Alunos salesianos falam sobre a beleza de ser voluntários

Wednesday, 25 September 2013 12:21 Written by  RSE Informa
Alunos salesianos falam sobre a beleza de ser voluntários Grupo de Voltuntários. Foto: Colégio Salesiano
Os alunos do 2º ano do ensino médio do Colégio Salesiano Itajaí, em Santa Catarina, aceitaram o convite da escola para serem voluntários em obras sociais. Em 2012, eles conheceram várias obras do município e, neste ano, engajaram-se no trabalho voluntário nesses espaços. As atividades são autorizadas pelos pais, acompanhadas pelo setor de animação pastoral da escola e por responsáveis das obras sociais.   Após algum tempo e muitas experiências marcantes, os jovens já demonstram mudanças na visão de mundo. Para a aluna Carolina Andrade, a experiência foi decisiva para mudar a maneira como ela enxergava o trabalho voluntário: “No começo eu via o voluntariado como o velho clichê de ‘ajudar a quem necessita para fazer o bem ao próximo e consequentemente a si mesmo”, mas na verdade é muito mais que isso. O voluntariado é uma oportunidade de abrir os olhos a uma realidade que, de certa forma, tentamos ignorar todos os dias”, afirma. Como exemplo, ela cita as crianças do Lar Padre Jacó, com quem agora ela tem grande proximidade: “São crianças que passavam do meu lado todos os dias no caminho para a escola e eu nunca havia reparado nelas. Por que não temos vontade de olhar para fora da janela do carro? Nosso conforto chegou a tal ponto que queremos ignorar nossos irmãos?”, questiona a estudante.

O aluno Lucas Cunha destaca o aprendizado de novos valores que só o trabalho voluntário pode oferecer. “Hoje eu posso afirmar o quanto valeu a pena sacrificar um pequeno tempo da minha semana para estar com as crianças do Parque Dom Bosco. Essa foi uma experiência completamente diferente, pois eu me envolvi com pessoas que vivem outra realidade e aprendi a ser mais humilde e agradecer por tudo aquilo que tenho ao invés de reclamar como muitos fazem”, revela.

 

Lukas de Oliveira, da mesma turma, também aponta o amadurecimento de valores e cita a abertura que o voluntariado lhe trouxe na comunicação com o próximo: “O trabalho voluntário aprimorou a minha comunicação e interação com as outras pessoas, algo que eu tinha dificuldade no passado. Passei a ver a vida de outra forma e de ângulos diferentes”.

 

Abrir os olhos para a vida

Ianca Reinert avalia a experiência que teve com crianças de uma obra social como uma dádiva, uma oportunidade de crescimento humano e cristão:  “Quem faz voluntariado se torna uma pessoa melhor, observa as coisas do dia a dia de modo diferente. Fazer esse trabalho me fez ver o que não via, me fez ser cada vez mais grata pela vida que tenho”.

 

Daniela Diniz, por sua vez, destaca o teor de cidadania na missão do voluntário, seu papel como agente de mudanças no contexto social: “Ser voluntário é acreditar que a contribuição individual é essencial para produzir uma mudança positiva, tanto nas pessoas quanto na sociedade.  O voluntariado é uma experiência onde posso ser protagonista de ações solidárias, efetuando práticas que possibilitam uma interação maior com o outro, de modo especial com aquele que mais necessita, desenvolvendo meu papel como cidadã, além de aprender a conviver com as diferenças”, ressalta.

Fonte: RSE Informa

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 25 September 2013 12:26

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Alunos salesianos falam sobre a beleza de ser voluntários

Wednesday, 25 September 2013 12:21 Written by  RSE Informa
Alunos salesianos falam sobre a beleza de ser voluntários Grupo de Voltuntários. Foto: Colégio Salesiano
Os alunos do 2º ano do ensino médio do Colégio Salesiano Itajaí, em Santa Catarina, aceitaram o convite da escola para serem voluntários em obras sociais. Em 2012, eles conheceram várias obras do município e, neste ano, engajaram-se no trabalho voluntário nesses espaços. As atividades são autorizadas pelos pais, acompanhadas pelo setor de animação pastoral da escola e por responsáveis das obras sociais.   Após algum tempo e muitas experiências marcantes, os jovens já demonstram mudanças na visão de mundo. Para a aluna Carolina Andrade, a experiência foi decisiva para mudar a maneira como ela enxergava o trabalho voluntário: “No começo eu via o voluntariado como o velho clichê de ‘ajudar a quem necessita para fazer o bem ao próximo e consequentemente a si mesmo”, mas na verdade é muito mais que isso. O voluntariado é uma oportunidade de abrir os olhos a uma realidade que, de certa forma, tentamos ignorar todos os dias”, afirma. Como exemplo, ela cita as crianças do Lar Padre Jacó, com quem agora ela tem grande proximidade: “São crianças que passavam do meu lado todos os dias no caminho para a escola e eu nunca havia reparado nelas. Por que não temos vontade de olhar para fora da janela do carro? Nosso conforto chegou a tal ponto que queremos ignorar nossos irmãos?”, questiona a estudante.

O aluno Lucas Cunha destaca o aprendizado de novos valores que só o trabalho voluntário pode oferecer. “Hoje eu posso afirmar o quanto valeu a pena sacrificar um pequeno tempo da minha semana para estar com as crianças do Parque Dom Bosco. Essa foi uma experiência completamente diferente, pois eu me envolvi com pessoas que vivem outra realidade e aprendi a ser mais humilde e agradecer por tudo aquilo que tenho ao invés de reclamar como muitos fazem”, revela.

 

Lukas de Oliveira, da mesma turma, também aponta o amadurecimento de valores e cita a abertura que o voluntariado lhe trouxe na comunicação com o próximo: “O trabalho voluntário aprimorou a minha comunicação e interação com as outras pessoas, algo que eu tinha dificuldade no passado. Passei a ver a vida de outra forma e de ângulos diferentes”.

 

Abrir os olhos para a vida

Ianca Reinert avalia a experiência que teve com crianças de uma obra social como uma dádiva, uma oportunidade de crescimento humano e cristão:  “Quem faz voluntariado se torna uma pessoa melhor, observa as coisas do dia a dia de modo diferente. Fazer esse trabalho me fez ver o que não via, me fez ser cada vez mais grata pela vida que tenho”.

 

Daniela Diniz, por sua vez, destaca o teor de cidadania na missão do voluntário, seu papel como agente de mudanças no contexto social: “Ser voluntário é acreditar que a contribuição individual é essencial para produzir uma mudança positiva, tanto nas pessoas quanto na sociedade.  O voluntariado é uma experiência onde posso ser protagonista de ações solidárias, efetuando práticas que possibilitam uma interação maior com o outro, de modo especial com aquele que mais necessita, desenvolvendo meu papel como cidadã, além de aprender a conviver com as diferenças”, ressalta.

Fonte: RSE Informa

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 25 September 2013 12:26

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.