Educomunicação em pauta

Tuesday, 18 September 2012 00:00 Written by  Jakeline Lira
  Nos dias 14 e 15 de setembro, a Inspetoria Salesiana do Nordeste, em parceria com a Faculdade Salesiana, promoveu o II Fórum Salesiano de Educação e Comunicação. O tema geral proposto foi: Juventude, educação e práticas educomunicativas. A palestra de abertura, dia 14, contou com a jornalista, pesquisadora e educomunicadora Cristiane Parente, com o tema geral “Jovens e a comunicação: desafios para a educação”. Com muita competência e simpatia, ela enfatizou inicialmente sobre aprendizagem e a importância da leitura e da importância de se construir ecossistemas educomucativos dentro dos ambientes educativos. Na continuação, trouxe alguns dados e análise do nosso contexto atual e exemplos de projetos educomunicativos no mundo e especialmente no Brasil e as possibilidades de uso das mídias em sala de aula. Assim, de maneira transversal, colocou a possibilidade do uso dos meios de comunicação de três maneiras: a leitura crítica, a apropriação criativa, onde os jovens são os produtores e mobilizadores, e percepção dos Meios como apoio, que podem ajudar a atualizar conteúdos em sala de aula, não deixando de lado a contextualização e o envolvimento dos alunos enquanto cidadãos. Em depoimento, Cristiane se mostrou muito feliz com a realização do evento, colocando-se inclusive à disposição de todos os educadores salesianos, e deixou o recado: “Se a gente quer formar cidadãos mais informados, mais participativos, uma comunicação para a paz, para formação de valores, para uma mídia melhor, a gente tem que entrar com a educomunicação.” Já no dia 15 foi a vez da mesa-redonda sobre “Práticas educomunicativas”, onde os participantes puderam conhecer 3 iniciativas distintas. A primeira experiência mostrada foi a dos Jovens Conectados, da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), trazida pela publicitária e integrante Clarissa Medeiros, onde os jovens, que são voluntários, com muita propriedade organizam a comunicação e a conduzem de maneira muito profissional e protagônica. O exemplo da cobertura do Bote Fé por todo Brasil, assim como o site (www.jovensconectados.org.br) e a Fan Page no Facebook, já com 49.500 ‘curtidores”, destacaram-se. A segunda experiência educomunicativa demonstrada foi da ONG Auçuba Comunicação e Educação, que há 23 anos trabalha diversos projetos com adolescentes e jovens. A coordenadora Paula Ferreira mostrou com clareza o trabalho desenvolvido, onde os jovens aprendem a produzir vídeos, fotos, publicações, e mais do que isto, desenvolvem sua visão de mundo e atuação como cidadãos, e a importância da parceria com comunidades, escolas públicas e outras Ongs e Redes. Por último, o Centro de Comunicação e Juventude (CCJ), representado pela educadora que já foi educanda do centro, Samara Duarte, de Recife, onde os jovens de 12 comunidades em parceria com universidades e outras ONGs, realiza atividades no campo da formação/capacitação de jovens nas linguagens de comunicação, favorecendo a capacitação técnica e também o exercício da cidadania e o protagonismo juvenil a partir da comunicação. Na parte da tarde, foi a vez da coordenadora inspetorial de comunicação, Jakeline Lira, dar uma palavra sobre “Caminhar com a geração internet”. Em sua fala, como premissas para se compreender a geração atual, foi pontuado o conceito de juventude como construção sociocultural, assim como a evolução do conceito de condição juvenil, além de uma pequena análise sobre as características da contemporaneidade. Foi reforçado que, mais do que saber mexer em novas ferramentas, é preciso entrar nesta nova lógica e estar aberto ao novo e às mudanças, encarando a realidade presente como um desafio positivo, aprendendo a ser e a estar no mundo digital, não o compreendendo apenas como uma ferramenta de transmissão de conteúdo. Após intervalo, os responsáveis pela comunicação das casas e alguns jovens continuaram reunidos, para partilhar um pouco as práticas educomunicativas desenvolvidas ou em projeto nas suas realidades locais, ajudando assim a equipe inspetorial de comunicação a diagnosticar e pontuar elementos para atividades futuras. No geral, o encontro foi avaliado positivamente pelos participantes. Alephidaleth Lobo, gestora de comunicação do Colégio Salesiano do Salvador (Bahia), e também esteve presente no primeiro Fórum, em 2011, mostrou-se satisfeita com as palestras, mesas redondas e complementou: “a troca de experiências com outras pessoas de comunicação, com outros colégios, vai amadurecendo a possibilidade de inserirmos novas práticas na nossa realidade local, por isso eventos assim são muito válidos”. O mesmo aspecto foi pontuando por Paulo Yajima, gestor de comunicação e tecnologia do Colégio Salesiano de Aracaju (Sergipe), que desde 2008 já vem entrando em contato através da Rede Salesiana de Escolas com a temática “educomunicação” e também participou das duas edições do Fórum: “acho muito louvável este tipo de evento, nos enriquece muito e nós levamos muitas experiências e ideias para nossas casas”. Veja fotos e vídeos do evento no site: http://www.fasne.edu.br/forume na página nossa do Facebook (Fotos – >Album “II Fórum..”): http://www.facebook.com/sdbbre  
Rate this item
(0 votes)
Last modified on Monday, 25 August 2014 08:41

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Educomunicação em pauta

Tuesday, 18 September 2012 00:00 Written by  Jakeline Lira
  Nos dias 14 e 15 de setembro, a Inspetoria Salesiana do Nordeste, em parceria com a Faculdade Salesiana, promoveu o II Fórum Salesiano de Educação e Comunicação. O tema geral proposto foi: Juventude, educação e práticas educomunicativas. A palestra de abertura, dia 14, contou com a jornalista, pesquisadora e educomunicadora Cristiane Parente, com o tema geral “Jovens e a comunicação: desafios para a educação”. Com muita competência e simpatia, ela enfatizou inicialmente sobre aprendizagem e a importância da leitura e da importância de se construir ecossistemas educomucativos dentro dos ambientes educativos. Na continuação, trouxe alguns dados e análise do nosso contexto atual e exemplos de projetos educomunicativos no mundo e especialmente no Brasil e as possibilidades de uso das mídias em sala de aula. Assim, de maneira transversal, colocou a possibilidade do uso dos meios de comunicação de três maneiras: a leitura crítica, a apropriação criativa, onde os jovens são os produtores e mobilizadores, e percepção dos Meios como apoio, que podem ajudar a atualizar conteúdos em sala de aula, não deixando de lado a contextualização e o envolvimento dos alunos enquanto cidadãos. Em depoimento, Cristiane se mostrou muito feliz com a realização do evento, colocando-se inclusive à disposição de todos os educadores salesianos, e deixou o recado: “Se a gente quer formar cidadãos mais informados, mais participativos, uma comunicação para a paz, para formação de valores, para uma mídia melhor, a gente tem que entrar com a educomunicação.” Já no dia 15 foi a vez da mesa-redonda sobre “Práticas educomunicativas”, onde os participantes puderam conhecer 3 iniciativas distintas. A primeira experiência mostrada foi a dos Jovens Conectados, da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), trazida pela publicitária e integrante Clarissa Medeiros, onde os jovens, que são voluntários, com muita propriedade organizam a comunicação e a conduzem de maneira muito profissional e protagônica. O exemplo da cobertura do Bote Fé por todo Brasil, assim como o site (www.jovensconectados.org.br) e a Fan Page no Facebook, já com 49.500 ‘curtidores”, destacaram-se. A segunda experiência educomunicativa demonstrada foi da ONG Auçuba Comunicação e Educação, que há 23 anos trabalha diversos projetos com adolescentes e jovens. A coordenadora Paula Ferreira mostrou com clareza o trabalho desenvolvido, onde os jovens aprendem a produzir vídeos, fotos, publicações, e mais do que isto, desenvolvem sua visão de mundo e atuação como cidadãos, e a importância da parceria com comunidades, escolas públicas e outras Ongs e Redes. Por último, o Centro de Comunicação e Juventude (CCJ), representado pela educadora que já foi educanda do centro, Samara Duarte, de Recife, onde os jovens de 12 comunidades em parceria com universidades e outras ONGs, realiza atividades no campo da formação/capacitação de jovens nas linguagens de comunicação, favorecendo a capacitação técnica e também o exercício da cidadania e o protagonismo juvenil a partir da comunicação. Na parte da tarde, foi a vez da coordenadora inspetorial de comunicação, Jakeline Lira, dar uma palavra sobre “Caminhar com a geração internet”. Em sua fala, como premissas para se compreender a geração atual, foi pontuado o conceito de juventude como construção sociocultural, assim como a evolução do conceito de condição juvenil, além de uma pequena análise sobre as características da contemporaneidade. Foi reforçado que, mais do que saber mexer em novas ferramentas, é preciso entrar nesta nova lógica e estar aberto ao novo e às mudanças, encarando a realidade presente como um desafio positivo, aprendendo a ser e a estar no mundo digital, não o compreendendo apenas como uma ferramenta de transmissão de conteúdo. Após intervalo, os responsáveis pela comunicação das casas e alguns jovens continuaram reunidos, para partilhar um pouco as práticas educomunicativas desenvolvidas ou em projeto nas suas realidades locais, ajudando assim a equipe inspetorial de comunicação a diagnosticar e pontuar elementos para atividades futuras. No geral, o encontro foi avaliado positivamente pelos participantes. Alephidaleth Lobo, gestora de comunicação do Colégio Salesiano do Salvador (Bahia), e também esteve presente no primeiro Fórum, em 2011, mostrou-se satisfeita com as palestras, mesas redondas e complementou: “a troca de experiências com outras pessoas de comunicação, com outros colégios, vai amadurecendo a possibilidade de inserirmos novas práticas na nossa realidade local, por isso eventos assim são muito válidos”. O mesmo aspecto foi pontuando por Paulo Yajima, gestor de comunicação e tecnologia do Colégio Salesiano de Aracaju (Sergipe), que desde 2008 já vem entrando em contato através da Rede Salesiana de Escolas com a temática “educomunicação” e também participou das duas edições do Fórum: “acho muito louvável este tipo de evento, nos enriquece muito e nós levamos muitas experiências e ideias para nossas casas”. Veja fotos e vídeos do evento no site: http://www.fasne.edu.br/forume na página nossa do Facebook (Fotos – >Album “II Fórum..”): http://www.facebook.com/sdbbre  
Rate this item
(0 votes)
Last modified on Monday, 25 August 2014 08:41

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.