A Obra Social Dom Bosco de Itaquera, SP, comemorou, no último dia 05 de outubro,  os 71 anos do padre Rosalvino Moran Viñayo, fundador e atual diretor tesoureiro da obra social. Pela manhã, os funcionários da equipe administrativa prepararam um café da manhã especial para ele e para o irmão Arcângelo Longo, atual presidente da obra social, que também celebra o aniversário  no mesmo mês, dia 8.

 

Durante o dia, Pe. Rosalvino recebeu a visita de familiares e amigos com os quais almoçou. Estiveram presentes Paulo Máximo, subprefeito de Itaquera, Doutor José Aparecido Sanches Severo, delegado titular da 7ª Seccional de Itaquera, Domingos Sávio de Araújo, gerente administrativo da Odebrecht na obra do estádio do Corinthians e Gabriel Chalita. Pe.Rosalvino recebeu homenagens preparadas pelos educadores e educandos dos cursos profissionalizantes do CEDESP (Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo) e ficou muito emocionado com fotos, depoimentos e com canções que foram cantadas para ele.

 

Inspetoria Salesiana de São Paulo

 

A exposição temporária “Redescobrindo o Museu”, organizada pela Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT) e o Museu das Culturas Dom Bosco (MCDB), recebeu 40 mil visitações durante o período em que esteve instalada na Praça de Eventos do Shopping Norte Sul Plaza, em Campo Grande (MS). Foram 12 dias de mostra – entre 18 e 30 de setembro – proporcionando aos clientes e frequentadores do estabelecimento comercial o acesso a parte das coleções de etnologia, zoologia, mineralogia, arqueologia e paleontologia do MCDB.  Foi a primeira vez, em mais de seis décadas de existência, que a instituição expôs parte de seu acervo fora de suas instalações.

 

Durante os 12 dias da exposição, o público também assistiu às apresentações culturais e participou de atividades lúdicas promovidas pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), o Colégio Salesiano Dom Bosco (CSDB), os Salesianos Ampare e a Casa Dom Bosco (CDB) – unidades ligadas à Missão Salesiana de Mato Grosso, mantenedora do Museu. No livro de assinaturas da exposição, além de visitantes de Campo Grande, foi registrada a presença de pessoas vindas de várias cidades de Mato Grosso do Sul, como Dourados, Aquidauana, Bonito, Ivinhema, Corumbá, Rio Negro, Três Lagoas, Iguatemi, Jardim, Aparecida do Tabuado, Costa Rica, Chapadão do Sul, Ladário, Sidrolândia, Miranda, Amambai, Ponta Porã, Corguinho, Coxim e São Gabriel do Oeste. Também assinaram o livro visitantes de Pelotas, Porto Alegre (RS);  São Paulo, Campinas, São Carlos, Botucatu, Araçatuba, Presidente Prudente, Santo André, São José do Rio Preto, Vilhena, Ilha Solteira (SP); Joinville, Timbó e Florionópolis (SC); Rio de Janeiro (RJ); Serra (ES); Cascavel e Maringá (PR); Brasília; Belo Horizonte (MG); Cuiabá e Rondonópolis (MT), Goiânia (GO), Salvador (BA), Portugal, Peru e Estados Unidos.

 

A mostra “Redescobrindo o Museu” teve por objetivo apresentar ao público uma seleção de peças que ficavam expostas no antigo Museu Dom Bosco (também conhecido como Museu do Índio) e que atualmente encontram- se guardadas em reserva técnica. De acordo com os coordenadores da exposição,  a experiência de realizar uma atividade fora das dependências da instituição foi “extremamente positiva” e deverá servir de base para um possível projeto de itinerância do MCDB, a ser implantado futuramente.

“Geração NET” é o título do 12º livro de autoria do padre Gildásio Mendes, sdb - delegado inspetorial de comunicação e diretor da Faculdade e Colégio Santa Teresa, de Corumbá, MS. A obra, disponível agora em versão digital no site da livraria Saraiva, está na lista dos 50 primeiros títulos que a Saraiva passou a oferecer pela  internet.

 

Lançado no primeiro semestre deste ano, o livro se propõe a lançar luzes sobre o nosso entendimento quanto ao universo da denominada geração net, que nasceu no contexto da cultura midiática e foge dos parâmetros que imprimimos às nossas análises”. Gildásio aponta que o objetivo da obra é estabelecer, entre os membros das diferentes gerações, “uma relação interativa que abarque a troca de experiências, possibilitando a apreciação mútua e o crescimento, tanto dos relacionamentos quanto da espiritualidade e do campo profissional”. Editada pelas Edições Paulinas, a publicação pode ser adquirida clicando aqui.

 

Padre Gildásio também é autor de uma série de artigos sobre a Geração NET, publicados no Boletim Salesiano. Para ter acesso aos artigos clique nos links abaixos:

 

Pais e filhos descobrem juntos o continente digital

O poder inovador e empreendedor das novas gerações

O estilo de vida da geração internet

As novas comunidades dos membros da geração internet

Novos pátios: Ensinar e aprender na era da internet

Caminhar junto com a geração internet

Durante a XXI sessão do Conselho dos Direitos Humanos realizado, entre os dias 17 e 22 de setembro, em Genebra, Suíça, o Instituto Internacional das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) e o VIDES Internacional apresentaram quatro abordagens durante a discussão do item 6 - relativo à adoção de relações finais no processo da Revisão Periódica Universal (RPU) sobre o Equador, Brasil,  Polônia e África do Sul.

 

Quatro jovens provenientes do México, República da Coreia e Itália tomaram a palavra diante do conselho, como porta-vozes das duas organizações, levando ao conhecimento dos presentes os problemas ainda não resolvidos nos países em exame, sugerindo aos governos interessados a implementação dos Direitos Humanos e da tutela dos grupos pertencentes às faixas mais frágeis das populações, entre as quais os imigrantes, as mulheres e as crianças.

 

Mediante as contribuições orais, IIMA e VIDES também levantaram o problema do direito à educação, do qual muitas crianças, particularmente as que pertencem aos grupos menos favorecidos e mais vulneráveis, estão sendo privadas. Os jovens  porta-vozes de IIMA e VIDES solicitaram aos governos dos países interessados que garantam, para todas as faixas da população, o acesso à instrução e implementem a legislação nacional para assegurar uma educação gratuita às faixas mais pobres e marginalizadas.

 

“Foi para nós uma emoção ouvir o convite por parte do presidente e tomar a palavra, na sala do Conselho dos Direitos Humanos, na presença dos representantes de todos os países, como “Instituto Internacional Maria Auxiliadora das Irmãs Salesianas de Dom Bosco” e como “International Volunteerism Association Organizzazione for Women, Education and Development”, comentaram os jovens que discursaram durante a sessão.

 

Clique aqui para ter acesso as intervenções orais dos jovens de IIMA e VIDES Internacional

 

Filhas de Maria Auxiliadora

A Associação Nacional de Educação Católica (ANEC) reuniu, no dia 04 de outubro, na sede da Associação, em Brasília, DF, reitores, diretores e especialistas das instituições de ensino católico para discutir o projeto de Lei 4372/12, que cria o Insaes (Instituto Nacional de Supervisão e Avaliação da Educação Superior).

 

De autoria do poder executivo, a matéria propõe a criação de uma autarquia específica para avaliar e supervisionar os cursos de graduação e as instituições federais e privadas de ensino superior existentes no Brasil. O novo órgão será responsável também pela certificação das entidades beneficentes que atuam na área de educação superior e básica. Se aprovado pelo Congresso Nacional, o órgão será vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e assumirá uma tarefa que hoje é do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) - autarquia responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

 

Segundo o 1º vice-presidente da ANEC, irmão Frederico Unterberge, a proposta de Lei surpreendeu as instituições de ensino superior privado. “Estamos perplexos com a medida apresentada pelo Governo, principalmente pela forma como foi proposta. Este tema precisa estar presente no debate dentro da ANEC e é fundamental apresentarmos uma resposta ao órgão responsável com uma posição concreta da Associação”, disse.

 

Padre José Marinoni, diretor-presidente da ANEC, alerta quanto ao prazo de tramitação. “ Me preocupa o fato do projeto já estar no Congresso Nacional. Teremos que apresentar uma emenda substitutiva para cada artigo da matéria ou uma emenda global ao projeto. Posteriormente, é fundamental trabalhar na articulação com os líderes do governo e das bancadas no poder legislativo. Creio que precisamos fazer um trabalho minucioso, apontar e propor medidas em torno de cada artigo e com fundamento jurídico”, enfatiza.

 

Leia mais em ANEC

Pagina 652 de 666