Ressonâncias do 24º Congresso Interamericano

Friday, 05 February 2016 17:25 Written by 
Participantes do 24º Congresso Interamericano de Educação Católica fazem sua avaliação do evento e de como ele vai contribuir nas instituições educativas salesianas.

“Já temos um caminho percorrido em nossos colégios, mas a partir do tema do Congresso somos chamados a trabalhar mais em rede, em uma perspectiva colaborativa, e também a superar o fechamento sobre nós mesmos. Precisamos ter a capacidade de construir um trabalho coletivo para dar respostas efetivas aos desafios de hoje. Para isso, o maior dom que temos nas nossas instituições educativas são os talentos humanos”.

Padre Orestes Carlinhos Fistarol, inspetor da Inspetoria Salesiana São João Bosco (ISJB)

 

“Um congresso como este, que reúne praticamente todos os países das Américas, se reveste de uma importância fundamental pelo intercâmbio entre os participantes. Temos de estar atentos ao momento educativo que estamos vivenciando. E atentos às solicitações dos nossos educandos e educadores. Nós, salesianos, não podemos pensar que somos os melhores na educação. Temos muito a oferecer, mas também muito a aprender. Um congresso como esse abre a cabeça para novas experiências”.

Padre José Marinoni, diretor-executivo da Rede Salesiana Brasil (RSB)

 

“É uma troca. No congresso do CIEC podemos ver como está a educação católica na América e no Brasil. Também confirmamos nossa identidade como universidade católica e salesiana”.

Padre Ricardo Carlos, reitor da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

 

“Saio muito feliz desse encontro, ao ver que o que todos estão buscando é a unidade, somar esforços e que nós, da RSE, temos uma experiência de rede muito forte. Nós já construímos muita coisa nesse sentido. Pensar na educação católica do século XXI é fazer valer cada vez mais aquilo que está no centro do nosso trabalho, que é o nosso projeto educativo e pastoral salesiano, fundamentado na teoria e na prática, no protagonismo do professor e do aluno”.

Rita de Cássia Boaventura Jellinek, gestora do Pólo BH da Rede Salesiana de Escolas, que engloba 33 escolas nos estados de MG, RJ, ES, DF, GO e BA.

 

“A RSE já tem uma história consistente para compartilhar em um evento como esse. A RSE pôde captar a ideia de rede que é quase universal. Todos os setores e instituições estão sentindo que não se faz mais nada só. A ideia de rede, tal como a tecnologia, que é toda em rede, está levando as pessoas a essa visão de integração”.

Irmã Maria José Barros, Fortaleza, CE

 

“Para mim, ficou evidenciado no congresso que a educação precisa ser socializada. É importante promover essa troca de experiências, esse olhar mais amplo em relação ao ser humano. O sonho do Papa Francisco, de olhar a pessoa no seu todo, para um perspectiva mais humana, foi muito citado durante o congresso”.

Irmã Leoneia Ferreira, de Manaus, AM

 

“Um dos maiores desafios da educação na América Latina passa pela questão da desigualdade social, que é gritante. Temos de ter consciência de que estamos vivendo um tempo de crise e que é preciso que não temamos a crise, mas que nos organizemos para criar alternativas novas e atingir o objetivo da escola católica, que é educar evangelizando e evangelizar educando. A experiência da RSE é bastante significativa. É algo que estamos aprendendo, e o aprendizado ocorre durante a construção da própria rede”.

Padre Raimundo Nonato, diretor do Colégio Salesiano do Recife, PE

 

“O Congresso esteve muito atento aos desafios que se colocam para a Educação Católica na atualidade. Tempos de mudanças muito rápidas que, em inúmeras situações, comprometem o desenvolvimento saudável do ser humano. A iluminação esteve bem centrada no Evangelho e nas constantes reflexões e ações do Papa Francisco no sentido de impulsionar a Educação Católica para novas fronteiras, uma Educação em saída permanente ao encontro, especialmente dos que mais clamam por vida. Outro aspecto relevante foi o crescimento da consciência de que só é possível contribuir efetivamente para que a educação cumpra seu papel social se for em rede. Percebe-se que a Rede Salesiana de Escolas tem essa consciência e está na vanguarda, servindo como inspiração e motivadora para outras Congregações e Institutos.”

Antonio Boeing, pró-reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo

 

“O Congresso foi importante para intensificar as experiências, para tomarmos consciência dos processos educativos católicos na América e para fortalecê-los. Precisamos estar à frente dos tempos”.

Mirian Del Valle, encarregada das escolas SDB da Inspetoria Argentina Norte; Fabian Otero, encarregado das escolas SDB da Inspetoria Argentina Sul; padre Húber Fama Puglia, Uruguai; Rossanna Benitez, encarregada das escolas SDB no Paraguai; e padre Marcelo Chavez, Equador

 

“Precisamos que a Igreja Católica reflita sobre o que é ser evangelizador a partir da escola, e isso foi tratado de maneira central no Congresso. Devemos refletir entre todos os educadores, nos colégios católicos, como enfrentar os desafios da educação na atualidade. O congresso foi importante ainda para ressaltar os processos e fortalecer o trabalho educativo nas escolas”.

Irmã Francisca Grau Meza, Inspetoria Madre Mazzarello, Colômbia; irmã Brígida Del Consueno, Inspetoria Sagrado Coração, Equador; e irmã Olga Pineda, Inspetoria Maria Auxiliadora, Colômbia

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Monday, 08 February 2016 21:27

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Ressonâncias do 24º Congresso Interamericano

Friday, 05 February 2016 17:25 Written by 
Participantes do 24º Congresso Interamericano de Educação Católica fazem sua avaliação do evento e de como ele vai contribuir nas instituições educativas salesianas.

“Já temos um caminho percorrido em nossos colégios, mas a partir do tema do Congresso somos chamados a trabalhar mais em rede, em uma perspectiva colaborativa, e também a superar o fechamento sobre nós mesmos. Precisamos ter a capacidade de construir um trabalho coletivo para dar respostas efetivas aos desafios de hoje. Para isso, o maior dom que temos nas nossas instituições educativas são os talentos humanos”.

Padre Orestes Carlinhos Fistarol, inspetor da Inspetoria Salesiana São João Bosco (ISJB)

 

“Um congresso como este, que reúne praticamente todos os países das Américas, se reveste de uma importância fundamental pelo intercâmbio entre os participantes. Temos de estar atentos ao momento educativo que estamos vivenciando. E atentos às solicitações dos nossos educandos e educadores. Nós, salesianos, não podemos pensar que somos os melhores na educação. Temos muito a oferecer, mas também muito a aprender. Um congresso como esse abre a cabeça para novas experiências”.

Padre José Marinoni, diretor-executivo da Rede Salesiana Brasil (RSB)

 

“É uma troca. No congresso do CIEC podemos ver como está a educação católica na América e no Brasil. Também confirmamos nossa identidade como universidade católica e salesiana”.

Padre Ricardo Carlos, reitor da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB)

 

“Saio muito feliz desse encontro, ao ver que o que todos estão buscando é a unidade, somar esforços e que nós, da RSE, temos uma experiência de rede muito forte. Nós já construímos muita coisa nesse sentido. Pensar na educação católica do século XXI é fazer valer cada vez mais aquilo que está no centro do nosso trabalho, que é o nosso projeto educativo e pastoral salesiano, fundamentado na teoria e na prática, no protagonismo do professor e do aluno”.

Rita de Cássia Boaventura Jellinek, gestora do Pólo BH da Rede Salesiana de Escolas, que engloba 33 escolas nos estados de MG, RJ, ES, DF, GO e BA.

 

“A RSE já tem uma história consistente para compartilhar em um evento como esse. A RSE pôde captar a ideia de rede que é quase universal. Todos os setores e instituições estão sentindo que não se faz mais nada só. A ideia de rede, tal como a tecnologia, que é toda em rede, está levando as pessoas a essa visão de integração”.

Irmã Maria José Barros, Fortaleza, CE

 

“Para mim, ficou evidenciado no congresso que a educação precisa ser socializada. É importante promover essa troca de experiências, esse olhar mais amplo em relação ao ser humano. O sonho do Papa Francisco, de olhar a pessoa no seu todo, para um perspectiva mais humana, foi muito citado durante o congresso”.

Irmã Leoneia Ferreira, de Manaus, AM

 

“Um dos maiores desafios da educação na América Latina passa pela questão da desigualdade social, que é gritante. Temos de ter consciência de que estamos vivendo um tempo de crise e que é preciso que não temamos a crise, mas que nos organizemos para criar alternativas novas e atingir o objetivo da escola católica, que é educar evangelizando e evangelizar educando. A experiência da RSE é bastante significativa. É algo que estamos aprendendo, e o aprendizado ocorre durante a construção da própria rede”.

Padre Raimundo Nonato, diretor do Colégio Salesiano do Recife, PE

 

“O Congresso esteve muito atento aos desafios que se colocam para a Educação Católica na atualidade. Tempos de mudanças muito rápidas que, em inúmeras situações, comprometem o desenvolvimento saudável do ser humano. A iluminação esteve bem centrada no Evangelho e nas constantes reflexões e ações do Papa Francisco no sentido de impulsionar a Educação Católica para novas fronteiras, uma Educação em saída permanente ao encontro, especialmente dos que mais clamam por vida. Outro aspecto relevante foi o crescimento da consciência de que só é possível contribuir efetivamente para que a educação cumpra seu papel social se for em rede. Percebe-se que a Rede Salesiana de Escolas tem essa consciência e está na vanguarda, servindo como inspiração e motivadora para outras Congregações e Institutos.”

Antonio Boeing, pró-reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo

 

“O Congresso foi importante para intensificar as experiências, para tomarmos consciência dos processos educativos católicos na América e para fortalecê-los. Precisamos estar à frente dos tempos”.

Mirian Del Valle, encarregada das escolas SDB da Inspetoria Argentina Norte; Fabian Otero, encarregado das escolas SDB da Inspetoria Argentina Sul; padre Húber Fama Puglia, Uruguai; Rossanna Benitez, encarregada das escolas SDB no Paraguai; e padre Marcelo Chavez, Equador

 

“Precisamos que a Igreja Católica reflita sobre o que é ser evangelizador a partir da escola, e isso foi tratado de maneira central no Congresso. Devemos refletir entre todos os educadores, nos colégios católicos, como enfrentar os desafios da educação na atualidade. O congresso foi importante ainda para ressaltar os processos e fortalecer o trabalho educativo nas escolas”.

Irmã Francisca Grau Meza, Inspetoria Madre Mazzarello, Colômbia; irmã Brígida Del Consueno, Inspetoria Sagrado Coração, Equador; e irmã Olga Pineda, Inspetoria Maria Auxiliadora, Colômbia

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Monday, 08 February 2016 21:27

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.