De 7 a 14 de julho, no Centro Europeu da Juventude, de Strasburgo, o ‘Don Bosco Youth Net’ (DBYN) e o Conselho da Europa organizaram uma sessão de estudos chamada “Orientando o DBYN para a Educação aos  Direitos Humanos”. A sessão, que contou com 24 participantes de 14  nacionalidades e 13 organizações serviu para formar os jovens responsáveis e animadores dos vários grupos acerca do tema da Educação aos Direitos Humanos – um valor fundamental do Conselho da Europa –; como uma continuação do Congresso Mundial sobre o Sistema Preventivo e Direitos Humanos, realizado na Casa Geral dos Salesianos, em janeiro de 2009.
Publicado em Internacionais
Com o intuito de oferecer apoio e orientação às famílias atendidas pelo Centro Juvenil Mamãe Margarida, em Niterói-RJ, a unidade, em parceria com o Grupo Quintal da Casa de Ana, implantou o grupo Escola de Famílias. No dia 27 de maio foi realizado o terceiro encontro com o tema "Família e Comunidade: um encontro possível". Serão ao todo oito encontros. Entre os demais temas abordados estão: “Desempenhando papéis familiares”; “Família e comunidade”; “Limites e responsabilidades na família e na escola”; “Sexualidade”; “Violência”; e “Drogas”. Os encontros são coordenados por uma psicóloga e por uma assistente social, com apoio de uma educadora física. “O que se pretende com o grupo Escola de Famílias é atuar no âmbito da  integração social, para o fortalecimento da cidadania,  recuperação do núcleo familiar e, a partir disso, trabalhar para a construção de uma sociedade mais sadia, com resgate da dignidade humana”, afirmou a assistente social do Centro Juvenil, Lyvia Silvia Noronha. O Grupo Quintal da Casa da Ana, parceiro no projeto, é uma entidade beneficente e sem fins lucrativos de Niterói-RJ, que trabalha, entre outras frentes, em ações que visam a incentivar e a garantir a toda criança a convivência familiar.  
Publicado em Ação Social
  Um ônibus solidário vai ajudar a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) a deixar o legado social que deseja. O Projeto Passaporte da Cidadania tem o objetivo de atender crianças e adolescentes que precisam de ajuda, principalmente em relação à dependência química. Jovens que são considerados em “situação de risco” terão a oportunidade de ser resgatados por meio de educação, integração e amor.   O lançamento do projeto foi realizado nesta terça-feira, dia 02 de abril, às 19h30, na Praça Serzedelo Correia, em frente à Paróquia Nossa Senhora de Copacabana. Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local da Jornada, deu a bênção ao veículo.   A meta do projeto é, ao longo de dois anos, atender 200 crianças e adolescentes pobres que vivem ou perambulam nas ruas, dando atenção especial para os casos relativos ao uso de drogas, principalmente o crack. O ônibus itinerante começará o trabalho de resgate pelo bairro de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A expectativa de permanência no bairro é de 30 dias, mas ainda não há tempo determinado. A organização vai avaliar de acordo com a necessidade dos jovens de cada região.   A equipe multidisciplinar responsável pelo trabalho é composta por cinco profissionais. O ônibus é dividido em três espaços: para filmes, jogos e leitura/acesso à internet; este último com 10 computadores. Do lado de fora haverá uma tenda para debate sobre assuntos relacionados à vida dos jovens.   O espaço de filmes terá curtas e longas metragens com temas sobre o cotidiano dos menores, como o filme “5X Favela”. A sala de jogos será um espaço lúdico que servirá para a interação, com bambolês, dama, peteca, entre outras brincadeiras. No espaço de leitura, os menores poderão fazer desenhos, na parte dos computadores com acesso à internet, além de fazer o cadastro no projeto, eles serão incentivados a criar blogs.   Leia a matéria na íntegra no portal da JMJ Rio2013
Publicado em Nacionais
  A extraordinária fecundidade do modelo associativo salesiano   “Como os companheiros que me queriam levar às desordens eram os mais desleixados nos deveres escolares, começaram também a recorrer a mim para que lhes fizesse o favor de lhes emprestar ou ditar o tema da aula. Isso desagradou ao professor, porque minha mal-entendida benevolência favorecia-lhes a preguiça, e me proibiu de ajudá-los. Recorri então a um meio menos prejudicial, isto é, explicar as dificuldades e ajudar os mais atrasados.... Começaram a vir para brincar, depois para ouvir fatos e fazer a tarefa de aula, e, por fim, sem motivo algum, como os de Murialdo e de Castelnuovo. Para dar um nome a essas reuniões, costumávamos chamar-lhe Sociedade da Alegria. O nome vinha a calhar, porque cada sócio tinha a obrigação estrita de arranjar livros e provocar assuntos e brinquedos que pudessem contribuir para estarmos alegres. Tudo o que pudesse ocasionar tristeza, especialmente as coisas contrárias às leis do Senhor, estava proibido. Assim, quem houvesse blasfemado ou tomado o nome do Senhor em vão, ou tido más conversas, era imediatamente expulso da sociedade. Encontrando-me desse modo à testa de uma multidão de companheiros...” (Memórias do Oratório, Primeira Década, 6).  
Publicado em Reitor-mor
De 7 a 14 de julho, no Centro Europeu da Juventude, de Strasburgo, o ‘Don Bosco Youth Net’ (DBYN) e o Conselho da Europa organizaram uma sessão de estudos chamada “Orientando o DBYN para a Educação aos  Direitos Humanos”. A sessão, que contou com 24 participantes de 14  nacionalidades e 13 organizações serviu para formar os jovens responsáveis e animadores dos vários grupos acerca do tema da Educação aos Direitos Humanos – um valor fundamental do Conselho da Europa –; como uma continuação do Congresso Mundial sobre o Sistema Preventivo e Direitos Humanos, realizado na Casa Geral dos Salesianos, em janeiro de 2009.
Publicado em Internacionais
Com o intuito de oferecer apoio e orientação às famílias atendidas pelo Centro Juvenil Mamãe Margarida, em Niterói-RJ, a unidade, em parceria com o Grupo Quintal da Casa de Ana, implantou o grupo Escola de Famílias. No dia 27 de maio foi realizado o terceiro encontro com o tema "Família e Comunidade: um encontro possível". Serão ao todo oito encontros. Entre os demais temas abordados estão: “Desempenhando papéis familiares”; “Família e comunidade”; “Limites e responsabilidades na família e na escola”; “Sexualidade”; “Violência”; e “Drogas”. Os encontros são coordenados por uma psicóloga e por uma assistente social, com apoio de uma educadora física. “O que se pretende com o grupo Escola de Famílias é atuar no âmbito da  integração social, para o fortalecimento da cidadania,  recuperação do núcleo familiar e, a partir disso, trabalhar para a construção de uma sociedade mais sadia, com resgate da dignidade humana”, afirmou a assistente social do Centro Juvenil, Lyvia Silvia Noronha. O Grupo Quintal da Casa da Ana, parceiro no projeto, é uma entidade beneficente e sem fins lucrativos de Niterói-RJ, que trabalha, entre outras frentes, em ações que visam a incentivar e a garantir a toda criança a convivência familiar.  
Publicado em Ação Social
  Um ônibus solidário vai ajudar a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) a deixar o legado social que deseja. O Projeto Passaporte da Cidadania tem o objetivo de atender crianças e adolescentes que precisam de ajuda, principalmente em relação à dependência química. Jovens que são considerados em “situação de risco” terão a oportunidade de ser resgatados por meio de educação, integração e amor.   O lançamento do projeto foi realizado nesta terça-feira, dia 02 de abril, às 19h30, na Praça Serzedelo Correia, em frente à Paróquia Nossa Senhora de Copacabana. Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local da Jornada, deu a bênção ao veículo.   A meta do projeto é, ao longo de dois anos, atender 200 crianças e adolescentes pobres que vivem ou perambulam nas ruas, dando atenção especial para os casos relativos ao uso de drogas, principalmente o crack. O ônibus itinerante começará o trabalho de resgate pelo bairro de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A expectativa de permanência no bairro é de 30 dias, mas ainda não há tempo determinado. A organização vai avaliar de acordo com a necessidade dos jovens de cada região.   A equipe multidisciplinar responsável pelo trabalho é composta por cinco profissionais. O ônibus é dividido em três espaços: para filmes, jogos e leitura/acesso à internet; este último com 10 computadores. Do lado de fora haverá uma tenda para debate sobre assuntos relacionados à vida dos jovens.   O espaço de filmes terá curtas e longas metragens com temas sobre o cotidiano dos menores, como o filme “5X Favela”. A sala de jogos será um espaço lúdico que servirá para a interação, com bambolês, dama, peteca, entre outras brincadeiras. No espaço de leitura, os menores poderão fazer desenhos, na parte dos computadores com acesso à internet, além de fazer o cadastro no projeto, eles serão incentivados a criar blogs.   Leia a matéria na íntegra no portal da JMJ Rio2013
Publicado em Nacionais
  A extraordinária fecundidade do modelo associativo salesiano   “Como os companheiros que me queriam levar às desordens eram os mais desleixados nos deveres escolares, começaram também a recorrer a mim para que lhes fizesse o favor de lhes emprestar ou ditar o tema da aula. Isso desagradou ao professor, porque minha mal-entendida benevolência favorecia-lhes a preguiça, e me proibiu de ajudá-los. Recorri então a um meio menos prejudicial, isto é, explicar as dificuldades e ajudar os mais atrasados.... Começaram a vir para brincar, depois para ouvir fatos e fazer a tarefa de aula, e, por fim, sem motivo algum, como os de Murialdo e de Castelnuovo. Para dar um nome a essas reuniões, costumávamos chamar-lhe Sociedade da Alegria. O nome vinha a calhar, porque cada sócio tinha a obrigação estrita de arranjar livros e provocar assuntos e brinquedos que pudessem contribuir para estarmos alegres. Tudo o que pudesse ocasionar tristeza, especialmente as coisas contrárias às leis do Senhor, estava proibido. Assim, quem houvesse blasfemado ou tomado o nome do Senhor em vão, ou tido más conversas, era imediatamente expulso da sociedade. Encontrando-me desse modo à testa de uma multidão de companheiros...” (Memórias do Oratório, Primeira Década, 6).  
Publicado em Reitor-mor