A Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora (SDB) e a Inspetoria Santa Catarina de Sena (FMA) realizaram, no domingo, 11 de novembro, no Colégio Salesiano Santa Teresinha, em São Paulo, o tradicional FEST (Festival da Juventude Salesiana), reunindo jovens de colégios salesianos, obras sociais, paróquias e oratórios de todo o estado de São Paulo, onde as inspetorias atuam.

 

Com o lema “Que vida vale a pena ser vivida?”, o encontro foi celebrado por toda a juventude católica do Brasil por ocasião do Dia Nacional da Juventude (DNJ).  O FEST reuniu cerca de 2 mil jovens que, durante todo o dia, participaram de atividades religiosas, como a santa missa, culturais e esportivas.

 

Em mais esta edição, o FEST cumpriu com a sua missão: reunir jovens para celebrar a vida a partir dos horizontes da fé e dos valores da pedagogia salesiana. Envolvidos pelo tema “Que vida vale a pena ser vivida?”, a juventude responde com a força e a credibilidade de quem já sabe o que quer: a vida que vale a pena ser vivida é a vida de Deus que nos faz novas criaturas a cada dia, discípulos - missionários do Seu Filho”, conta o delegado para a Pastoral Juvenil Salesiana da Inspetoria de Nossa Senhora Auxiliadora, padre  Alexandre Oliveira.

 

O método utilizado para o FEST foi o Ver-Julgar-Agir-Rever-Celebrar. O Ver-Julgar-Agir foi transmitido aos jovens durante os encontros Pré-FEST, com o apoio de um subsídio preparado pela Pastoral Juvenil Salesiana. O Celebrar foi o evento em si, realizado no Colégio Salesiano Santa Teresinha, e o Rever é a etapa pós FEST, em que serão avaliados os resultados e a continuidade do trabalho pastoral.

 

O FEST é uma ocasião muito salesiana para celebrar junto a toda juventude as maravilhas realizadas ao longo do ano. As várias atividades que se desenvolveram no FEST (dança, teatro, música, jogos) são uma síntese da ação pastoral que explicita o protagonismo juvenil e eficácia da pedagogia salesiana, marca do projeto educativo de Dom Bosco e Madre Mazzarello.

 

Inspetoria Salesiana de São Paulo

 

Leia também

XVII Festival da Juventude Salesiana começa na próxima sexta (09)

O vasto patrimônio educacional do Sistema Preventivo de Dom Bosco, a experiência de mais de 150 anos no acolhimento de menores e as "melhores práticas" desenvolvidas nos mais diferentes contextos foram compendiadas pela Federação SCS - Salesianos para o Social na "Carta de identidade para serviços residenciais para menores", apresentada, no último dia 25 de outubro, na Pontifícia Universidade Salesiana de Roma.

 

O documento é o resultado do trabalho das comunidades de acolhimento e das casas da Família Salesiana que operam no território italiano. A carta representa a proposta educacional dos salesianos, dedicada especialmente aos menores mais pobres e marginalizados, além de oferecer às pessoas que trabalham nos serviços residenciais para menores uma identidade específica para que - como está escrito no texto - possam sentir "orgulho de serem educadores no espírito de Dom Bosco".

 

A carta de identidade nasceu da convicção de que "a experiência educacional de Dom Bosco representa uma maneira prática de realizar o ‘plano de Deus’ para as crianças e, ao mesmo tempo, um 'caminho para Deus' para o educador”, e lembra que, na base do Sistema Preventivo está a capacidade de alavancar a liberdade interior do jovem.

 

Clique aqui para ler mais.

Sexta, 16 Novembro 2012 14:00

Dom José Song Sui-Wan é sepultado em São Paulo

Escrito por

O corpo de Dom José Song Sui-Wan, SDB, bispo emérito de São Gabriel da Cachoeira, AM, foi sepultado  nesta sexta-feira, 16 de novembro, no Jazigo dos Salesianos do Cemitério da Saudade, em Campinas. Dom José Song Sui-Wan, 71 anos, faleceu na tarde de quinta-feira, dia 15 de novembro, em Campinas, SP. O corpo  foi velado na Igreja Matriz Nossa Senhora Auxiliadora (Liceu), em Campinas. Foi celebrada Missa de Corpo Presente às 7h e a Missa Exequial às 11h.

 

A nota do Setor de Imprensa da Arquidiocese de Campinas termina assim: "Unimo-nos em oração à família salesiana e à Diocese de São Gabriel da Cachoeira neste momento de dor, certos de que Deus acolhe seu servo Dom José Song Sui-Wan em seus braços misericordiosos".

 

Breve Biografia

Dom José Song nasceu em Xangai, em 1941, em uma família católica da China. Com a chegada dos comunistas ao poder, em 1949, e a consequente perseguição religiosa, sua família refugiou-se em Hong Kong. Foi na ilha, então dominada pelos britânicos, que ele cursou o seminário. Temendo a devolução de Hong Kong ao governo chinês, o pai achou melhor ir para o maior país católico do mundo, levando a mulher e os seis filhos. A viagem, em um navio de carga, durou dois meses e meio. “No Rio, em 1959, tivemos a primeira imagem do Brasil: o Cristo Redentor, de braços abertos. Sentimos que seríamos bem acolhidos.”

 

A família se instalou na cidade de São Paulo. Dom Song aprendeu português em um seminário salesiano. Recebeu a ordenação sacerdotal em 1971 e passou por Araras, São Carlos, Campinas, Lorena, Cruzeiro e Lavrinhas, cidades do Interior paulista, trabalhando como pároco ou diretor de faculdades e colégios católicos. Nunca mais voltou ao seu país. Nos estudos foi Mestre em Filosofia e em Teologia, pela Pontifícia Universidade Salesiana, de Roma. Além do chinês e alguns de seus dialetos, dominava diversas línguas ocidentais: italiano, português, espanhol, inglês, francês, alemão, latim e grego.

 

Foi ordenado bispo em 2002 e logo enviado para São Gabriel da Cachoeira. No início, ficou assustado com a missão. Sob sua responsabilidade está uma diocese maior que o Estado de Santa Catarina. Teve de acostumar-se a uma região onde, na maioria das vezes, só chega aos fiéis por rio. A aldeia mais próxima fica a quatro horas de barco. Algumas viagens duram duas semanas.

 

Dom Song, após a renúncia, por motivo de saúde, retornou à Inspetoria Salesiana de São Paulo e residiu em Araras. Agravando seu estado de saúde e necessitando de contínuo acompanhamento de enfermeiros, foi transferido para o Liceu Nossa Senhora Auxiliadora de Campinas. Além do Parkinson, que o fazia sofrer muito e o deixou  mais debilitado, foi constatado um tumor na região do fígado. Em outubro foi internado para se preparar para a cirurgia. Foi operado, ficou na UTI do hospital por mais de uma semana, foi para o quarto do hospital e no dia seguinte teve de retornar à UTI. Ontem foi constatada uma infecção generalizada que o levou a óbito.

 

CNBB

 

Cristina Suzuki , ex-aluna do curso de Educação Artística da Faculdades Integradas Coração de Jesus de Santo André (FAINC),  apresenta a exposição “Coletânea”, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC). A exposição traz instalações, objetos, fotografias e vídeos que tratam de variadas faces do contemporâneo, como a busca da felicidade, as gírias e gentilezas encontradas nas músicas que ecoam em sua mente. A artista apresenta séries inéditas vindas do cotidiano e influenciadas por músicas muito presentes em seus diálogos visuais.

 

Cristina concluiu o curso de Artes Plásticas na FAINC, em 1990. A artista declara que sempre teve uma aptidão maior para as artes, porém não muito consciente. “Na FAINC pude explorar e redescobrir esta aptidão de maneira a vislumbrar a possibilidade profissional das artes plásticas”, ressalta.

 

Bacharel em Artes Plásticas, Cristina Suzuki, teve dois de seus projetos selecionados para o I Prêmio Dahruj de Expressão Tridimensional no ano de 1990. Recebeu menção honrosa no XXX Salão de Arte de SBC e no Salão ACM, em 1991.

 

SERVIÇO

Exposição: “Coletânea”
Local: PUC -  Rua Monte Alegre, 984, Perdizes, São Paulo, SP
Data: 05 de novembro a 15 de dezembro
Horário: de segunda à sexta-feira, das 9h às 22h e aos sábados, das 9h às 17h.

Um grupo de 14 alunos do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, PE, destacou-se na fase final da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Entre eles, Maria Eduarda Tolentino e Félix Matheus Filho, ambos do 9º ano, que conseguiram a medalha de ouro do nível 3. No nível 4, os destaques foram os alunos Matheus de Araújo, do 1º ano do ensino médio, Lucas Rocha, do 3º ano do ensino médio, Caio Guimarães, também do 3º ano (todos os três com a medalha de prata), além de Lucas Cardoso, do 2º ano do ensino médio, que obteve a medalha de bronze. Os alunos medalhistas do nível 4  participarão de um treinamento a distância e, posteriormente, de um prova de seleção para integrarem as equipes que representarão o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica e na Olimpíada Latino-americana de Astronomia e Astronáutica, previstas para 2013.

 

RSE Informa

Pagina 658 de 683