Salesiano recebe prêmio de ‘Embaixador da Paz’

Thursday, 28 November 2019 17:38 Written by  Agência Info Salesiana
O prêmio será entregue no dia 9 de dezembro em Nova Déli, na presença de convidados de todo o país e do exterior.


O Conselho Internacional dos Direitos Humanos, sediado em Déli, na Índia, anunciou a entrega do prêmio ‘Embaixador da Paz’ ao arcebispo emérito de Guwahati, o salesiano monsenhor Thomas Menamparampil.

O prêmio será entregue no dia 9 de dezembro em Nova Déli, na presença de convidados de todo o país e do exterior. Entre as personalidades que receberam o mesmo prêmio, em 2018, está o Dalai Lama.

O Conselho Internacional de Direitos Humanos é uma das principais organizações independentes de direitos humanos do mundo. Focalizando sua atenção onde os direitos humanos são violados, a organização dá voz aos oprimidos e exorta os opressores a assumirem a responsabilidade por seus crimes.

Surpreso com a notícia, o prelado dedicou o reconhecimento aos membros de sua equipe: “Nunca trabalhei para prêmios. Sou a última pessoa a se preocupar com essas coisas, mas as aceito quando elas acontecem, como um incentivo aos meus colegas, que são os verdadeiros vencedores ", afirmou.

Além de ser homem da Igreja, monsenhor Menamparampil sempre acreditou, firmemente, no ativismo social e na construção da paz e da harmonia social: "A paz vem quando todos reconhecemos que precisamos um do outro", repete.

Dom Menamparampil é uma figura-chave no processo de paz na Índia, particularmente entre os grupos étnicos do estado de Assam, no Nordeste da Índia. Para ele, o melhor método de evangelizar na Ásia é "sussurrar o Evangelho na alma da Ásia", tornando-se mediador entre as várias posições e culturas e promotor de um diálogo sincero entre as partes, o que só pode acontecer através do conhecimento mútuo, respeito e através de uma "sugestão de simpatia no coração".

"Estive envolvido em todas essas [atividades de pacificação] em 1996, quando quase 250 mil pessoas foram forçadas a fugir para campos de ajuda humanitária em torno de Kokrajhar, depois de perderem seus entes queridos e seus pertences, lembra o arcebispo emérito de Guwahati. Felizmente, outras pessoas que pensaram como eu, de diferentes igrejas e comunidades, se reuniram para ajudá-las. Foi um esforço coletivo de ação comum". Então, com o incentivo e apoio do governo do estado e da opinião pública, os esforços de assistência avançaram e um clima de paz foi restaurado.

Foi nessa ocasião que nasceu a ‘Equipe Conjunta de Missão de Paz’ que ele estava entre os promotores e com quem ainda trabalha hoje, para apoiar a harmonia local. Para ele, a paz é possível, através da oração e do compromisso, em todos os contextos e níveis.

"Depois dessa experiência, ele continua, fui chamado para ajudar em vários outros casos de conflitos na região, onde a violência étnica custou várias vidas humanas, destruiu casas e causou imenso sofrimento à população". As iniciativas de paz patrocinadas pelos salesianos cobriram muitas áreas de conflito étnico no Nordeste da Índia, como Churachandpur, Haflong, Diphu, Udalguri, Mendipathar e Sarupathar.

"Minha contribuição foi pequena, ele afirma com humildade, mas aqueles que trabalharam pela paz nesses contextos apreciaram muito nossas iniciativas".

O arcebispo indiano de 83 anos serviu como bispo comum de Guwahati de 1992 a 2012, bem como administrador apostólico de Jowai de 2014 a 2016. Ele havia sido bispo de Dibrugarh por 11 anos e atuou no campo da educação antes de sua nomeação episcopal, trabalhando por muitos anos na Escola Técnica Dom Bosco e no ‘St. Antony ‘, em Shillong. Entre seus ex-alunos, há hoje muitos líderes proeminentes no Nordeste da Índia.

O diálogo e a reconciliação permaneceram os pontos principais de seu trabalho nos vários outros cargos ocupados, incluindo: presidente da Conferência Regional dos Bispos do Nordeste da Índia; presidente da Comissão de Educação e Cultura da Conferência Episcopal Indiana; e presidente do Escritório de Evangelização das Conferências Episcopais da Ásia (FABC).

Ele é frequentemente convidado por várias universidades na Índia e no exterior para falar sobre tópicos como entendimento entre comunidades, reconciliação de memórias históricas e o caminho para a paz.

O monsenhor fez uma contribuição muito útil ao Congresso Mundial de Filósofos, em 2018, em Pequim.

 

Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Salesiano recebe prêmio de ‘Embaixador da Paz’

Thursday, 28 November 2019 17:38 Written by  Agência Info Salesiana
O prêmio será entregue no dia 9 de dezembro em Nova Déli, na presença de convidados de todo o país e do exterior.


O Conselho Internacional dos Direitos Humanos, sediado em Déli, na Índia, anunciou a entrega do prêmio ‘Embaixador da Paz’ ao arcebispo emérito de Guwahati, o salesiano monsenhor Thomas Menamparampil.

O prêmio será entregue no dia 9 de dezembro em Nova Déli, na presença de convidados de todo o país e do exterior. Entre as personalidades que receberam o mesmo prêmio, em 2018, está o Dalai Lama.

O Conselho Internacional de Direitos Humanos é uma das principais organizações independentes de direitos humanos do mundo. Focalizando sua atenção onde os direitos humanos são violados, a organização dá voz aos oprimidos e exorta os opressores a assumirem a responsabilidade por seus crimes.

Surpreso com a notícia, o prelado dedicou o reconhecimento aos membros de sua equipe: “Nunca trabalhei para prêmios. Sou a última pessoa a se preocupar com essas coisas, mas as aceito quando elas acontecem, como um incentivo aos meus colegas, que são os verdadeiros vencedores ", afirmou.

Além de ser homem da Igreja, monsenhor Menamparampil sempre acreditou, firmemente, no ativismo social e na construção da paz e da harmonia social: "A paz vem quando todos reconhecemos que precisamos um do outro", repete.

Dom Menamparampil é uma figura-chave no processo de paz na Índia, particularmente entre os grupos étnicos do estado de Assam, no Nordeste da Índia. Para ele, o melhor método de evangelizar na Ásia é "sussurrar o Evangelho na alma da Ásia", tornando-se mediador entre as várias posições e culturas e promotor de um diálogo sincero entre as partes, o que só pode acontecer através do conhecimento mútuo, respeito e através de uma "sugestão de simpatia no coração".

"Estive envolvido em todas essas [atividades de pacificação] em 1996, quando quase 250 mil pessoas foram forçadas a fugir para campos de ajuda humanitária em torno de Kokrajhar, depois de perderem seus entes queridos e seus pertences, lembra o arcebispo emérito de Guwahati. Felizmente, outras pessoas que pensaram como eu, de diferentes igrejas e comunidades, se reuniram para ajudá-las. Foi um esforço coletivo de ação comum". Então, com o incentivo e apoio do governo do estado e da opinião pública, os esforços de assistência avançaram e um clima de paz foi restaurado.

Foi nessa ocasião que nasceu a ‘Equipe Conjunta de Missão de Paz’ que ele estava entre os promotores e com quem ainda trabalha hoje, para apoiar a harmonia local. Para ele, a paz é possível, através da oração e do compromisso, em todos os contextos e níveis.

"Depois dessa experiência, ele continua, fui chamado para ajudar em vários outros casos de conflitos na região, onde a violência étnica custou várias vidas humanas, destruiu casas e causou imenso sofrimento à população". As iniciativas de paz patrocinadas pelos salesianos cobriram muitas áreas de conflito étnico no Nordeste da Índia, como Churachandpur, Haflong, Diphu, Udalguri, Mendipathar e Sarupathar.

"Minha contribuição foi pequena, ele afirma com humildade, mas aqueles que trabalharam pela paz nesses contextos apreciaram muito nossas iniciativas".

O arcebispo indiano de 83 anos serviu como bispo comum de Guwahati de 1992 a 2012, bem como administrador apostólico de Jowai de 2014 a 2016. Ele havia sido bispo de Dibrugarh por 11 anos e atuou no campo da educação antes de sua nomeação episcopal, trabalhando por muitos anos na Escola Técnica Dom Bosco e no ‘St. Antony ‘, em Shillong. Entre seus ex-alunos, há hoje muitos líderes proeminentes no Nordeste da Índia.

O diálogo e a reconciliação permaneceram os pontos principais de seu trabalho nos vários outros cargos ocupados, incluindo: presidente da Conferência Regional dos Bispos do Nordeste da Índia; presidente da Comissão de Educação e Cultura da Conferência Episcopal Indiana; e presidente do Escritório de Evangelização das Conferências Episcopais da Ásia (FABC).

Ele é frequentemente convidado por várias universidades na Índia e no exterior para falar sobre tópicos como entendimento entre comunidades, reconciliação de memórias históricas e o caminho para a paz.

O monsenhor fez uma contribuição muito útil ao Congresso Mundial de Filósofos, em 2018, em Pequim.

 

Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.