Educar é coisa do coração Featured

Monday, 21 December 2020 23:58 Written by  Redação Boletim Salesiano
Educar é coisa do coração RSB-Escolas
O setor educacional foi um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, com a suspensão das aulas presenciais a partir de março em todo o país. Nas escolas salesianas, as equipes pedagógicas responderam ao desafio das aulas remotas com rapidez, dedicação e amor pela missão de educar.  

 

Aprendizagem, superação, união, confiança, otimismo, dedicação, parceria, diálogo e amor. Essas palavras apareceram com frequência durante a entrevista feita com as diretoras executivas da Rede Salesiana Brasil de Escolas (RSB-Escolas), Irmã Adair Aparecida Sberga e Ana Paula Costa e Silva, que falaram ao Boletim Salesiano sobre como as escolas salesianas – e, especialmente, seus educadores e equipes gestoras – responderam aos enormes desafios colocados para o setor educacional pela pandemia da Covid-19.

 

“Aquilo que faríamos em uns seis ou sete anos, com o uso crescente das novas tecnologias para a educação, nós tivemos que atender de imediato. E o grande louvor é aos professores e coordenações das escolas, que tiveram que se reinventar em pouco tempo. A proatividade dos educadores, a dedicação, o empenho, foram muito reais. Nós da RSB-Escolas acompanhamos isso com todas as coordenações e podemos falar de modo geral que as unidades se empenharam não apenas em descobrir novas tecnologias, mas em como utilizar essas ferramentas de maneira que ajudassem o aprendizado das crianças e dos jovens, que fosse uma educação acolhedora como é a marca salesiana”, reflete a Ir. Adair Sberga.

 

A resposta rápida e competente dos educadores da Rede Salesiana também é destacada por Ana Paula Costa e Silva, que ressalta ainda que houve muito diálogo entre os professores e gestores das escolas, assim como entre as equipes pedagógicas e os estudantes e suas famílias, para buscar as melhores soluções para a realidade de cada escola. “Mais do que conhecer novas tecnologias, os professores se mobilizaram para a apropriação didático-pedagógica das tecnologias e plataformas educacionais; para pensar em que momentos e com que objetivos elas poderiam servir para os processos de ensino e aprendizagem de forma remota. Isso foi muito marcante, pois as tecnologias digitais vêm sendo utilizadas com intencionalidade pedagógica, na aplicação de estratégias e metodologias ativas”, completa ela.

 

Educadores se tornam especialistas no ensino remoto

Algo que auxiliou os educadores salesianos nesse processo foi o fato de que já existia na RSB-Escolas o material didático digital no Ensino Fundamental II e Ensino Médio, e um caminho percorrido no uso das tecnologias digitais para o ensino. Com a pandemia e a exigência das aulas remotas em todos os níveis, a Editora Edebê disponibilizou no formato digital os PDFs dos livros didáticos do Ensino Fundamental I e Educação Infantil. Além disso, abriu a possibilidade de que as escolas da rede utilizassem uma plataforma moodle para as aulas. “As escolas tiveram liberdade de usar as plataformas que quisessem, mas disponibilizamos o moodle pela Edebê e muitas das nossas escolas utilizaram esse recurso. Fizemos ainda diversas formações remotas nesse período, para ajudar os professores no uso dos materiais didáticos, das plataformas, das ferramentas digitais. A tecnologia não vai substituir a sala de aula presencial, é a pedagogia quem dita quais são os recursos tecnológicos necessários. Por isso destaco o trabalho dos coordenadores, dos professores, dos gestores também; o que aconteceu nesse período foi uma colaboração muito grande dentro das escolas e da RSB com as escolas”, reflete Ir. Adair.

 

As duas diretoras afirmam que o ensino remoto não substitui de forma alguma a convivência presencial nas escolas, que está sendo retomada nos locais em que as diretrizes governamentais permitem com todos os cuidados de segurança sanitária. Mas a pandemia permitiu perceber que há muitos recursos que podem ser utilizados e que resultaram em boas práticas, desenvolvidas pelos próprios educadores no dia a dia das aulas remotas.

 

“Ao longo de 2020, nossos educadores se tornaram grandes especialistas em práticas digitais remotas, reinventando-se a cada dia para dar vida ao cotidiano escolar nos espaços virtuais, para criar situações de aprendizagem significativas e manter os vínculos com os estudantes e suas famílias”, afirma Ana Paula. Para ela, é fundamental valorizar e compartilhar esse conhecimento que foi construído durante o ano. Em 9 de dezembro, vai ocorrer um Seminário, em formato virtual, para a socialização de boas práticas realizadas com a Coleção Girolhar, na Educação Infantil. Algumas das experiências positivas vão compor também um e-book. “No próximo ano, pretendemos promover outros eventos de compartilhamento de boas práticas, para valorizar o que se construiu, o que está se criando em cada escola, e promover a disseminação dos conhecimentos em Rede”, considera ela.

 

Maior participação e envolvimento das famílias

Outra consequência positiva e inesperada do período de isolamento social devido à Covid-19 foi em relação às formações e encontros promovidos pela RSB-Escolas. Os eventos e ações formativas na modalidade virtual possibilitaram a participação de um número muito maior de educadores do que ocorria nos eventos presenciais, nos quais era necessário considerar o deslocamento, gastos com passagens e hotéis e mesmo a disponibilização de um tempo maior pelos participantes, que acabavam se restringindo a dois ou três representantes de cada escola. Só nas formações promovidas pela RSB-Escolas para o uso das coleções didáticas, tivemos 8.246 participações. Isso sem contar outros cursos, lives e reuniões. 

 

Essa diferença foi constatada inclusive no XVIII Encontro Nacional da Rede Salesiana Brasil de Escolas (ENARSE) e XI Encontro Nacional dos Ecônomos e Administradores Locais (ENEL), realizados em três manhãs, na modalidade virtual, com a participação de 560 gestores – o dobro dos encontros presenciais dos anos anteriores, destinados aos diretores institucionais, diretores pedagógicos e ecônomos. Essa modalidade possibilitou estender o convite aos coordenadores pedagógicos, coordenadores de Pastoral e orientadores educacionais e abordar os temas centrais por meio de palestras, espaços de interação, enquetes e momentos para o compartilhamento de ideias, perguntas e propostas. Em 2021, já foi definido que o XIX ENARSE e o XII ENEL vão ocorrer novamente na modalidade virtual.

 

Por fim, as diretoras da RSB-Escolas ressaltam que a adaptação das escolas não ficou apenas na garantia das aulas remotas, mas também nas reuniões virtuais com as famílias, com os educadores e colaboradores; nas festas de Nossa Senhora Auxiliadora, nas festas juninas e julinas; no dia da criança; em tantas recreações e oratórios festivos, pois a educação salesiana é pautada na alegria, no entusiasmo, na empatia, no diálogo, na fé, na solidariedade e no amor educativo e oblativo. “Acompanhamos a vivência das datas comemorativas e celebrativas salesianas que aconteceram com muita criatividade; a realização de projetos que envolveram as comunidades educativas e uma escuta muito marcante das famílias, durante todo o período. Foi um fortalecimento dessa relação de confiança, dessa integração entre a escola e a família”, diz Ana Paula. “Eu sempre acreditei que iríamos dar conta. Confiei muito em Deus e sabia que podia contar com a competência e o engajamento das equipes gestoras e dos educadores, que são extremamente parceiros e colaborativos. Também nossos estudantes e suas famílias foram disponíveis, compreensivos e solidários. A gratidão é a nossa palavra, é a esperança, que vem de Deus, é a nossa chave para abrir um futuro melhor para todos”, conclui a Ir. Adair Sberga.

 

Experiências e boas práticas

Veja a seguir alguns exemplos, entre muitos, de boas práticas realizadas pelas unidades da RSB-Escolas. Para mais informações sobre cada notícia, abra o link em azul:

 

No Colégio Salesiano Santa Teresinha, em São Paulo, SP, a educação a distância abriu espaço para propostas criativas, que buscam tirar os alunos da zona de conforto a partir de experiências multissensoriais e divertidas. Uma das iniciativas foi das professoras de Educação Artística Ana Claudia Provasi e Erica Tapigliani, que desafiaram os estudantes do Ensino Fundamental I a criarem, em casa, representações de obras de arte, mostrando o resultado em uma foto, ao lado da pintura escolhida.

 

A equipe pedagógica do Colégio Salesiano Dom Bosco, em Rio do Sul, SC, já nos primeiros dias da quarentena iniciou uma pesquisa em busca de ferramentas que atendessem de forma satisfatória a proposta pedagógica da escola diante do desafio de ensinar a distância. Os avanços foram ocorrendo de forma gradativa, dando segurança aos professores, estudantes e familiares. “Todos foram desafiados e, juntos, evoluímos, aprendemos. Escolhemos um modelo de aulas remotas mediadas por tecnologia que, assim como no ensino presencial, tem como objetivo, mesmo que remotamente, proporcionar diferentes experiências”, afirma a diretora-executiva , Zuleide Minatti

 

Criatividade para amenizar a distância da escola e das aulas presenciais. Foi assim que o professor de Geografia, Márcio Padovani, buscou aproximar os alunos do Ensino Fundamental II do Colégio Salesiano Jardim Camburi, em Vitória, ES, dos conteúdos em tempos de isolamento. Com a ajuda de aplicativos, filtros e muita imaginação, ele criou personagens que interagem durante as aulas e atividades on-line. Entre os conteúdos sobre vulcanismo, terremotos e conceitos populacionais, o professor trouxe “convidados especiais”, todos interpretados por Padovani, que fazem perguntas e ajudam os alunos a entender melhor os conceitos e a matéria.

 

A partir de uma proposta do livro de Língua Portuguesa da Coleção Nautas estimulando uma atividade interdisciplinar, os estudantes do 2º ano A do Ensino Fundamental I do Instituto Nossa Senhora da Glória (INSG/Castelo), em Macaé - RJ, “desenvolveram” produtos pautados na sustentabilidade e ainda puderam criar seus slogans de divulgação. “A turma é muito participativa e a família é um elo fundamental para que o trabalho realmente agregue conhecimento aos pequenos, para que eles sejam protagonistas da nova era do nosso planeta”, falou a Prof.ª Luciana Pilla.

 

Na manhã de 19 de setembro, o Colégio Salesiano Sagrado Coração, em Recife, PE, realizou uma ação intitulada Drive Thru da Saudade. O momento aconteceu no pátio do estacionamento e objetivou reduzir a ansiedade pela volta das aulas presenciais, suspensas desde março, ao promover um reencontro momentâneo entre alunos e professores. Apesar dos estudantes terem permanecido no interior dos veículos e do uso de máscaras de proteção, o dia não deixou de transbordar muita alegria e salesianidade. Além de matar um pouco da saudade, o drive thru também promoveu a Gincana Solidária, uma ação pastoral de arrecadação de alimentos para serem doados a famílias carentes da região.

 

A Comunidade Educativa Pastoral do Colégio do Carmo, em Guaratinguetá, SP, não deixou de comemorar a Festa Junina, de uma forma diferente. Os festejos aconteceram no dia 26 de junho, e as famílias e comunidade puderam participar de duas formas: a primeira por meio do envio de vídeos, fotos e/ou textos com danças, selfies, avatares, poemas e cantinho junino. A segunda possibilidade de participação foi por meio da reserva de um “Kit Junino” para ser retirado no colégio, em horário agendado, na modalidade drive thru, seguindo todas as recomendações de segurança.

 

Durante os meses de agosto e setembro, o Colégio Salesiano do Salvador, em Salvador, BA, promoveu o “Webinar Profissões”, encontros virtuais com o objetivo de ampliar o conhecimento dos alunos do ensino médio acerca do seu futuro profissional, proporcionando informações referentes aos vestibulares, cursos superiores e oportunidades para o mercado de trabalho das diversas áreas do conhecimento. Além de bate-papos sobre os tradicionais cursos de ensino superior e técnico, como Medicina, Direito, Engenharias e Licenciaturas, o projeto ofertou também diálogos sobre as profissões que estão surgindo na contemporaneidade, como fruto do processo de globalização e avanço tecnológico.

 

Testemunhos de esperança

Padres, Irmãs, professores, coordenadores e diretores das escolas salesianas respondem “Como, em 2020, mantiveram acesa a chama da esperança”. Confira AQUI!

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Educar é coisa do coração Featured

Monday, 21 December 2020 23:58 Written by  Redação Boletim Salesiano
Educar é coisa do coração RSB-Escolas
O setor educacional foi um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, com a suspensão das aulas presenciais a partir de março em todo o país. Nas escolas salesianas, as equipes pedagógicas responderam ao desafio das aulas remotas com rapidez, dedicação e amor pela missão de educar.  

 

Aprendizagem, superação, união, confiança, otimismo, dedicação, parceria, diálogo e amor. Essas palavras apareceram com frequência durante a entrevista feita com as diretoras executivas da Rede Salesiana Brasil de Escolas (RSB-Escolas), Irmã Adair Aparecida Sberga e Ana Paula Costa e Silva, que falaram ao Boletim Salesiano sobre como as escolas salesianas – e, especialmente, seus educadores e equipes gestoras – responderam aos enormes desafios colocados para o setor educacional pela pandemia da Covid-19.

 

“Aquilo que faríamos em uns seis ou sete anos, com o uso crescente das novas tecnologias para a educação, nós tivemos que atender de imediato. E o grande louvor é aos professores e coordenações das escolas, que tiveram que se reinventar em pouco tempo. A proatividade dos educadores, a dedicação, o empenho, foram muito reais. Nós da RSB-Escolas acompanhamos isso com todas as coordenações e podemos falar de modo geral que as unidades se empenharam não apenas em descobrir novas tecnologias, mas em como utilizar essas ferramentas de maneira que ajudassem o aprendizado das crianças e dos jovens, que fosse uma educação acolhedora como é a marca salesiana”, reflete a Ir. Adair Sberga.

 

A resposta rápida e competente dos educadores da Rede Salesiana também é destacada por Ana Paula Costa e Silva, que ressalta ainda que houve muito diálogo entre os professores e gestores das escolas, assim como entre as equipes pedagógicas e os estudantes e suas famílias, para buscar as melhores soluções para a realidade de cada escola. “Mais do que conhecer novas tecnologias, os professores se mobilizaram para a apropriação didático-pedagógica das tecnologias e plataformas educacionais; para pensar em que momentos e com que objetivos elas poderiam servir para os processos de ensino e aprendizagem de forma remota. Isso foi muito marcante, pois as tecnologias digitais vêm sendo utilizadas com intencionalidade pedagógica, na aplicação de estratégias e metodologias ativas”, completa ela.

 

Educadores se tornam especialistas no ensino remoto

Algo que auxiliou os educadores salesianos nesse processo foi o fato de que já existia na RSB-Escolas o material didático digital no Ensino Fundamental II e Ensino Médio, e um caminho percorrido no uso das tecnologias digitais para o ensino. Com a pandemia e a exigência das aulas remotas em todos os níveis, a Editora Edebê disponibilizou no formato digital os PDFs dos livros didáticos do Ensino Fundamental I e Educação Infantil. Além disso, abriu a possibilidade de que as escolas da rede utilizassem uma plataforma moodle para as aulas. “As escolas tiveram liberdade de usar as plataformas que quisessem, mas disponibilizamos o moodle pela Edebê e muitas das nossas escolas utilizaram esse recurso. Fizemos ainda diversas formações remotas nesse período, para ajudar os professores no uso dos materiais didáticos, das plataformas, das ferramentas digitais. A tecnologia não vai substituir a sala de aula presencial, é a pedagogia quem dita quais são os recursos tecnológicos necessários. Por isso destaco o trabalho dos coordenadores, dos professores, dos gestores também; o que aconteceu nesse período foi uma colaboração muito grande dentro das escolas e da RSB com as escolas”, reflete Ir. Adair.

 

As duas diretoras afirmam que o ensino remoto não substitui de forma alguma a convivência presencial nas escolas, que está sendo retomada nos locais em que as diretrizes governamentais permitem com todos os cuidados de segurança sanitária. Mas a pandemia permitiu perceber que há muitos recursos que podem ser utilizados e que resultaram em boas práticas, desenvolvidas pelos próprios educadores no dia a dia das aulas remotas.

 

“Ao longo de 2020, nossos educadores se tornaram grandes especialistas em práticas digitais remotas, reinventando-se a cada dia para dar vida ao cotidiano escolar nos espaços virtuais, para criar situações de aprendizagem significativas e manter os vínculos com os estudantes e suas famílias”, afirma Ana Paula. Para ela, é fundamental valorizar e compartilhar esse conhecimento que foi construído durante o ano. Em 9 de dezembro, vai ocorrer um Seminário, em formato virtual, para a socialização de boas práticas realizadas com a Coleção Girolhar, na Educação Infantil. Algumas das experiências positivas vão compor também um e-book. “No próximo ano, pretendemos promover outros eventos de compartilhamento de boas práticas, para valorizar o que se construiu, o que está se criando em cada escola, e promover a disseminação dos conhecimentos em Rede”, considera ela.

 

Maior participação e envolvimento das famílias

Outra consequência positiva e inesperada do período de isolamento social devido à Covid-19 foi em relação às formações e encontros promovidos pela RSB-Escolas. Os eventos e ações formativas na modalidade virtual possibilitaram a participação de um número muito maior de educadores do que ocorria nos eventos presenciais, nos quais era necessário considerar o deslocamento, gastos com passagens e hotéis e mesmo a disponibilização de um tempo maior pelos participantes, que acabavam se restringindo a dois ou três representantes de cada escola. Só nas formações promovidas pela RSB-Escolas para o uso das coleções didáticas, tivemos 8.246 participações. Isso sem contar outros cursos, lives e reuniões. 

 

Essa diferença foi constatada inclusive no XVIII Encontro Nacional da Rede Salesiana Brasil de Escolas (ENARSE) e XI Encontro Nacional dos Ecônomos e Administradores Locais (ENEL), realizados em três manhãs, na modalidade virtual, com a participação de 560 gestores – o dobro dos encontros presenciais dos anos anteriores, destinados aos diretores institucionais, diretores pedagógicos e ecônomos. Essa modalidade possibilitou estender o convite aos coordenadores pedagógicos, coordenadores de Pastoral e orientadores educacionais e abordar os temas centrais por meio de palestras, espaços de interação, enquetes e momentos para o compartilhamento de ideias, perguntas e propostas. Em 2021, já foi definido que o XIX ENARSE e o XII ENEL vão ocorrer novamente na modalidade virtual.

 

Por fim, as diretoras da RSB-Escolas ressaltam que a adaptação das escolas não ficou apenas na garantia das aulas remotas, mas também nas reuniões virtuais com as famílias, com os educadores e colaboradores; nas festas de Nossa Senhora Auxiliadora, nas festas juninas e julinas; no dia da criança; em tantas recreações e oratórios festivos, pois a educação salesiana é pautada na alegria, no entusiasmo, na empatia, no diálogo, na fé, na solidariedade e no amor educativo e oblativo. “Acompanhamos a vivência das datas comemorativas e celebrativas salesianas que aconteceram com muita criatividade; a realização de projetos que envolveram as comunidades educativas e uma escuta muito marcante das famílias, durante todo o período. Foi um fortalecimento dessa relação de confiança, dessa integração entre a escola e a família”, diz Ana Paula. “Eu sempre acreditei que iríamos dar conta. Confiei muito em Deus e sabia que podia contar com a competência e o engajamento das equipes gestoras e dos educadores, que são extremamente parceiros e colaborativos. Também nossos estudantes e suas famílias foram disponíveis, compreensivos e solidários. A gratidão é a nossa palavra, é a esperança, que vem de Deus, é a nossa chave para abrir um futuro melhor para todos”, conclui a Ir. Adair Sberga.

 

Experiências e boas práticas

Veja a seguir alguns exemplos, entre muitos, de boas práticas realizadas pelas unidades da RSB-Escolas. Para mais informações sobre cada notícia, abra o link em azul:

 

No Colégio Salesiano Santa Teresinha, em São Paulo, SP, a educação a distância abriu espaço para propostas criativas, que buscam tirar os alunos da zona de conforto a partir de experiências multissensoriais e divertidas. Uma das iniciativas foi das professoras de Educação Artística Ana Claudia Provasi e Erica Tapigliani, que desafiaram os estudantes do Ensino Fundamental I a criarem, em casa, representações de obras de arte, mostrando o resultado em uma foto, ao lado da pintura escolhida.

 

A equipe pedagógica do Colégio Salesiano Dom Bosco, em Rio do Sul, SC, já nos primeiros dias da quarentena iniciou uma pesquisa em busca de ferramentas que atendessem de forma satisfatória a proposta pedagógica da escola diante do desafio de ensinar a distância. Os avanços foram ocorrendo de forma gradativa, dando segurança aos professores, estudantes e familiares. “Todos foram desafiados e, juntos, evoluímos, aprendemos. Escolhemos um modelo de aulas remotas mediadas por tecnologia que, assim como no ensino presencial, tem como objetivo, mesmo que remotamente, proporcionar diferentes experiências”, afirma a diretora-executiva , Zuleide Minatti

 

Criatividade para amenizar a distância da escola e das aulas presenciais. Foi assim que o professor de Geografia, Márcio Padovani, buscou aproximar os alunos do Ensino Fundamental II do Colégio Salesiano Jardim Camburi, em Vitória, ES, dos conteúdos em tempos de isolamento. Com a ajuda de aplicativos, filtros e muita imaginação, ele criou personagens que interagem durante as aulas e atividades on-line. Entre os conteúdos sobre vulcanismo, terremotos e conceitos populacionais, o professor trouxe “convidados especiais”, todos interpretados por Padovani, que fazem perguntas e ajudam os alunos a entender melhor os conceitos e a matéria.

 

A partir de uma proposta do livro de Língua Portuguesa da Coleção Nautas estimulando uma atividade interdisciplinar, os estudantes do 2º ano A do Ensino Fundamental I do Instituto Nossa Senhora da Glória (INSG/Castelo), em Macaé - RJ, “desenvolveram” produtos pautados na sustentabilidade e ainda puderam criar seus slogans de divulgação. “A turma é muito participativa e a família é um elo fundamental para que o trabalho realmente agregue conhecimento aos pequenos, para que eles sejam protagonistas da nova era do nosso planeta”, falou a Prof.ª Luciana Pilla.

 

Na manhã de 19 de setembro, o Colégio Salesiano Sagrado Coração, em Recife, PE, realizou uma ação intitulada Drive Thru da Saudade. O momento aconteceu no pátio do estacionamento e objetivou reduzir a ansiedade pela volta das aulas presenciais, suspensas desde março, ao promover um reencontro momentâneo entre alunos e professores. Apesar dos estudantes terem permanecido no interior dos veículos e do uso de máscaras de proteção, o dia não deixou de transbordar muita alegria e salesianidade. Além de matar um pouco da saudade, o drive thru também promoveu a Gincana Solidária, uma ação pastoral de arrecadação de alimentos para serem doados a famílias carentes da região.

 

A Comunidade Educativa Pastoral do Colégio do Carmo, em Guaratinguetá, SP, não deixou de comemorar a Festa Junina, de uma forma diferente. Os festejos aconteceram no dia 26 de junho, e as famílias e comunidade puderam participar de duas formas: a primeira por meio do envio de vídeos, fotos e/ou textos com danças, selfies, avatares, poemas e cantinho junino. A segunda possibilidade de participação foi por meio da reserva de um “Kit Junino” para ser retirado no colégio, em horário agendado, na modalidade drive thru, seguindo todas as recomendações de segurança.

 

Durante os meses de agosto e setembro, o Colégio Salesiano do Salvador, em Salvador, BA, promoveu o “Webinar Profissões”, encontros virtuais com o objetivo de ampliar o conhecimento dos alunos do ensino médio acerca do seu futuro profissional, proporcionando informações referentes aos vestibulares, cursos superiores e oportunidades para o mercado de trabalho das diversas áreas do conhecimento. Além de bate-papos sobre os tradicionais cursos de ensino superior e técnico, como Medicina, Direito, Engenharias e Licenciaturas, o projeto ofertou também diálogos sobre as profissões que estão surgindo na contemporaneidade, como fruto do processo de globalização e avanço tecnológico.

 

Testemunhos de esperança

Padres, Irmãs, professores, coordenadores e diretores das escolas salesianas respondem “Como, em 2020, mantiveram acesa a chama da esperança”. Confira AQUI!

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.