CJC: 50 anos de muita vida

Saturday, 19 November 2016 16:51 Written by  Igor Lucena e Renata Barbosa
CJC: 50 anos de muita vida iStock Images
Neste ano de 2016, o Movimento da Comunidade de Jovens Cristãos (CJC) completou 50 anos de caminhada e missão. Uma grande festa em Carpina, onde tudo começou, reuniu cerca de 450 jovens e antigos comunitários. Conheçamos um pouco da história do CJC.

Foi no dia 20 de janeiro de 1966, durante a celebração eucarística após a procissão de São Sebastião, na cidade de Carpina, PE, que padre Genário Augusto de Melo, Salesiano de Dom Bosco, anunciou a todos os presentes fiéis o seu sonho, o desejo de seu coração: fundar uma família de jovens cristãos, um Movimento Juvenil.

No dia 17 de abril do mesmo ano, padre Genário convidou os jovens para uma reunião no salão paroquial da igreja de São Sebastião. Via ele a dispersão e a desagregação da juventude e não sentia uma presença forte dos jovens na igreja. Queria, com o novo movimento fundado por ele, mudar essa realidade.

Primeiro, chamou essa família de Comunidade de Jovens Carpinenses. Feliz com os frutos do sonho, desejou fundar a comunidade em outros lugares. Ao ser transferido para o estado do Ceará, saiu da cidade de Carpina certo de que levaria com ele a realização do sonho. O que não esperava o padre Genário era que, ao chegar à Capital cearence, a CJC já existisse, pois um seminarista que acompanhava seu trabalho fora transferido um pouco antes, o que foi suficiente para preparar para o padre essa linda surpresa.

Deste modo, o movimento foi se espalhando. As transferências de padre Genário e a admiração ao seu trabalho motivaram a expansão pelo Nordeste, e movimento foi rebatizado como Comunidade de Jovens Cristãos do Nordeste, o CJC. Ao longo da orientação do padre Genário, também surgiu o CJC Mirim, composto por crianças com o intuito de educá-las na cristandade desde cedo e, assim, dar continuidade ao movimento juvenil. Quando padre Genário estava prestes a celebrar os 25 anos do movimento com os seus jovens, a morte o atingiu no dia 6 de julho de 1991, para a tristeza dos jovens que tiveram a honra e graça de conhecê-lo.

 

Continuidade

Mesmo assim, o movimento continuou vivo com a orientação do padre Raimundo Benevides Gurgel, também Salesiano de Dom Bosco, um grande animador da juventude. Padre Benevides deu sua contribuição ao movimento organizando e o estruturando, dando enfoque ao protagonismo juvenil, imprimindo a marca da espiritualidade juvenil salesiana e promovendo a comunhão eclesial nas comunidades de jovens.

Em 30 de dezembro de 2010, para a tristeza geral do movimento, o padre Benevides, padre Bené, como carinhosamente era chamado pelos seus jovens, também faleceu deixando uma grande família de jovens cristãos presentes nos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Depois do padre Benevides, assumiu a orientação geral do movimento o padre Gilvan Galdino Tavares, Salesiano de Dom Bosco, que foi um amigo e irmão dos jovens, trazendo esperança, alegria e animação para continuar a missão do Movimento CJC. O padre Gilvan continuou prestando assistência às comunidades do CJC e esteve presente com os jovens, orientando-os para que o sonho do padre Genário continuasse vivo.

Em 2014, surgiu uma comunidade de jovens em São Paulo, animada pelo salesiano Ednaldo Oliveira, o que ampliou o sonho do padre Genário para outros lugares fora do Nordeste. Por isso, o movimento agora é chamado de Comunidade de Jovens Cristãos do Brasil, com a esperança de que a semente se espalhe por todo o país e, um dia, pelo mundo.

No ano de 2016, a orientação geral do CJC foi assumida pelo padre Gilberto Silva, que vem enchendo os jovens do movimento de força, coragem e otimismo, para que o CJC possa se espalhar pelo mundo, obedecendo ao pedido do Papa João Paulo II ao padre Genário quando esteve no Vaticano, de que o movimento se espalhasse além do território brasileiro.

 

Dias de festa

Muitos jovens testemunharam e continuam testemunhando a mudança de vida que o CJC proporcionou. É comum se ouvir um jovem que foi transformado pelo movimento dizer: “Sou o que sou hoje graças ao CJC”. São jovens que às vezes não conheciam a Igreja, e que, por meio da vivência dos objetivos pregados pelo movimento (integração, espiritualidade e compromisso) e da prática do lema “Unir para Testemunhar”, reconheceram que Jesus é nossa verdadeira felicidade.

Nos dias 16 e 17 de abril, na cidade de Carpina, onde tudo começou, o movimento da Comunidade de Jovens Cristãos (CJC),realizou uma grande festa em comemoração aos seus 50 anos de existência. Participaram cerca de 450 jovens e antigos comunitários, das cidades em que o movimento está ou esteve presente.

A festa e a importância do movimento para tantas pessoas foram registradas em um vídeo feito pelos próprios jovens do CJC. Veja no YouTube:

https://www.youtube.com/watch?v=R7DX88imZcQ

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Tuesday, 22 November 2016 01:49

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


CJC: 50 anos de muita vida

Saturday, 19 November 2016 16:51 Written by  Igor Lucena e Renata Barbosa
CJC: 50 anos de muita vida iStock Images
Neste ano de 2016, o Movimento da Comunidade de Jovens Cristãos (CJC) completou 50 anos de caminhada e missão. Uma grande festa em Carpina, onde tudo começou, reuniu cerca de 450 jovens e antigos comunitários. Conheçamos um pouco da história do CJC.

Foi no dia 20 de janeiro de 1966, durante a celebração eucarística após a procissão de São Sebastião, na cidade de Carpina, PE, que padre Genário Augusto de Melo, Salesiano de Dom Bosco, anunciou a todos os presentes fiéis o seu sonho, o desejo de seu coração: fundar uma família de jovens cristãos, um Movimento Juvenil.

No dia 17 de abril do mesmo ano, padre Genário convidou os jovens para uma reunião no salão paroquial da igreja de São Sebastião. Via ele a dispersão e a desagregação da juventude e não sentia uma presença forte dos jovens na igreja. Queria, com o novo movimento fundado por ele, mudar essa realidade.

Primeiro, chamou essa família de Comunidade de Jovens Carpinenses. Feliz com os frutos do sonho, desejou fundar a comunidade em outros lugares. Ao ser transferido para o estado do Ceará, saiu da cidade de Carpina certo de que levaria com ele a realização do sonho. O que não esperava o padre Genário era que, ao chegar à Capital cearence, a CJC já existisse, pois um seminarista que acompanhava seu trabalho fora transferido um pouco antes, o que foi suficiente para preparar para o padre essa linda surpresa.

Deste modo, o movimento foi se espalhando. As transferências de padre Genário e a admiração ao seu trabalho motivaram a expansão pelo Nordeste, e movimento foi rebatizado como Comunidade de Jovens Cristãos do Nordeste, o CJC. Ao longo da orientação do padre Genário, também surgiu o CJC Mirim, composto por crianças com o intuito de educá-las na cristandade desde cedo e, assim, dar continuidade ao movimento juvenil. Quando padre Genário estava prestes a celebrar os 25 anos do movimento com os seus jovens, a morte o atingiu no dia 6 de julho de 1991, para a tristeza dos jovens que tiveram a honra e graça de conhecê-lo.

 

Continuidade

Mesmo assim, o movimento continuou vivo com a orientação do padre Raimundo Benevides Gurgel, também Salesiano de Dom Bosco, um grande animador da juventude. Padre Benevides deu sua contribuição ao movimento organizando e o estruturando, dando enfoque ao protagonismo juvenil, imprimindo a marca da espiritualidade juvenil salesiana e promovendo a comunhão eclesial nas comunidades de jovens.

Em 30 de dezembro de 2010, para a tristeza geral do movimento, o padre Benevides, padre Bené, como carinhosamente era chamado pelos seus jovens, também faleceu deixando uma grande família de jovens cristãos presentes nos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Depois do padre Benevides, assumiu a orientação geral do movimento o padre Gilvan Galdino Tavares, Salesiano de Dom Bosco, que foi um amigo e irmão dos jovens, trazendo esperança, alegria e animação para continuar a missão do Movimento CJC. O padre Gilvan continuou prestando assistência às comunidades do CJC e esteve presente com os jovens, orientando-os para que o sonho do padre Genário continuasse vivo.

Em 2014, surgiu uma comunidade de jovens em São Paulo, animada pelo salesiano Ednaldo Oliveira, o que ampliou o sonho do padre Genário para outros lugares fora do Nordeste. Por isso, o movimento agora é chamado de Comunidade de Jovens Cristãos do Brasil, com a esperança de que a semente se espalhe por todo o país e, um dia, pelo mundo.

No ano de 2016, a orientação geral do CJC foi assumida pelo padre Gilberto Silva, que vem enchendo os jovens do movimento de força, coragem e otimismo, para que o CJC possa se espalhar pelo mundo, obedecendo ao pedido do Papa João Paulo II ao padre Genário quando esteve no Vaticano, de que o movimento se espalhasse além do território brasileiro.

 

Dias de festa

Muitos jovens testemunharam e continuam testemunhando a mudança de vida que o CJC proporcionou. É comum se ouvir um jovem que foi transformado pelo movimento dizer: “Sou o que sou hoje graças ao CJC”. São jovens que às vezes não conheciam a Igreja, e que, por meio da vivência dos objetivos pregados pelo movimento (integração, espiritualidade e compromisso) e da prática do lema “Unir para Testemunhar”, reconheceram que Jesus é nossa verdadeira felicidade.

Nos dias 16 e 17 de abril, na cidade de Carpina, onde tudo começou, o movimento da Comunidade de Jovens Cristãos (CJC),realizou uma grande festa em comemoração aos seus 50 anos de existência. Participaram cerca de 450 jovens e antigos comunitários, das cidades em que o movimento está ou esteve presente.

A festa e a importância do movimento para tantas pessoas foram registradas em um vídeo feito pelos próprios jovens do CJC. Veja no YouTube:

https://www.youtube.com/watch?v=R7DX88imZcQ

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Tuesday, 22 November 2016 01:49

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.