Daniel Munduruku, do povo do mesmo nome, é escritor, educadore e hoje se destaca como um dos maiores expoentes da cultura indígena e brasileira. Conheça um pouco da história e do pensamento deste ex-aluno do Centro Universitário Salesiano (Unisal) de Lorena.Os filhos são a honra do pai. Os ex-alunos de Dom Bosco honram este pai e mestre. São muitos, quem sabe milhões, os ex- alunos de Dom Bosco no mundo inteiro. Daniel Munduruku, do povo  do mesmo nome é um deles. Indígena natural do Pará, Daniel foi seminarista salesiano e cursou Filosofia no Centro Unisal de Lorena. É doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e faz pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos, SP. É pesquisador da CAPES  e Comendador da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da República, além de diretor-presidente do Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade Intelectual e do Instituto UKA – Casa dos Saberes Anecestrais. Palestrante e conferencista apreciado em eventos nacionais e internacionais, Daniel participou da Feira Internacional do Livro em Bolonha, Itália, e da Feira Internacional do Livro em Bogotá, Colômbia. Em 2013, foi selecionado para participar da Feira Internacional do Livro em Frankfurt na Alemanha, a maior do mundo.
Published in Educação
As recentes tragédias ocorridas no “Madrid Arena”, na capital da Espanha, em 31 de outubro do ano passado e na discoteca “Kiss”, na cidade de Santa Maria, em 26 de janeiro último, assim como a que ocorreu na discoteca “Cromañón” de Buenos Aires, Argentina, na noite de 30 de dezembro de 2004, têm preocupado e despertado a atenção dos pais sobre o que os seus filhos fazem, onde vão e como passam as horas livres. O lazer é um direito adquirido pela sociedade pós-industrial e hoje ninguém questiona sua importância ou a necessidade de descanso após uma jornada de estudos ou de trabalho como um dos direitos fundamentais – a tal ponto que este direito é reconhecido na Declaração Internacional dos Direitos Humanos (n. 24). As situações dramáticas vivenciadas não vão questionar essa premissa.
Published in Juventude
  Atividade do Polo Manaus da Rede Salesiana de Escolas (RSE) envolveu os colégios Dom Bosco Centro e Leste, Santa Teresinha e Auxiliadora e marcou a preparação para a Jornada Mundial da Juventude 2013.   Os alunos do Ensino Médio do Polo Manaus da RSE se uniram na manhã desta sexta-feira, 21 de junho, no auditório do Colégio Dom Bosco Centro, em Manaus, AM, para a “Jornada da RSE”, um encontro em preparação a JMJ. A atividade foi planejada pela equipe pedagógico-pastoral do Polo Manaus e teve como objetivo propiciar um clima de preparação em torno deste grande evento que reunirá a juventude no Rio de Janeiro, no próximo mês de julho.   O encontro foi pautado pelo tema “Juventude Salesiana, enviados para a missão” e pelo lema: “Fala, o vosso servo escuta!” e contou com a animação do acadêmico da Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB), Jean Swa, e do grupo de jovens do Pró-Menor Dom Bosco, obra social salesiana em Manaus.   Boa parte dos alunos que participaram da atividade não estará presente na Jornada Mundial da Juventude. No entanto, segundo a equipe pedagógico-pastoral, unir os estudantes para um momento de estudo e partilha em torno da JMJ é importante, já que o Brasil é a sede deste importante evento.   Ao longo do encontro os jovens participaram de um debate, facilitado pelo vice-inspetor, padre Antonio de Assis Ribeiro, e assistiram apresentações culturais dos respectivos colégios.   Inspetoria Salesiana São Domingos Sávio
Published in Nacionais
    O Colégio Salesiano Itajaí, em Santa Catarina, receberá pela quarta vez consecutiva o Selo Escola Solidária, organizado pelo Instituto Brasil Voluntário, por meio do projeto Faça Parte. O selo foi criado com o objetivo de incentivar e reconhecer o Voluntariado Educativo nas escolas públicas e privadas de todo o Brasil.   Neste ano, completa 10 anos, e nas cinco edições que foram realizadas já contemplou  23.688 unidades de ensino. Nestes 10 anos de premiação, o Colégio Salesiano de Itajaí já recebeu quatro prêmios por suas ações solidárias e proativas na comunidade de Itajaí e região.   No Brasil inteiro, apenas 285 escolas receberam todos os cinco selos instituídos pelo Faça Parte. Outras 772 receberam o selo por quatro edições consecutivas. Essas instituições, nas quais se incluem o salesiano, receberão o “Selo Especial Escola Solidária 10 anos”. O selo Escola Solidária é uma parceria entre o MEC (Ministério da Educação), o Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), a UNESCO e a Unicef.   RSE Informa   Leia também: Colégio faz pedágio solidário para APAE
Published in Nacionais
Alessandra e Isabelle Braga Macedo, as gêmeas ex-alunas do Ateneu Salesiano Dom Bosco, de Goiânia, GO, disputaram a Copa Trindade de Karatê, nos dias 15 e 16 de junho, no interior de Goiás. Mais uma vez as gêmeas foram as principais atletas do torneio, alcançando as posições mais altas do pódio. Isabelle se sagrou campeã em kumitê (luta) e kata (demonstração de movimentos), decidindo a final com a irmã, e Alessandra conquistou o vice-campeonato em ambas as categorias. A Copa Trindade teve também uma função social, apresentando para as crianças e adolescentes de baixa renda da região um torneio de karatê de alto nível.   Alexandre Macedo, pai das alunas, lembra que elas não estudam mais no colégio da Rede Salesiana de Escolas (RSE), mas continuam a receber apoio da RSE para as competições e jamais se esquecerão da passagem pelo Ateneu Dom Bosco.  “Uma vez salesianas, cremos que os ensinamentos aprendidos são para a vida toda”, destaca.   Acesse o portal da RSE e veja a disputa bem equilibrada entre as irmãs na etapa final do torneio.   RSE Informa   Notícias relacionadas: Alunas da RSE vencem campeonato centro-oeste de Karatê
Published in Nacionais
  Os peregrinos que vão à vigília e à missa de envio no Campus Fidei, em Guaratiba, terão uma estrutura que conta com 32 ilhas de serviço distribuídas ao longo de 22 lotes. As ilhas são espaços de serviço da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 onde haverá venda oficial de comida e bebidas. Além disso, haverá estruturas como banheiros, lavatórios, mictórios, torre de vigilância e bebedouros.   O objetivo é evitar que os peregrinos precisem se deslocar constantemente entre os lotes para encontrar os serviços desejados.  A área de cada lote corresponde a cerca de sete campos do Maracanã.Os lotes contarão com uma ou duas ilhas, dependendo do tamanho. O Campus Fidei contará ainda com 33 telões de LED para o público.   A área do terreno do Campus Fidei é de 1,36 milhão de m². Estão previstos 4.673 banheiros para os peregrinos, dos quais 270 são adaptados para pessoas com deficiência. Serão 615 lavatórios, 4.920 pias/bebedouros e 2.016 posições de mictório.   Já estão garantidos 12 milhões de litros de água para o evento. Eles serão distribuídos por 177 bolsões. Haverá uma estação de tratamento de esgoto (ETE) dentro do terreno do Campus Fidei, para tratar a água antes de jogar na rede de esgoto. Haverá 115 bolsões de capacidade diferente para armazenagem.   Entrada nos lotes   A entrada nos lotes será por ordem de chegada. Cada lote tem várias saídas, cada uma com cerca de 40 m de largura. Haverá controle nas entradas para evitar excesso de lotação dos peregrinos, além da capacidade do local. No entanto, desde que haja capacidade, haverá fluxo livre entre os lotes.   A orientação é que os peregrinos não levem barraca, mas apenas o saco de dormir. O objetivo é não bloquear a visão das pessoas e otimizar o espaço.   JMJ Rio2013   Outras notícias Cidade da Fé, no Riocentro, será o maior local de catequese da JMJRio2013
Published in Nacionais
  No mês de junho o calendário litúrgico salesiano relembra duas memórias: dos bem-aventurados Francisco Keşy, leigo, e de seus quatro companheiros mártires; e de São José Cafasso. Conheça um pouco da história desses homens:   12 de junho - bem-aventurados Francisco Kesy, leigo, e quatro companheiros mártires   Czesław Jóźwiak, Edward Kaźmierski, Franciszek Kęsy, Edward Klinik e Jarogniew Wojciechowski eram cinco jovens do oratório salesiano de Poznań, na Polônia, unidos no martírio (24 de agosto de 1942) e na beatificação (13 de junho de 1999, em Varsóvia). Eram animadores do oratório, apaixonados por música, teatro, esporte, empenhados na catequese, unidos por uma intensa vida espiritual. Em setembro de 1940, foram, durante a ocupação nazista, presos e acusados de pertencer a uma organização ilegal. Edward Klinik, primeiro a ser preso, escreveu à mãe: “Por mim pode ficar tranquila: vou para o combate da vida com intensa Fé. Sei que Aquela, à cuja proteção me entreguei fazendo-me um seu cavaleiro, vigia por mim e nunca me abandonará”. Presos também os demais, partilharam durante meses a experiência das humilhações e da tortura, sustentados por uma fé firme e decidida, por uma intensa devoção a Maria e por uma fraterna amizade.   Condenados sem processo regular, sem possibilidades de defesa, e, pior, por motivos que não justificavam a pena de morte, deram um exemplo heroico de Fé e de Vida cristã. Tinham-nas absorvido no oratório salesiano, de Poznań, e da Fé hauriram a força de aceitar com serenidade a “vontade de Deus”, até perdoar aos seus supliciadores, segundo o mais genuíno espírito do Evangelho.   Os Cinco Jovens Mártires são um modelo para tantos jovens que ainda hoje, em não poucos lugares do mundo, sofrem por causa da sua Fé cristã. Mas para todos os jovens são verdadeiros companheiros de vida, indicando-lhes as árduas – mas fascinantes – metas da santidade. Da santidade juvenil.   23 de junho - São José Cafasso   Também neste ano sua ocorrência cai em um dia de domingo; nessa data recorda-se “uma pérola do clero italiano”, sinal de uma extraordinária capacidade de acolhença, compreensão e misericórdia, brilhante figura de sacerdote, mestre e formador de sacerdotes, entre os quais Dom Bosco, que o teve como diretor Espiritual por 25 anos (1835-1860): antes como clérigo, depois como padre e, por fim, como fundador. As opções fundamentais de Dom Bosco tiveram como conselheiro e guia São José Cafasso. José Cafasso não formou em Dom Bosco um discípulo “à sua imagem e semelhança”; e Dom Bosco não copiou José Cafasso: imitou-o nas virtudes humanas e sacerdotais – definindo-o “modelo de vida sacerdotal” –, mas segundo os seus pessoais dons e a própria peculiar vocação: um sinal da sapiência do mestre espiritual e da inteligência do discípulo. O primeiro não se impôs ao segundo, respeitou-o na sua personalidade e o ajudou a ler qual fosse a vontade de Deus a seu respeito.   Cafasso não fundou institutos religiosos: sua “fundação” foi a “escola de vida e de santidade sacerdotal” que realizou, com o exemplo e o ensinamento, no  “Colégio Eclesiástico de São Francisco de Assis”, em Turim. O seu segredo era simples: ser um homem de Deus; fazer, nas pequenas ações cotidianas, “o que pode ser da maior glória de Deus e de vantagem para as almas”. Amava inteiramente a Deus; era animado de fé arraigadíssima e sustentado por uma profunda e prolongada oração. Vivia uma sincera caridade para com todos. Conhecia a teologia moral, mas conhecia outrossim as situações e o coração do povo, de cujo bem se encarregou, como o bom pastor. Quantos tinham a graça de lhe estar perto viam-se transformados em outros tantos bons pastores e em válidos confessores. Indicava com clareza a todos os sacerdotes a santidade por alcançar exatamente no ministério pastoral.   A memória litúrgica de São José Cafasso é um chamado a todos para intensificar o caminho rumo à perfeição da vida cristã, à santidade. Recorda especialmente aos sacerdotes a importância de dedicar tempo ao Sacramento da Reconciliação e à Direção espiritual.   InfoANS
Published in Nacionais
  A solenidade do Sagrado Coração de Jesus, tão cara a Dom Bosco e à tradição salesiana, adquire luz singular neste Ano da Fé e na caminhada rumo ao Bicentenário de nascimento do Pai e Mestre da Juventude.   Dom Bosco teve uma grande devoção ao Sagrado Coração: “Aqui adquire-se o verdadeiro calor – disse certa vez –, quero dizer: o amor de Deus; não só para si, mas para difundi-lo, compartilhando-o com as almas”. Tal devoção se explicita na sua insistência sobre a frequente Confissão e Comunhão, e sobre a participação na Missa cotidiana, colunas que devem sustentar o edifício educativo e animar a prática do Sistema Preventivo.   Pelo fim da vida aceitou Dom Bosco o pedido do Papa Leão XIII de levantar a Basílica do ‘Sacro Cuore’, em Roma. A igreja, iniciada em 1870 pelo Papa Pio IX, foi retomada ao nível dos alicerces e erguida graças à tenacidade de Dom Bosco, em poucos anos (1880-1887). Mas foi uma empresa que lhe custou pesadíssimos sacrifícios.   O seu I Sucessor, Bv. padre Miguel Rua, consagrou a Congregação Salesiana ao Sagrado Coração, em 31 de dezembro de 1899 e, nessa ocasião, fez chegar a todas as Casas uma “instrução” sobre essa Devoção. Pôs em relevo a sua importância especialmente para as Casas de formação e pediu que os noviciados lhe fossem dedicados. Alguns dias antes de morrer, pediu ao padre Francisco Cerutti que compusesse uma oração ao Sagrado Coração pelas vocações: foi-lhe apresentada a seguinte oração (em latim), que ele aprovou, rezou, pedindo que um seu exemplar fosse logo colocado sob o seu travesseiro.   O Coração de Jesus não é simplesmente um exemplo moral; mas é, graças ao encontro vivo com Ele, dom que buscar a fim de tornar o nosso coração semelhante ao Seu. A experiência transformante do amor de Deus – sobretudo hoje, em um mundo em que tantos jovens vivem sem futuro e tantas famílias estão prostradas por uma grave crise moral, cultural, econômica, social – é anúncio de esperança em meio às recorrentes tentações de desespero.   InfoANS
Published in Salesianidade
  Na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande, MS, as aulas são ministradas em português. Mas no laboratório de informática do Projeto Rede de Saberes e nos corredores da universidade também é possível ouvir conversas nas línguas Terena, Xavante, Bororo e Kadiwéu. Embora o português seja o idioma oficial do Brasil, estima-se que atualmente também sejam faladas 180 línguas indígenas no país.   O Rede de Saberes é um projeto de apoio à permanência de indígenas no ensino superior viabilizado com recursos da Fundação Ford. Teve início em 2005 e é uma parceria entre a UCDB por meio do Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas (NEPPI), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul de Aquidauana (UFMS). Ele estimula e orienta a iniciação científica, oferece cursos de extensão e monitorias e disponibiliza o uso de laboratórios de informática para os participantes.   Na Católica, o projeto é coordenado pela professora Eva Ferreira e atualmente atende 95 acadêmicos indígenas de quatro etnias do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso que estão matriculados nos mais variados cursos, de Fisioterapia à Ciência da Computação.   Uma das monitorias oferecidas pela Rede de Saberes é de Língua Portuguesa. Ministradas pela professora Célia Cristina da Silva, as atividades ajudam os estudantes a compreender um idioma que, em muitos casos, é a segunda língua. “Para alguns é mais tranquilo, a dificuldade está apenas na abordagem acadêmica ou no fato de que estudou em uma escola mais ‘fraca’. Mas para outros, que têm muito menos convivência com o português, a dificuldade é a mesma que nós temos para aprender uma língua estrangeira”, explica a professora.   As aulas são diferenciadas. Os acadêmicos começam fazendo leituras para enriquecer o vocabulário, conhecer novas palavras e exercitar a compreensão dos textos. Depois, eles produzem pequenos textos e por fim fazem a correção, entrando em contato com a gramática. A professora afirma que os encontros são muito positivos e considera que também aprende muito “trabalhar com essas monitorias é muito gratificante. As aulas são uma troca cultural”, descreve.   Acesse o site da Missão Salesiana de Mato Grosso para ler a matéria na íntegra
Published in Educação
  O curso de Direito do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, unidade Lorena, repetiu no último exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) um alto índice de aprovação dos alunos do 5º ano.  Foram aprovados 80% dos alunos que fizeram a primeira fase do X Exame de Ordem Unificado. A segunda fase será realizada no próximo dia 16 de junho. Em todos os exames da OAB, o Direito de Lorena tem apresentado altos índices de aprovação dos seus alunos.   Concursos públicos para estagiário   Os alunos do Direito tiveram ótimo desempenho também em dois concursos públicos para estagiários: da Defensoria Pública de São Paulo e do Ministério Público do estado de São Paulo.   Dos 9 candidatos aprovados no concurso da Defensoria, para a região de Taubaté, 5 são alunos do UNISAL, dentre eles o 1º colocado, Giovane Belotto Alves, do 4º ano C. Os outros também tiveram as melhores classificações: 3ª colocada, Ana Helena Rister Andrade, do 5º ano C; 4º colocado, Daniel Fialho, do 5º ano C; 5º colocado Dario Possion, do 5º ano B; e a 7º colocada Letícia Alves Barbosa Paulino, do 3º ano B.   Já no concurso de Estagiários do Ministério Público, a grande maioria dos candidatos aprovados, para a região de Taubaté, é formada por alunos do curso.   Dos 16 candidatos aprovados, 14 são alunos do UNISAL, e dentre eles estão os três primeiros colocados no concurso: Rodrigo Augusto Lemos da Silva, Guilherme Barbetta de Oliveira e Vinicius Setúbal Maffei, todos do 3º C.   Clique aqui para ler a matéria na íntegra   Inspetoria Salesiana de São Paulo
Published in Nacionais
Page 4 of 13
Daniel Munduruku, do povo do mesmo nome, é escritor, educadore e hoje se destaca como um dos maiores expoentes da cultura indígena e brasileira. Conheça um pouco da história e do pensamento deste ex-aluno do Centro Universitário Salesiano (Unisal) de Lorena.Os filhos são a honra do pai. Os ex-alunos de Dom Bosco honram este pai e mestre. São muitos, quem sabe milhões, os ex- alunos de Dom Bosco no mundo inteiro. Daniel Munduruku, do povo  do mesmo nome é um deles. Indígena natural do Pará, Daniel foi seminarista salesiano e cursou Filosofia no Centro Unisal de Lorena. É doutor em Educação pela Universidade de São Paulo e faz pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos, SP. É pesquisador da CAPES  e Comendador da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da República, além de diretor-presidente do Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade Intelectual e do Instituto UKA – Casa dos Saberes Anecestrais. Palestrante e conferencista apreciado em eventos nacionais e internacionais, Daniel participou da Feira Internacional do Livro em Bolonha, Itália, e da Feira Internacional do Livro em Bogotá, Colômbia. Em 2013, foi selecionado para participar da Feira Internacional do Livro em Frankfurt na Alemanha, a maior do mundo.
Published in Educação
As recentes tragédias ocorridas no “Madrid Arena”, na capital da Espanha, em 31 de outubro do ano passado e na discoteca “Kiss”, na cidade de Santa Maria, em 26 de janeiro último, assim como a que ocorreu na discoteca “Cromañón” de Buenos Aires, Argentina, na noite de 30 de dezembro de 2004, têm preocupado e despertado a atenção dos pais sobre o que os seus filhos fazem, onde vão e como passam as horas livres. O lazer é um direito adquirido pela sociedade pós-industrial e hoje ninguém questiona sua importância ou a necessidade de descanso após uma jornada de estudos ou de trabalho como um dos direitos fundamentais – a tal ponto que este direito é reconhecido na Declaração Internacional dos Direitos Humanos (n. 24). As situações dramáticas vivenciadas não vão questionar essa premissa.
Published in Juventude
  Atividade do Polo Manaus da Rede Salesiana de Escolas (RSE) envolveu os colégios Dom Bosco Centro e Leste, Santa Teresinha e Auxiliadora e marcou a preparação para a Jornada Mundial da Juventude 2013.   Os alunos do Ensino Médio do Polo Manaus da RSE se uniram na manhã desta sexta-feira, 21 de junho, no auditório do Colégio Dom Bosco Centro, em Manaus, AM, para a “Jornada da RSE”, um encontro em preparação a JMJ. A atividade foi planejada pela equipe pedagógico-pastoral do Polo Manaus e teve como objetivo propiciar um clima de preparação em torno deste grande evento que reunirá a juventude no Rio de Janeiro, no próximo mês de julho.   O encontro foi pautado pelo tema “Juventude Salesiana, enviados para a missão” e pelo lema: “Fala, o vosso servo escuta!” e contou com a animação do acadêmico da Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB), Jean Swa, e do grupo de jovens do Pró-Menor Dom Bosco, obra social salesiana em Manaus.   Boa parte dos alunos que participaram da atividade não estará presente na Jornada Mundial da Juventude. No entanto, segundo a equipe pedagógico-pastoral, unir os estudantes para um momento de estudo e partilha em torno da JMJ é importante, já que o Brasil é a sede deste importante evento.   Ao longo do encontro os jovens participaram de um debate, facilitado pelo vice-inspetor, padre Antonio de Assis Ribeiro, e assistiram apresentações culturais dos respectivos colégios.   Inspetoria Salesiana São Domingos Sávio
Published in Nacionais
    O Colégio Salesiano Itajaí, em Santa Catarina, receberá pela quarta vez consecutiva o Selo Escola Solidária, organizado pelo Instituto Brasil Voluntário, por meio do projeto Faça Parte. O selo foi criado com o objetivo de incentivar e reconhecer o Voluntariado Educativo nas escolas públicas e privadas de todo o Brasil.   Neste ano, completa 10 anos, e nas cinco edições que foram realizadas já contemplou  23.688 unidades de ensino. Nestes 10 anos de premiação, o Colégio Salesiano de Itajaí já recebeu quatro prêmios por suas ações solidárias e proativas na comunidade de Itajaí e região.   No Brasil inteiro, apenas 285 escolas receberam todos os cinco selos instituídos pelo Faça Parte. Outras 772 receberam o selo por quatro edições consecutivas. Essas instituições, nas quais se incluem o salesiano, receberão o “Selo Especial Escola Solidária 10 anos”. O selo Escola Solidária é uma parceria entre o MEC (Ministério da Educação), o Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), a UNESCO e a Unicef.   RSE Informa   Leia também: Colégio faz pedágio solidário para APAE
Published in Nacionais
Alessandra e Isabelle Braga Macedo, as gêmeas ex-alunas do Ateneu Salesiano Dom Bosco, de Goiânia, GO, disputaram a Copa Trindade de Karatê, nos dias 15 e 16 de junho, no interior de Goiás. Mais uma vez as gêmeas foram as principais atletas do torneio, alcançando as posições mais altas do pódio. Isabelle se sagrou campeã em kumitê (luta) e kata (demonstração de movimentos), decidindo a final com a irmã, e Alessandra conquistou o vice-campeonato em ambas as categorias. A Copa Trindade teve também uma função social, apresentando para as crianças e adolescentes de baixa renda da região um torneio de karatê de alto nível.   Alexandre Macedo, pai das alunas, lembra que elas não estudam mais no colégio da Rede Salesiana de Escolas (RSE), mas continuam a receber apoio da RSE para as competições e jamais se esquecerão da passagem pelo Ateneu Dom Bosco.  “Uma vez salesianas, cremos que os ensinamentos aprendidos são para a vida toda”, destaca.   Acesse o portal da RSE e veja a disputa bem equilibrada entre as irmãs na etapa final do torneio.   RSE Informa   Notícias relacionadas: Alunas da RSE vencem campeonato centro-oeste de Karatê
Published in Nacionais
  Os peregrinos que vão à vigília e à missa de envio no Campus Fidei, em Guaratiba, terão uma estrutura que conta com 32 ilhas de serviço distribuídas ao longo de 22 lotes. As ilhas são espaços de serviço da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 onde haverá venda oficial de comida e bebidas. Além disso, haverá estruturas como banheiros, lavatórios, mictórios, torre de vigilância e bebedouros.   O objetivo é evitar que os peregrinos precisem se deslocar constantemente entre os lotes para encontrar os serviços desejados.  A área de cada lote corresponde a cerca de sete campos do Maracanã.Os lotes contarão com uma ou duas ilhas, dependendo do tamanho. O Campus Fidei contará ainda com 33 telões de LED para o público.   A área do terreno do Campus Fidei é de 1,36 milhão de m². Estão previstos 4.673 banheiros para os peregrinos, dos quais 270 são adaptados para pessoas com deficiência. Serão 615 lavatórios, 4.920 pias/bebedouros e 2.016 posições de mictório.   Já estão garantidos 12 milhões de litros de água para o evento. Eles serão distribuídos por 177 bolsões. Haverá uma estação de tratamento de esgoto (ETE) dentro do terreno do Campus Fidei, para tratar a água antes de jogar na rede de esgoto. Haverá 115 bolsões de capacidade diferente para armazenagem.   Entrada nos lotes   A entrada nos lotes será por ordem de chegada. Cada lote tem várias saídas, cada uma com cerca de 40 m de largura. Haverá controle nas entradas para evitar excesso de lotação dos peregrinos, além da capacidade do local. No entanto, desde que haja capacidade, haverá fluxo livre entre os lotes.   A orientação é que os peregrinos não levem barraca, mas apenas o saco de dormir. O objetivo é não bloquear a visão das pessoas e otimizar o espaço.   JMJ Rio2013   Outras notícias Cidade da Fé, no Riocentro, será o maior local de catequese da JMJRio2013
Published in Nacionais
  No mês de junho o calendário litúrgico salesiano relembra duas memórias: dos bem-aventurados Francisco Keşy, leigo, e de seus quatro companheiros mártires; e de São José Cafasso. Conheça um pouco da história desses homens:   12 de junho - bem-aventurados Francisco Kesy, leigo, e quatro companheiros mártires   Czesław Jóźwiak, Edward Kaźmierski, Franciszek Kęsy, Edward Klinik e Jarogniew Wojciechowski eram cinco jovens do oratório salesiano de Poznań, na Polônia, unidos no martírio (24 de agosto de 1942) e na beatificação (13 de junho de 1999, em Varsóvia). Eram animadores do oratório, apaixonados por música, teatro, esporte, empenhados na catequese, unidos por uma intensa vida espiritual. Em setembro de 1940, foram, durante a ocupação nazista, presos e acusados de pertencer a uma organização ilegal. Edward Klinik, primeiro a ser preso, escreveu à mãe: “Por mim pode ficar tranquila: vou para o combate da vida com intensa Fé. Sei que Aquela, à cuja proteção me entreguei fazendo-me um seu cavaleiro, vigia por mim e nunca me abandonará”. Presos também os demais, partilharam durante meses a experiência das humilhações e da tortura, sustentados por uma fé firme e decidida, por uma intensa devoção a Maria e por uma fraterna amizade.   Condenados sem processo regular, sem possibilidades de defesa, e, pior, por motivos que não justificavam a pena de morte, deram um exemplo heroico de Fé e de Vida cristã. Tinham-nas absorvido no oratório salesiano, de Poznań, e da Fé hauriram a força de aceitar com serenidade a “vontade de Deus”, até perdoar aos seus supliciadores, segundo o mais genuíno espírito do Evangelho.   Os Cinco Jovens Mártires são um modelo para tantos jovens que ainda hoje, em não poucos lugares do mundo, sofrem por causa da sua Fé cristã. Mas para todos os jovens são verdadeiros companheiros de vida, indicando-lhes as árduas – mas fascinantes – metas da santidade. Da santidade juvenil.   23 de junho - São José Cafasso   Também neste ano sua ocorrência cai em um dia de domingo; nessa data recorda-se “uma pérola do clero italiano”, sinal de uma extraordinária capacidade de acolhença, compreensão e misericórdia, brilhante figura de sacerdote, mestre e formador de sacerdotes, entre os quais Dom Bosco, que o teve como diretor Espiritual por 25 anos (1835-1860): antes como clérigo, depois como padre e, por fim, como fundador. As opções fundamentais de Dom Bosco tiveram como conselheiro e guia São José Cafasso. José Cafasso não formou em Dom Bosco um discípulo “à sua imagem e semelhança”; e Dom Bosco não copiou José Cafasso: imitou-o nas virtudes humanas e sacerdotais – definindo-o “modelo de vida sacerdotal” –, mas segundo os seus pessoais dons e a própria peculiar vocação: um sinal da sapiência do mestre espiritual e da inteligência do discípulo. O primeiro não se impôs ao segundo, respeitou-o na sua personalidade e o ajudou a ler qual fosse a vontade de Deus a seu respeito.   Cafasso não fundou institutos religiosos: sua “fundação” foi a “escola de vida e de santidade sacerdotal” que realizou, com o exemplo e o ensinamento, no  “Colégio Eclesiástico de São Francisco de Assis”, em Turim. O seu segredo era simples: ser um homem de Deus; fazer, nas pequenas ações cotidianas, “o que pode ser da maior glória de Deus e de vantagem para as almas”. Amava inteiramente a Deus; era animado de fé arraigadíssima e sustentado por uma profunda e prolongada oração. Vivia uma sincera caridade para com todos. Conhecia a teologia moral, mas conhecia outrossim as situações e o coração do povo, de cujo bem se encarregou, como o bom pastor. Quantos tinham a graça de lhe estar perto viam-se transformados em outros tantos bons pastores e em válidos confessores. Indicava com clareza a todos os sacerdotes a santidade por alcançar exatamente no ministério pastoral.   A memória litúrgica de São José Cafasso é um chamado a todos para intensificar o caminho rumo à perfeição da vida cristã, à santidade. Recorda especialmente aos sacerdotes a importância de dedicar tempo ao Sacramento da Reconciliação e à Direção espiritual.   InfoANS
Published in Nacionais
  A solenidade do Sagrado Coração de Jesus, tão cara a Dom Bosco e à tradição salesiana, adquire luz singular neste Ano da Fé e na caminhada rumo ao Bicentenário de nascimento do Pai e Mestre da Juventude.   Dom Bosco teve uma grande devoção ao Sagrado Coração: “Aqui adquire-se o verdadeiro calor – disse certa vez –, quero dizer: o amor de Deus; não só para si, mas para difundi-lo, compartilhando-o com as almas”. Tal devoção se explicita na sua insistência sobre a frequente Confissão e Comunhão, e sobre a participação na Missa cotidiana, colunas que devem sustentar o edifício educativo e animar a prática do Sistema Preventivo.   Pelo fim da vida aceitou Dom Bosco o pedido do Papa Leão XIII de levantar a Basílica do ‘Sacro Cuore’, em Roma. A igreja, iniciada em 1870 pelo Papa Pio IX, foi retomada ao nível dos alicerces e erguida graças à tenacidade de Dom Bosco, em poucos anos (1880-1887). Mas foi uma empresa que lhe custou pesadíssimos sacrifícios.   O seu I Sucessor, Bv. padre Miguel Rua, consagrou a Congregação Salesiana ao Sagrado Coração, em 31 de dezembro de 1899 e, nessa ocasião, fez chegar a todas as Casas uma “instrução” sobre essa Devoção. Pôs em relevo a sua importância especialmente para as Casas de formação e pediu que os noviciados lhe fossem dedicados. Alguns dias antes de morrer, pediu ao padre Francisco Cerutti que compusesse uma oração ao Sagrado Coração pelas vocações: foi-lhe apresentada a seguinte oração (em latim), que ele aprovou, rezou, pedindo que um seu exemplar fosse logo colocado sob o seu travesseiro.   O Coração de Jesus não é simplesmente um exemplo moral; mas é, graças ao encontro vivo com Ele, dom que buscar a fim de tornar o nosso coração semelhante ao Seu. A experiência transformante do amor de Deus – sobretudo hoje, em um mundo em que tantos jovens vivem sem futuro e tantas famílias estão prostradas por uma grave crise moral, cultural, econômica, social – é anúncio de esperança em meio às recorrentes tentações de desespero.   InfoANS
Published in Salesianidade
  Na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande, MS, as aulas são ministradas em português. Mas no laboratório de informática do Projeto Rede de Saberes e nos corredores da universidade também é possível ouvir conversas nas línguas Terena, Xavante, Bororo e Kadiwéu. Embora o português seja o idioma oficial do Brasil, estima-se que atualmente também sejam faladas 180 línguas indígenas no país.   O Rede de Saberes é um projeto de apoio à permanência de indígenas no ensino superior viabilizado com recursos da Fundação Ford. Teve início em 2005 e é uma parceria entre a UCDB por meio do Núcleo de Estudos e Pesquisas das Populações Indígenas (NEPPI), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul de Aquidauana (UFMS). Ele estimula e orienta a iniciação científica, oferece cursos de extensão e monitorias e disponibiliza o uso de laboratórios de informática para os participantes.   Na Católica, o projeto é coordenado pela professora Eva Ferreira e atualmente atende 95 acadêmicos indígenas de quatro etnias do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso que estão matriculados nos mais variados cursos, de Fisioterapia à Ciência da Computação.   Uma das monitorias oferecidas pela Rede de Saberes é de Língua Portuguesa. Ministradas pela professora Célia Cristina da Silva, as atividades ajudam os estudantes a compreender um idioma que, em muitos casos, é a segunda língua. “Para alguns é mais tranquilo, a dificuldade está apenas na abordagem acadêmica ou no fato de que estudou em uma escola mais ‘fraca’. Mas para outros, que têm muito menos convivência com o português, a dificuldade é a mesma que nós temos para aprender uma língua estrangeira”, explica a professora.   As aulas são diferenciadas. Os acadêmicos começam fazendo leituras para enriquecer o vocabulário, conhecer novas palavras e exercitar a compreensão dos textos. Depois, eles produzem pequenos textos e por fim fazem a correção, entrando em contato com a gramática. A professora afirma que os encontros são muito positivos e considera que também aprende muito “trabalhar com essas monitorias é muito gratificante. As aulas são uma troca cultural”, descreve.   Acesse o site da Missão Salesiana de Mato Grosso para ler a matéria na íntegra
Published in Educação
  O curso de Direito do UNISAL – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, unidade Lorena, repetiu no último exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) um alto índice de aprovação dos alunos do 5º ano.  Foram aprovados 80% dos alunos que fizeram a primeira fase do X Exame de Ordem Unificado. A segunda fase será realizada no próximo dia 16 de junho. Em todos os exames da OAB, o Direito de Lorena tem apresentado altos índices de aprovação dos seus alunos.   Concursos públicos para estagiário   Os alunos do Direito tiveram ótimo desempenho também em dois concursos públicos para estagiários: da Defensoria Pública de São Paulo e do Ministério Público do estado de São Paulo.   Dos 9 candidatos aprovados no concurso da Defensoria, para a região de Taubaté, 5 são alunos do UNISAL, dentre eles o 1º colocado, Giovane Belotto Alves, do 4º ano C. Os outros também tiveram as melhores classificações: 3ª colocada, Ana Helena Rister Andrade, do 5º ano C; 4º colocado, Daniel Fialho, do 5º ano C; 5º colocado Dario Possion, do 5º ano B; e a 7º colocada Letícia Alves Barbosa Paulino, do 3º ano B.   Já no concurso de Estagiários do Ministério Público, a grande maioria dos candidatos aprovados, para a região de Taubaté, é formada por alunos do curso.   Dos 16 candidatos aprovados, 14 são alunos do UNISAL, e dentre eles estão os três primeiros colocados no concurso: Rodrigo Augusto Lemos da Silva, Guilherme Barbetta de Oliveira e Vinicius Setúbal Maffei, todos do 3º C.   Clique aqui para ler a matéria na íntegra   Inspetoria Salesiana de São Paulo
Published in Nacionais
Page 4 of 13