Educação: Professores participam de “Educadores Sem Fronteiras”

Segunda, 12 Agosto 2019 14:11 Escrito por  Imprensa UNIFATEA
Um grupo de professores do UNIFATEA participou do projeto de voluntariado “Educadores Sem Fronteiras”, na Angola. Confira no Boletim Salesiano como foi essa experiência para eles!  


Durante as férias de julho, um grupo de 12 professores da Rede Salesiana Brasil e do Centro Universitário Teresa D’Ávila, pertencentes à Inspetoria Santa Catarina de Sena, foram até a Angola para transmitir alegria e conhecimento. O grupo nomeado de “Educadores Sem Fronteiras” tiveram a proposta de realizar um Seminário para os professores e gestores da comunidade salesiana do país africano.

O Seminário Internacional de Espiritualidade e Pedagogia na Prática da Educação Salesiana, ocorreu nos dias 17 a 25 de julho, nas cidades de Luena, província de Moxico, e Cacuaco, na província de Luanda. Em que tiveram momentos de reflexão e troca de experiências entre Brasil e Angola, aprofundando diversos temas sobre educação.

Foram apresentadas também propostas de novas metodologias e realizadas oficinas práticas com diversas experiências para serem utilizadas em sala de aula pelos professores. O foco das discussões continuou nas intenções sobre Espiritualidade e Pedagogia, principal objetivo dessa missão voluntária.

Veja o depoimento dos professores do UNIFATEA que participaram do Projeto “Educadores sem Fronteiras”:

“Foi uma experiência indescritível, cada momento vivido e saboreado de forma única e com grande intensidade. Volto com a certeza de que não existe nada mais belo do que os encontros, de perceber e ser percebida pelo outro. Portanto, como diz a letra da música de Alberto Costa: " Fica sempre, um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que são generosas...", professora Mara Filomena Falavigna.

 

 “Viemos com o intuito de ser formadores, mas saio daqui hoje como uma pessoa formada, no carinho Salesiano, no amor fraternal e na humanidade. Trabalhamos aqui com várias pessoas de distintas maneiras, uma cultura diferente e saio hoje com uma visão completamente mudada e com carinho no coração”, professor Marco Aurélio Tupinambá.

“...Aprendi que podemos abraçar o mundo por meio de pequenas ações de bondade e de partilha do pouco que somos e temos. Aprendi que a riqueza da interculturalidade nos fortalece e nos torna mais humanizados.  Participar da experiência de voluntariado juntamente com os professores foi um tempo rico de partilhas, conhecimentos e vivências da fraternidade e da união em torno de um objetivo único que tínhamos fazer o bem para os professores Angolanos...”, Silvana Soares.

“A experiência confirmou em mim as inúmeras competências dos nossos educadores, que junto com a generosidade, vivência dos valores salesianos e testemunho de vida pessoal, deixaram grandes marcas nos professores angolanos. Ao deixar Angola, estaremos à disposição para que o projeto continue, pois, a Educação não tem fronteiras, nem limite de tempo”, irmã Metka Kastelic.

 

Fonte: Imprensa UNIFATEA

 

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Segunda, 12 Agosto 2019 14:36

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


Educação: Professores participam de “Educadores Sem Fronteiras”

Segunda, 12 Agosto 2019 14:11 Escrito por  Imprensa UNIFATEA
Um grupo de professores do UNIFATEA participou do projeto de voluntariado “Educadores Sem Fronteiras”, na Angola. Confira no Boletim Salesiano como foi essa experiência para eles!  


Durante as férias de julho, um grupo de 12 professores da Rede Salesiana Brasil e do Centro Universitário Teresa D’Ávila, pertencentes à Inspetoria Santa Catarina de Sena, foram até a Angola para transmitir alegria e conhecimento. O grupo nomeado de “Educadores Sem Fronteiras” tiveram a proposta de realizar um Seminário para os professores e gestores da comunidade salesiana do país africano.

O Seminário Internacional de Espiritualidade e Pedagogia na Prática da Educação Salesiana, ocorreu nos dias 17 a 25 de julho, nas cidades de Luena, província de Moxico, e Cacuaco, na província de Luanda. Em que tiveram momentos de reflexão e troca de experiências entre Brasil e Angola, aprofundando diversos temas sobre educação.

Foram apresentadas também propostas de novas metodologias e realizadas oficinas práticas com diversas experiências para serem utilizadas em sala de aula pelos professores. O foco das discussões continuou nas intenções sobre Espiritualidade e Pedagogia, principal objetivo dessa missão voluntária.

Veja o depoimento dos professores do UNIFATEA que participaram do Projeto “Educadores sem Fronteiras”:

“Foi uma experiência indescritível, cada momento vivido e saboreado de forma única e com grande intensidade. Volto com a certeza de que não existe nada mais belo do que os encontros, de perceber e ser percebida pelo outro. Portanto, como diz a letra da música de Alberto Costa: " Fica sempre, um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que são generosas...", professora Mara Filomena Falavigna.

 

 “Viemos com o intuito de ser formadores, mas saio daqui hoje como uma pessoa formada, no carinho Salesiano, no amor fraternal e na humanidade. Trabalhamos aqui com várias pessoas de distintas maneiras, uma cultura diferente e saio hoje com uma visão completamente mudada e com carinho no coração”, professor Marco Aurélio Tupinambá.

“...Aprendi que podemos abraçar o mundo por meio de pequenas ações de bondade e de partilha do pouco que somos e temos. Aprendi que a riqueza da interculturalidade nos fortalece e nos torna mais humanizados.  Participar da experiência de voluntariado juntamente com os professores foi um tempo rico de partilhas, conhecimentos e vivências da fraternidade e da união em torno de um objetivo único que tínhamos fazer o bem para os professores Angolanos...”, Silvana Soares.

“A experiência confirmou em mim as inúmeras competências dos nossos educadores, que junto com a generosidade, vivência dos valores salesianos e testemunho de vida pessoal, deixaram grandes marcas nos professores angolanos. Ao deixar Angola, estaremos à disposição para que o projeto continue, pois, a Educação não tem fronteiras, nem limite de tempo”, irmã Metka Kastelic.

 

Fonte: Imprensa UNIFATEA

 

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Segunda, 12 Agosto 2019 14:36

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.