No mês de agosto, os Salesianos São Carlos, SP, desenvolveram várias ações. Confira duas delas:
Published in Nacionais
Ações, coordenadas pela Salesiana Cooperadora, Maria Florentina (Lia), estão beneficiando a comunidade de Tejipió II, em São Lourenço da Mata, PE.
Published in Nacionais
Entre os dias 1 e 3 de agosto foi realizado em Maputo, Moçambique, no "Centro Dom Bosco" das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), o primeiro Congresso Nacional Salesiano sobre o Sistema Preventivo. Na ocasião, também foi celebrada a aproximação do fim do segundo ano de preparação para o Bicentenário de Dom Bosco, que é dedicado ao aprofundamento de sua pedagogia.
Published in Internacionais
  Os peregrinos que vão à vigília e à missa de envio no Campus Fidei, em Guaratiba, terão uma estrutura que conta com 32 ilhas de serviço distribuídas ao longo de 22 lotes. As ilhas são espaços de serviço da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 onde haverá venda oficial de comida e bebidas. Além disso, haverá estruturas como banheiros, lavatórios, mictórios, torre de vigilância e bebedouros.   O objetivo é evitar que os peregrinos precisem se deslocar constantemente entre os lotes para encontrar os serviços desejados.  A área de cada lote corresponde a cerca de sete campos do Maracanã.Os lotes contarão com uma ou duas ilhas, dependendo do tamanho. O Campus Fidei contará ainda com 33 telões de LED para o público.   A área do terreno do Campus Fidei é de 1,36 milhão de m². Estão previstos 4.673 banheiros para os peregrinos, dos quais 270 são adaptados para pessoas com deficiência. Serão 615 lavatórios, 4.920 pias/bebedouros e 2.016 posições de mictório.   Já estão garantidos 12 milhões de litros de água para o evento. Eles serão distribuídos por 177 bolsões. Haverá uma estação de tratamento de esgoto (ETE) dentro do terreno do Campus Fidei, para tratar a água antes de jogar na rede de esgoto. Haverá 115 bolsões de capacidade diferente para armazenagem.   Entrada nos lotes   A entrada nos lotes será por ordem de chegada. Cada lote tem várias saídas, cada uma com cerca de 40 m de largura. Haverá controle nas entradas para evitar excesso de lotação dos peregrinos, além da capacidade do local. No entanto, desde que haja capacidade, haverá fluxo livre entre os lotes.   A orientação é que os peregrinos não levem barraca, mas apenas o saco de dormir. O objetivo é não bloquear a visão das pessoas e otimizar o espaço.   JMJ Rio2013   Outras notícias Cidade da Fé, no Riocentro, será o maior local de catequese da JMJRio2013
Published in Nacionais
Com um retiro de formação realizado entre os dias 19 e 21 de abril, 21 jovens, que integram o Movimento Juvenil Salesiano (MJS) da Áustria, iniciaram o itinerário de aproximação à JMJ, que será realizada no Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho. A programação do grupo prevê além das demais atividades da JMJ, também a participação em dois projetos sociais dos Salesianos no Brasil.   Durante o retiro, realizado na “Don Bosco Haus”, de Viena,  na Áustria, os jovens aproveitaram para se conhecer melhor, já que muitos são de nacionalidades diferentes; para compartilhar suas experiências de fé; e programar diversificadas iniciativas para financiar as despesas da viagem e poder contribuir com os projetos sociais no Brasil.   A espera pela JMJ do Rio já é grande entre os jovens austríacos, desejosos também de conhecer mais de perto o Papa Francisco e ouvir quanto ele tem para lhes dizer. Para este grande acontecimento eclesial, que se desenrolará sob o lema “Ide e fazei discípulos entre todas as Nações”, estão previstos pelo menos dois milhões de jovens participantes, procedentes de todos os continentes.   Os jovens do MJS austríaco que participarão da JMJ e dos outros projetos programados para a viagem ao Brasil – com a duração de três semanas – reportarão as próprias experiências em sua página especial weltjugendtag.donbosco.at/.   InfoANS
Published in Internacionais
  “‘Que havemos nós de fazer para realizar as obras de Deus?’ (Jo 6,28). Conhecemos a resposta de Jesus: ‘A obra de Deus é esta: crer n’Aquele que Ele enviou’ (Jo 6,29). Por isso, crer em Jesus Cristo é o caminho para se poder chegar definitivamente à salvação. À luz de tudo isto, decidi proclamar um Ano da Fé. Este terá início a 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, e terminará na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, a 24 de novembro de 2013...” (papa Bento XVI, em 11 de outubro de 2011).   O mês de outubro, para a Igreja Católica e para seus fiéis, foi demarcado no calendário do Vaticano como um dos mais importantes do ano. O Sínodo dos Bispos, evento de grande relevância mundial, realizou-se entre os dias 7 e 28, e no dia 11, foi feito o lançamento do Ano da Fé. O primeiro teve o propósito de reunir os dirigentes da Igreja do mundo todo para refletir sobre como relançar o anúncio do Evangelho na atualidade. O segundo evento, anunciado no ano passado pelo papa Bento XVI, traz um apelo aos fiéis e uma missão aos religiosos, no sentido de resgatar o caminho da Evangelização.   Sínodo dos Bispos A XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, em Roma, foi realizada sob o tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”. Participaram da assembleia 262 padres sinodais – o maior número da história dos Sínodos –, entre os eleitos nas conferências episcopais de todo o mundo e na União dos Superiores Gerais, e os indicados pelo papa Bento XVI. Os Salesianos estiveram representados pelo reitor-mor, padre Pascual Chávez Villanueva, e outros 15 membros da Família Salesiana, com diversos encargos e competências. Participou também, como convidada, a madre-geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Yvonne Reungoat. Padre Pascual Chavez falou durante o Sínodo sobre a importância de se promoverem as vocações. “Evangelização e vocação são dois elementos indissociáveis. O critério que mede a autenticidade de uma boa evangelização é a sua capacidade de suscitar vocações, de amadurecer projetos de vida evangélica e de envolver integralmente o evangelizado até torná-lo discípulo, testemunha e apóstolo”. Para o reitor-mor, a vocação cristã é um encontro, uma relação pessoal de amizade que preenche o coração e transforma a vida: “Este Sínodo para a Nova Evangelização deve ajudar todos os pastores a serem verdadeiros guias espirituais para os jovens”. O padre salesiano Luiz Alves de Lima, da Inspetoria Salesiana de São Paulo, participou da Assembleia como assessor e, durante todo o período de realização do Sínodo, enviou notícias diárias à comunidade salesiana, nas quais relata o andamento dos trabalhos, compartilha suas observações e explica os principais pontos de reflexão e debate. Os relatos podem ser lidos na íntegra no site da Inspetoria de São Paulo: <www.salesianos.com.br> ou no portal do Boletim Salesiano: <www.boletimsalesiano.org.br>.   Ano da Fé Na manhã de 11 de outubro, realizou-se a missa de lançamento do Ano da Fé, na Praça São Pedro. Bento XVI presidiu a missa com um total de 400 concelebrantes: 80 cardeais, 14 padres conciliares, oito patriarcas de Igrejas orientais, 191 arcebispos e bispos sinodais e 104 presidentes de Conferências Episcopais de todo o mundo. O dia 11 de outubro, sabiamente escolhido pelo papa Bento XVI, é permeado de grande significado histórico, pois comemoram-se os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II e o 20º aniversário do Catecismo da Igreja Católica. “Se a Igreja hoje propõe um novo Ano da Fé e a nova evangelização, não é para prestar honras, mas porque é necessário, mais ainda do que há 50 anos!”, exclamou o papa. Bento XVI afirmou que nas últimas décadas observa-se o avanço de uma “desertificação” espiritual, mas que é precisamente a partir da experiência deste vazio que podemos redescobrir a alegria de crer. “O modo como podemos representar este Ano da Fé é uma peregrinação nos desertos do mundo contemporâneo, em que se deve levar apenas o que é essencial, o Evangelho e a fé da Igreja, dos quais os documentos do Concílio Vaticano II são uma expressão luminosa, assim como o Catecismo da Igreja Católica”, ressaltou o sumo pontífice. O encerramento do Ano da Fé, em 24 de novembro de 2013, será na mesma data da solenidade de Cristo Rei.   Concílio Vaticano II Foi em 25 de janeiro de 1959, que o papa João XXIII, aos 78 anos, convocou o clero para uma missão que revolucionaria a estrutura da Igreja Católica: o Concílio Vaticano II. Tal como um restaurador de uma obra de arte, ele primou para que a estrutura fosse preservada, mas que a modernidade e seus benefícios fossem harmoniosamente instalados. O caminho percorrido foi árduo, iniciado em 11 de outubro de 1962, e concluído pouco mais de três anos depois, em dezembro de 1965. O encerramento e as considerações finais dessa fina obra de restauro foram feitos por seu sucessor, o papa Paulo VI, já que João XXIII faleceu em junho de 1963. Se considerarmos que a sociedade ocidental passava por profundas mudanças, derivadas dos avanços tecnológicos e de reestruturações político geográficas do pós-guerra, as escolhas de João XXIII anteviram os reflexos destas sobre uma Igreja estática. Ao convocar o Concílio, o papa dava início ao projeto de rever toda a estrutura organizacional da Igreja, tornando-a alinhada às mudanças que vinham ocorrendo no mundo.
Published in Igreja
No mês de agosto, os Salesianos São Carlos, SP, desenvolveram várias ações. Confira duas delas:
Published in Nacionais
Ações, coordenadas pela Salesiana Cooperadora, Maria Florentina (Lia), estão beneficiando a comunidade de Tejipió II, em São Lourenço da Mata, PE.
Published in Nacionais
Entre os dias 1 e 3 de agosto foi realizado em Maputo, Moçambique, no "Centro Dom Bosco" das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), o primeiro Congresso Nacional Salesiano sobre o Sistema Preventivo. Na ocasião, também foi celebrada a aproximação do fim do segundo ano de preparação para o Bicentenário de Dom Bosco, que é dedicado ao aprofundamento de sua pedagogia.
Published in Internacionais
  Os peregrinos que vão à vigília e à missa de envio no Campus Fidei, em Guaratiba, terão uma estrutura que conta com 32 ilhas de serviço distribuídas ao longo de 22 lotes. As ilhas são espaços de serviço da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 onde haverá venda oficial de comida e bebidas. Além disso, haverá estruturas como banheiros, lavatórios, mictórios, torre de vigilância e bebedouros.   O objetivo é evitar que os peregrinos precisem se deslocar constantemente entre os lotes para encontrar os serviços desejados.  A área de cada lote corresponde a cerca de sete campos do Maracanã.Os lotes contarão com uma ou duas ilhas, dependendo do tamanho. O Campus Fidei contará ainda com 33 telões de LED para o público.   A área do terreno do Campus Fidei é de 1,36 milhão de m². Estão previstos 4.673 banheiros para os peregrinos, dos quais 270 são adaptados para pessoas com deficiência. Serão 615 lavatórios, 4.920 pias/bebedouros e 2.016 posições de mictório.   Já estão garantidos 12 milhões de litros de água para o evento. Eles serão distribuídos por 177 bolsões. Haverá uma estação de tratamento de esgoto (ETE) dentro do terreno do Campus Fidei, para tratar a água antes de jogar na rede de esgoto. Haverá 115 bolsões de capacidade diferente para armazenagem.   Entrada nos lotes   A entrada nos lotes será por ordem de chegada. Cada lote tem várias saídas, cada uma com cerca de 40 m de largura. Haverá controle nas entradas para evitar excesso de lotação dos peregrinos, além da capacidade do local. No entanto, desde que haja capacidade, haverá fluxo livre entre os lotes.   A orientação é que os peregrinos não levem barraca, mas apenas o saco de dormir. O objetivo é não bloquear a visão das pessoas e otimizar o espaço.   JMJ Rio2013   Outras notícias Cidade da Fé, no Riocentro, será o maior local de catequese da JMJRio2013
Published in Nacionais
Com um retiro de formação realizado entre os dias 19 e 21 de abril, 21 jovens, que integram o Movimento Juvenil Salesiano (MJS) da Áustria, iniciaram o itinerário de aproximação à JMJ, que será realizada no Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho. A programação do grupo prevê além das demais atividades da JMJ, também a participação em dois projetos sociais dos Salesianos no Brasil.   Durante o retiro, realizado na “Don Bosco Haus”, de Viena,  na Áustria, os jovens aproveitaram para se conhecer melhor, já que muitos são de nacionalidades diferentes; para compartilhar suas experiências de fé; e programar diversificadas iniciativas para financiar as despesas da viagem e poder contribuir com os projetos sociais no Brasil.   A espera pela JMJ do Rio já é grande entre os jovens austríacos, desejosos também de conhecer mais de perto o Papa Francisco e ouvir quanto ele tem para lhes dizer. Para este grande acontecimento eclesial, que se desenrolará sob o lema “Ide e fazei discípulos entre todas as Nações”, estão previstos pelo menos dois milhões de jovens participantes, procedentes de todos os continentes.   Os jovens do MJS austríaco que participarão da JMJ e dos outros projetos programados para a viagem ao Brasil – com a duração de três semanas – reportarão as próprias experiências em sua página especial weltjugendtag.donbosco.at/.   InfoANS
Published in Internacionais
  “‘Que havemos nós de fazer para realizar as obras de Deus?’ (Jo 6,28). Conhecemos a resposta de Jesus: ‘A obra de Deus é esta: crer n’Aquele que Ele enviou’ (Jo 6,29). Por isso, crer em Jesus Cristo é o caminho para se poder chegar definitivamente à salvação. À luz de tudo isto, decidi proclamar um Ano da Fé. Este terá início a 11 de outubro de 2012, no cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II, e terminará na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, a 24 de novembro de 2013...” (papa Bento XVI, em 11 de outubro de 2011).   O mês de outubro, para a Igreja Católica e para seus fiéis, foi demarcado no calendário do Vaticano como um dos mais importantes do ano. O Sínodo dos Bispos, evento de grande relevância mundial, realizou-se entre os dias 7 e 28, e no dia 11, foi feito o lançamento do Ano da Fé. O primeiro teve o propósito de reunir os dirigentes da Igreja do mundo todo para refletir sobre como relançar o anúncio do Evangelho na atualidade. O segundo evento, anunciado no ano passado pelo papa Bento XVI, traz um apelo aos fiéis e uma missão aos religiosos, no sentido de resgatar o caminho da Evangelização.   Sínodo dos Bispos A XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, no Vaticano, em Roma, foi realizada sob o tema “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”. Participaram da assembleia 262 padres sinodais – o maior número da história dos Sínodos –, entre os eleitos nas conferências episcopais de todo o mundo e na União dos Superiores Gerais, e os indicados pelo papa Bento XVI. Os Salesianos estiveram representados pelo reitor-mor, padre Pascual Chávez Villanueva, e outros 15 membros da Família Salesiana, com diversos encargos e competências. Participou também, como convidada, a madre-geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Yvonne Reungoat. Padre Pascual Chavez falou durante o Sínodo sobre a importância de se promoverem as vocações. “Evangelização e vocação são dois elementos indissociáveis. O critério que mede a autenticidade de uma boa evangelização é a sua capacidade de suscitar vocações, de amadurecer projetos de vida evangélica e de envolver integralmente o evangelizado até torná-lo discípulo, testemunha e apóstolo”. Para o reitor-mor, a vocação cristã é um encontro, uma relação pessoal de amizade que preenche o coração e transforma a vida: “Este Sínodo para a Nova Evangelização deve ajudar todos os pastores a serem verdadeiros guias espirituais para os jovens”. O padre salesiano Luiz Alves de Lima, da Inspetoria Salesiana de São Paulo, participou da Assembleia como assessor e, durante todo o período de realização do Sínodo, enviou notícias diárias à comunidade salesiana, nas quais relata o andamento dos trabalhos, compartilha suas observações e explica os principais pontos de reflexão e debate. Os relatos podem ser lidos na íntegra no site da Inspetoria de São Paulo: <www.salesianos.com.br> ou no portal do Boletim Salesiano: <www.boletimsalesiano.org.br>.   Ano da Fé Na manhã de 11 de outubro, realizou-se a missa de lançamento do Ano da Fé, na Praça São Pedro. Bento XVI presidiu a missa com um total de 400 concelebrantes: 80 cardeais, 14 padres conciliares, oito patriarcas de Igrejas orientais, 191 arcebispos e bispos sinodais e 104 presidentes de Conferências Episcopais de todo o mundo. O dia 11 de outubro, sabiamente escolhido pelo papa Bento XVI, é permeado de grande significado histórico, pois comemoram-se os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II e o 20º aniversário do Catecismo da Igreja Católica. “Se a Igreja hoje propõe um novo Ano da Fé e a nova evangelização, não é para prestar honras, mas porque é necessário, mais ainda do que há 50 anos!”, exclamou o papa. Bento XVI afirmou que nas últimas décadas observa-se o avanço de uma “desertificação” espiritual, mas que é precisamente a partir da experiência deste vazio que podemos redescobrir a alegria de crer. “O modo como podemos representar este Ano da Fé é uma peregrinação nos desertos do mundo contemporâneo, em que se deve levar apenas o que é essencial, o Evangelho e a fé da Igreja, dos quais os documentos do Concílio Vaticano II são uma expressão luminosa, assim como o Catecismo da Igreja Católica”, ressaltou o sumo pontífice. O encerramento do Ano da Fé, em 24 de novembro de 2013, será na mesma data da solenidade de Cristo Rei.   Concílio Vaticano II Foi em 25 de janeiro de 1959, que o papa João XXIII, aos 78 anos, convocou o clero para uma missão que revolucionaria a estrutura da Igreja Católica: o Concílio Vaticano II. Tal como um restaurador de uma obra de arte, ele primou para que a estrutura fosse preservada, mas que a modernidade e seus benefícios fossem harmoniosamente instalados. O caminho percorrido foi árduo, iniciado em 11 de outubro de 1962, e concluído pouco mais de três anos depois, em dezembro de 1965. O encerramento e as considerações finais dessa fina obra de restauro foram feitos por seu sucessor, o papa Paulo VI, já que João XXIII faleceu em junho de 1963. Se considerarmos que a sociedade ocidental passava por profundas mudanças, derivadas dos avanços tecnológicos e de reestruturações político geográficas do pós-guerra, as escolhas de João XXIII anteviram os reflexos destas sobre uma Igreja estática. Ao convocar o Concílio, o papa dava início ao projeto de rever toda a estrutura organizacional da Igreja, tornando-a alinhada às mudanças que vinham ocorrendo no mundo.
Published in Igreja