Avança a causa do Servo de Deus Dom Antônio Lustosa, SDB Destaque

Quinta, 10 Novembro 2022 16:00 Escrito por  Agência Info Salesiana
A notícia foi recebida com alegria na Inspetoria Salesiana do Nordeste e na Arquidiocese de Fortaleza, onde dom Lustosa passou os últimos 22 anos dos 40 de ministério episcopal.


No dia 8 de novembro, foi dado parecer unânime positivo relativo ao exercício heroico das virtudes e à fama de santidade e de sinais do Servo de Deus (SdeD) dom Antônio de Almeida Lustosa SDB, arcebispo de Fortaleza, CE.

O anúncio ocorreu durante o Congresso dos Consultores Teólogos junto ao Dicastério das Causas dos Santos. A Positio teve como relator o monsenhor Maurizio Tagliaferri, como postulador o padre Pierluigi Cameroni, SDB, e como colaboradora, a doutora Cristiana Marinelli.

A notícia foi recebida com alegria na Inspetoria Salesiana do Nordeste e na Arquidiocese de Fortaleza, onde dom Lustosa passou os últimos 22 anos dos 40 de ministério episcopal e onde atua a Comissão Diocesana de promoção da Causa do SdeD.

Zelo apostólico

“Uma figura de bispo, cuja ação pastoral, nas quatro dioceses por ele guiadas, se evidenciou especialmente incisiva”, comentou o padre Pierluigi Cameroni, SDB.

Seu zelo apostólico engendrou uma série de obras e fundações, que tanto bem vêm fazendo ao povo de Deus e aos fiéis.

Apreciado por seu empenho constante em formar um maduro e responsável laicato católico, é também lembrado por seu suave e quase imperceptível ascetismo, por ter vivido pobremente, por ter sido um autêntico homem de Deus e uma admirável pessoa de oração, humilde, invisivelmente entregue à penitência, acolhedor de todos, especialmente dos mais necessitados.

Dom Antônio Lustosa

Antônio de Almeida Lustosa nasceu em 11 de fevereiro de 1886 de uma família da burguesia de São João del-Rei, em MG. Dos pais aprendeu o espírito de sacrifício e o valor do trabalho.

Os Salesianos tinham aberto, há pouco tempo, um internato, o Colégio Dom Bosco em Cachoeira do Campo, MG. Antônio foi para lá aos 16 anos. Dois anos depois decidiu se tornar Salesiano.

Distinguiu-se por penetrante inteligência e por real empenho na vida religiosa. Aos 26 anos já era ordenado sacerdote. Foi feito mestre de noviços e também diretor (em Lavrinhas, São Paulo), sendo encarregado da formação dos aspirantes salesianos, dos estudantes salesianos de Filosofia e também de Teologia.

Além de ensinar, formava ao apostolado salesiano numerosos clérigos, animando, com a ajuda deles, as paróquias e os oratórios nas cidadezinhas próximas.

Em 1925 foi eleito bispo de Uberaba, também em Minas Gerais. Achou o seminário praticamente vazio: depois de um ano tinha no ginásio cerca de 30 seminaristas.

Dignidade aos excluídos

 

Interessou-se pelos excluídos, fazendo sua a urgência da justiça social. Não haviam passado sequer quatro anos que foi transferido a Corumbá, no hoje Mato Grosso do Sul, sede maior e com maiores dificuldades para a evangelização. Após dois anos foi nomeado arcebispo do Belém do Pará, PA, imensa Diocese da Região Norte do Brasil. Ficou ali dez anos, despendendo-se com a mesma generosidade de sempre.

Em 1941 foi transferido à importante sede de Fortaleza, no Estado do Ceará, onde se expendeu com tudo o que era, por 22 anos, vivendo intensamente o “Da mihi animas” de Dom Bosco.

Convencido de que a primeira evangelização consiste em oferecer dignidade às pessoas e famílias mais pobres, fundou ambulatórios, o Hospital São José, escolas populares gratuitas e círculos operários.

Inaugurou a “Sopa dos pobres” e os serviços sociais da Arquidiocese. Sem nunca esquecer o pastoreio das almas, deu vida ao pré-seminário, ao Santuário Nossa Senhora de Fátima e à Rádio Assunção Cearense. Para dar assistência às famílias do campo fundou a Congregação das Josefinas.

O SdeD foi um escritor prolífico nos setores mais variados: Teologia, Filosofia, Espiritualidade, Hagiografia, Literatura, Geologia, Botânica. Tinha um senso de humor refinado. Também foi muito apreciado no campo artístico: são seus os vitrais da Catedral de Fortaleza.

Em 1963 se retirou à casa salesiana, de Carpina, PE, onde transcorreu os últimos 11 anos de vida e onde aos 14 de agosto de 1974 entregou a sua alma a Deus. Seu corpo repousa na Catedral de Fortaleza.

Agora a sua Positio será estudada pelos cardeais e bispos da Congregação das Causas dos Santos: estas articuladas fases de estudo e avaliação permitirão ao Sumo Pontífice, em caso de êxito positivo, declarar dom Antônio de Almeida Lustosa “Venerável Servo de Deus”. Servirá depois um milagre atribuído à sua intercessão para abrir caminho pelo rumo da beatificação.

 

Fonte: Agência Info Salesiana

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 10 Novembro 2022 16:14

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


Avança a causa do Servo de Deus Dom Antônio Lustosa, SDB Destaque

Quinta, 10 Novembro 2022 16:00 Escrito por  Agência Info Salesiana
A notícia foi recebida com alegria na Inspetoria Salesiana do Nordeste e na Arquidiocese de Fortaleza, onde dom Lustosa passou os últimos 22 anos dos 40 de ministério episcopal.


No dia 8 de novembro, foi dado parecer unânime positivo relativo ao exercício heroico das virtudes e à fama de santidade e de sinais do Servo de Deus (SdeD) dom Antônio de Almeida Lustosa SDB, arcebispo de Fortaleza, CE.

O anúncio ocorreu durante o Congresso dos Consultores Teólogos junto ao Dicastério das Causas dos Santos. A Positio teve como relator o monsenhor Maurizio Tagliaferri, como postulador o padre Pierluigi Cameroni, SDB, e como colaboradora, a doutora Cristiana Marinelli.

A notícia foi recebida com alegria na Inspetoria Salesiana do Nordeste e na Arquidiocese de Fortaleza, onde dom Lustosa passou os últimos 22 anos dos 40 de ministério episcopal e onde atua a Comissão Diocesana de promoção da Causa do SdeD.

Zelo apostólico

“Uma figura de bispo, cuja ação pastoral, nas quatro dioceses por ele guiadas, se evidenciou especialmente incisiva”, comentou o padre Pierluigi Cameroni, SDB.

Seu zelo apostólico engendrou uma série de obras e fundações, que tanto bem vêm fazendo ao povo de Deus e aos fiéis.

Apreciado por seu empenho constante em formar um maduro e responsável laicato católico, é também lembrado por seu suave e quase imperceptível ascetismo, por ter vivido pobremente, por ter sido um autêntico homem de Deus e uma admirável pessoa de oração, humilde, invisivelmente entregue à penitência, acolhedor de todos, especialmente dos mais necessitados.

Dom Antônio Lustosa

Antônio de Almeida Lustosa nasceu em 11 de fevereiro de 1886 de uma família da burguesia de São João del-Rei, em MG. Dos pais aprendeu o espírito de sacrifício e o valor do trabalho.

Os Salesianos tinham aberto, há pouco tempo, um internato, o Colégio Dom Bosco em Cachoeira do Campo, MG. Antônio foi para lá aos 16 anos. Dois anos depois decidiu se tornar Salesiano.

Distinguiu-se por penetrante inteligência e por real empenho na vida religiosa. Aos 26 anos já era ordenado sacerdote. Foi feito mestre de noviços e também diretor (em Lavrinhas, São Paulo), sendo encarregado da formação dos aspirantes salesianos, dos estudantes salesianos de Filosofia e também de Teologia.

Além de ensinar, formava ao apostolado salesiano numerosos clérigos, animando, com a ajuda deles, as paróquias e os oratórios nas cidadezinhas próximas.

Em 1925 foi eleito bispo de Uberaba, também em Minas Gerais. Achou o seminário praticamente vazio: depois de um ano tinha no ginásio cerca de 30 seminaristas.

Dignidade aos excluídos

 

Interessou-se pelos excluídos, fazendo sua a urgência da justiça social. Não haviam passado sequer quatro anos que foi transferido a Corumbá, no hoje Mato Grosso do Sul, sede maior e com maiores dificuldades para a evangelização. Após dois anos foi nomeado arcebispo do Belém do Pará, PA, imensa Diocese da Região Norte do Brasil. Ficou ali dez anos, despendendo-se com a mesma generosidade de sempre.

Em 1941 foi transferido à importante sede de Fortaleza, no Estado do Ceará, onde se expendeu com tudo o que era, por 22 anos, vivendo intensamente o “Da mihi animas” de Dom Bosco.

Convencido de que a primeira evangelização consiste em oferecer dignidade às pessoas e famílias mais pobres, fundou ambulatórios, o Hospital São José, escolas populares gratuitas e círculos operários.

Inaugurou a “Sopa dos pobres” e os serviços sociais da Arquidiocese. Sem nunca esquecer o pastoreio das almas, deu vida ao pré-seminário, ao Santuário Nossa Senhora de Fátima e à Rádio Assunção Cearense. Para dar assistência às famílias do campo fundou a Congregação das Josefinas.

O SdeD foi um escritor prolífico nos setores mais variados: Teologia, Filosofia, Espiritualidade, Hagiografia, Literatura, Geologia, Botânica. Tinha um senso de humor refinado. Também foi muito apreciado no campo artístico: são seus os vitrais da Catedral de Fortaleza.

Em 1963 se retirou à casa salesiana, de Carpina, PE, onde transcorreu os últimos 11 anos de vida e onde aos 14 de agosto de 1974 entregou a sua alma a Deus. Seu corpo repousa na Catedral de Fortaleza.

Agora a sua Positio será estudada pelos cardeais e bispos da Congregação das Causas dos Santos: estas articuladas fases de estudo e avaliação permitirão ao Sumo Pontífice, em caso de êxito positivo, declarar dom Antônio de Almeida Lustosa “Venerável Servo de Deus”. Servirá depois um milagre atribuído à sua intercessão para abrir caminho pelo rumo da beatificação.

 

Fonte: Agência Info Salesiana

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 10 Novembro 2022 16:14

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.