Tempo de solidariedade

Friday, 15 November 2019 18:16 Written by  Camila Santos
O Natal está chegando! A proximidade dessa data reforça o desejo de contribuir com aqueles que mais necessitam. Uma das formas de fazer isso é colaborar com obras sociais sérias e com as quais você se identifique.  

A Rede Salesiana Brasil de Ação Social (RSB-Social) engloba 109 obras em todo o país. Todas têm em comum o compromisso de transformar a vida de crianças, adolescentes e jovens em vulnerabilidade social e de contribuir com o desenvolvimento das comunidades do seu entorno. Mas cada obra tem a sua história, sua característica específica de serviço aos que mais necessitam e sua influência na região em que atua. Conheça a seguir um pouco do trabalho realizado em seis obras salesianas, em diferentes regiões do Brasil, e veja como o carisma salesiano pode se expressar de diversas maneiras na ação social.

 

Adoção à distância

“Nasci na Cidade Dom Bosco. Tínhamos um barraco que ficava dentro da obra e depois foi comprado pelo padre Ernesto. Minha família é nordestina e tenho mais oito irmãos, todos nós fomos acolhidos na obra. Por isso, tenho com ela uma história de amor”. Este é o relato de Lindivalda Gonçalves dos Santos, hoje coordenadora do “Adoção à distância”, um dos programas ofertados na Cidade Dom Bosco, obra social fundada há mais de 50 anos em Corumbá, MS, pelo missionário salesiano padre Ernesto Sassida.

Assim como Lindivalda, centenas de pessoas já foram beneficiadas pelo “Adoção à distância”. Ele funciona como um apadrinhamento financeiro de crianças, adolescentes e jovens com idades de 6 a 17 anos, de ambos os sexos. O padrinho contribui mensalmente ou anualmente com determinada quantia para auxílio de bolsa de estudos, alimentação e, de forma pontual, com assistência médica, remédio e vestuário, entre outros. “O auxílio pode se estender até os 22 anos, caso o padrinho ou a madrinha manifeste interesse em contribuir com sua formação acadêmica”, explica Lindivalda.

Ela foi atendida pelo programa, que agora coordena, dos 7 anos até concluir a faculdade de História. Depois, graças à sua madrinha da Itália, continuou estudando e pôde fazer três pós-graduações e um Mestrado. Atualmente o “Adoção à distância” beneficia 253 afilhados, sendo 141 crianças e 112 adolescentes.

 

Sobre a Cidade Dom Bosco

Atualmente a Cidade Dom Bosco atende 600 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos e 11 meses. Ao longo de mais de 50 anos de história, contribuiu para a educação de mais de 25 mil alunos e beneficiou outras milhares de pessoas, por meio de ações sociais que a completam.

 

Oficinas esportivas e culturais

Jonathan do Bonfim Ramos, agora com 24 anos, também teve a sua vida transformada por uma obra social salesiana. Há nove anos, ele ingressou na oficina de karatê do Centro Maria Auxiliadora (CEMAM), em Petrolina, PE, mas enfrentou muitas dificuldades para acompanhar as aulas devido à situação de vulnerabilidade social em que se encontrava, junto com a mãe e um irmão. “Nesse período não tínhamos uma equipe técnica que pudesse dar a assistência que Jonathan precisava, mas professores e funcionários se mobilizaram para ajudar”, conta Doralice Gomes, coordenadora administrativa do CEMAM. Algum tempo depois a mãe de Jonathan faleceu, mas nem mesmo essa difícil situação e tantas outras adversidades o fizeram desistir do karatê. Hoje, Jonathan é faixa preta, professor de karatê, leciona em uma academia e continua participando das aulas do CEMAM. “Uma história de superação, força de vontade e transformação social”, afirma Doralice.

Além do karatê, o CEMAM também oferece oficinas socioeducativas de xadrez, violão, violino, piano, flauta, ballet, futsal e banda musical. A obra ainda disponibiliza uniforme e lanches para os alunos e desenvolve um trabalho de fortalecimento de vínculos familiares e geração de renda, atendendo 76 mulheres com curso de beneficiamento de alimentos, no qual são fabricados doces, polpas, geleias, licores, bolos, biscoitos e outros derivados, que contribuem para a geração de renda das famílias.

 

Sobre o CEMAM

Atualmente o CEMAM atende 415 crianças e adolescentes de 6 a 18 anos e jovens e adultos de 19 a 29 anos. O Centro foi fundado em 12 de agosto de 1984 e é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos de caráter educacional, cultural e de assistência social.

 

Formação profissional

Em Manaus, AM, o Pró-menor Dom Bosco há 38 anos atende os adolescentes e jovens vindos de famílias em situação de vulnerabilidade social. “O Pró-Menor busca reverter esta situação, proporcionando aos adolescentes e jovens alimentação, educação, iniciação profissional, lazer e formação humana e cristã”, explica Antonildo Corrêa Serrão, coordenador administrativo da obra.

O Pró-Menor mantém parceria com 135 empresas, número este ainda em ascensão. Encaminha, anualmente, cerca de mil alunos para entrevista e realiza a inclusão no mercado de trabalho, através da Lei da Aprendizagem, de cerca de 700 jovens por ano. Além disso, promove a capacitação profissional em cursos e oficinas. Também realiza o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, por meio de atividades programadas e desenvolvidas durante o ano para as famílias como: passeios, rodas de conversa, encontros formativos e projetos de geração de renda.

 

Sobre o Pró-menor Dom Bosco

O Pró-menor Dom Bosco atende cerca de 1.200 adolescentes e jovens de 14 a 22 anos no Programa de Aprendizagem Profissional e mais de 60 famílias, juntamente com adolescentes de 12 a 18 anos, no Projeto Família Solidária.

 

Fortalecimento dos vínculos familiares

O fortalecimento do vínculo familiar é um dos focos da Casa do Puríssimo Coração de Maria, no município de Guaratinguetá, SP. Lá é feito um trabalho para aprimorar a relação com pelo menos 65% das famílias dos educandos da obra, por meio de reuniões, encontros com temas da atualidade, momentos de convivências entre os educandos e seus familiares, além dos atendimentos pessoais de acordo com a demanda.

Hoje a Casa do Puríssimo corresponde ao serviço social de proteção básica da Secretaria de Assistência Social de Guaratinguetá. “Pertencemos ao serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, pelo qual temos como missão acolher, educar e promover crianças, adolescentes, jovens e famílias em situação de vulnerabilidade social, favorecendo o crescimento pessoal e tendo como base a pedagogia salesiana”, explica Germano Oliveira, coordenador da obra. 

A Casa oferece oito oficinas nos horários da manhã e tarde, nas mais diversas áreas: ginástica rítmica, formação humana, educação ambiental, cultura hip-hop e futebol, entre outras. Além disso, conta com as propostas pastorais e as atividades desenvolvidas pelos estagiários de psicologia da UniFatea - Centro Universitário Teresa D´Ávila localizado em Lorena, município vizinho de Guaratinguetá.

 

Sobre a Casa do Puríssimo Coração de Maria

A Casa do Puríssimo Coração de Maria iniciou suas atividades, em 1924, como internato exclusivo para meninas "órfãs e abandonadas”. Entre as décadas 1970 e 1980 criou-se no orfanato a estrutura de casa-lar e, na sequência, o modelo de escola pública. Atualmente a casa atende 136 crianças e jovens, de 6 a 15 anos.

 

Atividades socioeducativas

O atendimento a adolescentes no programa de medidas socioeducativas é um dos focos do Instituto Salesiano de Assistência Social (ISAS), em Curitiba, PR. Os jovens são encaminhados à obra para cumprirem a prestação de serviços comunitários, conforme determinado, e também são inseridos nas diversas atividades que o ISAS oferece. “Assim, além de ajudar esses jovens a cumprirem com as horas das medidas socioeducativas, conseguimos oferecer a eles oportunidades de desenvolvimento pessoal e social”, considera Douglas Laskoski Fonseca, diretor executivo da entidade.

O programa de medidas socioeducativas é um entre os diversos projetos oferecidos pelo ISAS. As atividades do Instituto incluem oficinas de dança, futsal e musicalização, entre outras, e são divididas por faixa etária. São realizadas de segunda a quinta-feira. “Nas sextas-feiras abrimos espaço para os grupos da Articulação da Juventude Salesiana; atualmente temos cerca de 40 jovens das atividades semanais participando dos grupos da AJS”, explica Douglas.

 

Sobre o ISAS

O ISAS atende atualmente 482 educandos, em dois espaços. No bairro Guaíra, 247 jovens, de 9 a 17 anos, participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Lá também funciona o Programa Jovem Aprendiz, que atende 97 jovens de 15 a 19 anos. No bairro Parolin são atendidas 138 crianças, de 6 a 11 anos, dentro do projeto Vida Melhor, que dá nome à casa (PROVIM).

 

Direitos da criança e do adolescente

Fundado em 1999 pelas Filhas de Maria Auxiliadora de Contagem, MG, o Centro de Acolhida Chiara Palazzoli tem o objetivo de contribuir na educação integral de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Atualmente é ofertado diariamente pela instituição o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos com a família e comunidade para 160 educandos, na faixa de 6 a 15 anos, e seus familiares. “No serviço de convivência atuamos na garantia de direitos das crianças e dos adolescentes atendidos, que em sua maioria apresentam situação de vulnerabilidade social”, conta Kenia Carvalho da Silva, coordenadora da obra. “No Chiara buscamos proporcionar o encontro, a convivência e a formação dos educandos e suas famílias como cidadãos honestos e, como a obra possui cunho confessional, em bons cristãos”, acrescenta. Todo o trabalho é realizado a partir de temas norteadores presentes na proposta socioeducativa e pastoral da Inspetoria Madre Mazzarello, mas principalmente que partem da realidade dos educandos e do seu território.

 

Sobre o Centro de Acolhida Chiara Palazzoli

Hoje o Chiara Palazzoli recebe 160 educandos, no contra turno escolar, divididos em dois grupos. Entre as oficinas oferecidas na instituição constam: Tecendo Relações (formação humana), CriArte (artes), Nas Entrelinhas (literatura), Criando Laços (esporte), Sopro Mágico (flauta) e Enter@çao (informática).

 

Ação social em rede

Em entrevista ao Boletim Salesiano, irmã Silvia Aparecida da Silva, diretora executiva da RSB, fala sobre a Rede Salesiana Brasil de Ação Social (RSB-Social), seus avanços e o lançamento do aplicativo da UPV.

 

O que é hoje a RSB Social e que tipo de trabalho desenvolve?

A RSB-Social é um dos segmentos de atuação da Rede Salesiana Brasil. Sua finalidade é dar capilaridade e fortalecer a ação social salesiana em rede no Brasil. Ela realiza esta missão através do acompanhamento e assessoria a cada uma das 109 obras que compõem a RSB-Social.

Em minha opinião o maior avanço conquistado foi a construção de um modelo de referência para o alinhamento da RSB-Social, considerando os vários contextos e respeitando as particularidades de cada presença salesiana no território. Entendeu-se que duas dimensões deveriam caracterizar nacionalmente a ação social salesiana em rede: uma delas é a identidade carismática salesiana, pois orienta o modo de ser, mais do que o modo de fazer. A outra é um conjunto de compromissos fundamentais da RSB-Social capazes de alinhar as ações da rede em todas as presenças salesianas, na transversalidade.

 

Por que foi lançado um aplicativo da UPV (União Pela Vida)?

O desenvolvimento do aplicativo da UPV veio para responder a demanda de captação de recursos. A cada dia fica mais difícil manter ou ampliar os serviços oferecidos na área da ação social. Estamos acompanhando momentos de instabilidade e aumento significativo nas questões econômicas do nosso país e isso impacta, diretamente, o público que atendemos em nossas obras sociais. Surgem a cada dia novos desafios e precisamos buscar alternativas de sustentabilidade para podermos continuar oferecendo às crianças, aos adolescentes e aos jovens um espaço para o desenvolvimento de suas potencialidades. O aplicativo quer ser uma ferramenta inovadora para atingir um maior número de doadores.

 

O que significa ser um "benfeitor"?

Significa fazer parte de um ‘vasto movimento em favor da vida’, ou seja: contribuir para que possamos levar a bom termo a missão da ação social salesiana no Brasil e ajudar na construção de competências das novas gerações para a vida!

 

Sobre a União pela Vida

A União Pela Vida (UPV) é uma campanha que os salesianos desencadearam, a partir de 1995, para aportar recursos financeiros às centenas de projetos sociais desenvolvidos em todo o Brasil. A UPV hoje é assumida por salesianos e salesianas e conta com um vasto movimento de parceiros. Saiba mais sobre as obras e como fazer parte desse movimento. Acesse pelo site: www.upv.org.br ou pelo aplicativo nas lojas IOS e Android.

Rate this item
(1 Vote)
Last modified on Friday, 15 November 2019 18:35

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Tempo de solidariedade

Friday, 15 November 2019 18:16 Written by  Camila Santos
O Natal está chegando! A proximidade dessa data reforça o desejo de contribuir com aqueles que mais necessitam. Uma das formas de fazer isso é colaborar com obras sociais sérias e com as quais você se identifique.  

A Rede Salesiana Brasil de Ação Social (RSB-Social) engloba 109 obras em todo o país. Todas têm em comum o compromisso de transformar a vida de crianças, adolescentes e jovens em vulnerabilidade social e de contribuir com o desenvolvimento das comunidades do seu entorno. Mas cada obra tem a sua história, sua característica específica de serviço aos que mais necessitam e sua influência na região em que atua. Conheça a seguir um pouco do trabalho realizado em seis obras salesianas, em diferentes regiões do Brasil, e veja como o carisma salesiano pode se expressar de diversas maneiras na ação social.

 

Adoção à distância

“Nasci na Cidade Dom Bosco. Tínhamos um barraco que ficava dentro da obra e depois foi comprado pelo padre Ernesto. Minha família é nordestina e tenho mais oito irmãos, todos nós fomos acolhidos na obra. Por isso, tenho com ela uma história de amor”. Este é o relato de Lindivalda Gonçalves dos Santos, hoje coordenadora do “Adoção à distância”, um dos programas ofertados na Cidade Dom Bosco, obra social fundada há mais de 50 anos em Corumbá, MS, pelo missionário salesiano padre Ernesto Sassida.

Assim como Lindivalda, centenas de pessoas já foram beneficiadas pelo “Adoção à distância”. Ele funciona como um apadrinhamento financeiro de crianças, adolescentes e jovens com idades de 6 a 17 anos, de ambos os sexos. O padrinho contribui mensalmente ou anualmente com determinada quantia para auxílio de bolsa de estudos, alimentação e, de forma pontual, com assistência médica, remédio e vestuário, entre outros. “O auxílio pode se estender até os 22 anos, caso o padrinho ou a madrinha manifeste interesse em contribuir com sua formação acadêmica”, explica Lindivalda.

Ela foi atendida pelo programa, que agora coordena, dos 7 anos até concluir a faculdade de História. Depois, graças à sua madrinha da Itália, continuou estudando e pôde fazer três pós-graduações e um Mestrado. Atualmente o “Adoção à distância” beneficia 253 afilhados, sendo 141 crianças e 112 adolescentes.

 

Sobre a Cidade Dom Bosco

Atualmente a Cidade Dom Bosco atende 600 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos e 11 meses. Ao longo de mais de 50 anos de história, contribuiu para a educação de mais de 25 mil alunos e beneficiou outras milhares de pessoas, por meio de ações sociais que a completam.

 

Oficinas esportivas e culturais

Jonathan do Bonfim Ramos, agora com 24 anos, também teve a sua vida transformada por uma obra social salesiana. Há nove anos, ele ingressou na oficina de karatê do Centro Maria Auxiliadora (CEMAM), em Petrolina, PE, mas enfrentou muitas dificuldades para acompanhar as aulas devido à situação de vulnerabilidade social em que se encontrava, junto com a mãe e um irmão. “Nesse período não tínhamos uma equipe técnica que pudesse dar a assistência que Jonathan precisava, mas professores e funcionários se mobilizaram para ajudar”, conta Doralice Gomes, coordenadora administrativa do CEMAM. Algum tempo depois a mãe de Jonathan faleceu, mas nem mesmo essa difícil situação e tantas outras adversidades o fizeram desistir do karatê. Hoje, Jonathan é faixa preta, professor de karatê, leciona em uma academia e continua participando das aulas do CEMAM. “Uma história de superação, força de vontade e transformação social”, afirma Doralice.

Além do karatê, o CEMAM também oferece oficinas socioeducativas de xadrez, violão, violino, piano, flauta, ballet, futsal e banda musical. A obra ainda disponibiliza uniforme e lanches para os alunos e desenvolve um trabalho de fortalecimento de vínculos familiares e geração de renda, atendendo 76 mulheres com curso de beneficiamento de alimentos, no qual são fabricados doces, polpas, geleias, licores, bolos, biscoitos e outros derivados, que contribuem para a geração de renda das famílias.

 

Sobre o CEMAM

Atualmente o CEMAM atende 415 crianças e adolescentes de 6 a 18 anos e jovens e adultos de 19 a 29 anos. O Centro foi fundado em 12 de agosto de 1984 e é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos de caráter educacional, cultural e de assistência social.

 

Formação profissional

Em Manaus, AM, o Pró-menor Dom Bosco há 38 anos atende os adolescentes e jovens vindos de famílias em situação de vulnerabilidade social. “O Pró-Menor busca reverter esta situação, proporcionando aos adolescentes e jovens alimentação, educação, iniciação profissional, lazer e formação humana e cristã”, explica Antonildo Corrêa Serrão, coordenador administrativo da obra.

O Pró-Menor mantém parceria com 135 empresas, número este ainda em ascensão. Encaminha, anualmente, cerca de mil alunos para entrevista e realiza a inclusão no mercado de trabalho, através da Lei da Aprendizagem, de cerca de 700 jovens por ano. Além disso, promove a capacitação profissional em cursos e oficinas. Também realiza o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, por meio de atividades programadas e desenvolvidas durante o ano para as famílias como: passeios, rodas de conversa, encontros formativos e projetos de geração de renda.

 

Sobre o Pró-menor Dom Bosco

O Pró-menor Dom Bosco atende cerca de 1.200 adolescentes e jovens de 14 a 22 anos no Programa de Aprendizagem Profissional e mais de 60 famílias, juntamente com adolescentes de 12 a 18 anos, no Projeto Família Solidária.

 

Fortalecimento dos vínculos familiares

O fortalecimento do vínculo familiar é um dos focos da Casa do Puríssimo Coração de Maria, no município de Guaratinguetá, SP. Lá é feito um trabalho para aprimorar a relação com pelo menos 65% das famílias dos educandos da obra, por meio de reuniões, encontros com temas da atualidade, momentos de convivências entre os educandos e seus familiares, além dos atendimentos pessoais de acordo com a demanda.

Hoje a Casa do Puríssimo corresponde ao serviço social de proteção básica da Secretaria de Assistência Social de Guaratinguetá. “Pertencemos ao serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, pelo qual temos como missão acolher, educar e promover crianças, adolescentes, jovens e famílias em situação de vulnerabilidade social, favorecendo o crescimento pessoal e tendo como base a pedagogia salesiana”, explica Germano Oliveira, coordenador da obra. 

A Casa oferece oito oficinas nos horários da manhã e tarde, nas mais diversas áreas: ginástica rítmica, formação humana, educação ambiental, cultura hip-hop e futebol, entre outras. Além disso, conta com as propostas pastorais e as atividades desenvolvidas pelos estagiários de psicologia da UniFatea - Centro Universitário Teresa D´Ávila localizado em Lorena, município vizinho de Guaratinguetá.

 

Sobre a Casa do Puríssimo Coração de Maria

A Casa do Puríssimo Coração de Maria iniciou suas atividades, em 1924, como internato exclusivo para meninas "órfãs e abandonadas”. Entre as décadas 1970 e 1980 criou-se no orfanato a estrutura de casa-lar e, na sequência, o modelo de escola pública. Atualmente a casa atende 136 crianças e jovens, de 6 a 15 anos.

 

Atividades socioeducativas

O atendimento a adolescentes no programa de medidas socioeducativas é um dos focos do Instituto Salesiano de Assistência Social (ISAS), em Curitiba, PR. Os jovens são encaminhados à obra para cumprirem a prestação de serviços comunitários, conforme determinado, e também são inseridos nas diversas atividades que o ISAS oferece. “Assim, além de ajudar esses jovens a cumprirem com as horas das medidas socioeducativas, conseguimos oferecer a eles oportunidades de desenvolvimento pessoal e social”, considera Douglas Laskoski Fonseca, diretor executivo da entidade.

O programa de medidas socioeducativas é um entre os diversos projetos oferecidos pelo ISAS. As atividades do Instituto incluem oficinas de dança, futsal e musicalização, entre outras, e são divididas por faixa etária. São realizadas de segunda a quinta-feira. “Nas sextas-feiras abrimos espaço para os grupos da Articulação da Juventude Salesiana; atualmente temos cerca de 40 jovens das atividades semanais participando dos grupos da AJS”, explica Douglas.

 

Sobre o ISAS

O ISAS atende atualmente 482 educandos, em dois espaços. No bairro Guaíra, 247 jovens, de 9 a 17 anos, participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Lá também funciona o Programa Jovem Aprendiz, que atende 97 jovens de 15 a 19 anos. No bairro Parolin são atendidas 138 crianças, de 6 a 11 anos, dentro do projeto Vida Melhor, que dá nome à casa (PROVIM).

 

Direitos da criança e do adolescente

Fundado em 1999 pelas Filhas de Maria Auxiliadora de Contagem, MG, o Centro de Acolhida Chiara Palazzoli tem o objetivo de contribuir na educação integral de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Atualmente é ofertado diariamente pela instituição o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos com a família e comunidade para 160 educandos, na faixa de 6 a 15 anos, e seus familiares. “No serviço de convivência atuamos na garantia de direitos das crianças e dos adolescentes atendidos, que em sua maioria apresentam situação de vulnerabilidade social”, conta Kenia Carvalho da Silva, coordenadora da obra. “No Chiara buscamos proporcionar o encontro, a convivência e a formação dos educandos e suas famílias como cidadãos honestos e, como a obra possui cunho confessional, em bons cristãos”, acrescenta. Todo o trabalho é realizado a partir de temas norteadores presentes na proposta socioeducativa e pastoral da Inspetoria Madre Mazzarello, mas principalmente que partem da realidade dos educandos e do seu território.

 

Sobre o Centro de Acolhida Chiara Palazzoli

Hoje o Chiara Palazzoli recebe 160 educandos, no contra turno escolar, divididos em dois grupos. Entre as oficinas oferecidas na instituição constam: Tecendo Relações (formação humana), CriArte (artes), Nas Entrelinhas (literatura), Criando Laços (esporte), Sopro Mágico (flauta) e Enter@çao (informática).

 

Ação social em rede

Em entrevista ao Boletim Salesiano, irmã Silvia Aparecida da Silva, diretora executiva da RSB, fala sobre a Rede Salesiana Brasil de Ação Social (RSB-Social), seus avanços e o lançamento do aplicativo da UPV.

 

O que é hoje a RSB Social e que tipo de trabalho desenvolve?

A RSB-Social é um dos segmentos de atuação da Rede Salesiana Brasil. Sua finalidade é dar capilaridade e fortalecer a ação social salesiana em rede no Brasil. Ela realiza esta missão através do acompanhamento e assessoria a cada uma das 109 obras que compõem a RSB-Social.

Em minha opinião o maior avanço conquistado foi a construção de um modelo de referência para o alinhamento da RSB-Social, considerando os vários contextos e respeitando as particularidades de cada presença salesiana no território. Entendeu-se que duas dimensões deveriam caracterizar nacionalmente a ação social salesiana em rede: uma delas é a identidade carismática salesiana, pois orienta o modo de ser, mais do que o modo de fazer. A outra é um conjunto de compromissos fundamentais da RSB-Social capazes de alinhar as ações da rede em todas as presenças salesianas, na transversalidade.

 

Por que foi lançado um aplicativo da UPV (União Pela Vida)?

O desenvolvimento do aplicativo da UPV veio para responder a demanda de captação de recursos. A cada dia fica mais difícil manter ou ampliar os serviços oferecidos na área da ação social. Estamos acompanhando momentos de instabilidade e aumento significativo nas questões econômicas do nosso país e isso impacta, diretamente, o público que atendemos em nossas obras sociais. Surgem a cada dia novos desafios e precisamos buscar alternativas de sustentabilidade para podermos continuar oferecendo às crianças, aos adolescentes e aos jovens um espaço para o desenvolvimento de suas potencialidades. O aplicativo quer ser uma ferramenta inovadora para atingir um maior número de doadores.

 

O que significa ser um "benfeitor"?

Significa fazer parte de um ‘vasto movimento em favor da vida’, ou seja: contribuir para que possamos levar a bom termo a missão da ação social salesiana no Brasil e ajudar na construção de competências das novas gerações para a vida!

 

Sobre a União pela Vida

A União Pela Vida (UPV) é uma campanha que os salesianos desencadearam, a partir de 1995, para aportar recursos financeiros às centenas de projetos sociais desenvolvidos em todo o Brasil. A UPV hoje é assumida por salesianos e salesianas e conta com um vasto movimento de parceiros. Saiba mais sobre as obras e como fazer parte desse movimento. Acesse pelo site: www.upv.org.br ou pelo aplicativo nas lojas IOS e Android.

Rate this item
(1 Vote)
Last modified on Friday, 15 November 2019 18:35

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.