A Estreia 2019 traduzida em cordel

Wednesday, 17 July 2019 12:06 Written by  Pe. Valdemar Pereira dos Santos, SDB
O padre Ángel Artime Reitor-mor salesiano Lançando mais uma Estreia No início deste ano, Fala com profundidade Que a meta à Santidade É pra todo ser humano.  

Começa dizendo assim,

Com serena precisão:

“Ser santo e a primeira

E mais urgente ocupação

De quem vive bem o bem”,

De quem procura também

Ser totalmente cristão.

 

Deus nos chama a trilhar

O caminho da santidade

Por meio de gestos simples

Dentro da comunidade.

“Ninguém se salva sozinho...”

É junto com meu vizinho

Que busco a felicidade.

 

Ser santo não significa

Ser um “extraordinário”,

Mas viver unido a Cristo

Cumprindo o itinerário

De “um normal e bom cristão.

Sendo honesto cidadão”

Todo tempo e em todo horário.

 

Dom Bosco sempre ensinava

Aos meninos do oratório

Que ser santo é muito simples,

Nada de extraordinário.

É só viver na alegria

E cumprir no dia a dia

Os deveres ordinários.

 

Estudar, raciocinar,

A fim de se instruir,

Para merecer as bênçãos

E dos perigos fugir,

Oração, trabalho e fé...

Ajudam ficar em pé

Se por acaso cair!

 

É claro, às vezes erramos,

Mas precisamos mudar,

Largar o hábito do erro

Para a vida renovar.

Compreender e servir,

Voltar de novo a sorrir

Se algo leva a chorar.

 

A oração favorece

E gera renovação

Das ideias e da mente,

Do corpo e do coração.

Quem reza se fortifica,

Quem não reza debilita

A própria vida e a missão.

 

Ser santo é ser capaz

De viver na alegria,

Cultivando o bom humor,

Na tormenta ou na harmonia.

Se vier a amargura,

Ponha um pouco de doçura,

Fuja da melancolia.

 

O Reitor-mor nos pergunta:

“Que significa dizer,

A santidade é para todos

Logo, é também para você”?

Se a gente bem pensar

Nem é preciso rimar

Para poder responder.

 

Sou chamado à santidade

Porque eu sou um cristão.

“E nem precisa ser bispo,

Sacerdote ou ermitão...”

Basta mesmo entender

Que ser santo é viver

Uma vida em doação.

 

Caminhar pra santidade

É algo fundamental.

É mirar para as alturas

Sem temer o vendaval,

Que sacode fortemente,

O coração e a mente...

E ser firme no ideal.

 

Aspirar a santidade

É ter meta a colimar.

Quem caminha para Deus

Não deve querer parar.

 

O exemplo de Jesus

Levando o peso da cruz,

Nos anima a caminhar...

 

Essa Estreia trouxe tudo

Para nos encorajar

A viver a nossa fé

Custe lá o que custar.

 

Chamados à santidade,

A maior felicidade,

Que devemos conquistr!

 

Somos todos convidados

A pôr em prática e ação

A mensagem desta Estreia,

Aceitando a dimensão

Do seu rico conteúdo,

Que eu troquei em miúdo...

Sem nenhuma pretensão!

 

Peço ao nosso Reitor-mor

Desculpar minh’ousadia

Por tentar fazer d’Estreia

Esta humilde poesia.

 

Eu a fiz com muito gosto,

Com as bênçãos de Dom Bosco

E da Santa Mãe Maria.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


A Estreia 2019 traduzida em cordel

Wednesday, 17 July 2019 12:06 Written by  Pe. Valdemar Pereira dos Santos, SDB
O padre Ángel Artime Reitor-mor salesiano Lançando mais uma Estreia No início deste ano, Fala com profundidade Que a meta à Santidade É pra todo ser humano.  

Começa dizendo assim,

Com serena precisão:

“Ser santo e a primeira

E mais urgente ocupação

De quem vive bem o bem”,

De quem procura também

Ser totalmente cristão.

 

Deus nos chama a trilhar

O caminho da santidade

Por meio de gestos simples

Dentro da comunidade.

“Ninguém se salva sozinho...”

É junto com meu vizinho

Que busco a felicidade.

 

Ser santo não significa

Ser um “extraordinário”,

Mas viver unido a Cristo

Cumprindo o itinerário

De “um normal e bom cristão.

Sendo honesto cidadão”

Todo tempo e em todo horário.

 

Dom Bosco sempre ensinava

Aos meninos do oratório

Que ser santo é muito simples,

Nada de extraordinário.

É só viver na alegria

E cumprir no dia a dia

Os deveres ordinários.

 

Estudar, raciocinar,

A fim de se instruir,

Para merecer as bênçãos

E dos perigos fugir,

Oração, trabalho e fé...

Ajudam ficar em pé

Se por acaso cair!

 

É claro, às vezes erramos,

Mas precisamos mudar,

Largar o hábito do erro

Para a vida renovar.

Compreender e servir,

Voltar de novo a sorrir

Se algo leva a chorar.

 

A oração favorece

E gera renovação

Das ideias e da mente,

Do corpo e do coração.

Quem reza se fortifica,

Quem não reza debilita

A própria vida e a missão.

 

Ser santo é ser capaz

De viver na alegria,

Cultivando o bom humor,

Na tormenta ou na harmonia.

Se vier a amargura,

Ponha um pouco de doçura,

Fuja da melancolia.

 

O Reitor-mor nos pergunta:

“Que significa dizer,

A santidade é para todos

Logo, é também para você”?

Se a gente bem pensar

Nem é preciso rimar

Para poder responder.

 

Sou chamado à santidade

Porque eu sou um cristão.

“E nem precisa ser bispo,

Sacerdote ou ermitão...”

Basta mesmo entender

Que ser santo é viver

Uma vida em doação.

 

Caminhar pra santidade

É algo fundamental.

É mirar para as alturas

Sem temer o vendaval,

Que sacode fortemente,

O coração e a mente...

E ser firme no ideal.

 

Aspirar a santidade

É ter meta a colimar.

Quem caminha para Deus

Não deve querer parar.

 

O exemplo de Jesus

Levando o peso da cruz,

Nos anima a caminhar...

 

Essa Estreia trouxe tudo

Para nos encorajar

A viver a nossa fé

Custe lá o que custar.

 

Chamados à santidade,

A maior felicidade,

Que devemos conquistr!

 

Somos todos convidados

A pôr em prática e ação

A mensagem desta Estreia,

Aceitando a dimensão

Do seu rico conteúdo,

Que eu troquei em miúdo...

Sem nenhuma pretensão!

 

Peço ao nosso Reitor-mor

Desculpar minh’ousadia

Por tentar fazer d’Estreia

Esta humilde poesia.

 

Eu a fiz com muito gosto,

Com as bênçãos de Dom Bosco

E da Santa Mãe Maria.

Rate this item
(0 votes)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.