Escola Salesiana São José é ouro na 24ª Jornada de Foguetes

Wednesday, 27 November 2019 12:41 Written by  Inspetoria Salesiana de São Paulo
Iniciativa tem apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e da Agência Espacial Brasileira.


A Escola Salesiana São José de Campinas, SP, foi premiada com medalha de ouro na 24ª Jornada de Foguetes, organizada pela Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) e pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), realizada na cidade de Barra do Piraí, RJ.

Os alunos Bruna Carvalho Teodoro, Geovana Carvalho Teodoro e Umberto Rezende Paiva, juntamente com os professores responsáveis, Denise de Paula Nellessen e Rafael Siqueira de Andrade, receberam no dia 11 de novembro a premiação das mãos do ministro, Marcos Pontes.

A iniciativa tem apoio do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Agência Espacial Brasileira (AEB), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Fundação Marcos Pontes.

O evento foi realizado entre os dias 15 e 19 de novembro, reunindo 1.341 alunos e  356 professores de escolas de todo o país. As equipes foram selecionadas a partir da 13ª MOBFOG, que contou com cerca de 150 mil participantes e foi realizada em conjunto com a 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), em maio.


“Para nós, estar lá foi uma forma de agradecer e aprender. Pois, para realizar grandes conquistas devemos, não apenas agir ou planejar, mas acreditar que tudo é possível. Se nós conseguimos, o que você está esperando?”, afirmaram os ganhadores.

Durante a Jornada, os estudantes apresentaram seus foguetes de garrafa pet e suas bases de lançamento. Os protótipos eram movidos a combustível líquido composto de vinagre e bicarbonato de sódio. Segundo a organização, a novidade desse ano ficou por conta dos professores, que puderam lançar foguetes feitos de PVC e dos alunos, com foguetes de papel. Todos lançados com ignição elétrica.

Os vencedores foram os que lançaram os foguetes o mais longe possível. Além disso, receberam prêmios as seis melhores apresentações. O júri foi composto pelos professores de todas as equipes presentes e foram analisados os seguintes pontos: acabamento e originalidade do foguete; acabamento e originalidade da base; segurança e apresentação da equipe participante.


A MOBFOG


Realizada pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), a iniciativa é aberta aos alunos de escolas públicas e particulares do ensino fundamental e médio. A finalidade é avaliar a capacidade dos jovens de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa pet ou de canudo de refrigerante, conforme o nível do aluno.

Somente os participantes do nível 4 (projetos de foguetes de garrafa pet movido a vinagre e bicarbonato de sódio) foram convidados para a Jornada. Além da distância dos protótipos, os trabalhos também são avaliados por meio dos relatórios enviados pelos estudantes e professores à coordenação da Mostra. As escolas que estavam dentro das regras e atingiram o objetivo, foram convidadas para participar da Jornada de Foguetes.


Fonte: Inspetoria Salesiana de São Paulo


Leia também: Escola salesiana é medalha de bronze na Mostra Brasileira de Foguetes

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 27 November 2019 12:55

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Escola Salesiana São José é ouro na 24ª Jornada de Foguetes

Wednesday, 27 November 2019 12:41 Written by  Inspetoria Salesiana de São Paulo
Iniciativa tem apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e da Agência Espacial Brasileira.


A Escola Salesiana São José de Campinas, SP, foi premiada com medalha de ouro na 24ª Jornada de Foguetes, organizada pela Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) e pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), realizada na cidade de Barra do Piraí, RJ.

Os alunos Bruna Carvalho Teodoro, Geovana Carvalho Teodoro e Umberto Rezende Paiva, juntamente com os professores responsáveis, Denise de Paula Nellessen e Rafael Siqueira de Andrade, receberam no dia 11 de novembro a premiação das mãos do ministro, Marcos Pontes.

A iniciativa tem apoio do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Agência Espacial Brasileira (AEB), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Fundação Marcos Pontes.

O evento foi realizado entre os dias 15 e 19 de novembro, reunindo 1.341 alunos e  356 professores de escolas de todo o país. As equipes foram selecionadas a partir da 13ª MOBFOG, que contou com cerca de 150 mil participantes e foi realizada em conjunto com a 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), em maio.


“Para nós, estar lá foi uma forma de agradecer e aprender. Pois, para realizar grandes conquistas devemos, não apenas agir ou planejar, mas acreditar que tudo é possível. Se nós conseguimos, o que você está esperando?”, afirmaram os ganhadores.

Durante a Jornada, os estudantes apresentaram seus foguetes de garrafa pet e suas bases de lançamento. Os protótipos eram movidos a combustível líquido composto de vinagre e bicarbonato de sódio. Segundo a organização, a novidade desse ano ficou por conta dos professores, que puderam lançar foguetes feitos de PVC e dos alunos, com foguetes de papel. Todos lançados com ignição elétrica.

Os vencedores foram os que lançaram os foguetes o mais longe possível. Além disso, receberam prêmios as seis melhores apresentações. O júri foi composto pelos professores de todas as equipes presentes e foram analisados os seguintes pontos: acabamento e originalidade do foguete; acabamento e originalidade da base; segurança e apresentação da equipe participante.


A MOBFOG


Realizada pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), a iniciativa é aberta aos alunos de escolas públicas e particulares do ensino fundamental e médio. A finalidade é avaliar a capacidade dos jovens de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa pet ou de canudo de refrigerante, conforme o nível do aluno.

Somente os participantes do nível 4 (projetos de foguetes de garrafa pet movido a vinagre e bicarbonato de sódio) foram convidados para a Jornada. Além da distância dos protótipos, os trabalhos também são avaliados por meio dos relatórios enviados pelos estudantes e professores à coordenação da Mostra. As escolas que estavam dentro das regras e atingiram o objetivo, foram convidadas para participar da Jornada de Foguetes.


Fonte: Inspetoria Salesiana de São Paulo


Leia também: Escola salesiana é medalha de bronze na Mostra Brasileira de Foguetes

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 27 November 2019 12:55

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.