‘Aprendizagem sim, trabalho infantil não’, foi o grito de guerra pronunciado na Marcha.
Publicado em Ação Social
O Instituto Nossa Senhora Auxiliadora de Araras, São Paulo, se destacou no Torneio Nacional da First Lego League, realizado em Brasília, Distrito Federal, nos dias 21 a 23 de fevereiro.
Publicado em Nacionais
  Enquanto em Adis-Abeba, Etiópia, prosseguem o diálogo entre as duas partes em conflito, no Sudão do Sul a situação da população continua crítica.   No campo das Nações Unidas, em Juba, capital do Sudão do Sul, as estruturas de acolhimento aos refugiados já estão no limite. Atualmente ali se encontram também cerca de 200 paroquianos da obra salesiana, que sofrem pela falta de comida e pelas precárias condições higiênico-sanitárias. Os salesianos e as Irmãs da Caridade de Jesus foram visitá-los, expendendo cuidados médicos e partilhando o pouco do quanto era possível partilhar, visto que na escola secundária da obra salesiana ainda continuam cerca de 200/250 refugiados, em sua maioria crianças e mulheres, entre as quais algumas grávidas.   Entre esses refugiados há até quem tenha caminhado dez dias antes de achar um pouco de refúgio. E cada um tem a sua triste história para contar. Para alguns não sobrou nada: estão sem dinheiro, sem comida e com a roupa que levam no corpo... Há quem teve de jejuar por dias e dias durante a viagem, recebendo alguma pequena ajuda dos comerciantes ou da gente com quem cruzavam pelo caminho.   Visto que a situação no Sudão do Sul ainda está muito instável, são muitos também aqueles que vão para o Quênia. Na terça-feira, 7 de janeiro, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR) acompanhou três caminhões e um ônibus até Nadapal, nos limites com o Quênia, com a intenção de transportar os refugiados ao campo de Kakuma. Mas tanto o UNHCR quanto as outras agências internacionais estão esmagadas sob a mole de necessidades: não há veículos suficientes para todos e falta também comida, roupa e locais de acolhida…   Na quarta-feira, 8 de janeiro, alguns salesianos foram a Mogiri, a 30 km de Juba, mas demoraram 3 horas para chegar, por conta da péssima condição da estrada. Ao longo do caminho, à exceção de dois cadáveres abandonados, não viram uma “alma viva”. Uma vez em Juba, observaram como a maior parte do povo prefere fugir para o mato: “Estamos com medo, padre; a morte pode visitar-nos a qualquer momento” – disse um deles, aterrorizado. Qualquer disparo ou mesmo ruído de carro os amedronta; saíram para receber um pouco de comida das mãos dos salesianos, mas logo em seguida voltaram para a mata, porque mais segura, porque, seja como for, alguma coisa para comer sempre se pode achar... Alguns militares desaconselharam os salesianos a voltar a Juba: consideram-na lugar não-seguro. “Mogiri perdeu tudo: negócios, transportes... Não há mais nada…Quando acabará tudo isto?” – perguntam-se os refugiados na comunidade salesiana.   InfoANS   Leia também:  Quênia - Milhares os refugiados às portas de Kakuma Notícia relacionada: Sudão do Sul é tomada por onda de confrontos
Publicado em Missões
A PUC Minas lança pós-graduação lato sensu na modalidade semipresencial, com foco na formação de professores. As inscrições podem ser feitas até 25 de novembro pelo site www.pucminas.br/pos-semipresencial/2014-01. O investimento para cada um dos cursos é 24 parcelas de R$ 290.
Publicado em Nacionais
Em 31 de dezembro de 2012 o número de Salesianos no mundo era de 15.494, espalhados em 132 países dos cinco Continentes. É o que atestam as estatísticas elaboradas pelo padre Francesco Maraccani, procurador geral da Congregação Salesiana, e difundidas, por tradição, no final da sessão plenária invernal, do Conselho Geral, encerrada no último dia 25 de janeiro.   O número total faz referência à soma dos professos salesianos (15.014, dos quais 121 bispos) com os noviços (480), e registra um leve declínio relativamente ao ano anterior, 2011, quando a presença salesiana global apontava 15.560 unidades.   Estável, ao invés, a tendência no que se refere à presença numérica subdividida por regiões: em 2012, tal como em 2011, o número dos Salesianos – dado pela soma dos professos e dos noviços – cresceu nas regiões Ásia Sul (+51), África-Madagascar (+30) e Ásia Leste-Oceânia (+10), enquanto que as demais registraram um saldo negativo mais ou menos acentuado.   Quanto aos noviços, assinala-se certa recuperação, com 65 ingressos a mais nos noviciados salesianos relativamente a 2011: de 415 se passa a 480, um dado em linha com os valores médios dos anos precedentes a 2011 (quando os ingressos mostraram um nítido decréscimo).   O aumento dos noviços, de resto, além de referir-se às três regiões já indicadas no absoluto ativo, interessa também à Interamérica e à Itália-Oriente Médio.   No interior do segmento dos professos cresce a porcentagem dos salesianos coadjutores relativamente à dos salesianos presbíteros. Os primeiros, de fato, passam de 1.609 a 1.824 salesianos; os segundos descem de 10.433 a 10.374.   Mudanças se evidenciam também no que se refere às estruturas de presença salesiana no mundo. Em 2012 as circunscrições tornaram-se 90 (uma a mais que em 2011): foi fechada a Circunscrição Europa do LESTE e foram erigidas a nova Circunscrição da Ucrânia Greco-Católica (UKR) e, na Índia, a Inspetoria de Silchar (INS), desmembrada da de Guwahati (ING).   Também o número dos países em que Filhos de Dom Bosco estão presentes, aumentou de uma unidade relativamente a 2011, passando de 131 a 132.   No site sdb.org é possível consultar com mais detalhes os dados estatísticos.   InfoANS  
Publicado em Internacionais
‘Aprendizagem sim, trabalho infantil não’, foi o grito de guerra pronunciado na Marcha.
Publicado em Ação Social
O Instituto Nossa Senhora Auxiliadora de Araras, São Paulo, se destacou no Torneio Nacional da First Lego League, realizado em Brasília, Distrito Federal, nos dias 21 a 23 de fevereiro.
Publicado em Nacionais
  Enquanto em Adis-Abeba, Etiópia, prosseguem o diálogo entre as duas partes em conflito, no Sudão do Sul a situação da população continua crítica.   No campo das Nações Unidas, em Juba, capital do Sudão do Sul, as estruturas de acolhimento aos refugiados já estão no limite. Atualmente ali se encontram também cerca de 200 paroquianos da obra salesiana, que sofrem pela falta de comida e pelas precárias condições higiênico-sanitárias. Os salesianos e as Irmãs da Caridade de Jesus foram visitá-los, expendendo cuidados médicos e partilhando o pouco do quanto era possível partilhar, visto que na escola secundária da obra salesiana ainda continuam cerca de 200/250 refugiados, em sua maioria crianças e mulheres, entre as quais algumas grávidas.   Entre esses refugiados há até quem tenha caminhado dez dias antes de achar um pouco de refúgio. E cada um tem a sua triste história para contar. Para alguns não sobrou nada: estão sem dinheiro, sem comida e com a roupa que levam no corpo... Há quem teve de jejuar por dias e dias durante a viagem, recebendo alguma pequena ajuda dos comerciantes ou da gente com quem cruzavam pelo caminho.   Visto que a situação no Sudão do Sul ainda está muito instável, são muitos também aqueles que vão para o Quênia. Na terça-feira, 7 de janeiro, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (UNHCR) acompanhou três caminhões e um ônibus até Nadapal, nos limites com o Quênia, com a intenção de transportar os refugiados ao campo de Kakuma. Mas tanto o UNHCR quanto as outras agências internacionais estão esmagadas sob a mole de necessidades: não há veículos suficientes para todos e falta também comida, roupa e locais de acolhida…   Na quarta-feira, 8 de janeiro, alguns salesianos foram a Mogiri, a 30 km de Juba, mas demoraram 3 horas para chegar, por conta da péssima condição da estrada. Ao longo do caminho, à exceção de dois cadáveres abandonados, não viram uma “alma viva”. Uma vez em Juba, observaram como a maior parte do povo prefere fugir para o mato: “Estamos com medo, padre; a morte pode visitar-nos a qualquer momento” – disse um deles, aterrorizado. Qualquer disparo ou mesmo ruído de carro os amedronta; saíram para receber um pouco de comida das mãos dos salesianos, mas logo em seguida voltaram para a mata, porque mais segura, porque, seja como for, alguma coisa para comer sempre se pode achar... Alguns militares desaconselharam os salesianos a voltar a Juba: consideram-na lugar não-seguro. “Mogiri perdeu tudo: negócios, transportes... Não há mais nada…Quando acabará tudo isto?” – perguntam-se os refugiados na comunidade salesiana.   InfoANS   Leia também:  Quênia - Milhares os refugiados às portas de Kakuma Notícia relacionada: Sudão do Sul é tomada por onda de confrontos
Publicado em Missões
A PUC Minas lança pós-graduação lato sensu na modalidade semipresencial, com foco na formação de professores. As inscrições podem ser feitas até 25 de novembro pelo site www.pucminas.br/pos-semipresencial/2014-01. O investimento para cada um dos cursos é 24 parcelas de R$ 290.
Publicado em Nacionais
Em 31 de dezembro de 2012 o número de Salesianos no mundo era de 15.494, espalhados em 132 países dos cinco Continentes. É o que atestam as estatísticas elaboradas pelo padre Francesco Maraccani, procurador geral da Congregação Salesiana, e difundidas, por tradição, no final da sessão plenária invernal, do Conselho Geral, encerrada no último dia 25 de janeiro.   O número total faz referência à soma dos professos salesianos (15.014, dos quais 121 bispos) com os noviços (480), e registra um leve declínio relativamente ao ano anterior, 2011, quando a presença salesiana global apontava 15.560 unidades.   Estável, ao invés, a tendência no que se refere à presença numérica subdividida por regiões: em 2012, tal como em 2011, o número dos Salesianos – dado pela soma dos professos e dos noviços – cresceu nas regiões Ásia Sul (+51), África-Madagascar (+30) e Ásia Leste-Oceânia (+10), enquanto que as demais registraram um saldo negativo mais ou menos acentuado.   Quanto aos noviços, assinala-se certa recuperação, com 65 ingressos a mais nos noviciados salesianos relativamente a 2011: de 415 se passa a 480, um dado em linha com os valores médios dos anos precedentes a 2011 (quando os ingressos mostraram um nítido decréscimo).   O aumento dos noviços, de resto, além de referir-se às três regiões já indicadas no absoluto ativo, interessa também à Interamérica e à Itália-Oriente Médio.   No interior do segmento dos professos cresce a porcentagem dos salesianos coadjutores relativamente à dos salesianos presbíteros. Os primeiros, de fato, passam de 1.609 a 1.824 salesianos; os segundos descem de 10.433 a 10.374.   Mudanças se evidenciam também no que se refere às estruturas de presença salesiana no mundo. Em 2012 as circunscrições tornaram-se 90 (uma a mais que em 2011): foi fechada a Circunscrição Europa do LESTE e foram erigidas a nova Circunscrição da Ucrânia Greco-Católica (UKR) e, na Índia, a Inspetoria de Silchar (INS), desmembrada da de Guwahati (ING).   Também o número dos países em que Filhos de Dom Bosco estão presentes, aumentou de uma unidade relativamente a 2011, passando de 131 a 132.   No site sdb.org é possível consultar com mais detalhes os dados estatísticos.   InfoANS  
Publicado em Internacionais