Compreender como os jovens se relacionam com o mundo de hoje e com as transformações da sociedade, e ouvi-los sobre seus anseios e problemas, como os conflitos entre gerações, dificuldades familiares, etc, com vistas a oferecer boas práticas evangelização. Esse é o objetivo da Plenária Culturas Juvenis Emergentes, que será realizado no Vaticano entre os dias 6 e 9 de fevereiro, promovida pelo Pontifício Conselho para a Cultura.

 

Entre os participantes, estão confirmados o padre italiano, Antonio Spadaro, que já participou de eventos no Brasil sobre juventude e comunicação; o sociólogo francês David Le Breton, que estuda as relações das pessoas e da sociedade com o corpo; a professora mexicana, Rossana Reguillo Cruz, especialista em culturas urbanas; a especialista americana em questões femininas, Pia de Solenini. Haverá também representes da Indonésia, do Benin, e de outros países.

 

No Twitter, o cardeal Gianfranco Ravasi, que preside o conselho, perguntou, (em inglês e espanhol), onde e como a Igreja melhor se faz presente para os jovens, para suas alegrias, esperanças, medos e necessidades, e pediu que os internautas responsam usando a hashtag  #reply2ravasi.

 

O encontro é voltado para os membros e consultores do Pontifício Conselho, mas as sessão de abertura será pública. Neste link é possível acessar subsídios em espanhol.

 

Jovens Conectados

Nesta segunda-feira, 4 de fevereiro, teve início a 23ª Edição do Curso dos Bispos, tradicional encontro, promovido pela arquidiocese do Rio de Janeiro. O curso é acolhido no  Centro de Estudos e Formação do Sumaré, no Rio Comprido. Dando continuidade às abordagens de 2011 e 2012, o evento tem como tema principal os "Cinquenta anos após o Concílio Vaticano II - Liturgia, Missões e Leigos". Mais de 100 bispos de todo o Brasil já estão inscritos.

 

O curso foi organizado pela primeira vez em 1990 pelo então arcebispo, cardeal Eugenio Sales, como uma forma de proporcionar uma oportunidade de partilha e convivência.

 

O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, explicou que  “A arquidiocese do Rio tem uma tradição, que vem desde a época do cardeal Eugenio Sales, de proporcionar no período de férias do início do ano um encontro para bispos, onde eles participam de conferências, recebem orientações, podem partilhar a vida e desfrutar de períodos de convivência, especialmente durante as visitas a diversos pontos da cidade. Percebemos que, cada vez mais, esse evento tem sido procurado e apreciado”, avaliou.

 

Entre os palestrantes, estão: o presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, cardeal Stanislaw Rylko; o prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, cardeal Antônio Cañizares; dom Antônio Staglianò, bispo de Noto (Itália) e colaborador de Dom Rino Fisichella (presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização); e Ana Cristina Villa Betancourt, membro do Pontifício Conselho para os Leigos, responsável pela seção dedicada à mulher.

 

Durante o curso, será realizada visita a local específico da cidade do Rio de Janeiro. O bispo auxiliar emérito da arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Karl Josef Romer, acredita que o curso trará um novo entusiasmo para os  inscritos, lembrando que o primeiro grande professor foi o então cardeal Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI.

 

“O curso para bispos, organizado pela arquidiocese do Rio de Janeiro e oferecido fraternalmente a todos os bispos do Brasil, teve como primeiro grande professor o, então Cardeal, Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI (...) Penso que os bispos esperam com muita alegria, aliás, já temos mais de 100 inscrições para este curso, e temos a imensa esperança que vai ser um grande sucesso para o bem dos bispos e para o bem das dioceses, que receberão de volta os bispos com novo entusiasmo e com nova clareza”, afirmou Dom Romer.

 

CNBB

 

Aceitando as demissões de Dom Jesús Pérez Rodríguez, OFM, do governo pastoral da Arquidiocese de Sucre, na Bolívia, o Santo Padre Bento XVI nomeou neste sábado, 02 de fevereiro, como novo arcebispo metropolitano para a cidade boliviana, Dom Jesús Juárez Párraga, SDB, que até o momento exercia a função de bispo, em El Alto.

 

Dom Jesús Juárez Parraga nasceu no dia 22 de julho de 1942, em Alquerias (Múrcia, Espanha). Em 1960 entrou para o noviciado salesiano de Ibi, na Espanha.  Em 3 de agosto de 1967 pronunciou a profissão perpétua, em Cochabamba, Bolívia. Após os estudos teológicos e de pedagogia, em Benediktbeuern, Alemanha, foi ordenado  sacerdote em Alquerias, Espanha, no dia 16 de dezembro 1972.

 

Voltando à Bolívia, desenvolveu a atividade pastoral em Santa Cruz até o ano de 1977, sendo a seguir vigário da Inspetoria Virgem de Copacabana, entre os anos de 1979 a 1985. No dia 18 de junho de 1988 foi consagrado bispo titular de ‘Gummi di Proconsolare’ e auxiliar da Arquidiocese de La Paz. No dia 25 de junho de 1994 foi designado 1º bispo da Diocese de El Alto. Foi vice-presidente (2000-2003), secretário geral (1991-1994 e 2003-2009) da Conferência Episcopal da Bolívia e presidente de várias Comissões. Atualmente é presidente da Pastoral Social–Caritas, e da Pastoral Carcerária, na Bolívia.

 

InfoANS

As Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) comemoram 75 anos de presença na República Dominicana. A comemoração inicial foi realizada na Catedral de Santo Domingo, com a Celebração Eucarística, presidida por Dom Nicolas de Jesus Lopez Rodriguez. Participaram da Eucarístia, religiosos de outras congregações, jovens e membros da Família Salesiana, além de amigos e benfeitores da obra salesiana.

 

Durante a celebração, irmã Petra Elena González, responsável pelo âmbito da formação, fez com que se refletisse sobre o significado da presença das FMA em terra dominicana por meio de expressões de agradecimento: “As FMA querem exprimir os mais profundos sentimentos de gratidão pelas intrépidas missionárias: irmãs Teresa Leonardi (italiana), Cristina Bustamante (mexicana), Adela Martin (espanhola) e Maria Zago (espanhola), que chegaram em 1937, levantando a bandeira da cruz sobre o solo americano e começando a missão educativa a serviço dos jovens”, disse a irmã.

 

Irmã Petra Elena também agradeceu pelo dom da Providência que, manifestando-se mediante pessoas e acontecimentos, permitiu que se concretizasse a pedagogia salesiana com a abertura de várias obras, para que tantos jovens se tornassem “bons cristãos e honestos cidadãos”.

 

Filhas de Maria Auxiliadora

Entre os dias 5 e 13 de janeiro, os Grupos de Ação Missionária da Inspetoria de Nossa Senhora Auxiliadora (GAM´s) realizaram ações missionárias nas cidades de Cotia, na Grande São Paulo, e Lins, no Interior paulista. Foram dezenas de jovens que se deslocaram de outros municípios para servir e trocar experiências com as crianças e as famílias de cada comunidade.

 

Os jovens missionários, que receberam formação específica para atuarem, coordenaram as gincanas para as crianças e diversas oficinas para jovens e adultos.

 

As visitas às famílias, características das missões populares e missões jovens, também não faltaram. Elas foram realizadas durante toda a semana, possibilitando aos jovens e às famílias visitadas o diálogo, a oração, a escuta e a partilha do Evangelho.

 

Também no mês de janeiro, quatro acadêmicos da Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB), de Manaus, AM, com a colaboração de jovens integrantes do GAM de São Paulo contribuíram com as atividades da Colônia de Férias realizada em São Gabriel da Cachoeira. Durante duas semanas, os jovens missionários e voluntários estiveram em contato com as crianças e adolescentes, que juntos, brincaram, sonharam e partilharam suas vidas.

 

A programação da Colônia de Férias incluiu várias atividades como oficinas de bijuterias, Oratório Festivo, minicursos, danças, teatro e esportes. Para o próximo ano a proposta é que outros jovens possam colaborar nas Colônias de Férias de outras Casas Salesianas da área do Rio Negro.

 

Inspetoria Salesiana de São Paulo e Inspetoria Salesiana do Amazonas

Pagina 620 de 667