“Merúri Rodolfo! Merúri Simão! Merúri, martírio, missão!”. O verso do poema de dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, não podia ser mais apropriado para descrever o que aconteceu na igreja da aldeia bororo de Merúri, Estado do Mato Grosso, em 31 de janeiro de 2018. Dom Protógenes José Luft, bispo de Barra do Garças, abriu oficialmente o processo diocesano sobre a vida, o martírio e a fama de santidade e dos sinais dos Servos de Deus Rodolfo Lukenbein, sacerdote professo da Sociedade de São Francisco de Sales (Salesianos), e do índio Simão Cristão Koge Kudugodu, chamado Simão Bororo, leigo.

 

Quarta, 31 Janeiro 2018 13:41

São João Bosco, rogai por nós!

Escrito por

Neste 31 de janeiro, celebramos 130 anos da Páscoa de Dom Bosco, fundador da Família Salesiana. Conheça um pouco da biografia do Santo, proclamado Pai e Mestre da juventude.

 

Em 31 de janeiro, memória da Páscoa de Dom Bosco, o Reitor-mor, padre Ángel Fernández Artime, dirige uma mensagem aos jovens do Movimento Juvenil Salesiano (que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana – AJS).

 

Laura Vicuña, celebrada em 22 de janeiro, é padroeira das vítimas de maus tratos e de violência doméstica. Para compreender o por quê, é necessário adentrar mais acuradamente em sua história pessoal e perceber, na trajetória de uma vida, eminentemente, curta, sua fortaleza e resistência diante da violência doméstica.

 

No próximo dia 31 de janeiro de 2018, será aberto oficialmente em Meruri, diocese de Barra do Garças, Brasil, o processo diocesano sobre o martírio dos Servos de Deus padre Rodolfo Lunkenbein, Salesiano sacerdote, e Simão Bororo, leigo, mortos em 15 de julho de 1976 no pátio da missão salesiana de Meruri. A causa de martírio é um sinal vivo de que Deus abençoou com o seu amor e a sua graça a Congregação e a Igreja, sobretudo no Brasil.

 

Pagina 5 de 44