São Francisco Xavier e São João Bosco

Tuesday, 07 May 2019 21:00 Written by 
Em seu artigo aos leitores do Boletim Salesiano no mês de maio, o Reitor-mor dos salesianos fala sobre São Francisco Xavier e São João Bosco, dois grandes santos missionários.    

Faz exatamente uma semana me encontrava em Goa, na Índia. Pude ver nesses dias como, entre palmeira se a fina areia do mar, se levantam catedrais e igrejas construídas durante os séculos XVI e XVII. Um desses templos é a Basílica do Bom Jesus, que se tornou um centro de peregrinação, especialmente para os cristãos e crentes em outras religiões, porque lá estão os restos de São Francisco Xavier, o missiobnário navarro, discípulo de Santo Inácio de Loyola, o fundador dos Jesuítas, que evangelizou o extremo Oriente.

 

Ainda que São Francisco Xavier tenha morrido na China, em 1552, suas relíquias permanecem nesta bonita basílica, situada junto à catedral e à igreja de São Francisco de Assis. Esse espaço para abrigar seus restos mortais foi construído entre 1594 e 1605. Ali se conserva seu corpo, cuja incorruptibilidade deu lugar ao milagre pelo qual São Francisco Xavier foi canonizado em 1622.

 

E ali tive o privilégio, acompanhado de outros salesianos e leigos, de celebrar a Eucaristia no altar e sepulcro deste grande santo missionário jesuíta.

 

Pedi para celebrar a missa em honra a São João Bosco, pedindo sua intercessão. Por que? Antes de tudo porque Dom Bosco é outro grande missionário.

 

Foi uma celebração eucarística simples, bonita e de grande espiritualidade. Eu apresentei ao Senhor, com a mediação de São Francisco Xavier e Dom Bosco, a missão salesiana no mundo e nossa predileção pelos meninos, meninas e jovens do mundo, em especial os mais pobres.

 

Alguns podem se perguntar por que falo de Dom Bosco como um grande missionário, se ele nunca foi missionário ‘ad gentes’. Dom Bosco enviou seus filhos salesianos, mas nunca foi missionário em terras distantes. Isso é certo, mas muito equivocado ao mesmo tempo. Basta pensar, para falar do grande coração missionário de Dom Bosco, nesse dado que apresento: quando Dom Bosco faleceu, em 31 de janeiro de 1888, os salesianos éramos naquele momento 754; esse dado impressiona porque naquele mesmo período Dom Bosco havia enviado como missionários para a América 20% de seus salesianos, em um total de 153. Me digam se isso não corresponde a uma verdadeira paixão missionária, na qual ele mesmo declarou várias vezes em suas cartas que havia querido ser missionário, porém tinham de sê-lo seus filhos.

 

E quando estava em Goa dei graças ao Senhor pelo milagre missionário. O Espírito Santo tem guiado e acompanhado toda a tarefa evangelizadora na Ásia, com os primeiros missionários franciscanos, dominicanos, jesuítas... e também com os filhos e filhas de Dom Bosco. Hoje são 2.786 os SDB na Índia e há muitas de nossas irmãs consagradas, das diversas congregações (filhas de Maria Auxiliadora, Irmãs Missionárias de Maria Auxiliadora, Irmãs de Maria Imaculada etc.). Uma verdadeira graça.

 

Após esse belo momento de celebração da Eucaristia, nesta mesma manhã vi a face concreta de meus quatro irmãos SDB acompanhando as crianças resgatadas da rua. Um grupo de 40 meninos de várias idades, entre os 10 e os 15 anos, com os quais passamos uma linda manhã. Seus olhos brilhavam com uma luz especial. Esses meninos se sentem em casa. Vão à escola, estão recebendo uma formação e uma educação que lhes dará todas as oportunidades em um futuro próximo. Esses meninos cantavam magnificamente. Esses meninos sorriam. Queriam que fizéssemos a fotografia de recordação e haviam aprendido a dizer em espanhol: “!Hola y Hasta la vista!”.

 

Eu definitivamente pensava nos meninos em Valdocco, Turim, que 170 anos antes viviam o mesmo com nosso amado Dom Bosco. E seu coração missionário, hoje por meio de seus filhos e filhas, faz com que também os meninos e meninas do mundo estejam vivendo como em outro Valdocco, outro Mornese.

 

Hoje, com a graça da comunhão entre a Igreja já no paraíso, a Igreja Triunfante e a Igreja que continua a percorrer o caminho, para que nós, como Igreja peregrina, nossos santos missionários, São Francisco Xavier e Dom Bosco, continuem a abençoar a missão e fazendo com que, também hoje, o Senhor seja vida para essas pessoas, para esses meninos e meninas, também na bela Goa.

 

Em Goa vivi e senti que os séculos não nos afastam, e aquilo que é essencial e mais autêntico da vida e da Evangelização tem uma bonita continuidade. Neste mês de Maria, peço a nossa Mãe Auxiliadora que continue acompanhando a missão em nome do Senhor por todo o mundo. E que a missão salesiana continue fiel hoje, como tem sido sempre.

 

Que o Senhor lhes bendiga e que a Auxiliadora os acompanhe.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 23 May 2019 18:56

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


São Francisco Xavier e São João Bosco

Tuesday, 07 May 2019 21:00 Written by 
Em seu artigo aos leitores do Boletim Salesiano no mês de maio, o Reitor-mor dos salesianos fala sobre São Francisco Xavier e São João Bosco, dois grandes santos missionários.    

Faz exatamente uma semana me encontrava em Goa, na Índia. Pude ver nesses dias como, entre palmeira se a fina areia do mar, se levantam catedrais e igrejas construídas durante os séculos XVI e XVII. Um desses templos é a Basílica do Bom Jesus, que se tornou um centro de peregrinação, especialmente para os cristãos e crentes em outras religiões, porque lá estão os restos de São Francisco Xavier, o missiobnário navarro, discípulo de Santo Inácio de Loyola, o fundador dos Jesuítas, que evangelizou o extremo Oriente.

 

Ainda que São Francisco Xavier tenha morrido na China, em 1552, suas relíquias permanecem nesta bonita basílica, situada junto à catedral e à igreja de São Francisco de Assis. Esse espaço para abrigar seus restos mortais foi construído entre 1594 e 1605. Ali se conserva seu corpo, cuja incorruptibilidade deu lugar ao milagre pelo qual São Francisco Xavier foi canonizado em 1622.

 

E ali tive o privilégio, acompanhado de outros salesianos e leigos, de celebrar a Eucaristia no altar e sepulcro deste grande santo missionário jesuíta.

 

Pedi para celebrar a missa em honra a São João Bosco, pedindo sua intercessão. Por que? Antes de tudo porque Dom Bosco é outro grande missionário.

 

Foi uma celebração eucarística simples, bonita e de grande espiritualidade. Eu apresentei ao Senhor, com a mediação de São Francisco Xavier e Dom Bosco, a missão salesiana no mundo e nossa predileção pelos meninos, meninas e jovens do mundo, em especial os mais pobres.

 

Alguns podem se perguntar por que falo de Dom Bosco como um grande missionário, se ele nunca foi missionário ‘ad gentes’. Dom Bosco enviou seus filhos salesianos, mas nunca foi missionário em terras distantes. Isso é certo, mas muito equivocado ao mesmo tempo. Basta pensar, para falar do grande coração missionário de Dom Bosco, nesse dado que apresento: quando Dom Bosco faleceu, em 31 de janeiro de 1888, os salesianos éramos naquele momento 754; esse dado impressiona porque naquele mesmo período Dom Bosco havia enviado como missionários para a América 20% de seus salesianos, em um total de 153. Me digam se isso não corresponde a uma verdadeira paixão missionária, na qual ele mesmo declarou várias vezes em suas cartas que havia querido ser missionário, porém tinham de sê-lo seus filhos.

 

E quando estava em Goa dei graças ao Senhor pelo milagre missionário. O Espírito Santo tem guiado e acompanhado toda a tarefa evangelizadora na Ásia, com os primeiros missionários franciscanos, dominicanos, jesuítas... e também com os filhos e filhas de Dom Bosco. Hoje são 2.786 os SDB na Índia e há muitas de nossas irmãs consagradas, das diversas congregações (filhas de Maria Auxiliadora, Irmãs Missionárias de Maria Auxiliadora, Irmãs de Maria Imaculada etc.). Uma verdadeira graça.

 

Após esse belo momento de celebração da Eucaristia, nesta mesma manhã vi a face concreta de meus quatro irmãos SDB acompanhando as crianças resgatadas da rua. Um grupo de 40 meninos de várias idades, entre os 10 e os 15 anos, com os quais passamos uma linda manhã. Seus olhos brilhavam com uma luz especial. Esses meninos se sentem em casa. Vão à escola, estão recebendo uma formação e uma educação que lhes dará todas as oportunidades em um futuro próximo. Esses meninos cantavam magnificamente. Esses meninos sorriam. Queriam que fizéssemos a fotografia de recordação e haviam aprendido a dizer em espanhol: “!Hola y Hasta la vista!”.

 

Eu definitivamente pensava nos meninos em Valdocco, Turim, que 170 anos antes viviam o mesmo com nosso amado Dom Bosco. E seu coração missionário, hoje por meio de seus filhos e filhas, faz com que também os meninos e meninas do mundo estejam vivendo como em outro Valdocco, outro Mornese.

 

Hoje, com a graça da comunhão entre a Igreja já no paraíso, a Igreja Triunfante e a Igreja que continua a percorrer o caminho, para que nós, como Igreja peregrina, nossos santos missionários, São Francisco Xavier e Dom Bosco, continuem a abençoar a missão e fazendo com que, também hoje, o Senhor seja vida para essas pessoas, para esses meninos e meninas, também na bela Goa.

 

Em Goa vivi e senti que os séculos não nos afastam, e aquilo que é essencial e mais autêntico da vida e da Evangelização tem uma bonita continuidade. Neste mês de Maria, peço a nossa Mãe Auxiliadora que continue acompanhando a missão em nome do Senhor por todo o mundo. E que a missão salesiana continue fiel hoje, como tem sido sempre.

 

Que o Senhor lhes bendiga e que a Auxiliadora os acompanhe.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 23 May 2019 18:56

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.