Eduarda dos Santos: sem medo do futuro

Tuesday, 28 June 2016 11:03 Written by 
Quando Eduarda dos Santos tinha 8 anos, a mãe a levou pela primeira vez a uma escolinha de natação. Queria que a filha perdesse o medo que tinha de entrar na água. Como muitas crianças de sua idade, ela não só superou o medo como aprendeu a gostar da piscina, de nadar, de competir... O que ninguém poderia imaginar é que alguns anos depois Eduarda seria maratonista de natação: nada em mar aberto, distâncias que vão de 5 a 12 quilômetros. Hoje, aos 16 anos, é uma das promessas do esporte brasileiro para 2020, e foi uma das escolhidas para carregar a tocha olímpica quando esta passou por Salvador, BA.

A estudante e nadadora do Colégio Salesiano Dom Bosco (Paralela) de Salvador, BA, recebeu a carta de convocação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para carregar a tocha olímpica pelo conjunto de bons resultados obtidos nas competições das quais participou em 2015. “É muito emocionante ser selecionada pelo esporte que eu pratico. Faço algumas competições representando o colégio e outras pelo meu clube”, conta Eduarda. Ela começou a estudar no Salesiano em 2013 e, desde o início, entrou na equipe de natação do colégio.

A rotina de treinos de Eduarda é puxada: de duas a três horas por dia, de segunda a sábado. Mas ela não reclama: “Amo a natação, não vivo sem!”. Segundo a aluna salesiana, o colégio a apoia em tudo. Além da equipe de natação propriamente, ela pode repor provas e trabalhos quando eles coincidem com as datas das competições. “O ensino no Salesiano é super. É um colégio de nome aqui em Salvador, que incentiva bastante o esporte e também apoia as pessoas a seguirem pelo bom caminho”, afirma.

O incentivo do Colégio Salesiano aos esportes vai além da natação. “Lá tem todo tipo de esporte, dão oportunidade em várias modalidades. Se você for praticando, vai se encaixar em algum com certeza”, diz Eduarda. Para ela, a prática de esportes é algo importante para motivar as pessoas a fazerem também outras atividades, a estudar, a conhecer. “Na natação, por exemplo, a gente usa muito a Matemática, para fazer os cálculos, e a Física. São matérias complicadas, mas a gente fica motivado a estudar”.

No futuro, Eduarda pensa em cursar Psicologia, mas não pretende largar as maratonas aquáticas. No ano passado, uma das provas que disputou foi da Ilha de Itaparica a Salvador: 12 quilômetros, sem parar, somente com um barco acompanhando. No percurso, teve de lidar com a correnteza, com as pedras, com o próprio cansaço. Pergunto se ela não ficou com medo, se não pensou em desistir. A resposta: “Tem que ter coragem e força para chegar lá. O medo, a gente supera”.

 

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Eduarda dos Santos: sem medo do futuro

Tuesday, 28 June 2016 11:03 Written by 
Quando Eduarda dos Santos tinha 8 anos, a mãe a levou pela primeira vez a uma escolinha de natação. Queria que a filha perdesse o medo que tinha de entrar na água. Como muitas crianças de sua idade, ela não só superou o medo como aprendeu a gostar da piscina, de nadar, de competir... O que ninguém poderia imaginar é que alguns anos depois Eduarda seria maratonista de natação: nada em mar aberto, distâncias que vão de 5 a 12 quilômetros. Hoje, aos 16 anos, é uma das promessas do esporte brasileiro para 2020, e foi uma das escolhidas para carregar a tocha olímpica quando esta passou por Salvador, BA.

A estudante e nadadora do Colégio Salesiano Dom Bosco (Paralela) de Salvador, BA, recebeu a carta de convocação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para carregar a tocha olímpica pelo conjunto de bons resultados obtidos nas competições das quais participou em 2015. “É muito emocionante ser selecionada pelo esporte que eu pratico. Faço algumas competições representando o colégio e outras pelo meu clube”, conta Eduarda. Ela começou a estudar no Salesiano em 2013 e, desde o início, entrou na equipe de natação do colégio.

A rotina de treinos de Eduarda é puxada: de duas a três horas por dia, de segunda a sábado. Mas ela não reclama: “Amo a natação, não vivo sem!”. Segundo a aluna salesiana, o colégio a apoia em tudo. Além da equipe de natação propriamente, ela pode repor provas e trabalhos quando eles coincidem com as datas das competições. “O ensino no Salesiano é super. É um colégio de nome aqui em Salvador, que incentiva bastante o esporte e também apoia as pessoas a seguirem pelo bom caminho”, afirma.

O incentivo do Colégio Salesiano aos esportes vai além da natação. “Lá tem todo tipo de esporte, dão oportunidade em várias modalidades. Se você for praticando, vai se encaixar em algum com certeza”, diz Eduarda. Para ela, a prática de esportes é algo importante para motivar as pessoas a fazerem também outras atividades, a estudar, a conhecer. “Na natação, por exemplo, a gente usa muito a Matemática, para fazer os cálculos, e a Física. São matérias complicadas, mas a gente fica motivado a estudar”.

No futuro, Eduarda pensa em cursar Psicologia, mas não pretende largar as maratonas aquáticas. No ano passado, uma das provas que disputou foi da Ilha de Itaparica a Salvador: 12 quilômetros, sem parar, somente com um barco acompanhando. No percurso, teve de lidar com a correnteza, com as pedras, com o próprio cansaço. Pergunto se ela não ficou com medo, se não pensou em desistir. A resposta: “Tem que ter coragem e força para chegar lá. O medo, a gente supera”.

 

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.