Festival da Juventude Salesiana

Monday, 11 January 2016 19:41 Written by 
Festival da Juventude Salesiana completa 20 anos ! Imagine mais de mil jovens ‘acampados’ por quase três dias dentro de um colégio salesiano, fazendo todas as refeições, participando das celebrações, apresentando peças de teatro e coreografias, tocando música, rezando em Adoração ao Santíssimo Sacramento, partilhando vida e espiritualidade. Cada um, vindo de um canto e de uma realidade diferentes. Uns de paróquia, outros de obra social, outros de escolas. Uns de áreas rurais, outros de áreas urbanas. E tudo isso com uma alegria e uma fraternidade contagiantes. Em uma descrição simples, o Festival da Juventude Salesiana seria mais ou menos isto. No entanto, os que participam desses três dias de festa sabem que ele significa muito mais!

Em 2015, o Festival da Juventude Salesiana foi realizado nos dias 13 a 15 de novembro, comemorando os 20 anos de realização do evento. O enfoque não poderia ser outro: resgate histórico da presença salesiana no Nordeste e da Articulação da Juventude Salesiana através da história dos festivais. Contamos, inclusive, com a presença dos seis padres que foram delegados inspetoriais para Pastoral Juvenil e para a Articulação da Juventude Salesiana nos últimos 20 anos, os padres João Carlos Ribeiro (1994-1999), Antônio Gomes (2000-2003), Luigi De Liberali (2004-2008), Gilberto Antônio (2009-2010), Deyvson Soares (2011-2012) e Eudes Barreto (2013 até o momento).

O jovem Ewerton Almeida, membro da Equipe Inspetorial de Pastoral e participante da trupe teatral organizada pela própria equipe, externou sua gratidão por participar daquele momento e deixou um testemunho nas redes sociais: “Em 2004, começava a minha estreia em Festivais. Sim, foi literalmente uma estreia. Graças a um grupo de teatro eu conheci os Salesianos e naquele ano subi a este palco e me apresentei no festival de teatro. Aquele era o 9° Festival da Juventude Salesiana. Onze anos se passaram e no 20° ano do evento tenho a alegria de subir novamente, para junto com meus amigos de Pastoral Juvenil Salesiana continuar a escrever esta história. Festejamos junto a mais de mil jovens este ano maravilhoso”.

A fala de Ewerton representa a de muitos jovens que hoje são assessores ou até colaboradores de presenças salesianas, mas sentem a alegria e a gratidão de ver a renovação e a importância do evento para a vida do carisma salesiano na região.

 

Preparação

O Festival é fruto de um grande esforço de toda Inspetoria Salesiana do Nordeste, em especial da equipe inspetorial de Pastoral Juvenil, que agrega os delegados da Animação Vocacional e da Comunicação Social, formandos salesianos, assessores da AJS e colaboradores. Também o Conselho Inspetorial da Articulação da Juventude Salesiana (AJS), que vem sendo fortalecido nos últimos anos, assume com muita responsabilidade a sua organização. A preparação é realizada o ano inteiro, mas é na segunda reunião do Conselho da AJS, realizada em agosto, que são escolhidas quase todas as pessoas de referência.

Este ano, foram apresentadas cinco peças teatrais e seis coreografias, além da peça e da coreografia na manhã das homenagens, de uma linda apresentação (preparada pelos jovens de Areia Branca, RN) na abertura na sexta à noite e das bandas de jovens para animar as missas, os intervalos das apresentações e a tarde de atividades diversificadas. Diversos serviços foram compartilhados com os próprios jovens participantes, como equipes de apoio e de comunicação, escala para servir as refeições, além de todo trabalho prévio. Isso deixa claro que o objetivo de celebrar os frutos da caminhada do ano pastoral e partilhar fé e vida não está só na hora do palco.

 

Despedidas e boas vindas

Nesta 20ª edição, participaram do Festival 38 delegações ligadas às presenças dos Salesianos de Dom Bosco e das Filhas de Maria Auxiliadora em sete estados do Nordeste, e um grupo de Manaus, AM.

Outros dois elementos especiais se destacaram: a despedida dos jovens ao padre Diego Vanzetta, que terminou seu mandato como inspetor do Nordeste salesiano em dezembro e parte para a Itália, e a acolhida ao novo inspetor, padre Nivaldo Pessinattti, que acompanhou todo o Festival e presidiu a celebração eucarística no domingo, 15 de novembro. Avaliando o evento, ele pontuou: “Sinceramente, fiquei emocionado em ver uma juventude tão natural, autêntica e focada nos valores cristãos. Olhando para essa juventude, nós carregamos uma grande esperança e uma grande certeza no futuro. Esse festival, em sua edição de número 20, é um comprovante disso”.

Para ver as notícias, links dos vídeos da transmissão e das fotos, acesse o blog da AJS Nordeste: www.ajsnordeste.blogspot.com.br

 

AJS no Nordeste

Desde a década de 1980, a Inspetoria Salesiana do Nordeste já tinha algumas ações e projetos com intuito de valorizar o protagonismo juvenil e organizar o trabalho realizado com a juventude, mas foi na década de 1990 que os projetos ganharam ‘forma e corpo’, por assim dizer.

Em 1991, foi realizada a primeira Romaria Jovem, em Jaboatão Colônia. E desde então uma pequena equipe começou a se reunir para organizar o evento.

Em setembro de 1993, a Inspetoria recebeu a visita do então conselheiro geral para Pastoral Juvenil Salesiana, o padre Luc Van Looy (hoje bispo, na Bélgica), que assessorou um encontro sobre “Espiritualidade Juvenil Salesiana”. Naquele evento, ele motivou salesianos e salesianas presentes para o desafio da construção do Movimento Juvenil Salesiano, o que já estava se dando em vários lugares do mundo. As conclusões deste encontro, com a presença encorajadora do padre Van Looy, foram sem dúvida a legitimação oficial de uma experiência que já se realizava na esfera prática e de um projeto já em andamento.

Já em 1994, o Colégio Salesiano Sagrado Coração do Recife completava 100 anos de presença educativa e se acertou que a Romaria Jovem seria deslocada de Jaboatão para as ruas do centro da Capital pernambucana, culminando nas dependências da casa centenária. Nesta época, o padre João Carlos já havia sido escolhido como delegado inspetorial para a Pastoral Juvenil. Sua capacidade de trabalho e dinamismo foram fundamentais, e a articulação começou a ser fomentada.

No entanto, a organização dos grupos juvenis começou a tomar forma em 1995, quando foi constituída uma pequena equipe permanente para ajudar a construir a articulação dos jovens, e não mais só para organizar eventos. Dessa forma, as lideranças juvenis das casas salesianas próximas ao centro inspetorial foram chamadas para a construção desta nova proposta. Assim, a Romaria Jovem daquele ano já foi organizada dentro deste processo.

Ainda em 1995, o padre Van Looy visitou novamente a inspetoria salesiana e, no aniversário de Dom Bosco, se encontrou durante um dia inteiro com os primeiros membros da “Articulação da Juventude Salesiana - AJS”, com representantes de quase todas as casas salesianas da região. Neste ano, foram cadastrados 85 grupos juvenis vinculados à recém-surgida articulação.

É interessante perceber que quando a experiência surgiu, já era chamada de Articulação da Juventude Salesiana, pois havia um certo receio de utilizar o termo “movimento”. Mas o nome só foi formalizado em junho de 1996, na primeira reunião oficial do conselho inspetorial de jovens.

Assim, o I Festival da Juventude Salesiana, realizado em outubro do mesmo ano, foi o primeiro evento organizado pela inspetoria e pela agora oficializada Articulação da Juventude Salesiana. Padre João Carlos Ribeiro revelou que a ideia de realizar um festival já era antiga e estava em processo há pelo menos dois anos, mas havia muito receio em relação à dormida, alimentação, estrutura, até que os jovens abraçaram a ideia. “O Festival nasceu pensando em três coisas”, afirmou padre João: “A primeira, estimular a convivência entre os jovens, marca da nossa educação salesiana. A segunda coisa é a espiritualidade – colocar Deus no centro. Por último, mas não menos importante, a participação, o protagonismo dos jovens”. O Festival é o evento de encerramento do ano pastoral nas casas, sendo assim um momento inserido na caminhada.

As experiências positivas no Nordeste e na Inspetoria Salesiana do Sul do Brasil (Inspetoria São Pio X) colaboraram decisivamente no nascimento da Articulação da Juventude Salesiana em âmbito nacional, o que só aconteceu em 1998, durante o II Congresso Nacional de Lideranças Juvenis Salesianas.

 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 13 January 2016 14:44

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Festival da Juventude Salesiana

Monday, 11 January 2016 19:41 Written by 
Festival da Juventude Salesiana completa 20 anos ! Imagine mais de mil jovens ‘acampados’ por quase três dias dentro de um colégio salesiano, fazendo todas as refeições, participando das celebrações, apresentando peças de teatro e coreografias, tocando música, rezando em Adoração ao Santíssimo Sacramento, partilhando vida e espiritualidade. Cada um, vindo de um canto e de uma realidade diferentes. Uns de paróquia, outros de obra social, outros de escolas. Uns de áreas rurais, outros de áreas urbanas. E tudo isso com uma alegria e uma fraternidade contagiantes. Em uma descrição simples, o Festival da Juventude Salesiana seria mais ou menos isto. No entanto, os que participam desses três dias de festa sabem que ele significa muito mais!

Em 2015, o Festival da Juventude Salesiana foi realizado nos dias 13 a 15 de novembro, comemorando os 20 anos de realização do evento. O enfoque não poderia ser outro: resgate histórico da presença salesiana no Nordeste e da Articulação da Juventude Salesiana através da história dos festivais. Contamos, inclusive, com a presença dos seis padres que foram delegados inspetoriais para Pastoral Juvenil e para a Articulação da Juventude Salesiana nos últimos 20 anos, os padres João Carlos Ribeiro (1994-1999), Antônio Gomes (2000-2003), Luigi De Liberali (2004-2008), Gilberto Antônio (2009-2010), Deyvson Soares (2011-2012) e Eudes Barreto (2013 até o momento).

O jovem Ewerton Almeida, membro da Equipe Inspetorial de Pastoral e participante da trupe teatral organizada pela própria equipe, externou sua gratidão por participar daquele momento e deixou um testemunho nas redes sociais: “Em 2004, começava a minha estreia em Festivais. Sim, foi literalmente uma estreia. Graças a um grupo de teatro eu conheci os Salesianos e naquele ano subi a este palco e me apresentei no festival de teatro. Aquele era o 9° Festival da Juventude Salesiana. Onze anos se passaram e no 20° ano do evento tenho a alegria de subir novamente, para junto com meus amigos de Pastoral Juvenil Salesiana continuar a escrever esta história. Festejamos junto a mais de mil jovens este ano maravilhoso”.

A fala de Ewerton representa a de muitos jovens que hoje são assessores ou até colaboradores de presenças salesianas, mas sentem a alegria e a gratidão de ver a renovação e a importância do evento para a vida do carisma salesiano na região.

 

Preparação

O Festival é fruto de um grande esforço de toda Inspetoria Salesiana do Nordeste, em especial da equipe inspetorial de Pastoral Juvenil, que agrega os delegados da Animação Vocacional e da Comunicação Social, formandos salesianos, assessores da AJS e colaboradores. Também o Conselho Inspetorial da Articulação da Juventude Salesiana (AJS), que vem sendo fortalecido nos últimos anos, assume com muita responsabilidade a sua organização. A preparação é realizada o ano inteiro, mas é na segunda reunião do Conselho da AJS, realizada em agosto, que são escolhidas quase todas as pessoas de referência.

Este ano, foram apresentadas cinco peças teatrais e seis coreografias, além da peça e da coreografia na manhã das homenagens, de uma linda apresentação (preparada pelos jovens de Areia Branca, RN) na abertura na sexta à noite e das bandas de jovens para animar as missas, os intervalos das apresentações e a tarde de atividades diversificadas. Diversos serviços foram compartilhados com os próprios jovens participantes, como equipes de apoio e de comunicação, escala para servir as refeições, além de todo trabalho prévio. Isso deixa claro que o objetivo de celebrar os frutos da caminhada do ano pastoral e partilhar fé e vida não está só na hora do palco.

 

Despedidas e boas vindas

Nesta 20ª edição, participaram do Festival 38 delegações ligadas às presenças dos Salesianos de Dom Bosco e das Filhas de Maria Auxiliadora em sete estados do Nordeste, e um grupo de Manaus, AM.

Outros dois elementos especiais se destacaram: a despedida dos jovens ao padre Diego Vanzetta, que terminou seu mandato como inspetor do Nordeste salesiano em dezembro e parte para a Itália, e a acolhida ao novo inspetor, padre Nivaldo Pessinattti, que acompanhou todo o Festival e presidiu a celebração eucarística no domingo, 15 de novembro. Avaliando o evento, ele pontuou: “Sinceramente, fiquei emocionado em ver uma juventude tão natural, autêntica e focada nos valores cristãos. Olhando para essa juventude, nós carregamos uma grande esperança e uma grande certeza no futuro. Esse festival, em sua edição de número 20, é um comprovante disso”.

Para ver as notícias, links dos vídeos da transmissão e das fotos, acesse o blog da AJS Nordeste: www.ajsnordeste.blogspot.com.br

 

AJS no Nordeste

Desde a década de 1980, a Inspetoria Salesiana do Nordeste já tinha algumas ações e projetos com intuito de valorizar o protagonismo juvenil e organizar o trabalho realizado com a juventude, mas foi na década de 1990 que os projetos ganharam ‘forma e corpo’, por assim dizer.

Em 1991, foi realizada a primeira Romaria Jovem, em Jaboatão Colônia. E desde então uma pequena equipe começou a se reunir para organizar o evento.

Em setembro de 1993, a Inspetoria recebeu a visita do então conselheiro geral para Pastoral Juvenil Salesiana, o padre Luc Van Looy (hoje bispo, na Bélgica), que assessorou um encontro sobre “Espiritualidade Juvenil Salesiana”. Naquele evento, ele motivou salesianos e salesianas presentes para o desafio da construção do Movimento Juvenil Salesiano, o que já estava se dando em vários lugares do mundo. As conclusões deste encontro, com a presença encorajadora do padre Van Looy, foram sem dúvida a legitimação oficial de uma experiência que já se realizava na esfera prática e de um projeto já em andamento.

Já em 1994, o Colégio Salesiano Sagrado Coração do Recife completava 100 anos de presença educativa e se acertou que a Romaria Jovem seria deslocada de Jaboatão para as ruas do centro da Capital pernambucana, culminando nas dependências da casa centenária. Nesta época, o padre João Carlos já havia sido escolhido como delegado inspetorial para a Pastoral Juvenil. Sua capacidade de trabalho e dinamismo foram fundamentais, e a articulação começou a ser fomentada.

No entanto, a organização dos grupos juvenis começou a tomar forma em 1995, quando foi constituída uma pequena equipe permanente para ajudar a construir a articulação dos jovens, e não mais só para organizar eventos. Dessa forma, as lideranças juvenis das casas salesianas próximas ao centro inspetorial foram chamadas para a construção desta nova proposta. Assim, a Romaria Jovem daquele ano já foi organizada dentro deste processo.

Ainda em 1995, o padre Van Looy visitou novamente a inspetoria salesiana e, no aniversário de Dom Bosco, se encontrou durante um dia inteiro com os primeiros membros da “Articulação da Juventude Salesiana - AJS”, com representantes de quase todas as casas salesianas da região. Neste ano, foram cadastrados 85 grupos juvenis vinculados à recém-surgida articulação.

É interessante perceber que quando a experiência surgiu, já era chamada de Articulação da Juventude Salesiana, pois havia um certo receio de utilizar o termo “movimento”. Mas o nome só foi formalizado em junho de 1996, na primeira reunião oficial do conselho inspetorial de jovens.

Assim, o I Festival da Juventude Salesiana, realizado em outubro do mesmo ano, foi o primeiro evento organizado pela inspetoria e pela agora oficializada Articulação da Juventude Salesiana. Padre João Carlos Ribeiro revelou que a ideia de realizar um festival já era antiga e estava em processo há pelo menos dois anos, mas havia muito receio em relação à dormida, alimentação, estrutura, até que os jovens abraçaram a ideia. “O Festival nasceu pensando em três coisas”, afirmou padre João: “A primeira, estimular a convivência entre os jovens, marca da nossa educação salesiana. A segunda coisa é a espiritualidade – colocar Deus no centro. Por último, mas não menos importante, a participação, o protagonismo dos jovens”. O Festival é o evento de encerramento do ano pastoral nas casas, sendo assim um momento inserido na caminhada.

As experiências positivas no Nordeste e na Inspetoria Salesiana do Sul do Brasil (Inspetoria São Pio X) colaboraram decisivamente no nascimento da Articulação da Juventude Salesiana em âmbito nacional, o que só aconteceu em 1998, durante o II Congresso Nacional de Lideranças Juvenis Salesianas.

 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 13 January 2016 14:44

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.