Segunda, 16 Setembro 2013 18:55

Madre Mazzarello está entre nós!

Escrito por

Madre Yvonne Reungoat, superiora geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e 9ª sucessora de Madre Mazzarello, esteve no Brasil nos meses de julho e agosto para participar da Jornada Mundial da Juventude e visitar quatro inspetorias das FMA no coração do país.

Após participar da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, irmã Yvonne Reungoat, madre-geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), iniciou uma visita a quatro inspetorias das FMA no Brasil. A madre-geral é vínculo de comunhão e centro de unidade para todas as irmãs salesianas. Ela desempenha as tarefas de animação, de formação, de coordenação e de guia, assim como fez Santa Maria Domingas Mazzarello ao fundar o Instituto das FMA, há 141 anos.

 

Quarta, 21 Agosto 2013 16:29

Madre Mazzarello está entre nós!

Escrito por

Madre Yvonne Reungoat, superiora geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e 9ª sucessora de Madre Mazzarello, está no Brasil nos meses de julho e agosto para visitar quatro inspetorias das FMA no coração do país.

Após participar da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, irmã Yvonne Reungoat, madre-geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), iniciou uma visita a quatro inspetorias das FMA no Brasil. A madre-geral é vínculo de comunhão e centro de unidade para todas as irmãs salesianas. Ela desempenha as tarefas de animação, de formação, de coordenação e de guia, assim como fez Santa Maria Domingas Mazzarello ao fundar o Instituto das FMA, há 141 anos.
 

A primeira parte da visita foi realizada na Inspetoria Madre Mazzarello, com sede em Belo Horizonte, MG. Entre os dias 29 de julho e 6 de agosto, madre Yvonne esteve em comunidades, escolas e obras sociais das FMA nos estados de Goiás e Minas Gerais, em um itinerário que teve como tema central: “Mornese é aqui! Madre Mazzarello está entre nós!”, uma referência ao local onde o Instituto das FMA foi fundado, na Itália. Em cada dia de sua visita, esse tema foi celebrado nas suas várias dimensões: como Casa da Acolhida, da Oração, de Comunhão, da Fraternidade, da Alegria, da Missão, do Acompanhamento, da Fidelidade e da Gratidão.
 

Entre as várias atividades que desenvolveu, irmã Yvonne Reungoat visitou em 30 de julho a Comunidade da Casa Madre Mazzarello e a Casa Maria de Nazareth, em Belo Horizonte, onde encontrou-se com as religiosas mais idosas, entre elas irmã Irene Lanna, que em fevereiro último completou 110 anos de vida. Nos dias que se seguiram, a madre-geral levou seu entusiasmo e suas palavras fraternas aos jovens, crianças, educadores, religiosas e membros da Família Salesiana em diversas escolas e obras sociais.
 

Um momento importante da estada de irmã Yvonne foi a celebração, em 5 de agosto, dos 141 anos de fundação do Instituto das FMA. No Retiro das Rosas, em Cachoeira do Campo, MG, a madre-geral participou da celebração Eucarística presidida pelo inspetor da Inspetoria São João Bosco, padre Nilson Faria dos Santos. Dando prosseguimento à celebração da Festa do Instituto e seguindo o tema do dia – Casa da Fidelidade -, as irmãs reunidas reafirmaram sua fidelidade a Deus, ao Carisma salesiano e aos jovens: “Entrar no projeto de vida dos fundadores é sentir-nos participantes de um grande projeto que se distende no tempo e chama a realizar a missão com a alegria, criatividade e audácia ditadas pela paixão educativa pelos jovens de hoje”.
 

Na tarde de 6 de agosto, irmã Yvonne Reungoat seguiu para Campo Grande, MS, onde iniciou a visita à Inspetoria Imaculada Auxiliadora. Já no aeroporto, a madre-geral foi recepcionada pelo Coral Infantil e pelas alunas do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora (CNSA), que fizeram uma apresentação de boas-vindas. Irmã Yvonne foi ao encontro de cada criança em gesto de gratidão, dando-lhes um beijo carinhoso.
 

A mesma alegria e o mesmo clima de família reunida deste primeiro encontro foram sentidos nos dias que se seguiram, em todas as atividades realizadas pela madre-geral na inspetoria. Nas comunidades de Corumbá, Três Lagoas, Água Clara e Campo Grande, MS, e de Lins, SP, irmã Yvonne foi presença materna, incentivadora e amorosa para os alunos e suas famílias, para os educadores, para religiosas e religiosos e para todos que puderam compartilhar desses momentos.
 

Em 12 de agosto, a madre-geral seguiu para Cuiabá, MT, para sua primeira visita à Inspetoria Nossa Senhora da Paz, onde foi acolhida com grande festa no aeroporto internacional Marechal Rondon. Entre os dias 13 e 18 de agosto, irmã Yvonne visitou diversas casas e obras mantidas pelas Filhas de Maria Auxiliadora na região, como o Colégio Coração de Jesus, a Escola Estadual Souza Bandeira e a Casa Maria Auxiliadora. Entre as obras, merece destaque a visita à Missão Indígena de Sangradouro, localizada a 380 km de Cuiabá.
 

A madre-geral foi recebida pelos missionários e missionários, pelo cacique Xavante e um grupo de jovens indígenas. A celebração eucarística foi presidida pelo diretor, padre Eloir Inácio de Oliveira, SDB, que em sua homilia falou do trabalho missionário que, há mais de 100 anos, é realizado sempre lado a lado entre FMA e SDB em Mato Grosso. A madre agradeceu a todos, e dirigiu uma palavra especial aos missionários, ressaltando a importância da missionariedade na vocação salesiana.
 

Retornando ao Rio de Janeiro em 18 de agosto, o itinerário de irmã Yvonne na Inspetoria Nossa Senhora da Penha previa visitas às comunidades, escolas e obras sociais na capital fluminense e nas cidades de Macaé e Campos, RJ, e Cachoeiro de Itapemirim e Linhares, ES, até o seu retorno a Roma, na Itália, em 26 de agosto.
 

Veja como foi a visita da madre-geral em cada inspetoria nos sites:

Inspetoria Madre Mazzarello - www.portalimm.com.br

Inspetoria Imaculada Auxiliadora - http://iiabcg.org.br

Inspetoria Nossa Senhora da Paz - http://mazzarelloentrenos.com.br

Inspetoria Nossa Senhora da Penha - www.salesianasbrj.org.br

Quinta, 25 Julho 2013 16:43

Voluntárias de Dom Bosco se encontram em Roma

Escrito por

Durante a VII Assembleia Geral das Voluntárias de Dom Bosco (VDB), em curso nestes dias na Casa Geral dos Salesianos, em Roma, fizemos algumas perguntas à Conselheira Central para a Vida Salesiana, Ir. Maria Dominique Mwema, a fim de compreender melhor o empenho que distingue as consagradas do Instituto.

Para Dom Bosco a comunidade educativa, quer no modelo escolar ou no oratoriano, representava, por excelência, o espaço feito ambiente onde o Plano Educativo e Pastoral ofereceria as condições necessárias para o jovem desenvolver um processo de amadurecimento estável, capacitando-o para a concretização da síntese entre fé e vida.

 

Na comunidade educativa, o jovem era acolhido responsavelmente pelos primeiros colaboradores de Dom Bosco, sendo respeitado na sua individualidade, escutado na sua necessidade, valorizado na sua cultura e na sua linguagem e, por todos, prestigiado quando da definição de seus caminhos. Era uma comunidade onde os jovens e os colaboradores de Dom Bosco viviam um clima de familiaridade, provocador de uma experiência diferenciada (preventiva) e geradora de novos homens com novas perspectivas de futuro.

 

No próximo dia 7 de julho, o calendário litúrgico salesiano  lembra a Bv. irmã Maria Romero Meneses FMA (Filha de Maria Auxiliadora). Nicaraguense de origem e costarriquenha de adoção, irmã Maria Romero caracterizou-se por uma incansável atividade apostólica, atividade que deu vida a grandiosas obras sociais e se baseou em uma confiança ilimitada em Maria Auxiliadora, por ela chamada de “a minha Rainha”.

 

Com viva sensibilidade evangélico-eclesial, conquistou para o seu anseio apostólico as jovens alunas, que se tornam “missionárias” (‘misioneritas’, chamava-as a irmã Maria, em espanhol), pelas vilas, entre crianças semiabandonadas e famílias pobres. Depois também, os adultos, empresários e profissionais ilustres foram conquistados por sua devoção mariana, que por terem recebido graças grandiosas, e se sentiam por isso empenhados em colaborar concretamente com as iniciativas assistenciais que irmã Maria, sob a ação do Espírito, foi projetando continuamente, com a audácia da mais autêntica Fé na Providência.

 

A Fé de irmã Maria transportava montanhas. As pessoas que entravam em contato com ela ficavam marcadas pelo sigilo da Fé em Deus. Sua fé era de um dinamismo espiritual que a levava a achar soluções aos mais variados problemas. Os meios para isso eram a oração e o perdão. Para ela, “Fé é crer em Deus que é Pai, e nos ama”. Porque unida a Cristo, frutificou abundantemente: e foram muitos os que reconheceram e experimentaram a bondade dessa copiosa messe de graça e de bem.

 

InfoANS

Pagina 36 de 40