Você tem uma história para contar? A Editora Edebê quer transformá-la em livro, então aproveite essa oportunidade!
Published in Comunicação
Junto com os muitos refugiados que fogem da violência na Síria, chegou nestes dias ao Líbano um peregrino de paz e esperança: Dom Bosco. A urna com a relíquia do Santo entrou no País dos Cedros, no último dia 31 de agosto, depois de visitar dezenas de nações por todos os cinco continentes. A presença da urna será celebrada pela Família Salesiana, que está presente no país com os Salesianos de Dom Bosco (SDB), Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) e Salesianos Cooperadores. “Será um momento importante, não só para nós, salesianos, mas para todos os cristãos” – disse o diretor da comunidade salesiana do Líbano, padre Karmi Samaan. No momento a urna está de passagem pela Casa de El Houssoun e depois irá também às cidades de Ehden e Kahalé. No dia 7 de setembro, a urna será encaminhada para o Santuário Mariano Nacional de Harissa, onde o patriarca maronita, cardeal Bechara Rai, presidirá a celebração eucarística solene. No dia 8 de setembro, a urna chegará a Fidar e no dia seguinte será venerada no Santuário de São Charbel, um dos santos mais amados no país. InfoANS
Published in Internacionais
Os alunos dos Colégios Dom Bosco Assunção, Dom Bosco Cidade Alta e Oratório São Mario - em Piracicaba, participaram na última sexta-feira, 16 de agosto, das comemorações pelos 198 anos do nascimento de Dom Bosco.
Published in Nacionais
  A PUC Minas está pronta para receber a segunda edição do Congresso Mundial de Universidades Católicas (CMUC), evento que ocorrerá no campus Coração Eucarístico, em Belo Horizonte, entre os dias 18 e 21 de julho, antecedendo a 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ), marcada para a semana seguinte no Rio de Janeiro. Aproximadamente 2.000 estudiosos, professores e alunos de instituições católicas de ensino superior e pastorais de todo o mundo se reunirão durante os quatro dias de evento para compartilhar experiências e debater assuntos sobre as grandes mudanças da realidade. Estão confirmadas as participações de instituições de vários países, como Argentina, Chile, Espanha, Eslováquia e Peru.
Published in Nacionais
  Com a aproximação da Jornada Mundial da Juventude todos os fiéis do Brasil e do mundo são convidados a entrar em comunhão com a preparação da JMJ Rio2013. Como gesto concreto, o dia 11 de julho será o Dia de Oração pela Jornada Mundial da Juventude.   A proposta é de união pela oração por todos os organizadores e participantes da JMJ, com a participação de todos aqueles que apoiam e desejam o bom êxito deste, que será um dos maiores eventos católicos do mundo. A JMJ espera reunir jovens de várias partes do mundo no Rio de Janeiro entre os dias 23 a 28 de julho, com a presença do Papa Francisco.   Essa união pode ocorrer na forma de missas, rosários, adorações, devoções e muitas outras práticas de piedade oferecidas em comunhão com a Igreja pela realização do evento. As comunidades podem se reunir para realizar estes momentos de oração, ou cada um em sua casa, trabalho, estudo, pode oferecer seu “sacrifício de louvor” para que a JMJ seja um momento fecundo para a vida da Igreja no Brasil e no mundo.   As mais variadas expressões juvenis, pastorais, movimentos, novas comunidades e congregações são convidadas a manifestarem, na diversidades de seus carismas e espiritualidades, sua oração pela JMJ.   Os jovens em sua criatividade, são convidados a compartilharem nas redes sociais suas manifestações de comunhão ao Dia de Oração pela JMJ, compartilhando no dia 11, a partir das 15h no Twitter, Facebook, Instagram e demais redes a hashtag “#RezepelaJMJ”. Fora do Brasil já está sendo usada a hashtag #Pray4WYD. Uma das formas de participar é por meio do site May Feelings.   Também os jovens de outros países que estão conectados à JMJ são convidados a se unirem à Igreja do Brasil para este momento de comunhão espiritual.   O objetivo desde Dia de Oração pela JMJ é promover a unidade das pessoas envolvidas no evento e manifestar a solidariedade e comunhão para as milhares de pessoas que estão ardorosamente trabalhando para que o evento aconteça da melhor maneira possível, bem como rezar por todos os peregrinos que estarão em viagem no Brasil e no mundo inteiro, rumo ao Rio de Janeiro para participar do evento, e por todos os cariocas que acolherão de coração aberto o povo de Deus  em sua cidade.   Jovens Conectados
Published in Nacionais
  Os alunos do Ensino Médio dos colégios salesianos do Vale do Paraíba receberam na última semana, 17 a 21 de junho, os resultados obtidos no segundo Simuladão conjunto do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   As provas foram realizadas nos dias 28 e 29 de maio no Colégio São Joaquim, em Lorena, São Paulo, e participaram alunos do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (INSA-Oratório) de Cruzeiro, Colégio São Joaquim e Instituto Santa Teresa de Lorena e Instituto Nossa Senhora do Carmo, de Guaratinguetá. Os alunos do Instituto São José, de São José dos Campos, também participaram do simulado, mas por causa da distância, realizaram os exames no próprio colégio.     Os exercícios das provas foram no estilo do ENEM. Entregues em caderno de questões, elaborados pelos professores das próprias escolas envolvidas, cada uma se encarregando de uma ou duas matérias, contemplavam os conteúdos programados até o final do primeiro trimestre do terceiro ano do material da Rede Salesiana de Escolas (RSE).   No primeiro dia de avaliação foram aplicadas 90 questões das disciplinas “Ciências Humanas e Suas Tecnologias” e de “Ciências da Natureza e Suas Tecnologias”. No segundo dia, outras 90 questões de “Linguagem e Matemática” e uma redação. As respostas às questões objetivas, respondidas em cartão para leitura ótica, foram corrigidas pela Unidade Lorena do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). As correções das redações foram realizadas por professores de um colégio externo, para que o aluno se prepare para ser analisado por um corretor desconhecido.   O Simuladão foi obrigatório para os alunos do terceiro ano. Já os alunos do primeiro e segundo anos foram apenas convidados a participarem das provas. Para eles, as provas representaram um desafio, já que foram baseadas em conteúdos que só verão no último ano do Ensino Médio. A participação desse público, porém, superou os 90%. O resultado obtido nesse Simuladão será incorporado à nota do segundo trimestre conforme os critérios internos de cada escola.   Essa é a segunda vez que essas escolas realizam esse tipo de simulado. A primeira foi no ano de 2012. A avaliação é de que fazer um Simuladão conjunto na forma presencial acrescenta uma descarga de adrenalina diferente, que não se assemelha aos simulados que realizados nas próprias escolas. Além disso, ajuda polarizar os alunos da Rede Salesiana de Escolas para os vestibulares, questão em torno da qual a concorrência insiste com toda a força e dá visibilidade aos alunos e professores para a grandeza da RSE, muito maior que cada escola em particular.    Fruto dessa avaliação, diretores, ecônomos e coordenadores dessas escolas, já no ano passado, decidiram fazer um simulado semelhante no segundo semestre deste ano também para os alunos do oitavo e nono anos do ensino fundamental.   O Simuladão não redunda em um ranqueamento entre as escolas, mas os resultados de cada escola são cotejados e discutidos nas reuniões conjuntas entre as diretorias e as coordenações dos colégios.   Com informações do padre Ailton dos Santos
Published in Nacionais
Mais de 900 emissoras brasileiras transmitirão a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro de 16 a 28 de julho. Centralizadas na Rádio Catedral Fm do Rio de Janeiro, que será a geradora de conteúdos e  programação da JMJ, a Rede Católica de Rádio, RCR,  formarão  um sistema de comunicação de transmissão, ao vivo, da programação exclusiva da Jornada Mundial da Juventude para o Brasil durante os dias 16 a 20, Semana Missionária; de 23 a 28 de julho a Jornada Mundial da Juventude.   Serão cerca de 40 jornalistas de emissoras das bases geradoras Rede Sul de Rádios, Rádio Canção Nova, Rádio Difusora de Goiânia, Rádio Milícia da Imaculada, Rádio Aparecida, Rádio Evangelizar é Preciso  e emissoras da RCR, que prestarão serviço ao ouvinte, atualizando e informando passo a passo da JMJRio2013. Desde a chegada oficial dos peregrinos; Missa de Abertura, em Copacabana; Festival da Juventude em vários pontos da cidade; Catequeses com Bispos presentes em vários idiomas; Acolhida do Papa Francisco em Copacabana; Via Sacra também em Copacabana; Peregrinação dos jovens para Campus Fidei; Atividades Culturais; Vigília dos jovens com o Papa, em Campus Fidei; Missa de Envio presidida pelo Papa Francisco e o Anúncio da sede da próxima Jornada Mundial, a equipe de jornalistas da RCR e Rádio Catedral estarão de plantão 24 horas, dando cobertura completa dos principais acontecimentos da JMJ.   Para o diretor Geral Fundação Rádio Catedral, padre Marcos Willian Bernardo, “o objetivo da transmissão é de manter o ouvinte atualizado e integrado no evento de tudo aquilo que o Santo Padre vai fazer. Além de a informação ser dada ao ouvinte, nós queremos externar esta unidade entre os meios de comunicação da Igreja católica. Nós formamos um grande sistema de comunicação, por isso, optamos por esta parceira com a RCR e as demais emissoras afiliadas, juntamente com a Rádio Catedral. Nós não queremos ficar sozinhos diante deste evento, queremos despertar aos demais meios de comunicação e de outros locais, para que se mantenha este espirito de unidade a respeito de comunicação da Igreja”. Continua padre Marcos, “a JMJ, para nós, já começou com o Bote Fé, esta sendo um sucesso maravilhoso e parabéns à CNBB e aos bispos que souberam fazer o acolhimento dos símbolos da Jornada Mundial”.   O presidente da RCR, frei João Carlos Romanini; padre Marcos Willian Bernardo, diretor Geral Fundação Rádio Catedral; padre Brito Terceiro, diretor Adjunto e diretor de Programação; Fátima Lima, coordenadora do Pool, reuniram-se, no Rio de Janeiro, na quarta-feira, 16, para acertar os detalhes do sistema de comunicação, com as cerca de 960 emissoras coligadas e a programação da transmissão durante a JMJ.   A Rádio Catedral, será a rádio geradora da JMJ e a RCR,  em parcerias com as redes de rádio regional  estarão coligadas com cerca de 1000 emissoras de todo o Brasil, na transmissão 24 horas da programação da Semana Missionária, de 16 a 20 de julho e a Jornada Mundial da Juventude, de 23 a 28 de julho. A Rádio Catedral FM (106,7), a partir do dia 16 de julho, terá uma nova programação exclusiva em função da Jornada Mundial da Juventude.   A coordenadora do pool das emissoras de Rádio Fátima Lima diz que, “o objetivo da transmissão é integrar, de estarmos todos juntos transmitindo este evento que vai ser realizado no Rio de Janeiro. `Um só coração e uma só alma`, é uma passagem bíblica que esta em meu coração e é o que representa muito bem o que nós vamos fazer nesta transmissão, todos com o mesmo objetivo, de transmitir para o nosso Brasil o que vai estar acontecendo no Rio de Janeiro. Vamos estar juntos nesta transmissão RCR , com o apoio de Signis Brasil e Rádio Catedral neste grande evento da Jornada Mundial da Juventude”, explica Fátima.   A Rede Católica de Rádio com o apoio de Signis Brasil, marcará presença com estande na ExpoCatólica Rio – Bote Fé Brasil, de 19 a 26 de julho, no Centro de Exposições Riocentro.   Para o presidente da Rede Católica de Rádio, frei João Carlos Romanini, “é um momento impar para a igreja e a comunicação  do Brasil,  estamos trabalhando e mostrando que é possível construir  comunhão entre os muitos meios, fazer convergência de conteúdos. Neste trabalho da RCR  durante a JMJ, queremos mostrar que somos e estamos, sim, em unidade com as diversidades de  expressão e manifestações de nossa da igreja e das distâncias geográficas. E mostrar que é possível construir e transmitir conteúdos por uma causa comum”. Continua Romanini, “também vamos contar  com um  infraestrutura de  mobilidade,  pois as rádios já estão na internet, e em aplicativos. Portanto, seremos uma rede  de rádio Multi plataforma, sabendo que teremos conteúdos sob demanda no  site (www.rcr.org.br)”.   As emissoras interessadas em fazer parte da transmissão podem entrar em contato com o escritório da Rede Católica de Rádio, This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..     Jovens Conectados
Published in Nacionais
    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma nota sobre a redução da maioridade penal, na quinta-feira, 16 de maio, durante coletiva de imprensa, que apresentou o balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral (CONESP). A CNBB “reafirma que a redução da maioridade não é a solução para o fim da violência”. Assim, a “Igreja no Brasil continua acreditando na capacidade de regeneração do adolescente quando favorecido em seus direitos básicos e pelas oportunidades de formação integral nos valores que dignificam o ser humano”.   “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9)   Nota da CNBB sobre a redução da maioridade penal   O debate sobre a redução da maioridade penal, colocado em evidência mais uma vez pela comoção provocada por crimes bárbaros cometidos por adolescentes, conclama-nos a uma profunda reflexão sobre nossa responsabilidade no combate à violência, na promoção da cultura da vida e da paz e no cuidado e proteção das novas gerações de nosso país.   A delinquência juvenil é, antes de tudo, um aviso de que o Estado, a Sociedade e a Família não têm cumprido adequadamente seu dever de assegurar, com absoluta prioridade, os direitos da criança e do adolescente, conforme estabelece o artigo 227 da Constituição Federal. Criminalizar o adolescente com penalidades no âmbito carcerário seria maquiar a verdadeira causa do problema, desviando a atenção com respostas simplórias, inconsequentes e desastrosas para a sociedade.   A campanha sistemática de vários meios de comunicação a favor da redução da maioridade penal violenta a imagem dos adolescentes esquecendo-se de que eles são também vítimas da realidade injusta em que vivem. Eles não são os principais responsáveis pelo aumento da violência que nos assusta a todos, especialmente pelos crimes de homicídio. De acordo com a ONG Conectas Direitos Humanos, a maioria dos adolescentes internados na Fundação Casa, em São Paulo, foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%). Já o crime de latrocínio atinge 0,9% e o de homicídio, 0,6%. É, portanto, imoral querer induzir a sociedade a olhar para o adolescente como se fosse o principal responsável pela onda de violência no país.   Acesse o site da CNBB para ler a nota na íntegra
Published in Igreja
No ultimo dia 28 de abril foi realizado em Extremoz, RN, uma caminhada da juventude do 11º zonal, que teve como tema “Juventude caminhando na Pré-Jornada”. A caminhada teve como objetivo promover e divulgar os trabalhos realizados pelos jovens e debater sobre como andam os preparativos para receber a juventude durante a pré-jornada.   O evento teve a participação da banda católica, Vida Celeste, que animou todos os jovens presentes no evento. Nem mesmo a chuva, que caiu durante todo o percurso,  deixou a alegria diminuir com músicas, conhecidas do meio popular católico.   Durante a caminhada foram realizadas algumas paradas: a primeira  teve como ponto principal a palavra do padre Silvio, pároco da Igreja Santa Maria Mãe e coordenador do zonal, que falou um pouco sobre o dever do jovem na semana missionária e sobre a carta do papa aos jovens na jornada mundial, ao falar “Ide e fazei discípulos entre as nações!”.  A segunda parada teve o grupo de Santa Luzia que realizou uma dança com a música “Nova Geração” do padre Zezinho.   Chegando à matriz de Extremoz, na Igreja de São Miguel, foram realizadas algumas apresentações com grupo de Dança NPC da paróquia São João Bosco. Após as apresentações ocorreu a adoração ao Santíssimo, momento em que muitos puderam refletir e agradecer a Jesus ressuscitado.   A próxima caminhada será realizada no próximo dia 02 de junho e a paróquia que vai receber a caminhada é a São João Bosco, em Gramoré.   Equipe de Comunicação Gramoré
Published in Nacionais
  O tempo da Quaresma e a Campanha da Fraternidade 2013, que este ano tem a juventude como tema, propiciam um momento especial para refletir sobre o significado da Cruz.   O Evangelho de Jesus foi escrito trinta anos após sua morte. Os discípulos anunciam Jesus e atraem mais seguidores em todas as partes do extenso império romano. Começam as perseguições. Assim como Cristo foi perseguido, torturado e crucificado, também muitos de seus discípulos passam pela mesma situação. Paulo (1Cor 1, 17ss) afirma que a cruz de Cristo é escândalo e loucura. Os romanos tinham três tipos de execução que eram considerados os mais aviltantes de todos: agonizar na cruz, ser devorado pelas feras ou ser queimado vivo na fogueira. A crucifixão não era uma simples execução, mas uma lenta tortura. A flagelação faz parte da execução. Ela era um ato público que não era aplicada aos cidadãos romanos. Havia crucifixões em massa. De acordo com a tradição dos judeus, um homem pendurado numa árvore é uma maldição de Deus. Assim, além da dor, acrescenta-se a maldição.   E Jesus, por que foi condenado e morto na cruz? Jesus foi condenado porque se insurgiu contra o templo. Este foi o último ato da vida pública de Jesus. Os romanos o condenaram como um perturbador indesejável. Jesus é morto por ser perigoso. O profeta do Reino de Deus foi morto pelo representante do Império Romano por instigação e iniciativa da aristocracia do templo. Em uma manhã de abril do ano 30, se encontram frente a frente um réu manietado e indefeso chamado Jesus de Nazaré e o representante do mais poderoso sistema imperial que a história conheceu, Pôncio Pilatos. Deus Pai enviou seu Filho ao mundo para que o mundo fosse salvo. Deus nos ama a ponto de entregar seu próprio Filho (Jo 3,16). A grande opção de Deus assumida por Jesus foi a salvação do mundo pelo serviço e não pela dominação. Esperava-se um Messias dominador, e veio um Messias sofredor, servidor. A vida de Jesus foi uma constante tentação entre o serviço e a dominação. O Evangelho da tentação de Jesus relata isto... Os discípulos também são tentados e tentam Jesus. Jesus morreu na cruz porque foi fiel à sua missão de servo e não de Senhor e dominador. A cruz de Jesus é consequência do estilo de vida que escolheu. A resposta foi a ressurreição de Jesus para a glória. Vida como Jesus viveu não pode morrer. A ressurreição de Jesus é a resposta do amor de Deus à entrega total de Jesus. A ressurreição de Jesus vem afirmar que Deus não se coloca do lado dos que crucificam, dos que excluem, mas sim ao lado dos crucificados, dos excluídos.   A cruz de Jesus e as cruzes do mundo No mundo há muitas cruzes que causam sofrimento. Há três tipos de cruzes, três tipos de sofrimento: - A cruz da condição humana: Como criaturas, somos limitados. Isto pode nos causar dor e sofrimento muitas vezes. A morte natural de um ente querido, a ansiedade de uma escolha, a fragilidade das amizades, tudo isso nos causa dor. Não há como se rebelar contra isso. Aceita-se. - A cruz da maldade humana. Há muito sofrimento inútil no mundo, fruto da injustiça. Uma criança que morre na fila do hospital, um adolescente drogado, um jovem sem emprego... tudo isso é uma cruz muito grande. Não se pode aceitar. Rejeita-se. - A cruz da solidariedade humana. Há muita gente que, além do seu sofrimento, procura ajudar os outros a carregar a sua cruz, sobretudo a da maldade humana. Não se conformam com o sofrimento inútil e buscam o sofrimento e a cruz como forma de solidariedade com quem sofre. Assim foi Jesus. Embora não tenha pecado, assumiu as consequências do pecado da humanidade e sofreu para tirar o sofrimento do mundo.   O jovem e a cruz Estas cruzes também estão presentes na vida dos jovens. Não existe vida fácil para ninguém. É gostoso ser jovem. É alegre ser jovem, mas também é um desafio ser jovem. No Brasil, por exemplo, há uma paridade entre meninos e meninas por ocasião do nascimento. No entanto, na adolescência e juventude, o número de rapazes é muito menor que o de meninas. A morte ronda os rapazes. São eles que mais morrem nos acidentes de trânsito, na overdose de drogas, nos homicídios e latrocínios, nos acidentes de trabalho... Estas cruzes são violentas e causam muita dor. A massa juvenil, sobretudo dos jovens cristãos, não pode ficar indiferente a essa situação. Um jovem ferido, injustiçado, desmoralizado, banalizado... é um desafio para os outros jovens. Antigamente se dizia que era preciso evitar as más companhias. Hoje, deve-se dizer que é preciso incentivar as boas companhias. Dom Bosco dizia que não são os bons que devem ter medo dos maus, mas justamente o contrário. Neste aspecto, Jesus é o nosso grande modelo. Assumiu as dores o mundo, não para se conformar com elas, mas justamente para tirá-las do mundo.   A cruz como símbolo As cruzes nos tribunais, nas casas de família, nas salas de aula, nos cemitérios, nas tatuagens, nos peitos das pessoas, é uma lembrança de que Jesus Cristo morreu na cruz para tirar as cruzes, o sofrimento do mundo. Jesus poderia ter salvo o mundo pela prepotência, pelo poderio, pela destruição poderosa do mal. O caminho assumido por ele foi o do serviço. A cruz de Jesus significa rebaixamento, humilhação, enfraquecimento de Deus para quebrar todas as prepotências do mundo. Um jovem prevalecido, prepotente, é um sinal de que o mundo não tem cura. Ao contrário, um jovem humilde sem ser subserviente, um jovem generoso sem se deixar explorar, é um sinal de que o mundo tem esperança, tem ressurreição.   Padre Marcos Sandrini, SDB, é diretor da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre, RS.
Published in Igreja
  •  Start 
  •  Prev 
  •  1 
  •  2 
  •  Next 
  •  End 
Page 1 of 2
Você tem uma história para contar? A Editora Edebê quer transformá-la em livro, então aproveite essa oportunidade!
Published in Comunicação
Junto com os muitos refugiados que fogem da violência na Síria, chegou nestes dias ao Líbano um peregrino de paz e esperança: Dom Bosco. A urna com a relíquia do Santo entrou no País dos Cedros, no último dia 31 de agosto, depois de visitar dezenas de nações por todos os cinco continentes. A presença da urna será celebrada pela Família Salesiana, que está presente no país com os Salesianos de Dom Bosco (SDB), Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) e Salesianos Cooperadores. “Será um momento importante, não só para nós, salesianos, mas para todos os cristãos” – disse o diretor da comunidade salesiana do Líbano, padre Karmi Samaan. No momento a urna está de passagem pela Casa de El Houssoun e depois irá também às cidades de Ehden e Kahalé. No dia 7 de setembro, a urna será encaminhada para o Santuário Mariano Nacional de Harissa, onde o patriarca maronita, cardeal Bechara Rai, presidirá a celebração eucarística solene. No dia 8 de setembro, a urna chegará a Fidar e no dia seguinte será venerada no Santuário de São Charbel, um dos santos mais amados no país. InfoANS
Published in Internacionais
Os alunos dos Colégios Dom Bosco Assunção, Dom Bosco Cidade Alta e Oratório São Mario - em Piracicaba, participaram na última sexta-feira, 16 de agosto, das comemorações pelos 198 anos do nascimento de Dom Bosco.
Published in Nacionais
  A PUC Minas está pronta para receber a segunda edição do Congresso Mundial de Universidades Católicas (CMUC), evento que ocorrerá no campus Coração Eucarístico, em Belo Horizonte, entre os dias 18 e 21 de julho, antecedendo a 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ), marcada para a semana seguinte no Rio de Janeiro. Aproximadamente 2.000 estudiosos, professores e alunos de instituições católicas de ensino superior e pastorais de todo o mundo se reunirão durante os quatro dias de evento para compartilhar experiências e debater assuntos sobre as grandes mudanças da realidade. Estão confirmadas as participações de instituições de vários países, como Argentina, Chile, Espanha, Eslováquia e Peru.
Published in Nacionais
  Com a aproximação da Jornada Mundial da Juventude todos os fiéis do Brasil e do mundo são convidados a entrar em comunhão com a preparação da JMJ Rio2013. Como gesto concreto, o dia 11 de julho será o Dia de Oração pela Jornada Mundial da Juventude.   A proposta é de união pela oração por todos os organizadores e participantes da JMJ, com a participação de todos aqueles que apoiam e desejam o bom êxito deste, que será um dos maiores eventos católicos do mundo. A JMJ espera reunir jovens de várias partes do mundo no Rio de Janeiro entre os dias 23 a 28 de julho, com a presença do Papa Francisco.   Essa união pode ocorrer na forma de missas, rosários, adorações, devoções e muitas outras práticas de piedade oferecidas em comunhão com a Igreja pela realização do evento. As comunidades podem se reunir para realizar estes momentos de oração, ou cada um em sua casa, trabalho, estudo, pode oferecer seu “sacrifício de louvor” para que a JMJ seja um momento fecundo para a vida da Igreja no Brasil e no mundo.   As mais variadas expressões juvenis, pastorais, movimentos, novas comunidades e congregações são convidadas a manifestarem, na diversidades de seus carismas e espiritualidades, sua oração pela JMJ.   Os jovens em sua criatividade, são convidados a compartilharem nas redes sociais suas manifestações de comunhão ao Dia de Oração pela JMJ, compartilhando no dia 11, a partir das 15h no Twitter, Facebook, Instagram e demais redes a hashtag “#RezepelaJMJ”. Fora do Brasil já está sendo usada a hashtag #Pray4WYD. Uma das formas de participar é por meio do site May Feelings.   Também os jovens de outros países que estão conectados à JMJ são convidados a se unirem à Igreja do Brasil para este momento de comunhão espiritual.   O objetivo desde Dia de Oração pela JMJ é promover a unidade das pessoas envolvidas no evento e manifestar a solidariedade e comunhão para as milhares de pessoas que estão ardorosamente trabalhando para que o evento aconteça da melhor maneira possível, bem como rezar por todos os peregrinos que estarão em viagem no Brasil e no mundo inteiro, rumo ao Rio de Janeiro para participar do evento, e por todos os cariocas que acolherão de coração aberto o povo de Deus  em sua cidade.   Jovens Conectados
Published in Nacionais
  Os alunos do Ensino Médio dos colégios salesianos do Vale do Paraíba receberam na última semana, 17 a 21 de junho, os resultados obtidos no segundo Simuladão conjunto do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   As provas foram realizadas nos dias 28 e 29 de maio no Colégio São Joaquim, em Lorena, São Paulo, e participaram alunos do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (INSA-Oratório) de Cruzeiro, Colégio São Joaquim e Instituto Santa Teresa de Lorena e Instituto Nossa Senhora do Carmo, de Guaratinguetá. Os alunos do Instituto São José, de São José dos Campos, também participaram do simulado, mas por causa da distância, realizaram os exames no próprio colégio.     Os exercícios das provas foram no estilo do ENEM. Entregues em caderno de questões, elaborados pelos professores das próprias escolas envolvidas, cada uma se encarregando de uma ou duas matérias, contemplavam os conteúdos programados até o final do primeiro trimestre do terceiro ano do material da Rede Salesiana de Escolas (RSE).   No primeiro dia de avaliação foram aplicadas 90 questões das disciplinas “Ciências Humanas e Suas Tecnologias” e de “Ciências da Natureza e Suas Tecnologias”. No segundo dia, outras 90 questões de “Linguagem e Matemática” e uma redação. As respostas às questões objetivas, respondidas em cartão para leitura ótica, foram corrigidas pela Unidade Lorena do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). As correções das redações foram realizadas por professores de um colégio externo, para que o aluno se prepare para ser analisado por um corretor desconhecido.   O Simuladão foi obrigatório para os alunos do terceiro ano. Já os alunos do primeiro e segundo anos foram apenas convidados a participarem das provas. Para eles, as provas representaram um desafio, já que foram baseadas em conteúdos que só verão no último ano do Ensino Médio. A participação desse público, porém, superou os 90%. O resultado obtido nesse Simuladão será incorporado à nota do segundo trimestre conforme os critérios internos de cada escola.   Essa é a segunda vez que essas escolas realizam esse tipo de simulado. A primeira foi no ano de 2012. A avaliação é de que fazer um Simuladão conjunto na forma presencial acrescenta uma descarga de adrenalina diferente, que não se assemelha aos simulados que realizados nas próprias escolas. Além disso, ajuda polarizar os alunos da Rede Salesiana de Escolas para os vestibulares, questão em torno da qual a concorrência insiste com toda a força e dá visibilidade aos alunos e professores para a grandeza da RSE, muito maior que cada escola em particular.    Fruto dessa avaliação, diretores, ecônomos e coordenadores dessas escolas, já no ano passado, decidiram fazer um simulado semelhante no segundo semestre deste ano também para os alunos do oitavo e nono anos do ensino fundamental.   O Simuladão não redunda em um ranqueamento entre as escolas, mas os resultados de cada escola são cotejados e discutidos nas reuniões conjuntas entre as diretorias e as coordenações dos colégios.   Com informações do padre Ailton dos Santos
Published in Nacionais
Mais de 900 emissoras brasileiras transmitirão a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro de 16 a 28 de julho. Centralizadas na Rádio Catedral Fm do Rio de Janeiro, que será a geradora de conteúdos e  programação da JMJ, a Rede Católica de Rádio, RCR,  formarão  um sistema de comunicação de transmissão, ao vivo, da programação exclusiva da Jornada Mundial da Juventude para o Brasil durante os dias 16 a 20, Semana Missionária; de 23 a 28 de julho a Jornada Mundial da Juventude.   Serão cerca de 40 jornalistas de emissoras das bases geradoras Rede Sul de Rádios, Rádio Canção Nova, Rádio Difusora de Goiânia, Rádio Milícia da Imaculada, Rádio Aparecida, Rádio Evangelizar é Preciso  e emissoras da RCR, que prestarão serviço ao ouvinte, atualizando e informando passo a passo da JMJRio2013. Desde a chegada oficial dos peregrinos; Missa de Abertura, em Copacabana; Festival da Juventude em vários pontos da cidade; Catequeses com Bispos presentes em vários idiomas; Acolhida do Papa Francisco em Copacabana; Via Sacra também em Copacabana; Peregrinação dos jovens para Campus Fidei; Atividades Culturais; Vigília dos jovens com o Papa, em Campus Fidei; Missa de Envio presidida pelo Papa Francisco e o Anúncio da sede da próxima Jornada Mundial, a equipe de jornalistas da RCR e Rádio Catedral estarão de plantão 24 horas, dando cobertura completa dos principais acontecimentos da JMJ.   Para o diretor Geral Fundação Rádio Catedral, padre Marcos Willian Bernardo, “o objetivo da transmissão é de manter o ouvinte atualizado e integrado no evento de tudo aquilo que o Santo Padre vai fazer. Além de a informação ser dada ao ouvinte, nós queremos externar esta unidade entre os meios de comunicação da Igreja católica. Nós formamos um grande sistema de comunicação, por isso, optamos por esta parceira com a RCR e as demais emissoras afiliadas, juntamente com a Rádio Catedral. Nós não queremos ficar sozinhos diante deste evento, queremos despertar aos demais meios de comunicação e de outros locais, para que se mantenha este espirito de unidade a respeito de comunicação da Igreja”. Continua padre Marcos, “a JMJ, para nós, já começou com o Bote Fé, esta sendo um sucesso maravilhoso e parabéns à CNBB e aos bispos que souberam fazer o acolhimento dos símbolos da Jornada Mundial”.   O presidente da RCR, frei João Carlos Romanini; padre Marcos Willian Bernardo, diretor Geral Fundação Rádio Catedral; padre Brito Terceiro, diretor Adjunto e diretor de Programação; Fátima Lima, coordenadora do Pool, reuniram-se, no Rio de Janeiro, na quarta-feira, 16, para acertar os detalhes do sistema de comunicação, com as cerca de 960 emissoras coligadas e a programação da transmissão durante a JMJ.   A Rádio Catedral, será a rádio geradora da JMJ e a RCR,  em parcerias com as redes de rádio regional  estarão coligadas com cerca de 1000 emissoras de todo o Brasil, na transmissão 24 horas da programação da Semana Missionária, de 16 a 20 de julho e a Jornada Mundial da Juventude, de 23 a 28 de julho. A Rádio Catedral FM (106,7), a partir do dia 16 de julho, terá uma nova programação exclusiva em função da Jornada Mundial da Juventude.   A coordenadora do pool das emissoras de Rádio Fátima Lima diz que, “o objetivo da transmissão é integrar, de estarmos todos juntos transmitindo este evento que vai ser realizado no Rio de Janeiro. `Um só coração e uma só alma`, é uma passagem bíblica que esta em meu coração e é o que representa muito bem o que nós vamos fazer nesta transmissão, todos com o mesmo objetivo, de transmitir para o nosso Brasil o que vai estar acontecendo no Rio de Janeiro. Vamos estar juntos nesta transmissão RCR , com o apoio de Signis Brasil e Rádio Catedral neste grande evento da Jornada Mundial da Juventude”, explica Fátima.   A Rede Católica de Rádio com o apoio de Signis Brasil, marcará presença com estande na ExpoCatólica Rio – Bote Fé Brasil, de 19 a 26 de julho, no Centro de Exposições Riocentro.   Para o presidente da Rede Católica de Rádio, frei João Carlos Romanini, “é um momento impar para a igreja e a comunicação  do Brasil,  estamos trabalhando e mostrando que é possível construir  comunhão entre os muitos meios, fazer convergência de conteúdos. Neste trabalho da RCR  durante a JMJ, queremos mostrar que somos e estamos, sim, em unidade com as diversidades de  expressão e manifestações de nossa da igreja e das distâncias geográficas. E mostrar que é possível construir e transmitir conteúdos por uma causa comum”. Continua Romanini, “também vamos contar  com um  infraestrutura de  mobilidade,  pois as rádios já estão na internet, e em aplicativos. Portanto, seremos uma rede  de rádio Multi plataforma, sabendo que teremos conteúdos sob demanda no  site (www.rcr.org.br)”.   As emissoras interessadas em fazer parte da transmissão podem entrar em contato com o escritório da Rede Católica de Rádio, This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..     Jovens Conectados
Published in Nacionais
    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma nota sobre a redução da maioridade penal, na quinta-feira, 16 de maio, durante coletiva de imprensa, que apresentou o balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral (CONESP). A CNBB “reafirma que a redução da maioridade não é a solução para o fim da violência”. Assim, a “Igreja no Brasil continua acreditando na capacidade de regeneração do adolescente quando favorecido em seus direitos básicos e pelas oportunidades de formação integral nos valores que dignificam o ser humano”.   “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9)   Nota da CNBB sobre a redução da maioridade penal   O debate sobre a redução da maioridade penal, colocado em evidência mais uma vez pela comoção provocada por crimes bárbaros cometidos por adolescentes, conclama-nos a uma profunda reflexão sobre nossa responsabilidade no combate à violência, na promoção da cultura da vida e da paz e no cuidado e proteção das novas gerações de nosso país.   A delinquência juvenil é, antes de tudo, um aviso de que o Estado, a Sociedade e a Família não têm cumprido adequadamente seu dever de assegurar, com absoluta prioridade, os direitos da criança e do adolescente, conforme estabelece o artigo 227 da Constituição Federal. Criminalizar o adolescente com penalidades no âmbito carcerário seria maquiar a verdadeira causa do problema, desviando a atenção com respostas simplórias, inconsequentes e desastrosas para a sociedade.   A campanha sistemática de vários meios de comunicação a favor da redução da maioridade penal violenta a imagem dos adolescentes esquecendo-se de que eles são também vítimas da realidade injusta em que vivem. Eles não são os principais responsáveis pelo aumento da violência que nos assusta a todos, especialmente pelos crimes de homicídio. De acordo com a ONG Conectas Direitos Humanos, a maioria dos adolescentes internados na Fundação Casa, em São Paulo, foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%). Já o crime de latrocínio atinge 0,9% e o de homicídio, 0,6%. É, portanto, imoral querer induzir a sociedade a olhar para o adolescente como se fosse o principal responsável pela onda de violência no país.   Acesse o site da CNBB para ler a nota na íntegra
Published in Igreja
No ultimo dia 28 de abril foi realizado em Extremoz, RN, uma caminhada da juventude do 11º zonal, que teve como tema “Juventude caminhando na Pré-Jornada”. A caminhada teve como objetivo promover e divulgar os trabalhos realizados pelos jovens e debater sobre como andam os preparativos para receber a juventude durante a pré-jornada.   O evento teve a participação da banda católica, Vida Celeste, que animou todos os jovens presentes no evento. Nem mesmo a chuva, que caiu durante todo o percurso,  deixou a alegria diminuir com músicas, conhecidas do meio popular católico.   Durante a caminhada foram realizadas algumas paradas: a primeira  teve como ponto principal a palavra do padre Silvio, pároco da Igreja Santa Maria Mãe e coordenador do zonal, que falou um pouco sobre o dever do jovem na semana missionária e sobre a carta do papa aos jovens na jornada mundial, ao falar “Ide e fazei discípulos entre as nações!”.  A segunda parada teve o grupo de Santa Luzia que realizou uma dança com a música “Nova Geração” do padre Zezinho.   Chegando à matriz de Extremoz, na Igreja de São Miguel, foram realizadas algumas apresentações com grupo de Dança NPC da paróquia São João Bosco. Após as apresentações ocorreu a adoração ao Santíssimo, momento em que muitos puderam refletir e agradecer a Jesus ressuscitado.   A próxima caminhada será realizada no próximo dia 02 de junho e a paróquia que vai receber a caminhada é a São João Bosco, em Gramoré.   Equipe de Comunicação Gramoré
Published in Nacionais
  O tempo da Quaresma e a Campanha da Fraternidade 2013, que este ano tem a juventude como tema, propiciam um momento especial para refletir sobre o significado da Cruz.   O Evangelho de Jesus foi escrito trinta anos após sua morte. Os discípulos anunciam Jesus e atraem mais seguidores em todas as partes do extenso império romano. Começam as perseguições. Assim como Cristo foi perseguido, torturado e crucificado, também muitos de seus discípulos passam pela mesma situação. Paulo (1Cor 1, 17ss) afirma que a cruz de Cristo é escândalo e loucura. Os romanos tinham três tipos de execução que eram considerados os mais aviltantes de todos: agonizar na cruz, ser devorado pelas feras ou ser queimado vivo na fogueira. A crucifixão não era uma simples execução, mas uma lenta tortura. A flagelação faz parte da execução. Ela era um ato público que não era aplicada aos cidadãos romanos. Havia crucifixões em massa. De acordo com a tradição dos judeus, um homem pendurado numa árvore é uma maldição de Deus. Assim, além da dor, acrescenta-se a maldição.   E Jesus, por que foi condenado e morto na cruz? Jesus foi condenado porque se insurgiu contra o templo. Este foi o último ato da vida pública de Jesus. Os romanos o condenaram como um perturbador indesejável. Jesus é morto por ser perigoso. O profeta do Reino de Deus foi morto pelo representante do Império Romano por instigação e iniciativa da aristocracia do templo. Em uma manhã de abril do ano 30, se encontram frente a frente um réu manietado e indefeso chamado Jesus de Nazaré e o representante do mais poderoso sistema imperial que a história conheceu, Pôncio Pilatos. Deus Pai enviou seu Filho ao mundo para que o mundo fosse salvo. Deus nos ama a ponto de entregar seu próprio Filho (Jo 3,16). A grande opção de Deus assumida por Jesus foi a salvação do mundo pelo serviço e não pela dominação. Esperava-se um Messias dominador, e veio um Messias sofredor, servidor. A vida de Jesus foi uma constante tentação entre o serviço e a dominação. O Evangelho da tentação de Jesus relata isto... Os discípulos também são tentados e tentam Jesus. Jesus morreu na cruz porque foi fiel à sua missão de servo e não de Senhor e dominador. A cruz de Jesus é consequência do estilo de vida que escolheu. A resposta foi a ressurreição de Jesus para a glória. Vida como Jesus viveu não pode morrer. A ressurreição de Jesus é a resposta do amor de Deus à entrega total de Jesus. A ressurreição de Jesus vem afirmar que Deus não se coloca do lado dos que crucificam, dos que excluem, mas sim ao lado dos crucificados, dos excluídos.   A cruz de Jesus e as cruzes do mundo No mundo há muitas cruzes que causam sofrimento. Há três tipos de cruzes, três tipos de sofrimento: - A cruz da condição humana: Como criaturas, somos limitados. Isto pode nos causar dor e sofrimento muitas vezes. A morte natural de um ente querido, a ansiedade de uma escolha, a fragilidade das amizades, tudo isso nos causa dor. Não há como se rebelar contra isso. Aceita-se. - A cruz da maldade humana. Há muito sofrimento inútil no mundo, fruto da injustiça. Uma criança que morre na fila do hospital, um adolescente drogado, um jovem sem emprego... tudo isso é uma cruz muito grande. Não se pode aceitar. Rejeita-se. - A cruz da solidariedade humana. Há muita gente que, além do seu sofrimento, procura ajudar os outros a carregar a sua cruz, sobretudo a da maldade humana. Não se conformam com o sofrimento inútil e buscam o sofrimento e a cruz como forma de solidariedade com quem sofre. Assim foi Jesus. Embora não tenha pecado, assumiu as consequências do pecado da humanidade e sofreu para tirar o sofrimento do mundo.   O jovem e a cruz Estas cruzes também estão presentes na vida dos jovens. Não existe vida fácil para ninguém. É gostoso ser jovem. É alegre ser jovem, mas também é um desafio ser jovem. No Brasil, por exemplo, há uma paridade entre meninos e meninas por ocasião do nascimento. No entanto, na adolescência e juventude, o número de rapazes é muito menor que o de meninas. A morte ronda os rapazes. São eles que mais morrem nos acidentes de trânsito, na overdose de drogas, nos homicídios e latrocínios, nos acidentes de trabalho... Estas cruzes são violentas e causam muita dor. A massa juvenil, sobretudo dos jovens cristãos, não pode ficar indiferente a essa situação. Um jovem ferido, injustiçado, desmoralizado, banalizado... é um desafio para os outros jovens. Antigamente se dizia que era preciso evitar as más companhias. Hoje, deve-se dizer que é preciso incentivar as boas companhias. Dom Bosco dizia que não são os bons que devem ter medo dos maus, mas justamente o contrário. Neste aspecto, Jesus é o nosso grande modelo. Assumiu as dores o mundo, não para se conformar com elas, mas justamente para tirá-las do mundo.   A cruz como símbolo As cruzes nos tribunais, nas casas de família, nas salas de aula, nos cemitérios, nas tatuagens, nos peitos das pessoas, é uma lembrança de que Jesus Cristo morreu na cruz para tirar as cruzes, o sofrimento do mundo. Jesus poderia ter salvo o mundo pela prepotência, pelo poderio, pela destruição poderosa do mal. O caminho assumido por ele foi o do serviço. A cruz de Jesus significa rebaixamento, humilhação, enfraquecimento de Deus para quebrar todas as prepotências do mundo. Um jovem prevalecido, prepotente, é um sinal de que o mundo não tem cura. Ao contrário, um jovem humilde sem ser subserviente, um jovem generoso sem se deixar explorar, é um sinal de que o mundo tem esperança, tem ressurreição.   Padre Marcos Sandrini, SDB, é diretor da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre, RS.
Published in Igreja
  •  Start 
  •  Prev 
  •  1 
  •  2 
  •  Next 
  •  End 
Page 1 of 2