte gráfica muito colorida e atrativa, incentivando a arte”. Algo que chamou sua atenção foi a proposta da robótica dentro do material. “O Cubetto instiga a nós, educadores, girar o olhar para uma nova perspectiva de trabalho, uma vez que será um recurso desenvolvido pelo professor”.

 

Regiane de Souza Ferreira Pereira, professora do Centro Educacional Pio XII de Belo Horizonte, MG, também coloca a robótica como um dos pontos positivos da Coleção, ao lado do “menu” digital que oferece dicas para a interação das crianças e das diferentes dicas de pintura e uso de materiais. Sobre a formação, Regiane considera que a troca de experiências e a realização das atividades permitiram conhecer a proposta da Coleção Girolhar e o papel do professor na “criação de condições para a ocorrência de interações e ações no interior das quais as crianças sejam consideradas como sujeitos ativos e capazes”.

 

Segundo Regiane, a Girolhar vai contribuir muito para o seu trabalho na Educação Infantil: “O material pedagógico é inovador, trabalha os princípios salesianos para formação de cidadãos ativos, protagonistas do mundo e portadores de ética e bons valores. A teoria-prática e a concepção de ensino da Coleção Girolhar sensibilizarão as diferentes linguagens da infância, além do protagonismo infantil e da ampliação cultural das crianças”, ressalta.

 

Girolhar na prática

Lançada pela Editora Edebê Brasil, a Coleção Girolhar é fruto de um trabalho em parceria com a RSB-Escolas que envolveu professores e coordenadores das escolas da Rede, a colaboração de especialistas em Educação Infantil e em áreas específicas e uma intensa produção editorial desde a pesquisa até a finalização do material.

 

A Girolhar será utilizada pela RSB-Escolas em 2019 em três anos da Educação Infantil. “O professor vai trabalhar com essa proposta que é nova, mais integrada, e por isso estamos realizando as formações presenciais. No Centro Salesiano de Formação teremos um fórum para que os professores se engajem e vamos manter ações formativas no primeiro semestre de 2019, então há uma proposta de formação continuada”, afirma Maria Fernanda B. Regis, coordenadora editorial da Edebê.

 

Ela explica que a Coleção Girolhar foi elaborada de maneira a respeitar a autonomia do professor e permitir adaptações de acordo com as realidades locais, mas com base em um material estruturado, que oferece uma gama de possibilidades. “O professor recebe um material digital que é o ‘menu de possibilidades didáticas’. Ele pode seguir o que está nesse material, mas tem abertura para propor outros itens, outras opções”.

 

O Livro do Professor, em formato digital, conta com vários recursos adicionais, incluindo arquivos de áudio e vídeo. E o professor recebe o material didático físico, como o da criança. Este é composto por três caixas, para a faixa etária de 3, 4 e 5 anos. Cada caixa tem dois livros didáticos, um para cada semestre; três livros de literatura (dois impressos e um digital); as “fichas da família” e uma ecobag para o envolvimento dos familiares com o aprendizado da criança; e materiais de apoio, como pranchas de papel cartonado, adesivos e kits com recursos extra. Em cada escola haverá ainda o robô Cubetto, que integra o material didático.

 

A Coleção conta também com o material digital Menu lúdico para professores com fome de aprender e sede de ensinar. Na Entrada deste menu, entre outros assuntos, estão explicações sobre a composição e a organização da Coleção. No Prato Principal, o professor resgata os valores salesianos que norteiam a coleção, conhece os seus princípios pedagógicos e a visão de infância apresentada. Nos Acompanhamentos estão dicas sobre como organizar os espaços educativos, o tempo e os materiais, de maneira a incentivar a criatividade e a aprendizagem. Por fim, as Sobremesas trazem dicas de referências bibliográficas, sites, vídeos, museus etc. “O Menu lúdico para professores com fome de aprender e sede de ensinar configura-se como uma explicação dos fundamentos da Coleção Girolhar. Esse material tem uma base teórica consistente e tem elementos lúdicos também, como jogos digitais”.

 

“A coleção Girolhar tem a cara da Edebê. É um material com excelente qualidade pedagógica e com tecnologia educacional, o que não se restringe só ao uso do digital, mas implica no desenvolvimento de recursos e na aplicação de um capital intelectual aos nossos materiais” finaliza Fernanda.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.