8 de junho: Beato Estevão Sándor, mártir

Friday, 07 June 2019 11:59 Written by  Com informações: ANS
Neste 8 de junho, a Igreja e a Família Salesiana celebram a memória do beato Estevão Sándor, Salesiano Irmão. Sándor nasceu em Szolnok (Hungria), no dia 26 de outubro de 1914, e foi justiçado por ódio à fé, em Budapeste (Hungria), no dia 8 de junho de 1953. Tendo conhecido Dom Bosco por meio do Boletim Salesiano, Estevão Sándor sentiu-se imediatamente atraído pelo carisma salesiano. Em 1936 foi aceito no Clarisseum, de Budapeste, onde fez o aspirantado.  

Por dois anos, Sándor frequento na Escola de Artes Gráficas ‘Dom Bosco’ o curso de técnico de impressor. Iniciou o noviciado, que teve de interromper por convocação às forças armadas. Em 1939 recebeu a dispensa definitiva e, terminado o noviciado, fez a primeira profissão no dia 8 de setembro de 1940, como salesiano irmão.

 

Destinado ao Clarisseum, empenhou-se ativamente no ensino dos cursos profissionais. Teve também como encargo a assistência no oratório. Foi promotor da Juventude Operária Católica. Finda a Segunda Guerra Mundial, empenhou-se na reconstrução material e moral da sociedade húngara, dedicando-se especialmente aos jovens mais pobres, que reunia e aos quais ensinava um ofício.

 

Quando em 1949, o Estado, sob Mátyás Rákosi, se adonou dos bens eclesiásticos, e, mais, iniciaram as perseguições contra as escolas católicas, Sándor buscou salvar o salvável. Mas de golpe os religiosos viram-se destituídos de tudo e tiveram que se dispersar. Também Estêvão teve de abandonar a sua tipografia – que com o tempo se tornara bem conhecida – e “desaparecer”. Mas, ao invés de refugiar-se no exterior, ficou no país para continuar  trabalhando pela juventude húngara. Conseguiu um emprego em uma fábrica de detergentes, na Capital, continuando impávido e clandestinamente o seu apostolado, embora sabendo que era uma atividade rigorosamente proibida.

 

Em julho de 1952 foi preso no seu posto de trabalho e nunca mais foi visto pelos coirmãos. Um documento oficial certifica o processo e a condenação à morte, executada por enforcamento, no dia 8 de junho de 1953. Recentemente, seus restos mortais foram identificados em uma vala clandestina.

 

Estevão Sándor foi beatificado em 19 de outubro de 2013. Na carta apostólica, o Papa Francisco define Sándor como “educador exemplar e catequista dos jovens por meio da pedagogia da bondade”.

 

Saiba mais:

Hungria – Achadas e identificadas as Relíquias do Bv. Sr. Estêvão Sándor SDB

Estêvão Sándor é beato

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


8 de junho: Beato Estevão Sándor, mártir

Friday, 07 June 2019 11:59 Written by  Com informações: ANS
Neste 8 de junho, a Igreja e a Família Salesiana celebram a memória do beato Estevão Sándor, Salesiano Irmão. Sándor nasceu em Szolnok (Hungria), no dia 26 de outubro de 1914, e foi justiçado por ódio à fé, em Budapeste (Hungria), no dia 8 de junho de 1953. Tendo conhecido Dom Bosco por meio do Boletim Salesiano, Estevão Sándor sentiu-se imediatamente atraído pelo carisma salesiano. Em 1936 foi aceito no Clarisseum, de Budapeste, onde fez o aspirantado.  

Por dois anos, Sándor frequento na Escola de Artes Gráficas ‘Dom Bosco’ o curso de técnico de impressor. Iniciou o noviciado, que teve de interromper por convocação às forças armadas. Em 1939 recebeu a dispensa definitiva e, terminado o noviciado, fez a primeira profissão no dia 8 de setembro de 1940, como salesiano irmão.

 

Destinado ao Clarisseum, empenhou-se ativamente no ensino dos cursos profissionais. Teve também como encargo a assistência no oratório. Foi promotor da Juventude Operária Católica. Finda a Segunda Guerra Mundial, empenhou-se na reconstrução material e moral da sociedade húngara, dedicando-se especialmente aos jovens mais pobres, que reunia e aos quais ensinava um ofício.

 

Quando em 1949, o Estado, sob Mátyás Rákosi, se adonou dos bens eclesiásticos, e, mais, iniciaram as perseguições contra as escolas católicas, Sándor buscou salvar o salvável. Mas de golpe os religiosos viram-se destituídos de tudo e tiveram que se dispersar. Também Estêvão teve de abandonar a sua tipografia – que com o tempo se tornara bem conhecida – e “desaparecer”. Mas, ao invés de refugiar-se no exterior, ficou no país para continuar  trabalhando pela juventude húngara. Conseguiu um emprego em uma fábrica de detergentes, na Capital, continuando impávido e clandestinamente o seu apostolado, embora sabendo que era uma atividade rigorosamente proibida.

 

Em julho de 1952 foi preso no seu posto de trabalho e nunca mais foi visto pelos coirmãos. Um documento oficial certifica o processo e a condenação à morte, executada por enforcamento, no dia 8 de junho de 1953. Recentemente, seus restos mortais foram identificados em uma vala clandestina.

 

Estevão Sándor foi beatificado em 19 de outubro de 2013. Na carta apostólica, o Papa Francisco define Sándor como “educador exemplar e catequista dos jovens por meio da pedagogia da bondade”.

 

Saiba mais:

Hungria – Achadas e identificadas as Relíquias do Bv. Sr. Estêvão Sándor SDB

Estêvão Sándor é beato

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.