Irmã Mariluce dos Santos Mesquita, FMA, é uma das brasileiras que participa do Sínodo para a Amazônia como auditora. Indígena da etnia Bará, do grupo linguístico Tukano, atualmente é a coordenadora da Comunidade das FMA na Missão de Taracuá, às margens do Rio Uaupés, no extremo noroeste do Amazonas. Em entrevista ao Boletim Salesiano, ela fala sobre vocação, protagonismo juvenil, missão e carisma salesiano, na perspectiva de um Sínodo que traz esperança e transformação para a Igreja na Amazônia.  
Publicado em Dom Bosco Hoje
A Família Salesiana está a serviço de 62 etnias indígenas diferentes na região Pan-Amazônica, onde são atendidas mais de 600 mil pessoas, sendo a maior parte composta por jovens. Estes são alguns dados sobre a presença salesiana atualmente na Amazônia, coletados em um levantamento feito em 2018, celebrando os 125 anos de chegada dos primeiros missionários salesianos na região.  
Publicado em Salesianidade
Irmã Mariluce dos Santos Mesquita, FMA, é uma das brasileiras que participa do Sínodo para a Amazônia como auditora. Indígena da etnia Bará, do grupo linguístico Tukano, atualmente é a coordenadora da Comunidade das FMA na Missão de Taracuá, às margens do Rio Uaupés, no extremo noroeste do Amazonas. Em entrevista ao Boletim Salesiano, ela fala sobre vocação, protagonismo juvenil, missão e carisma salesiano, na perspectiva de um Sínodo que traz esperança e transformação para a Igreja na Amazônia.  
Publicado em Dom Bosco Hoje
A Família Salesiana está a serviço de 62 etnias indígenas diferentes na região Pan-Amazônica, onde são atendidas mais de 600 mil pessoas, sendo a maior parte composta por jovens. Estes são alguns dados sobre a presença salesiana atualmente na Amazônia, coletados em um levantamento feito em 2018, celebrando os 125 anos de chegada dos primeiros missionários salesianos na região.  
Publicado em Salesianidade