São Francisco de Sales Comunicador. Peregrinação interior, sabedoria na arte de comunicar"

Terça, 25 Janeiro 2022 18:50 Escrito por  Padre Gildásio Mendes dos Santos
Na festa de São Francisco de Sales, 24 de janeiro, padre Gildásio Mendes dos Santos, conselheiro geral para a Comunicação Social, apresentou o primeiro, de um total de seis artigos, que visam aprofundar o tema da Estreia 2022, "Fazei tudo por amor, nada por força".


"Tudo na Igreja é amor: tudo vive no amor, por amor e do amor".

Foi com esta expressão que São Francisco de Sales, único no seu tempo, deu início a uma verdadeira revolução na forma de comunicar. A palavra comunicação constitui a chave da teologia e da espiritualidade do santo, que fez uma peregrinação interior na busca sábia e amorosa de Deus.

A comunicação como chave interpretativa da vida e da doutrina de São Francisco de Sales remete a uma riqueza e multiplicidade de aspectos que encontram seu fundamento na teologia do mistério trinitário no qual o homem, por graça e vocação, é chamado a participar. Francisco de Sales encarna um modelo de comunicação que, tanto no conteúdo quanto na dinâmica, se inspira no Evangelho.

Sobre este fundamento se baseia e desenvolve a capacidade e a arte de Francisco de Sales de se relacionar com as pessoas, consideradas de acordo com seu contexto de origem, formação, história, esforços existenciais, e suas aspirações mais autênticas. Para ele, comunicar significa dar-se ao outro, fazê-lo participar de sua própria experiência e estabelecer relações autênticas de amizade. Na verdade, a comunicação só é eficaz quando cria vínculos, oportunidades de encontro, proximidade. A comunicação é frutífera quando permite a comunhão, a troca de experiências.

Francisco parte de um princípio fundamental: Deus se comunica por meio do amor. Este amor é um dom de Deus para as suas criaturas, que respondem livremente a este amor com espírito filial, entrega amorosa e compromisso alegre, que se traduz num caminho de santidade em colaboração com o desígnio de Deus no mundo.

Com esta visão enraizada na noção do dom e da gratuidade do amor de Deus, Francisco de Sales abre um caminho original de espiritualidade, arte comunicativa e ação pastoral.

São Francisco é um comunicador que viveu sua vida e criou suas obras com criatividade e intensidade. Isto demonstra sua importante e decisiva forma de comunicar, que ainda hoje continua atual: viver uma vida espiritual aberta ao dinamismo interior do coração e da alma, em união com Deus, a serviço dos outros.

São Francisco de Sales, nascido em 1567, era filho do Senhor de Boisy, tradicional e nobre família da Saboia. Viveu no final do século XVI e início do século XVII, participou de momentos e eventos de grande mudança cultural, social, política e religiosa. Soube compreender as grandes transformações da sociedade e da cultura, e dialogar com as correntes místicas, culturais e educativas de sua época.

A formação de Francisco foi muito completa, extensa e profunda. Em Paris, completou os estudos superiores, dedicando-se também à Teologia, e, na Universidade de Pádua, ao Direito, que concluiu brilhantemente com uma licenciatura em Direito Canônico e Direito Civil.

Por meio de seus escritos, cartas, sermões, orações e poemas, podemos vislumbrar alguns aspectos de sua grandeza interior e sua visão de Deus e do mundo, e, com suas escolhas e decisões, destacar algumas ideias sobre sua vocação e missão de comunicador.

Quando falamos de São Francisco como comunicador, logo se faz necessária uma pergunta: por que a Igreja escolheu São Francisco de Sales como Patrono dos jornalistas e escritores católicos?

Em 26 de janeiro de 1923, o Papa Pio XI proclamou São Francisco de Sales o santo padroeiro dos jornalistas e escritores católicos. A Igreja reconhece, em sua vida e em sua obra, uma referência para o mundo da comunicação.

Assim o descreveu o Papa Paulo VI, em sua carta apostólica ‘Sabaudiae gemma’, de 26 de janeiro de 1967:

"São Francisco de Sales é um homem de aguda intuição de mente, inteligência forte e clara, julgamento penetrante, incrível bondade amorosa, doçura sorridente de rosto e palavra, ardor tranquilo de espírito sempre laborioso..., amor à beleza, desejoso de dar aos outros os maiores bens: o céu e a poesia...”.

O Papa Bento XVI, escrevendo sobre São Francisco de Sales, refere-se ao grande valor de seus escritos para a Igreja.

"Numa época de intenso florescimento místico, o ‘Tratado sobre o amor de Deus’ é uma verdadeira suma e, ao mesmo tempo, uma obra literária fascinante. A sua descrição do itinerário para Deus parte do reconhecimento da 'inclinação natural' inscrita no coração do homem, ainda que pecador, para amar a Deus acima de todas as coisas. De acordo com o modelo da Sagrada Escritura, São Francisco de Sales fala da união entre Deus e o homem desenvolvendo uma série de imagens das relações interpessoais. Seu Deus é pai e senhor, esposo e amigo, possui características maternais e nutridoras, é o sol do qual até a noite é uma misteriosa revelação”.

São Francisco foi um escritor inovador e original. Suas principais obras são: ‘Introdução à vida devota’ (Filoteia), sua primeira obra pastoral, muito difundida e traduzida em numerosas línguas e o ‘Tratado do amor de Deus’, um dos textos que mais influenciaram a literatura cristã e a espiritualidade da Igreja. Estes dois textos contribuíram enormemente para a vida espiritual da Igreja e inspiraram diversas escolas de espiritualidade. Suas cartas, de estilo familiar e afetivo, são verdadeiros tesouros de acompanhamento espiritual e de vida de oração. Suas homilias e sermões, de estilo simples, profundo e íntimo, ainda hoje constituem um testamento espiritual para todas as gerações.

Quatrocentos anos após sua morte, sua visão e estilo de comunicação permanecem atuais e vivos na vida da Igreja.


Padre Gildásio Mendes dos Santos

 

Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.


São Francisco de Sales Comunicador. Peregrinação interior, sabedoria na arte de comunicar"

Terça, 25 Janeiro 2022 18:50 Escrito por  Padre Gildásio Mendes dos Santos
Na festa de São Francisco de Sales, 24 de janeiro, padre Gildásio Mendes dos Santos, conselheiro geral para a Comunicação Social, apresentou o primeiro, de um total de seis artigos, que visam aprofundar o tema da Estreia 2022, "Fazei tudo por amor, nada por força".


"Tudo na Igreja é amor: tudo vive no amor, por amor e do amor".

Foi com esta expressão que São Francisco de Sales, único no seu tempo, deu início a uma verdadeira revolução na forma de comunicar. A palavra comunicação constitui a chave da teologia e da espiritualidade do santo, que fez uma peregrinação interior na busca sábia e amorosa de Deus.

A comunicação como chave interpretativa da vida e da doutrina de São Francisco de Sales remete a uma riqueza e multiplicidade de aspectos que encontram seu fundamento na teologia do mistério trinitário no qual o homem, por graça e vocação, é chamado a participar. Francisco de Sales encarna um modelo de comunicação que, tanto no conteúdo quanto na dinâmica, se inspira no Evangelho.

Sobre este fundamento se baseia e desenvolve a capacidade e a arte de Francisco de Sales de se relacionar com as pessoas, consideradas de acordo com seu contexto de origem, formação, história, esforços existenciais, e suas aspirações mais autênticas. Para ele, comunicar significa dar-se ao outro, fazê-lo participar de sua própria experiência e estabelecer relações autênticas de amizade. Na verdade, a comunicação só é eficaz quando cria vínculos, oportunidades de encontro, proximidade. A comunicação é frutífera quando permite a comunhão, a troca de experiências.

Francisco parte de um princípio fundamental: Deus se comunica por meio do amor. Este amor é um dom de Deus para as suas criaturas, que respondem livremente a este amor com espírito filial, entrega amorosa e compromisso alegre, que se traduz num caminho de santidade em colaboração com o desígnio de Deus no mundo.

Com esta visão enraizada na noção do dom e da gratuidade do amor de Deus, Francisco de Sales abre um caminho original de espiritualidade, arte comunicativa e ação pastoral.

São Francisco é um comunicador que viveu sua vida e criou suas obras com criatividade e intensidade. Isto demonstra sua importante e decisiva forma de comunicar, que ainda hoje continua atual: viver uma vida espiritual aberta ao dinamismo interior do coração e da alma, em união com Deus, a serviço dos outros.

São Francisco de Sales, nascido em 1567, era filho do Senhor de Boisy, tradicional e nobre família da Saboia. Viveu no final do século XVI e início do século XVII, participou de momentos e eventos de grande mudança cultural, social, política e religiosa. Soube compreender as grandes transformações da sociedade e da cultura, e dialogar com as correntes místicas, culturais e educativas de sua época.

A formação de Francisco foi muito completa, extensa e profunda. Em Paris, completou os estudos superiores, dedicando-se também à Teologia, e, na Universidade de Pádua, ao Direito, que concluiu brilhantemente com uma licenciatura em Direito Canônico e Direito Civil.

Por meio de seus escritos, cartas, sermões, orações e poemas, podemos vislumbrar alguns aspectos de sua grandeza interior e sua visão de Deus e do mundo, e, com suas escolhas e decisões, destacar algumas ideias sobre sua vocação e missão de comunicador.

Quando falamos de São Francisco como comunicador, logo se faz necessária uma pergunta: por que a Igreja escolheu São Francisco de Sales como Patrono dos jornalistas e escritores católicos?

Em 26 de janeiro de 1923, o Papa Pio XI proclamou São Francisco de Sales o santo padroeiro dos jornalistas e escritores católicos. A Igreja reconhece, em sua vida e em sua obra, uma referência para o mundo da comunicação.

Assim o descreveu o Papa Paulo VI, em sua carta apostólica ‘Sabaudiae gemma’, de 26 de janeiro de 1967:

"São Francisco de Sales é um homem de aguda intuição de mente, inteligência forte e clara, julgamento penetrante, incrível bondade amorosa, doçura sorridente de rosto e palavra, ardor tranquilo de espírito sempre laborioso..., amor à beleza, desejoso de dar aos outros os maiores bens: o céu e a poesia...”.

O Papa Bento XVI, escrevendo sobre São Francisco de Sales, refere-se ao grande valor de seus escritos para a Igreja.

"Numa época de intenso florescimento místico, o ‘Tratado sobre o amor de Deus’ é uma verdadeira suma e, ao mesmo tempo, uma obra literária fascinante. A sua descrição do itinerário para Deus parte do reconhecimento da 'inclinação natural' inscrita no coração do homem, ainda que pecador, para amar a Deus acima de todas as coisas. De acordo com o modelo da Sagrada Escritura, São Francisco de Sales fala da união entre Deus e o homem desenvolvendo uma série de imagens das relações interpessoais. Seu Deus é pai e senhor, esposo e amigo, possui características maternais e nutridoras, é o sol do qual até a noite é uma misteriosa revelação”.

São Francisco foi um escritor inovador e original. Suas principais obras são: ‘Introdução à vida devota’ (Filoteia), sua primeira obra pastoral, muito difundida e traduzida em numerosas línguas e o ‘Tratado do amor de Deus’, um dos textos que mais influenciaram a literatura cristã e a espiritualidade da Igreja. Estes dois textos contribuíram enormemente para a vida espiritual da Igreja e inspiraram diversas escolas de espiritualidade. Suas cartas, de estilo familiar e afetivo, são verdadeiros tesouros de acompanhamento espiritual e de vida de oração. Suas homilias e sermões, de estilo simples, profundo e íntimo, ainda hoje constituem um testamento espiritual para todas as gerações.

Quatrocentos anos após sua morte, sua visão e estilo de comunicação permanecem atuais e vivos na vida da Igreja.


Padre Gildásio Mendes dos Santos

 

Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.