A formação dos leigos para a missão política é o compromisso do Centro Nacional de Fé e Política Dom Hélder Câmara (Cefep), iniciativa da CNBB, por meio da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato. O organismo promove há 8 anos, um curso de formação política para cristãos leigos, com o objetivo de fomentar um pensamento social à luz da doutrina da Igreja.
Published in Nacionais
"Somos Família Salesiana, mulheres e homens bebendo da fonte! Vivendo o amor, pois o Senhor nos chama. Francisco de Sales aponta os horizontes." Este foi o refrão do hino do 2º Fórum da Família Salesiana, realizado na Paróquia Santa Isabel de Viamão (RS) e confiada aos Oblatos de São Francisco de Sales. De 18 a 20 de outubro reuniram-se aproximadamente 130 Leigos e religiosos de várias congregações que vivem a Espiritualidade Salesiana, baseados em São Francisco de Sales. Estiveram presentes Leigos Salesianos de Palmeira das Missões (RS), Instituto Secular SFS, Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), Ligas Salesianas de Sta. Isabel, Salesianos de Dom Bosco (SDB), Amigos de SFS (Uruguai), Oblatos de SFS e Associação de Maria Auxiliadora (ADMA/Viamão).
Published in Nacionais
  Os sacerdotes e diáconos deverão se inscrever nos moldes dos peregrinos como responsáveis dos grupos ou membros. Para os que desejarem concelebrar nas celebrações eucarísticas dos atos centrais ou confessar nos diversos atos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013), terão de se inscrever até o próximo sábado, 13. Após finalizar a inscrição e ter efetuado o pagamento, o responsável do grupo que contém clérigos receberá um e-mail com um link para iniciar o processo de credenciamento.   O diretor do setor Clero, Diácono Rodrigo Vieira, lembra que é indispensável que os clérigos especifiquem no campo “categoria” se são sacerdotes ou diáconos no ato da inscrição como peregrinos.   De acordo com o Diácono Rodrigo, os sacerdotes e diáconos ainda poderão se inscrever após o dia 13, mas não poderão mais se credenciar para concelebrar ou confessar. A retirada da credencial dos padres e diáconos será realizada entre os dias 19 e 26 de julho, na Catedral Metropolitana de São Sebastião. O horário é de 8h às 17h.   Credenciamento   O processo de credenciamento dá aos membros do clero o direito de receber uma credencial com foto para ter acesso aos locais específicos para os clérigos. Para retirada da credencial, é necessário portar um documento com foto (brasileiros o RG, estrangeiros o passaporte) e a declaração de aptidão sacerdotal  preenchida, assinada e chancelada pela autoridade eclesial competente de origem do padre. Os diáconos deverão apresentar um documento com foto autenticando sua condição de clérigo, que poderá ser a carteira do clero de sua diocese ou uma declaração assinada pelo Bispo onde está incardinado.   O acesso dos membros do clero será possível em atos centrais, especiais e pastorais. Entre os atos especiais, haverá uma missa com bispos. Nesse caso, somente se for necessário, o setor de clero preencherá os lugares restantes da Catedral Metropolitana com sacerdotes e diáconos selecionados segundo o critério de ordem de inscrição e credenciamento. Somente os bispos concelebrarão, os padres assistirão. Por isso, não precisarão levar paramentos, mas deverão obrigatoriamente usar batina, hábito religioso ou clegyman.   Catequeses e confissão   Durante as catequeses, os padres poderão concelebrar nas celebrações eucarísticas tendo a responsabilidade de levar os seus paramentos (única e estola) obedecendo às cores litúrgicas determinadas para aquele dia. Durante as catequeses os padres  credenciados poderão se disponibilizar para confissões. Os diáconos também podem participar das celebrações levando seus paramentos.   A Feira Vocacional, realizada na Quinta da Boa Vista  e o Largo da Carioca, serão os locais oficiais de atendimento e confissões da JMJ. Somente os padres credenciados poderão atender confissão durante JMJ Rio 2013. Este atendimento poderá acontecer durante os atos centrais, especiais e pastorais.   Serviço Retirada da credencial dos padres de diáconos Local: Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro Endereço: Av. Chile, n° 243, Centro, Rio de Janeiro. Data: 19/07 à 26/07 Horário: 8h às 17h   Qualquer dúvida, enviar um e-mail a This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..   JMJ Rio2013
Published in Nacionais
O padre salesiano Piero Gavioli, diretor do Centro Dom Bosco Ngangi, enviou informações sobre a atual situação no Norte Kivu, província localizada ao leste da República Democrática do Congo e em Goma. A região mais uma vez é atingida por uma onda de confrontos e violências e o padre salesiano é o atual porta-voz da população. Leia abaixo a íntegra da mensagem enviada por ele sobre a situação no local.   Trata-se, infelizmente, do enésimo episódio de uma triste história que já dura 20 anos. Faz pouco mais de um ano, amotinou-se um grupo de militares rebeldes, que se chamou “M23”. Referia-se de fato aos acordos de 23 de março de 2009 – dali o nome – entre o governo de Kinshasa e a rebelião de Kunda, que durou vários meses. A nova rebelião, guiada por Bosco Ntaganda – procurado pelo tribunal penal de Haia, onde se encontra agora – e apoiada por Ruanda e Uganda, nasceu para reclamar a aplicação – não ocorrida segundo eles – dos acordos de 2009.   Depois de variada série de ataques e retiradas, no fim de novembro de 2012, o M23 ocupou Goma por 10 dias; depois retirou-se a poucos quilômetros mais ao norte e continuou a ocupar militarmente e a explorar economicamente grande parte do Norte Kivu.   Sob pressão internacional, governo e rebeldes se reuniram em Kampala, sem chegar a um acordo. Os países da região dos Grandes Lagos decidiram enviar a Goma uma força de intervenção africana que, operativa provavelmente dentro de três meses, deveria reduzir todos os grupos armados. (Ultimamente foram apontados 27; mas nascem novos todos os dias...).   Segunda-feira, 20 de maio, para impedir ou retardar a missão – hipótese nossa – o M23 desferiu um ataque contra as forças armadas governantes em Kibati, a 12 quilometros ao norte de Goma. Iniciou também o enésimo êxodo de refugiados, sobretudo de mulheres e crianças, buscando um pouco de segurança e chegando também ao Centro Dom Bosco Ngangi.   A noite seguinte foi tranquila. Terça-feira, 21 de maio, repetiram-se os mesmos fatos, mas em Kibati (12 km ao norte) ouvem-se os disparos. Evidentemente não há notícias precisas: cada campo acusa o outro de ser a causa dos tiros do dia precedente e não existem negociações em curso.   No Centro Dom Bosco estamos todos bem e continuamos o nosso trabalho. Perguntaram-nos se podemos acolher refugiados, como fizemos há seis meses. Respondi que em caso de urgência extrema,  podemos fazê-lo. Por ora, estamos a poucas semanas do fim do ano escolar e gostaríamos que os alunos das nossas escolas pudessem terminá-lo de modo normal. Aguardamos a evolução dos acontecimentos. Ajudai-nos com a vossa oração. Se tiverdes contatos com ministros ou parlamentares, dizei-lhes que não se esqueçam desta população que padece uma guerra sem dela saber o porquê. (…) Apoiai a nossa coragem com vossa oração, e dizei a todos que em Goma está em curso mais uma inútil carnificina.   Padre Pascual Chávez, reitor-mor da Congregação Salesiana, respondeu a mensagem de padre Gavioli dizendo que confiou a população de Goma e de todas as áreas de guerra à proteção da Virgem Maria. O reitor-mor assegurou igualmente contatar ministros e parlamentares, a fim de que a população de Goma não seja esquecida, e prometendo que Goma estaria igualmente no centro das suas orações nas celebrações do dia 24 de maio, em Valdocco, por ocasião da Festa de Nossa Senhora Auxiliadora.   InfoANS
Published in Internacionais
A Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) realizou, no dia 22 de março, no Liceu Coração de Jesus, em São Paulo, um seminário sobre educação infantil, reunindo mais de 100 colaboradores que atuam na área de diversas obras sociais da Inspetoria de Nossa Senhora Auxiliadora. O seminário contou com uma palestra sobre o tema “A mística na infância: educar e cuidar, direitos e deveres na prática do educador social”, ministrada pela professora doutora Maria Stela Santos Graciani, especialista na área de educação. Além da palestra, os educadores também participaram de oficinas temáticas sobre assuntos correlatos.   Inspetoria Salesiana de São Paulo   Leia também: Novos colaboradores  da RESAS estudam a pedagogia salesiana
Published in Ação Social
  Além de alunos alcançarem as primeiras colocações em alguns cursos, outros estudantes passaram em até quatro instituições de ensino diferentes no país. O Dandara, ligado à Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) no Espírito Santo, ainda conseguiu aprovar quase 90% dos alunos inscritos no projeto.   Filipe Barbosa teve a segunda melhor pontuação no vestibular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no curso de Direito. O jovem foi aluno do cursinho pré-vestibular Dandara, gerido pelo Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador (Cesam) de Vitória, capital do Estado, e uma das obras mantidas pela Rede Salesiana de Ação Social (RESAS). “No final do ano passado, consegui desconto num cursinho particular, mas meus pais não podiam pagar, mesmo com a mensalidade mais em conta. O Dandara foi uma grande oportunidade para minha vida”, lembra. Mas, Filipe não foi o único fruto positivo do projeto: dos 85 alunos do Dandara que tentaram vestibular no Estado e no país, 75 foram aprovados.   Alberto Mateus, por exemplo, foi aprovado em 10º lugar no curso de Medicina da Ufes. A vida do estudante não foi fácil, com muito esforço chegava em casa tarde da noite depois de um dia inteiro de trabalho e estudos. Tentou o concurso durante três anos, e o esforço valeu a pena. “Espero ser um profissional de excelência, qualificado, de respeito e ser honrado pelo meu sacrifício”, explica o jovem.   Os estudantes muitas vezes tiveram que driblar a falta de dinheiro, tempo, cansaço, desânimo  e até sua própria história, como lembra a mãe de Alberto, Nilza Guerra. “Aqui na nossa comunidade nem todos têm a expectativa de ter algo melhor, isso muitas vezes nos leva a vacilar. Mas um resultado como esse nos prova que é possível, que somos capazes e quem quer pode conseguir. Eu vou ser a primeira paciente do meu filho”, comemora.   Assim como o Filipe e o Alberto, todos os outros alunos do Dandara sempre estudaram em escola pública. O Projeto conta com professores voluntários e a Rede Salesiana fornece o espaço e o material didático.   Em 2013, graças ao projeto, o sonho de ingressar no ensino superior tornou-se realidade para 75 alunos do curso pré-vestibular Dandara. Cada aprovado tem uma história, mas é fato que o ingresso no terceiro grau mudará a vida de todos. Será assim também com a Jozeni Barbosa, 52 anos, que passou para o curso de Biblioteconomia da Ufes.  “É a realização de um sonho. Há muitos anos terminei o segundo grau e sempre tive vontade de prosseguir. Agora vou poder sentar na cadeira de uma universidade”, relata a estudante.   Educadores A alegria dos alunos é compartilhada também pelos professores. “Não tem dinheiro que pague essa alegria. Que isso se propague”, festeja o professor do projeto André Cupertino. De acordo com a coordenadora do Dandara, Rita Perim, o resultado do vestibular 2013 foi muito positivo. “Tivemos um índice de aproveitamento alto, quase 90% de aprovação, fora os alunos que passaram em concursos tecnólogos e para a ocupação de cargos públicos. Não tenho dúvida de que esse resultado individual causará uma mudança na vida desses estudantes não somente econômica e financeira, mas de paradigmas”, explica.   Sobre o Dandara O Dandara é um cursinho preparatório para o vestibular. É gratuito, conta com professores voluntários e está vinculado à Rede Salesiana de Ação Social. Tem como gestor o Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador. Para participar do cursinho o interessado tem que ter estudado em escola pública e ter renda familiar de no máximo dois salários mínimos. Além disso, precisa ser aprovado em uma prova classificatória na qual constam questões objetivas e uma redação. As aulas começam sempre na segunda semana do mês de março e este ano foram oferecidas 100 vagas. As turmas do pré-vestibular para 2013 estão fechadas, mas o cursinho precisa de professores voluntários, principalmente de língua portuguesa. Quem tiver interesse pode buscar mais informações no telefone (27) 3331-8540.  
Published in Ação Social
Uma pequena equipe guiada pelo historiador padre Francesco Motto, SDB, partiu nesta quarta-feira, dia 20 de fevereiro, da Itália para a Patagônia e o arquipélago da Terra do Fogo, no sul da América do Sul, para gravar uma docuficção - género cinematográfico que procura captar a realidade - sobre um acontecimento histórico de interesse eclesial e salesiano: o I Centenário do Levantamento de uma cruz monumental no ponto mais meridional da Patagônia, no Cabo Froward, situado na costa norte do estreito de Magalhães.   A primeira cruz erguida – feita por duas traves de ferro, de 12 metros, cuja haste vertical afundava três metros no terreno rochoso – foi inaugurada no dia 21 de dezembro de 1913, pelo salesiano do Uruguai, padre Luigi Heitor Salaberry, diretor do Instituto São José, de Punta Arenas. A cruz foi erguida por causa do 16º Centenário do Edito de Constantino, o Grande, de 313 D.C., que concedeu a liberdade religiosa em todo o Império Romano em virtude da vitória obtida sobre Maxêncio, depois do sonho da Santa Cruz e da visão “in hoc signo vinces” (sob este sinal vencerás).   Em 1943 o padre Luigi Heitor Salaberry benzeu uma segunda cruz, de cimento armado, que substituiu a anterior, parcialmente deteriorada com o tempo.  Em abril de 1987 essa cruz foi substituída por outra metálica; de estrutura tubular e 50 metros de altura, para celebrar a viagem apostólica do Papa João Paulo II ao Chile.   "A docuficção também será uma oportunidade para documentar com rigor histórico a heroica, ainda que desafortunada, atividade salesiana entre os índios da Patagônia meridional e das ilhas fueguinas", disse o padre Francesco Motto. Padre Motto espera realizar a pré-estreia do filme em dezembro deste ano, simultaneamente, em Punta Arenas, Chile, e em Turim, na Itália.   InfoANS  
Published in Internacionais
O Centro de Capacitação Laura Vicuña, conhecido como “Casa Mornese”, das irmãs Filhas de Maria Auxiliadora da Inspetoria Laura Vicuña, em Manaus, AM, sediou, entre os dias 24 e 30 de janeiro, os Exercícios Espirituais dos Salesianos de Dom Bosco da Inspetoria São Domingos Sávio. Este retiro foi destinado àqueles que ainda não haviam participado do primeiro retiro espiritual, realizado em julho de 2012, e destinado, sobretudo, aos diretores e encarregados. O tema do II Retiro Anual teve o apóstolo Paulo como inspiração.   Padre Antônio Carlos orientou e dirigiu o retiro e o bispo da diocese de São Gabriel da Cachoeira, dom Edson Damian, conduziu os momentos de meditação a partir do tema proposto. “Amor a Jesus Cristo e aos irmãos na carta do Apóstolo Paulo” foi o eixo central, e a partir dele Dom Edson motivou as reflexões.   Inspetoria Salesiana do Amazonas
Published in Nacionais
As Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) comemoram 75 anos de presença na República Dominicana. A comemoração inicial foi realizada na Catedral de Santo Domingo, com a Celebração Eucarística, presidida por Dom Nicolas de Jesus Lopez Rodriguez. Participaram da Eucarístia, religiosos de outras congregações, jovens e membros da Família Salesiana, além de amigos e benfeitores da obra salesiana.   Durante a celebração, irmã Petra Elena González, responsável pelo âmbito da formação, fez com que se refletisse sobre o significado da presença das FMA em terra dominicana por meio de expressões de agradecimento: “As FMA querem exprimir os mais profundos sentimentos de gratidão pelas intrépidas missionárias: irmãs Teresa Leonardi (italiana), Cristina Bustamante (mexicana), Adela Martin (espanhola) e Maria Zago (espanhola), que chegaram em 1937, levantando a bandeira da cruz sobre o solo americano e começando a missão educativa a serviço dos jovens”, disse a irmã.   Irmã Petra Elena também agradeceu pelo dom da Providência que, manifestando-se mediante pessoas e acontecimentos, permitiu que se concretizasse a pedagogia salesiana com a abertura de várias obras, para que tantos jovens se tornassem “bons cristãos e honestos cidadãos”.   Filhas de Maria Auxiliadora
Published in Internacionais
  Nos dias 14 e 15 de setembro, a Inspetoria Salesiana do Nordeste, em parceria com a Faculdade Salesiana, promoveu o II Fórum Salesiano de Educação e Comunicação. O tema geral proposto foi: Juventude, educação e práticas educomunicativas. A palestra de abertura, dia 14, contou com a jornalista, pesquisadora e educomunicadora Cristiane Parente, com o tema geral “Jovens e a comunicação: desafios para a educação”. Com muita competência e simpatia, ela enfatizou inicialmente sobre aprendizagem e a importância da leitura e da importância de se construir ecossistemas educomucativos dentro dos ambientes educativos. Na continuação, trouxe alguns dados e análise do nosso contexto atual e exemplos de projetos educomunicativos no mundo e especialmente no Brasil e as possibilidades de uso das mídias em sala de aula. Assim, de maneira transversal, colocou a possibilidade do uso dos meios de comunicação de três maneiras: a leitura crítica, a apropriação criativa, onde os jovens são os produtores e mobilizadores, e percepção dos Meios como apoio, que podem ajudar a atualizar conteúdos em sala de aula, não deixando de lado a contextualização e o envolvimento dos alunos enquanto cidadãos. Em depoimento, Cristiane se mostrou muito feliz com a realização do evento, colocando-se inclusive à disposição de todos os educadores salesianos, e deixou o recado: “Se a gente quer formar cidadãos mais informados, mais participativos, uma comunicação para a paz, para formação de valores, para uma mídia melhor, a gente tem que entrar com a educomunicação.” Já no dia 15 foi a vez da mesa-redonda sobre “Práticas educomunicativas”, onde os participantes puderam conhecer 3 iniciativas distintas. A primeira experiência mostrada foi a dos Jovens Conectados, da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), trazida pela publicitária e integrante Clarissa Medeiros, onde os jovens, que são voluntários, com muita propriedade organizam a comunicação e a conduzem de maneira muito profissional e protagônica. O exemplo da cobertura do Bote Fé por todo Brasil, assim como o site (www.jovensconectados.org.br) e a Fan Page no Facebook, já com 49.500 ‘curtidores”, destacaram-se. A segunda experiência educomunicativa demonstrada foi da ONG Auçuba Comunicação e Educação, que há 23 anos trabalha diversos projetos com adolescentes e jovens. A coordenadora Paula Ferreira mostrou com clareza o trabalho desenvolvido, onde os jovens aprendem a produzir vídeos, fotos, publicações, e mais do que isto, desenvolvem sua visão de mundo e atuação como cidadãos, e a importância da parceria com comunidades, escolas públicas e outras Ongs e Redes. Por último, o Centro de Comunicação e Juventude (CCJ), representado pela educadora que já foi educanda do centro, Samara Duarte, de Recife, onde os jovens de 12 comunidades em parceria com universidades e outras ONGs, realiza atividades no campo da formação/capacitação de jovens nas linguagens de comunicação, favorecendo a capacitação técnica e também o exercício da cidadania e o protagonismo juvenil a partir da comunicação. Na parte da tarde, foi a vez da coordenadora inspetorial de comunicação, Jakeline Lira, dar uma palavra sobre “Caminhar com a geração internet”. Em sua fala, como premissas para se compreender a geração atual, foi pontuado o conceito de juventude como construção sociocultural, assim como a evolução do conceito de condição juvenil, além de uma pequena análise sobre as características da contemporaneidade. Foi reforçado que, mais do que saber mexer em novas ferramentas, é preciso entrar nesta nova lógica e estar aberto ao novo e às mudanças, encarando a realidade presente como um desafio positivo, aprendendo a ser e a estar no mundo digital, não o compreendendo apenas como uma ferramenta de transmissão de conteúdo. Após intervalo, os responsáveis pela comunicação das casas e alguns jovens continuaram reunidos, para partilhar um pouco as práticas educomunicativas desenvolvidas ou em projeto nas suas realidades locais, ajudando assim a equipe inspetorial de comunicação a diagnosticar e pontuar elementos para atividades futuras. No geral, o encontro foi avaliado positivamente pelos participantes. Alephidaleth Lobo, gestora de comunicação do Colégio Salesiano do Salvador (Bahia), e também esteve presente no primeiro Fórum, em 2011, mostrou-se satisfeita com as palestras, mesas redondas e complementou: “a troca de experiências com outras pessoas de comunicação, com outros colégios, vai amadurecendo a possibilidade de inserirmos novas práticas na nossa realidade local, por isso eventos assim são muito válidos”. O mesmo aspecto foi pontuando por Paulo Yajima, gestor de comunicação e tecnologia do Colégio Salesiano de Aracaju (Sergipe), que desde 2008 já vem entrando em contato através da Rede Salesiana de Escolas com a temática “educomunicação” e também participou das duas edições do Fórum: “acho muito louvável este tipo de evento, nos enriquece muito e nós levamos muitas experiências e ideias para nossas casas”. Veja fotos e vídeos do evento no site: http://www.fasne.edu.br/forume na página nossa do Facebook (Fotos – >Album “II Fórum..”): http://www.facebook.com/sdbbre  
Published in Comunicação
Page 2 of 3
A formação dos leigos para a missão política é o compromisso do Centro Nacional de Fé e Política Dom Hélder Câmara (Cefep), iniciativa da CNBB, por meio da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato. O organismo promove há 8 anos, um curso de formação política para cristãos leigos, com o objetivo de fomentar um pensamento social à luz da doutrina da Igreja.
Published in Nacionais
"Somos Família Salesiana, mulheres e homens bebendo da fonte! Vivendo o amor, pois o Senhor nos chama. Francisco de Sales aponta os horizontes." Este foi o refrão do hino do 2º Fórum da Família Salesiana, realizado na Paróquia Santa Isabel de Viamão (RS) e confiada aos Oblatos de São Francisco de Sales. De 18 a 20 de outubro reuniram-se aproximadamente 130 Leigos e religiosos de várias congregações que vivem a Espiritualidade Salesiana, baseados em São Francisco de Sales. Estiveram presentes Leigos Salesianos de Palmeira das Missões (RS), Instituto Secular SFS, Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), Ligas Salesianas de Sta. Isabel, Salesianos de Dom Bosco (SDB), Amigos de SFS (Uruguai), Oblatos de SFS e Associação de Maria Auxiliadora (ADMA/Viamão).
Published in Nacionais
  Os sacerdotes e diáconos deverão se inscrever nos moldes dos peregrinos como responsáveis dos grupos ou membros. Para os que desejarem concelebrar nas celebrações eucarísticas dos atos centrais ou confessar nos diversos atos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013), terão de se inscrever até o próximo sábado, 13. Após finalizar a inscrição e ter efetuado o pagamento, o responsável do grupo que contém clérigos receberá um e-mail com um link para iniciar o processo de credenciamento.   O diretor do setor Clero, Diácono Rodrigo Vieira, lembra que é indispensável que os clérigos especifiquem no campo “categoria” se são sacerdotes ou diáconos no ato da inscrição como peregrinos.   De acordo com o Diácono Rodrigo, os sacerdotes e diáconos ainda poderão se inscrever após o dia 13, mas não poderão mais se credenciar para concelebrar ou confessar. A retirada da credencial dos padres e diáconos será realizada entre os dias 19 e 26 de julho, na Catedral Metropolitana de São Sebastião. O horário é de 8h às 17h.   Credenciamento   O processo de credenciamento dá aos membros do clero o direito de receber uma credencial com foto para ter acesso aos locais específicos para os clérigos. Para retirada da credencial, é necessário portar um documento com foto (brasileiros o RG, estrangeiros o passaporte) e a declaração de aptidão sacerdotal  preenchida, assinada e chancelada pela autoridade eclesial competente de origem do padre. Os diáconos deverão apresentar um documento com foto autenticando sua condição de clérigo, que poderá ser a carteira do clero de sua diocese ou uma declaração assinada pelo Bispo onde está incardinado.   O acesso dos membros do clero será possível em atos centrais, especiais e pastorais. Entre os atos especiais, haverá uma missa com bispos. Nesse caso, somente se for necessário, o setor de clero preencherá os lugares restantes da Catedral Metropolitana com sacerdotes e diáconos selecionados segundo o critério de ordem de inscrição e credenciamento. Somente os bispos concelebrarão, os padres assistirão. Por isso, não precisarão levar paramentos, mas deverão obrigatoriamente usar batina, hábito religioso ou clegyman.   Catequeses e confissão   Durante as catequeses, os padres poderão concelebrar nas celebrações eucarísticas tendo a responsabilidade de levar os seus paramentos (única e estola) obedecendo às cores litúrgicas determinadas para aquele dia. Durante as catequeses os padres  credenciados poderão se disponibilizar para confissões. Os diáconos também podem participar das celebrações levando seus paramentos.   A Feira Vocacional, realizada na Quinta da Boa Vista  e o Largo da Carioca, serão os locais oficiais de atendimento e confissões da JMJ. Somente os padres credenciados poderão atender confissão durante JMJ Rio 2013. Este atendimento poderá acontecer durante os atos centrais, especiais e pastorais.   Serviço Retirada da credencial dos padres de diáconos Local: Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro Endereço: Av. Chile, n° 243, Centro, Rio de Janeiro. Data: 19/07 à 26/07 Horário: 8h às 17h   Qualquer dúvida, enviar um e-mail a This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it..   JMJ Rio2013
Published in Nacionais
O padre salesiano Piero Gavioli, diretor do Centro Dom Bosco Ngangi, enviou informações sobre a atual situação no Norte Kivu, província localizada ao leste da República Democrática do Congo e em Goma. A região mais uma vez é atingida por uma onda de confrontos e violências e o padre salesiano é o atual porta-voz da população. Leia abaixo a íntegra da mensagem enviada por ele sobre a situação no local.   Trata-se, infelizmente, do enésimo episódio de uma triste história que já dura 20 anos. Faz pouco mais de um ano, amotinou-se um grupo de militares rebeldes, que se chamou “M23”. Referia-se de fato aos acordos de 23 de março de 2009 – dali o nome – entre o governo de Kinshasa e a rebelião de Kunda, que durou vários meses. A nova rebelião, guiada por Bosco Ntaganda – procurado pelo tribunal penal de Haia, onde se encontra agora – e apoiada por Ruanda e Uganda, nasceu para reclamar a aplicação – não ocorrida segundo eles – dos acordos de 2009.   Depois de variada série de ataques e retiradas, no fim de novembro de 2012, o M23 ocupou Goma por 10 dias; depois retirou-se a poucos quilômetros mais ao norte e continuou a ocupar militarmente e a explorar economicamente grande parte do Norte Kivu.   Sob pressão internacional, governo e rebeldes se reuniram em Kampala, sem chegar a um acordo. Os países da região dos Grandes Lagos decidiram enviar a Goma uma força de intervenção africana que, operativa provavelmente dentro de três meses, deveria reduzir todos os grupos armados. (Ultimamente foram apontados 27; mas nascem novos todos os dias...).   Segunda-feira, 20 de maio, para impedir ou retardar a missão – hipótese nossa – o M23 desferiu um ataque contra as forças armadas governantes em Kibati, a 12 quilometros ao norte de Goma. Iniciou também o enésimo êxodo de refugiados, sobretudo de mulheres e crianças, buscando um pouco de segurança e chegando também ao Centro Dom Bosco Ngangi.   A noite seguinte foi tranquila. Terça-feira, 21 de maio, repetiram-se os mesmos fatos, mas em Kibati (12 km ao norte) ouvem-se os disparos. Evidentemente não há notícias precisas: cada campo acusa o outro de ser a causa dos tiros do dia precedente e não existem negociações em curso.   No Centro Dom Bosco estamos todos bem e continuamos o nosso trabalho. Perguntaram-nos se podemos acolher refugiados, como fizemos há seis meses. Respondi que em caso de urgência extrema,  podemos fazê-lo. Por ora, estamos a poucas semanas do fim do ano escolar e gostaríamos que os alunos das nossas escolas pudessem terminá-lo de modo normal. Aguardamos a evolução dos acontecimentos. Ajudai-nos com a vossa oração. Se tiverdes contatos com ministros ou parlamentares, dizei-lhes que não se esqueçam desta população que padece uma guerra sem dela saber o porquê. (…) Apoiai a nossa coragem com vossa oração, e dizei a todos que em Goma está em curso mais uma inútil carnificina.   Padre Pascual Chávez, reitor-mor da Congregação Salesiana, respondeu a mensagem de padre Gavioli dizendo que confiou a população de Goma e de todas as áreas de guerra à proteção da Virgem Maria. O reitor-mor assegurou igualmente contatar ministros e parlamentares, a fim de que a população de Goma não seja esquecida, e prometendo que Goma estaria igualmente no centro das suas orações nas celebrações do dia 24 de maio, em Valdocco, por ocasião da Festa de Nossa Senhora Auxiliadora.   InfoANS
Published in Internacionais
A Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) realizou, no dia 22 de março, no Liceu Coração de Jesus, em São Paulo, um seminário sobre educação infantil, reunindo mais de 100 colaboradores que atuam na área de diversas obras sociais da Inspetoria de Nossa Senhora Auxiliadora. O seminário contou com uma palestra sobre o tema “A mística na infância: educar e cuidar, direitos e deveres na prática do educador social”, ministrada pela professora doutora Maria Stela Santos Graciani, especialista na área de educação. Além da palestra, os educadores também participaram de oficinas temáticas sobre assuntos correlatos.   Inspetoria Salesiana de São Paulo   Leia também: Novos colaboradores  da RESAS estudam a pedagogia salesiana
Published in Ação Social
  Além de alunos alcançarem as primeiras colocações em alguns cursos, outros estudantes passaram em até quatro instituições de ensino diferentes no país. O Dandara, ligado à Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) no Espírito Santo, ainda conseguiu aprovar quase 90% dos alunos inscritos no projeto.   Filipe Barbosa teve a segunda melhor pontuação no vestibular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no curso de Direito. O jovem foi aluno do cursinho pré-vestibular Dandara, gerido pelo Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador (Cesam) de Vitória, capital do Estado, e uma das obras mantidas pela Rede Salesiana de Ação Social (RESAS). “No final do ano passado, consegui desconto num cursinho particular, mas meus pais não podiam pagar, mesmo com a mensalidade mais em conta. O Dandara foi uma grande oportunidade para minha vida”, lembra. Mas, Filipe não foi o único fruto positivo do projeto: dos 85 alunos do Dandara que tentaram vestibular no Estado e no país, 75 foram aprovados.   Alberto Mateus, por exemplo, foi aprovado em 10º lugar no curso de Medicina da Ufes. A vida do estudante não foi fácil, com muito esforço chegava em casa tarde da noite depois de um dia inteiro de trabalho e estudos. Tentou o concurso durante três anos, e o esforço valeu a pena. “Espero ser um profissional de excelência, qualificado, de respeito e ser honrado pelo meu sacrifício”, explica o jovem.   Os estudantes muitas vezes tiveram que driblar a falta de dinheiro, tempo, cansaço, desânimo  e até sua própria história, como lembra a mãe de Alberto, Nilza Guerra. “Aqui na nossa comunidade nem todos têm a expectativa de ter algo melhor, isso muitas vezes nos leva a vacilar. Mas um resultado como esse nos prova que é possível, que somos capazes e quem quer pode conseguir. Eu vou ser a primeira paciente do meu filho”, comemora.   Assim como o Filipe e o Alberto, todos os outros alunos do Dandara sempre estudaram em escola pública. O Projeto conta com professores voluntários e a Rede Salesiana fornece o espaço e o material didático.   Em 2013, graças ao projeto, o sonho de ingressar no ensino superior tornou-se realidade para 75 alunos do curso pré-vestibular Dandara. Cada aprovado tem uma história, mas é fato que o ingresso no terceiro grau mudará a vida de todos. Será assim também com a Jozeni Barbosa, 52 anos, que passou para o curso de Biblioteconomia da Ufes.  “É a realização de um sonho. Há muitos anos terminei o segundo grau e sempre tive vontade de prosseguir. Agora vou poder sentar na cadeira de uma universidade”, relata a estudante.   Educadores A alegria dos alunos é compartilhada também pelos professores. “Não tem dinheiro que pague essa alegria. Que isso se propague”, festeja o professor do projeto André Cupertino. De acordo com a coordenadora do Dandara, Rita Perim, o resultado do vestibular 2013 foi muito positivo. “Tivemos um índice de aproveitamento alto, quase 90% de aprovação, fora os alunos que passaram em concursos tecnólogos e para a ocupação de cargos públicos. Não tenho dúvida de que esse resultado individual causará uma mudança na vida desses estudantes não somente econômica e financeira, mas de paradigmas”, explica.   Sobre o Dandara O Dandara é um cursinho preparatório para o vestibular. É gratuito, conta com professores voluntários e está vinculado à Rede Salesiana de Ação Social. Tem como gestor o Centro Salesiano do Adolescente Trabalhador. Para participar do cursinho o interessado tem que ter estudado em escola pública e ter renda familiar de no máximo dois salários mínimos. Além disso, precisa ser aprovado em uma prova classificatória na qual constam questões objetivas e uma redação. As aulas começam sempre na segunda semana do mês de março e este ano foram oferecidas 100 vagas. As turmas do pré-vestibular para 2013 estão fechadas, mas o cursinho precisa de professores voluntários, principalmente de língua portuguesa. Quem tiver interesse pode buscar mais informações no telefone (27) 3331-8540.  
Published in Ação Social
Uma pequena equipe guiada pelo historiador padre Francesco Motto, SDB, partiu nesta quarta-feira, dia 20 de fevereiro, da Itália para a Patagônia e o arquipélago da Terra do Fogo, no sul da América do Sul, para gravar uma docuficção - género cinematográfico que procura captar a realidade - sobre um acontecimento histórico de interesse eclesial e salesiano: o I Centenário do Levantamento de uma cruz monumental no ponto mais meridional da Patagônia, no Cabo Froward, situado na costa norte do estreito de Magalhães.   A primeira cruz erguida – feita por duas traves de ferro, de 12 metros, cuja haste vertical afundava três metros no terreno rochoso – foi inaugurada no dia 21 de dezembro de 1913, pelo salesiano do Uruguai, padre Luigi Heitor Salaberry, diretor do Instituto São José, de Punta Arenas. A cruz foi erguida por causa do 16º Centenário do Edito de Constantino, o Grande, de 313 D.C., que concedeu a liberdade religiosa em todo o Império Romano em virtude da vitória obtida sobre Maxêncio, depois do sonho da Santa Cruz e da visão “in hoc signo vinces” (sob este sinal vencerás).   Em 1943 o padre Luigi Heitor Salaberry benzeu uma segunda cruz, de cimento armado, que substituiu a anterior, parcialmente deteriorada com o tempo.  Em abril de 1987 essa cruz foi substituída por outra metálica; de estrutura tubular e 50 metros de altura, para celebrar a viagem apostólica do Papa João Paulo II ao Chile.   "A docuficção também será uma oportunidade para documentar com rigor histórico a heroica, ainda que desafortunada, atividade salesiana entre os índios da Patagônia meridional e das ilhas fueguinas", disse o padre Francesco Motto. Padre Motto espera realizar a pré-estreia do filme em dezembro deste ano, simultaneamente, em Punta Arenas, Chile, e em Turim, na Itália.   InfoANS  
Published in Internacionais
O Centro de Capacitação Laura Vicuña, conhecido como “Casa Mornese”, das irmãs Filhas de Maria Auxiliadora da Inspetoria Laura Vicuña, em Manaus, AM, sediou, entre os dias 24 e 30 de janeiro, os Exercícios Espirituais dos Salesianos de Dom Bosco da Inspetoria São Domingos Sávio. Este retiro foi destinado àqueles que ainda não haviam participado do primeiro retiro espiritual, realizado em julho de 2012, e destinado, sobretudo, aos diretores e encarregados. O tema do II Retiro Anual teve o apóstolo Paulo como inspiração.   Padre Antônio Carlos orientou e dirigiu o retiro e o bispo da diocese de São Gabriel da Cachoeira, dom Edson Damian, conduziu os momentos de meditação a partir do tema proposto. “Amor a Jesus Cristo e aos irmãos na carta do Apóstolo Paulo” foi o eixo central, e a partir dele Dom Edson motivou as reflexões.   Inspetoria Salesiana do Amazonas
Published in Nacionais
As Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) comemoram 75 anos de presença na República Dominicana. A comemoração inicial foi realizada na Catedral de Santo Domingo, com a Celebração Eucarística, presidida por Dom Nicolas de Jesus Lopez Rodriguez. Participaram da Eucarístia, religiosos de outras congregações, jovens e membros da Família Salesiana, além de amigos e benfeitores da obra salesiana.   Durante a celebração, irmã Petra Elena González, responsável pelo âmbito da formação, fez com que se refletisse sobre o significado da presença das FMA em terra dominicana por meio de expressões de agradecimento: “As FMA querem exprimir os mais profundos sentimentos de gratidão pelas intrépidas missionárias: irmãs Teresa Leonardi (italiana), Cristina Bustamante (mexicana), Adela Martin (espanhola) e Maria Zago (espanhola), que chegaram em 1937, levantando a bandeira da cruz sobre o solo americano e começando a missão educativa a serviço dos jovens”, disse a irmã.   Irmã Petra Elena também agradeceu pelo dom da Providência que, manifestando-se mediante pessoas e acontecimentos, permitiu que se concretizasse a pedagogia salesiana com a abertura de várias obras, para que tantos jovens se tornassem “bons cristãos e honestos cidadãos”.   Filhas de Maria Auxiliadora
Published in Internacionais
  Nos dias 14 e 15 de setembro, a Inspetoria Salesiana do Nordeste, em parceria com a Faculdade Salesiana, promoveu o II Fórum Salesiano de Educação e Comunicação. O tema geral proposto foi: Juventude, educação e práticas educomunicativas. A palestra de abertura, dia 14, contou com a jornalista, pesquisadora e educomunicadora Cristiane Parente, com o tema geral “Jovens e a comunicação: desafios para a educação”. Com muita competência e simpatia, ela enfatizou inicialmente sobre aprendizagem e a importância da leitura e da importância de se construir ecossistemas educomucativos dentro dos ambientes educativos. Na continuação, trouxe alguns dados e análise do nosso contexto atual e exemplos de projetos educomunicativos no mundo e especialmente no Brasil e as possibilidades de uso das mídias em sala de aula. Assim, de maneira transversal, colocou a possibilidade do uso dos meios de comunicação de três maneiras: a leitura crítica, a apropriação criativa, onde os jovens são os produtores e mobilizadores, e percepção dos Meios como apoio, que podem ajudar a atualizar conteúdos em sala de aula, não deixando de lado a contextualização e o envolvimento dos alunos enquanto cidadãos. Em depoimento, Cristiane se mostrou muito feliz com a realização do evento, colocando-se inclusive à disposição de todos os educadores salesianos, e deixou o recado: “Se a gente quer formar cidadãos mais informados, mais participativos, uma comunicação para a paz, para formação de valores, para uma mídia melhor, a gente tem que entrar com a educomunicação.” Já no dia 15 foi a vez da mesa-redonda sobre “Práticas educomunicativas”, onde os participantes puderam conhecer 3 iniciativas distintas. A primeira experiência mostrada foi a dos Jovens Conectados, da Comissão Episcopal Pastoral para Juventude da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), trazida pela publicitária e integrante Clarissa Medeiros, onde os jovens, que são voluntários, com muita propriedade organizam a comunicação e a conduzem de maneira muito profissional e protagônica. O exemplo da cobertura do Bote Fé por todo Brasil, assim como o site (www.jovensconectados.org.br) e a Fan Page no Facebook, já com 49.500 ‘curtidores”, destacaram-se. A segunda experiência educomunicativa demonstrada foi da ONG Auçuba Comunicação e Educação, que há 23 anos trabalha diversos projetos com adolescentes e jovens. A coordenadora Paula Ferreira mostrou com clareza o trabalho desenvolvido, onde os jovens aprendem a produzir vídeos, fotos, publicações, e mais do que isto, desenvolvem sua visão de mundo e atuação como cidadãos, e a importância da parceria com comunidades, escolas públicas e outras Ongs e Redes. Por último, o Centro de Comunicação e Juventude (CCJ), representado pela educadora que já foi educanda do centro, Samara Duarte, de Recife, onde os jovens de 12 comunidades em parceria com universidades e outras ONGs, realiza atividades no campo da formação/capacitação de jovens nas linguagens de comunicação, favorecendo a capacitação técnica e também o exercício da cidadania e o protagonismo juvenil a partir da comunicação. Na parte da tarde, foi a vez da coordenadora inspetorial de comunicação, Jakeline Lira, dar uma palavra sobre “Caminhar com a geração internet”. Em sua fala, como premissas para se compreender a geração atual, foi pontuado o conceito de juventude como construção sociocultural, assim como a evolução do conceito de condição juvenil, além de uma pequena análise sobre as características da contemporaneidade. Foi reforçado que, mais do que saber mexer em novas ferramentas, é preciso entrar nesta nova lógica e estar aberto ao novo e às mudanças, encarando a realidade presente como um desafio positivo, aprendendo a ser e a estar no mundo digital, não o compreendendo apenas como uma ferramenta de transmissão de conteúdo. Após intervalo, os responsáveis pela comunicação das casas e alguns jovens continuaram reunidos, para partilhar um pouco as práticas educomunicativas desenvolvidas ou em projeto nas suas realidades locais, ajudando assim a equipe inspetorial de comunicação a diagnosticar e pontuar elementos para atividades futuras. No geral, o encontro foi avaliado positivamente pelos participantes. Alephidaleth Lobo, gestora de comunicação do Colégio Salesiano do Salvador (Bahia), e também esteve presente no primeiro Fórum, em 2011, mostrou-se satisfeita com as palestras, mesas redondas e complementou: “a troca de experiências com outras pessoas de comunicação, com outros colégios, vai amadurecendo a possibilidade de inserirmos novas práticas na nossa realidade local, por isso eventos assim são muito válidos”. O mesmo aspecto foi pontuando por Paulo Yajima, gestor de comunicação e tecnologia do Colégio Salesiano de Aracaju (Sergipe), que desde 2008 já vem entrando em contato através da Rede Salesiana de Escolas com a temática “educomunicação” e também participou das duas edições do Fórum: “acho muito louvável este tipo de evento, nos enriquece muito e nós levamos muitas experiências e ideias para nossas casas”. Veja fotos e vídeos do evento no site: http://www.fasne.edu.br/forume na página nossa do Facebook (Fotos – >Album “II Fórum..”): http://www.facebook.com/sdbbre  
Published in Comunicação
Page 2 of 3