Incentivo ao protagonismo juvenil

Thursday, 23 July 2015 23:53 Written by 
A Pastoral Juvenil Salesiana renova a cada dia a mesma confiança que Dom Bosco depositava na juventude e em sua capacidade transformadora.

Ontem

No Marco Referencial da Pastoral Juvenil Salesiana é pontuado que a prática associativa, a vida de grupos, a ação comunitária das “Companhias” foi uma experiência quase espontânea na vida de Dom Bosco, criada naturalmente pela sua índole à sociabilidade e à amizade. “Dom Bosco, guiado pela intuição da alma juvenil, descobriu a grande oportunidade oferecida pelos grupos e associações; adaptando-se às diversas e múltiplas exigências de seus jovens, criou muitas formas associativas para eles” (pág. 165).

Para Dom Bosco, o associacionismo juvenil era algo indispensável. E essa organização, embora incentivada e promovida pelos educadores, deveria ser iniciativa dos próprios jovens, o que demonstra a enorme confiança que Dom Bosco depositava na juventude. Seguindo os passos do fundador, o Marco Referencial da PJS deixa claro que “através da pluralidade de grupos e associações juvenis, queremos garantir uma presença educativa de qualidade nos novos espaços de socialização dos jovens e animá-los para uma experiência significativa de vida eclesial” (pp. 165/166). A PJS se caracteriza por trabalhar quatro dimensões: de educação à fé; educativo-cultural; vocacional e da experiência associativa. Nesta última se insere o Movimento Juvenil Salesiano, que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana (AJS).

A AJS nasceu oficialmente no país em 1996, quando houve um primeiro encontro nacional em São Paulo. Em outubro de 2003, já consolidada em todo Brasil, realizou seu primeiro Congresso Nacional. Em 2013, no marco da Jornada Mundial da Juventude, foi realizado em Niterói, RJ, o Encontro Continental do MJS/AJS, que reuniu representantes de todas as inspetorias do continente, com o objetivo de fortalecer o MJS/AJS nas três Américas.

 

Hoje

“A finalidade da Pastoral Juvenil Salesiana,como queria Dom Bosco, é ‘formar bons cristãos e honestos cidadãos’. Portanto, fiéis discípulos de Jesus Cristo e comprometidos com um mundo mais justo e fraterno”, explica o coordenador da Comissão Nacional da Pastoral Juvenil Salesiana, padre Antônio de Assis Ribeiro (padre Bira).

A ação da Pastoral Juvenil Salesiana (PJS) ocorre hoje por meio de diversas iniciativas que colocam o jovem no coração da Família Salesiana: animação pastoral, vocacional e missionária; Articulação da Juventude Salesiana (AJS) e tantas outras atividades que incentivam o protagonismo juvenil. A PJS se coloca a serviço da Igreja, da Família Salesiana e, principalmente, dos jovens.

Atualmente a PJS realiza diversos projetos pastorais, em diferentes áreas e contextos da realidade salesiana nas escolas, obras sociais, paróquias, universidades etc. “É dentro dessas grandes estruturas pedagógico-pastorais, as redes, que evangelizamos educando e, educando, evangelizamos! Para nós, salesianos, evangelizar e educar são inseparáveis. Portanto, a pastoral está em todo lugar, em todas as atividades e projetos e não só na dimensão litúrgico-religiosa”, padre Bira.

Em abril de 2012, a PJS formou uma Comissão Nacional que é composta por um referente de cada inspetoria, tanto dos SDB como das FMA, com um total de 15 participantes. Esta Comissão se reúne duas vezes ao ano para partilhar suas atuais realidades e definir projetos comuns ao Brasil salesiano. Hoje a Comissão também integra o Conselho Administrativo da Rede Salesiana Brasil (CAD), uma importante conquista segundo a coordenadora da comissão pelas FMA, irmã Solange Sanchez. “Hoje não se concebe a missão salesiana sem o norte da Pastoral Juvenil”, afirma ela.

Dentre os desafios para a Pastoral Juvenil Salesiana para este ano está um Projeto de Animação da PJS em âmbito nacional, a serviço de todas as redes. “Trata-se de grandes orientações e compromissos a serem assumidos pelas comunidades educativas em todas as inspetorias (FMA e SDB) nos diversos contextos onde trabalhamos”, explica o padre Ribeiro.

A Articulação da Juventude Salesiana (AJS) também passou por transformações desde a sua formação e atualmente conta comumConselho Nacional (CNAJS) formado por jovens de dez inspetorias salesianas. Em março deste ano, o CNAJS promoveu o seu primeiro encontro em Manaus, AM, para discutir o Plano de Ação da AJS. Assim, foram detalhadas dez linhas de ação para os próximos anos. “Os objetivos destas ações são contribuir para o fortalecimento da identidade da AJS e organização dos conselhos inspetoriais, promovendo o aprofundamento da Espiritualidade Juvenil Salesiana”, explicam Renan Demeterko e Eduardo Schmitz, respectivamente coordenador e conselheiro de Comunicação.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Incentivo ao protagonismo juvenil

Thursday, 23 July 2015 23:53 Written by 
A Pastoral Juvenil Salesiana renova a cada dia a mesma confiança que Dom Bosco depositava na juventude e em sua capacidade transformadora.

Ontem

No Marco Referencial da Pastoral Juvenil Salesiana é pontuado que a prática associativa, a vida de grupos, a ação comunitária das “Companhias” foi uma experiência quase espontânea na vida de Dom Bosco, criada naturalmente pela sua índole à sociabilidade e à amizade. “Dom Bosco, guiado pela intuição da alma juvenil, descobriu a grande oportunidade oferecida pelos grupos e associações; adaptando-se às diversas e múltiplas exigências de seus jovens, criou muitas formas associativas para eles” (pág. 165).

Para Dom Bosco, o associacionismo juvenil era algo indispensável. E essa organização, embora incentivada e promovida pelos educadores, deveria ser iniciativa dos próprios jovens, o que demonstra a enorme confiança que Dom Bosco depositava na juventude. Seguindo os passos do fundador, o Marco Referencial da PJS deixa claro que “através da pluralidade de grupos e associações juvenis, queremos garantir uma presença educativa de qualidade nos novos espaços de socialização dos jovens e animá-los para uma experiência significativa de vida eclesial” (pp. 165/166). A PJS se caracteriza por trabalhar quatro dimensões: de educação à fé; educativo-cultural; vocacional e da experiência associativa. Nesta última se insere o Movimento Juvenil Salesiano, que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana (AJS).

A AJS nasceu oficialmente no país em 1996, quando houve um primeiro encontro nacional em São Paulo. Em outubro de 2003, já consolidada em todo Brasil, realizou seu primeiro Congresso Nacional. Em 2013, no marco da Jornada Mundial da Juventude, foi realizado em Niterói, RJ, o Encontro Continental do MJS/AJS, que reuniu representantes de todas as inspetorias do continente, com o objetivo de fortalecer o MJS/AJS nas três Américas.

 

Hoje

“A finalidade da Pastoral Juvenil Salesiana,como queria Dom Bosco, é ‘formar bons cristãos e honestos cidadãos’. Portanto, fiéis discípulos de Jesus Cristo e comprometidos com um mundo mais justo e fraterno”, explica o coordenador da Comissão Nacional da Pastoral Juvenil Salesiana, padre Antônio de Assis Ribeiro (padre Bira).

A ação da Pastoral Juvenil Salesiana (PJS) ocorre hoje por meio de diversas iniciativas que colocam o jovem no coração da Família Salesiana: animação pastoral, vocacional e missionária; Articulação da Juventude Salesiana (AJS) e tantas outras atividades que incentivam o protagonismo juvenil. A PJS se coloca a serviço da Igreja, da Família Salesiana e, principalmente, dos jovens.

Atualmente a PJS realiza diversos projetos pastorais, em diferentes áreas e contextos da realidade salesiana nas escolas, obras sociais, paróquias, universidades etc. “É dentro dessas grandes estruturas pedagógico-pastorais, as redes, que evangelizamos educando e, educando, evangelizamos! Para nós, salesianos, evangelizar e educar são inseparáveis. Portanto, a pastoral está em todo lugar, em todas as atividades e projetos e não só na dimensão litúrgico-religiosa”, padre Bira.

Em abril de 2012, a PJS formou uma Comissão Nacional que é composta por um referente de cada inspetoria, tanto dos SDB como das FMA, com um total de 15 participantes. Esta Comissão se reúne duas vezes ao ano para partilhar suas atuais realidades e definir projetos comuns ao Brasil salesiano. Hoje a Comissão também integra o Conselho Administrativo da Rede Salesiana Brasil (CAD), uma importante conquista segundo a coordenadora da comissão pelas FMA, irmã Solange Sanchez. “Hoje não se concebe a missão salesiana sem o norte da Pastoral Juvenil”, afirma ela.

Dentre os desafios para a Pastoral Juvenil Salesiana para este ano está um Projeto de Animação da PJS em âmbito nacional, a serviço de todas as redes. “Trata-se de grandes orientações e compromissos a serem assumidos pelas comunidades educativas em todas as inspetorias (FMA e SDB) nos diversos contextos onde trabalhamos”, explica o padre Ribeiro.

A Articulação da Juventude Salesiana (AJS) também passou por transformações desde a sua formação e atualmente conta comumConselho Nacional (CNAJS) formado por jovens de dez inspetorias salesianas. Em março deste ano, o CNAJS promoveu o seu primeiro encontro em Manaus, AM, para discutir o Plano de Ação da AJS. Assim, foram detalhadas dez linhas de ação para os próximos anos. “Os objetivos destas ações são contribuir para o fortalecimento da identidade da AJS e organização dos conselhos inspetoriais, promovendo o aprofundamento da Espiritualidade Juvenil Salesiana”, explicam Renan Demeterko e Eduardo Schmitz, respectivamente coordenador e conselheiro de Comunicação.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.