Jornada Mundial mostra a força e a fé da juventude

Monday, 16 September 2013 15:43 Written by 
Jornada Mundial mostra a força e a fé da juventude Foto: Douglas Mansur
A Jornada Mundial da Juventude, realizada no Rio de Janeiro nos dias 23 a 28 de julho, reuniu mais de 3 milhões de pessoas em atos que expressaram publicamente a fé e as propostas da juventude católica.   A juventude católica quer ser discípula apaixonada de Cristo e está pronta a levar ao mundo a proposta do Evangelho, oferecendo uma resposta transformadora aos problemas da sociedade em que vivemos. Esse foi o sentimento deixado pela Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio-2013), realizada nos dias 23 a 28 de julho, em todos os que puderam participar do evento ou mesmo acompanhá-lo pela televisão e pela imprensa. Mais de 3 milhões de pessoas – a maioria jovens, vindos de diversos países e de todas as regiões do Brasil – tomaram a praia de Copacabana e as ruas da capital fluminense em uma grande demonstração de fé.

Nos diversos atos que compuseram a Jornada, a juventude católica mostrou sua alegria, esperança, solidariedade. As palavras do papa Francisco, pedindo que os jovens tenham confiança e se tornem protagonistas nas mudanças necessárias à sociedade e à própria Igreja, ressoaram profundamente nos peregrinos, e foram levadas por eles aos grupos, movimentos e paróquias de origem.

“O primeiro grande desafio da JMJ é promover o debate da situação atual que os jovens estão vivendo. Eles estão inseridos em um modelo social que os coloca como descartáveis, e se veem desprovidos de seus direitos básicos. A JMJ é um grito diante desse modelo social”, avaliou o reitor-mor dos Salesianos, padre Pascual Chávez, que participou de toda a Jornada ao lado dos jovens salesianos, assim como a madre-geral das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Yvonne Reungoat.

A juventude salesiana se fez presente na JMJ desde a sua preparação, nos atos do “Bote Fé” realizados em todo o Brasil; passando pela Semana Missionária que antecedeu a JMJ, até os atos centrais no Rio de Janeiro. “Os jovens não podem ficar com essa mensagem (do amor de Deus) só para si; têm de comunicá-la para os outros, não só com palavras, mas também em gestos concretos. Os jovens do Movimento Juvenil Salesiano são chamados a ser símbolos de esperança para outros jovens, porque foi isso que fez Jesus”, considerou irmã Yvonne.

 

Novos rumos para o MJS nas Américas

A JMJ Rio-2013 foi a segunda na história a ser realizada em um país latino-americano, o que permitiu uma grande participação de jovens vindos de todo o Continente. Para a juventude salesiana, esta foi também a oportunidade de concretizar o I Encontro Continental do Movimento Juvenil Salesiano, realizado nos dias 18 a 21 de julho em Niterói, RJ.

O evento reuniu 350 representantes de 22 inspetorias dos Salesianos de Dom Bosco e 19 inspetorias das Filhas de Maria Auxiliadora das Américas sob o tema “Jovens evangelizando jovens”, e teve o intuito de fortalecer a identidade do MJS e desenvolver uma ação mais articulada no continente. Foram quatro dias de reflexões, momentos celebrativos e troca de experiências, ao final dos quais os participantes, em assembleia, firmaram um “Credo” da juventude salesiana, que contém as convicções e os compromissos para os jovens discípulos e missionários no estilo de Dom Bosco.

 

Alegria e partilha da juventude salesiana

Realizado em 24 de julho no Colégio Santa Rosa, em Niterói, RJ, o Encontro Mundial do Movimento Juvenil Salesiano (que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana – AJS) reuniu cerca de 6 mil jovens peregrinos da JMJ que compartilhavam o carisma salesiano.

As atividades começaram pela manhã, com o Fórum Mundial, no qual mais de 160 jovens e assessores, representando 34 países, refletiram sobre o tema “A Dimensão Missionária na Espiritualidade Juvenil Salesiana”. O Fórum foi encerrado com a celebração eucarística na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, que relembrou o aniversário de 130 anos da presença salesiana no Brasil. Em seguida, começou a Festa do MJS-AJS, também no Colégio Santa Rosa.

Bandeiras de vários países foram vistas ao longo do dia nas mãos dos jovens, que não desanimaram nem mesmo com a chuva forte que caiu durante todo o dia. Padre João Carlos, da Inspetoria do Nordeste, abriu a série de apresentações culturais e artísticas, feitas por grupos de vários países. À noite, os participantes se reuniram para a vigília de oração e, como é tradicional nos encontros da juventude salesiana, para ouvir o “boa-noite” dos sucessores de Madre Mazzarello e de Dom Bosco.

 

A juventude do papa

Chuva, frio e mudança nos locais em que seriam realizados os atos centrais da Jornada: nada diminuiu o ânimo dos peregrinos. Desde a abertura da JMJ, em 23 de julho, e a acolhida do papa Francisco aos jovens, no dia 25, o que se via pelas ruas do Rio de Janeiro era uma demonstração constante de fé e alegria da juventude.

Acompanhada por um público de aproximadamente 3 milhões de pessoas, a Via-sacra, na noite de 26 de julho, emocionou a todos que assistiram de perto ou pelos telões, espalhados pela Praia de Copacabana, cada uma das estações. A Via-sacra teve como ponto de meditação o sofrimento do jovem em suas mais diversas realidades: a missão, a conversão, a comunidade de recuperação, a maternidade, a vida consagrada, a luta pela vida, o amor e a exclusão social, entre outras.

A Vigília com o santo padre, em 27 de julho, foi outro momento de grande comoção e fé na JMJ. Em uma das mensagens de maior repercussão durante a Jornada, o papa Francisco fez referência à mudança de local da Vigília, que seria realizada originalmente no Campus Fidei, para afirmar que “O verdadeiro Campo da Fé – campus fidei - não é um lugar geográfico. O verdadeiro Campo da Fé somos nós”. O santo padre usou o simbolismo do “campo” para ajudar no entendimento do que é ser discípulo e missionário. Ele chamou os jovens a serem campo fértil para que a semente de Cristo encontre lugar em seus corações e possa germinar; convocou os jovens a “entrarem em campo” e serem verdadeiros “atletas de Cristo” e, por fim, fez a referência ao campo como canteiro de obras e interpelou os presentes a serem construtores da Igreja e protagonistas da história.

Muitos jovens decidiram permanecer na Praia de Copacabana durante toda a noite para participar, na manhã do domingo, 28 de julho, da Missa de Envio. Com 3,7 milhões de participantes, a celebração foi presidida pelo sumo pontífice que, em sua homilia, retomou o tema da 28ª Jornada Mundial da Juventude: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”. Na ocasião, como em todos os seus discursos e mensagens, o papa Francisco deixou clara a importância do jovem como agente de mudança na sociedade e convocou os católicos a vencerem a apatia e serem construtores de um mundo melhor.

 

Veja a reportagem completa

A cobertura completa da participação da juventude salesiana na JMJ Rio-2013 está disponível na edição especial do Boletim Salesiano de agosto. A edição, com reportagens em texto e em vídeo, pode ser baixada gratuitamente para leitura em tablets e smartphones, nas lojas da Google Play e da App Store.

 

Equipe Boletim Salesiano na JMJ Rio-2013: Ana Cosenza, Anderson Bueno, Camila Santos, Jakeline Lira e Sandra de Angelis (edição e reportagem); Douglas Mansur (fotos); Fernando Zanata e José Pedro Santos (vídeos) e Sérgio Salme (suporte técnico).

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Jornada Mundial mostra a força e a fé da juventude

Monday, 16 September 2013 15:43 Written by 
Jornada Mundial mostra a força e a fé da juventude Foto: Douglas Mansur
A Jornada Mundial da Juventude, realizada no Rio de Janeiro nos dias 23 a 28 de julho, reuniu mais de 3 milhões de pessoas em atos que expressaram publicamente a fé e as propostas da juventude católica.   A juventude católica quer ser discípula apaixonada de Cristo e está pronta a levar ao mundo a proposta do Evangelho, oferecendo uma resposta transformadora aos problemas da sociedade em que vivemos. Esse foi o sentimento deixado pela Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio-2013), realizada nos dias 23 a 28 de julho, em todos os que puderam participar do evento ou mesmo acompanhá-lo pela televisão e pela imprensa. Mais de 3 milhões de pessoas – a maioria jovens, vindos de diversos países e de todas as regiões do Brasil – tomaram a praia de Copacabana e as ruas da capital fluminense em uma grande demonstração de fé.

Nos diversos atos que compuseram a Jornada, a juventude católica mostrou sua alegria, esperança, solidariedade. As palavras do papa Francisco, pedindo que os jovens tenham confiança e se tornem protagonistas nas mudanças necessárias à sociedade e à própria Igreja, ressoaram profundamente nos peregrinos, e foram levadas por eles aos grupos, movimentos e paróquias de origem.

“O primeiro grande desafio da JMJ é promover o debate da situação atual que os jovens estão vivendo. Eles estão inseridos em um modelo social que os coloca como descartáveis, e se veem desprovidos de seus direitos básicos. A JMJ é um grito diante desse modelo social”, avaliou o reitor-mor dos Salesianos, padre Pascual Chávez, que participou de toda a Jornada ao lado dos jovens salesianos, assim como a madre-geral das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Yvonne Reungoat.

A juventude salesiana se fez presente na JMJ desde a sua preparação, nos atos do “Bote Fé” realizados em todo o Brasil; passando pela Semana Missionária que antecedeu a JMJ, até os atos centrais no Rio de Janeiro. “Os jovens não podem ficar com essa mensagem (do amor de Deus) só para si; têm de comunicá-la para os outros, não só com palavras, mas também em gestos concretos. Os jovens do Movimento Juvenil Salesiano são chamados a ser símbolos de esperança para outros jovens, porque foi isso que fez Jesus”, considerou irmã Yvonne.

 

Novos rumos para o MJS nas Américas

A JMJ Rio-2013 foi a segunda na história a ser realizada em um país latino-americano, o que permitiu uma grande participação de jovens vindos de todo o Continente. Para a juventude salesiana, esta foi também a oportunidade de concretizar o I Encontro Continental do Movimento Juvenil Salesiano, realizado nos dias 18 a 21 de julho em Niterói, RJ.

O evento reuniu 350 representantes de 22 inspetorias dos Salesianos de Dom Bosco e 19 inspetorias das Filhas de Maria Auxiliadora das Américas sob o tema “Jovens evangelizando jovens”, e teve o intuito de fortalecer a identidade do MJS e desenvolver uma ação mais articulada no continente. Foram quatro dias de reflexões, momentos celebrativos e troca de experiências, ao final dos quais os participantes, em assembleia, firmaram um “Credo” da juventude salesiana, que contém as convicções e os compromissos para os jovens discípulos e missionários no estilo de Dom Bosco.

 

Alegria e partilha da juventude salesiana

Realizado em 24 de julho no Colégio Santa Rosa, em Niterói, RJ, o Encontro Mundial do Movimento Juvenil Salesiano (que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana – AJS) reuniu cerca de 6 mil jovens peregrinos da JMJ que compartilhavam o carisma salesiano.

As atividades começaram pela manhã, com o Fórum Mundial, no qual mais de 160 jovens e assessores, representando 34 países, refletiram sobre o tema “A Dimensão Missionária na Espiritualidade Juvenil Salesiana”. O Fórum foi encerrado com a celebração eucarística na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, que relembrou o aniversário de 130 anos da presença salesiana no Brasil. Em seguida, começou a Festa do MJS-AJS, também no Colégio Santa Rosa.

Bandeiras de vários países foram vistas ao longo do dia nas mãos dos jovens, que não desanimaram nem mesmo com a chuva forte que caiu durante todo o dia. Padre João Carlos, da Inspetoria do Nordeste, abriu a série de apresentações culturais e artísticas, feitas por grupos de vários países. À noite, os participantes se reuniram para a vigília de oração e, como é tradicional nos encontros da juventude salesiana, para ouvir o “boa-noite” dos sucessores de Madre Mazzarello e de Dom Bosco.

 

A juventude do papa

Chuva, frio e mudança nos locais em que seriam realizados os atos centrais da Jornada: nada diminuiu o ânimo dos peregrinos. Desde a abertura da JMJ, em 23 de julho, e a acolhida do papa Francisco aos jovens, no dia 25, o que se via pelas ruas do Rio de Janeiro era uma demonstração constante de fé e alegria da juventude.

Acompanhada por um público de aproximadamente 3 milhões de pessoas, a Via-sacra, na noite de 26 de julho, emocionou a todos que assistiram de perto ou pelos telões, espalhados pela Praia de Copacabana, cada uma das estações. A Via-sacra teve como ponto de meditação o sofrimento do jovem em suas mais diversas realidades: a missão, a conversão, a comunidade de recuperação, a maternidade, a vida consagrada, a luta pela vida, o amor e a exclusão social, entre outras.

A Vigília com o santo padre, em 27 de julho, foi outro momento de grande comoção e fé na JMJ. Em uma das mensagens de maior repercussão durante a Jornada, o papa Francisco fez referência à mudança de local da Vigília, que seria realizada originalmente no Campus Fidei, para afirmar que “O verdadeiro Campo da Fé – campus fidei - não é um lugar geográfico. O verdadeiro Campo da Fé somos nós”. O santo padre usou o simbolismo do “campo” para ajudar no entendimento do que é ser discípulo e missionário. Ele chamou os jovens a serem campo fértil para que a semente de Cristo encontre lugar em seus corações e possa germinar; convocou os jovens a “entrarem em campo” e serem verdadeiros “atletas de Cristo” e, por fim, fez a referência ao campo como canteiro de obras e interpelou os presentes a serem construtores da Igreja e protagonistas da história.

Muitos jovens decidiram permanecer na Praia de Copacabana durante toda a noite para participar, na manhã do domingo, 28 de julho, da Missa de Envio. Com 3,7 milhões de participantes, a celebração foi presidida pelo sumo pontífice que, em sua homilia, retomou o tema da 28ª Jornada Mundial da Juventude: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”. Na ocasião, como em todos os seus discursos e mensagens, o papa Francisco deixou clara a importância do jovem como agente de mudança na sociedade e convocou os católicos a vencerem a apatia e serem construtores de um mundo melhor.

 

Veja a reportagem completa

A cobertura completa da participação da juventude salesiana na JMJ Rio-2013 está disponível na edição especial do Boletim Salesiano de agosto. A edição, com reportagens em texto e em vídeo, pode ser baixada gratuitamente para leitura em tablets e smartphones, nas lojas da Google Play e da App Store.

 

Equipe Boletim Salesiano na JMJ Rio-2013: Ana Cosenza, Anderson Bueno, Camila Santos, Jakeline Lira e Sandra de Angelis (edição e reportagem); Douglas Mansur (fotos); Fernando Zanata e José Pedro Santos (vídeos) e Sérgio Salme (suporte técnico).

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.