Leigos da Família Salesiana em ação

Thursday, 14 November 2019 14:26 Written by  Agência Info Salesiana
Conheça a história de Cecilia Dörfelt, uma leiga envolvida com a Igreja e a Família Salesiana, que atualmente coordena a Associação Maria Auxiliadora - Juventude da Bolívia.  

 

O Concílio Vaticano II convidou os pastores da Igreja local a "abrir espaços de responsabilidade compartilhada na vida e na missão da Igreja". Dom Bosco, também nisto, foi precursor, porque em seu oratório contou com a ajuda de todos, consagrados e leigos, para levar adiante não apenas as atividades, mas precisamente o carisma.

 

Hoje, na Bolívia, essa sensibilidade está se espalhando. Um exemplo é o caso de Cecilia Dörfelt, leiga envolvida na Igreja e na Família Salesiana, coordenadora da Associação Maria Auxiliadora - Juventude (Juventude ADMA) da Bolívia, recentemente nomeada secretária executiva da Comissão para a Irmandade, órgão da Conferência Episcopal boliviana, responsável pela colaboração com algumas dioceses alemãs em projetos de desenvolvimento no país sul-americano.

 

Cecilia, 30 anos, é a primeira boliviana a assumir essa posição. Seu sobrenome, atípico para onde ela mora, vem de seu avô, que veio da Alemanha, mas ela nasceu e cresceu em Santa Cruz, e isso é testemunhado por seu segundo sobrenome, Vargas. Terceira de quatro irmãos, a única mulher, recebeu dos pais a educação católica e o carisma salesiano, tanto que, em 2018, também pensou em ingressar nas Filhas de Maria Auxiliadora. "Meus pais sempre me disseram que sou salesiana em meu coração ... E quando eu tinha dúvidas vocacionais, eles me disseram para falar com Deus. Minha vida religiosa me intrigou, mas acho que posso aproveitar melhor meus talentos como leiga", disse.

 

"Preparei-me para a minha primeira comunhão na paróquia de Maria Auxiliadora em Santa Cruz, mas depois a recebi em Israel. Assim, sinto que o Senhor sempre me deu muitas coisas e que, de alguma maneira, onde ele me chama para estar, tenho que dar algo mais", acrescentou a coordenadora Nacional da Juventude da ADMA.

 

Catequista da paróquia desde os 11 anos de idade, formada em Engenharia, Cecilia aceitou o desafio deste novo trabalho: "É um trabalho muito interessante e estimulante, mas também um grande desafio. A Comissão existe há 59 anos. Antes de tudo, preciso crescer", diz humildemente, mesmo sabendo que seus estudos e experiência profissional são “um valor agregado para minhas tarefas, principalmente quando se trata de questões econômicas”.

 

Como chefe da Comissão da Irmandade, ela se preocupa principalmente em cultivar os laços entre a Bolívia e as duas dioceses alemãs que se beneficiam de Trier e Hildesheim, e informará os bispos de ambos os países sobre seu trabalho ou quaisquer problemas. Ela também deve manter contato com as 18 dioceses onde estão localizados seus contatos para os vários projetos. "Isso é difícil, é claro, porque a Bolívia é muito grande e cada diocese é diferente. O Oeste da Bolívia é algo muito diferente do Leste”.

 

Os projetos com os quais a Comissão lida são tão numerosos quanto diversos. Existem projetos nacionais, diocesanos e locais. Cecilia admite que é difícil resumir todas as iniciativas apoiadas, mas pode orgulhosamente relatar uma estatística. "Cerca de 80% de todos os projetos sociais na Bolívia são realizados pela Igreja Católica. E estamos envolvidos em 50% desses projetos. Isso é uma indicação da importância do nosso trabalho”.

 

Um projeto que ela visitou recentemente foi a favor das paróquias localizadas na selva e que só podem ser alcançadas pelo rio. A comissão segue o treinamento agrícola nas comunidades, para que possam cultivar a terra de maneira sustentável e, por sua vez, educar outras comunidades ao longo do rio.

 

Outro projeto envolveu a doação direta de 10 mil euros da Diocese de Trier para apoiar o combate a incêndios florestais na região da Amazônia boliviana. "Adquirimos equipamentos de proteção para jovens que lutam contra incêndios, incluindo roupas à prova de fogo, sapatos, máscaras, além de alimentos e medicamentos para as comunidades afetadas pelo incêndio. Porque aqui quando um incêndio começa, eles apagam como estão: de jeans, camiseta e chinelos”.

 

Atualmente, Cecilia participa com os representantes das dioceses de Trier e Hildesheim no processo de avaliação das diretrizes dos últimos dez anos e na definição das novas diretrizes para a gestão 2020-2030. E, olhando para o futuro, ela já está trabalhando na preparação do jubileu para os 60 anos de colaboração.

 

 

Fonte: Agência Info Salesiana

 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 14 November 2019 14:37

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Leigos da Família Salesiana em ação

Thursday, 14 November 2019 14:26 Written by  Agência Info Salesiana
Conheça a história de Cecilia Dörfelt, uma leiga envolvida com a Igreja e a Família Salesiana, que atualmente coordena a Associação Maria Auxiliadora - Juventude da Bolívia.  

 

O Concílio Vaticano II convidou os pastores da Igreja local a "abrir espaços de responsabilidade compartilhada na vida e na missão da Igreja". Dom Bosco, também nisto, foi precursor, porque em seu oratório contou com a ajuda de todos, consagrados e leigos, para levar adiante não apenas as atividades, mas precisamente o carisma.

 

Hoje, na Bolívia, essa sensibilidade está se espalhando. Um exemplo é o caso de Cecilia Dörfelt, leiga envolvida na Igreja e na Família Salesiana, coordenadora da Associação Maria Auxiliadora - Juventude (Juventude ADMA) da Bolívia, recentemente nomeada secretária executiva da Comissão para a Irmandade, órgão da Conferência Episcopal boliviana, responsável pela colaboração com algumas dioceses alemãs em projetos de desenvolvimento no país sul-americano.

 

Cecilia, 30 anos, é a primeira boliviana a assumir essa posição. Seu sobrenome, atípico para onde ela mora, vem de seu avô, que veio da Alemanha, mas ela nasceu e cresceu em Santa Cruz, e isso é testemunhado por seu segundo sobrenome, Vargas. Terceira de quatro irmãos, a única mulher, recebeu dos pais a educação católica e o carisma salesiano, tanto que, em 2018, também pensou em ingressar nas Filhas de Maria Auxiliadora. "Meus pais sempre me disseram que sou salesiana em meu coração ... E quando eu tinha dúvidas vocacionais, eles me disseram para falar com Deus. Minha vida religiosa me intrigou, mas acho que posso aproveitar melhor meus talentos como leiga", disse.

 

"Preparei-me para a minha primeira comunhão na paróquia de Maria Auxiliadora em Santa Cruz, mas depois a recebi em Israel. Assim, sinto que o Senhor sempre me deu muitas coisas e que, de alguma maneira, onde ele me chama para estar, tenho que dar algo mais", acrescentou a coordenadora Nacional da Juventude da ADMA.

 

Catequista da paróquia desde os 11 anos de idade, formada em Engenharia, Cecilia aceitou o desafio deste novo trabalho: "É um trabalho muito interessante e estimulante, mas também um grande desafio. A Comissão existe há 59 anos. Antes de tudo, preciso crescer", diz humildemente, mesmo sabendo que seus estudos e experiência profissional são “um valor agregado para minhas tarefas, principalmente quando se trata de questões econômicas”.

 

Como chefe da Comissão da Irmandade, ela se preocupa principalmente em cultivar os laços entre a Bolívia e as duas dioceses alemãs que se beneficiam de Trier e Hildesheim, e informará os bispos de ambos os países sobre seu trabalho ou quaisquer problemas. Ela também deve manter contato com as 18 dioceses onde estão localizados seus contatos para os vários projetos. "Isso é difícil, é claro, porque a Bolívia é muito grande e cada diocese é diferente. O Oeste da Bolívia é algo muito diferente do Leste”.

 

Os projetos com os quais a Comissão lida são tão numerosos quanto diversos. Existem projetos nacionais, diocesanos e locais. Cecilia admite que é difícil resumir todas as iniciativas apoiadas, mas pode orgulhosamente relatar uma estatística. "Cerca de 80% de todos os projetos sociais na Bolívia são realizados pela Igreja Católica. E estamos envolvidos em 50% desses projetos. Isso é uma indicação da importância do nosso trabalho”.

 

Um projeto que ela visitou recentemente foi a favor das paróquias localizadas na selva e que só podem ser alcançadas pelo rio. A comissão segue o treinamento agrícola nas comunidades, para que possam cultivar a terra de maneira sustentável e, por sua vez, educar outras comunidades ao longo do rio.

 

Outro projeto envolveu a doação direta de 10 mil euros da Diocese de Trier para apoiar o combate a incêndios florestais na região da Amazônia boliviana. "Adquirimos equipamentos de proteção para jovens que lutam contra incêndios, incluindo roupas à prova de fogo, sapatos, máscaras, além de alimentos e medicamentos para as comunidades afetadas pelo incêndio. Porque aqui quando um incêndio começa, eles apagam como estão: de jeans, camiseta e chinelos”.

 

Atualmente, Cecilia participa com os representantes das dioceses de Trier e Hildesheim no processo de avaliação das diretrizes dos últimos dez anos e na definição das novas diretrizes para a gestão 2020-2030. E, olhando para o futuro, ela já está trabalhando na preparação do jubileu para os 60 anos de colaboração.

 

 

Fonte: Agência Info Salesiana

 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 14 November 2019 14:37

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.