Expressando a alegria de todo o Instituto pela eleição do novo Bispo de Roma, a Madre Yvonne Reungoat, madre-geral das Filhas de Maria Auxiliadora, dirigiu ao Santo Padre Francisco uma Mensagem de saudação:

 

Santidade,
é com imensa alegria que vimos até Vossa Santidade para exprimir-lhe os nossos mais cordiais augúrios pela missão de Sumo Pontífice da Igreja Católica e de Bispo de Roma a que foi chamado pela vontade dos cardeais participantes do Conclave.

A oração pelo Papa e por suas altas responsabilidades vê-nos empenhadas na vanguarda, também pelo amor ao Sucessor de Pedro que o nosso Fundador e Pai, São João Bosco, legou como mandado a toda a Família Salesiana. Agora que podemos pensar no Papa com um nome e rosto, a nossa oração será ainda mais intensa.

A Barca de Pedro dispõe novamente de um seu Timoneiro, que, acolhendo a herança espiritual de Bento XVI, haverá de a conduzir neste tempo não só denso de desafios mas também rico de oportunidades e de sinais de esperança.

Em nome de todas as Filhas de Maria Auxiliadora esparsas pelos cinco Continentes, exprimo-lhe a filial adesão ao seu Magistério de Pastor e Pai da Igreja universal.

A nossa fidelidade ao Papa quer traduzir-se também numa vida religiosa mais autêntica, aderente ao Evangelho e ao carisma salesiano: fontes que a vivificam e lhe dão fecundidade também vocacional.

Com toda a Igreja expressamos o nosso compromisso para com a Nova Evangelização através da educação das jovens gerações, até ao anúncio explícito de Jesus Cristo.

Temos a convicção de que somente se formos suas discípulas apaixonadas, poderemos ser missionárias do seu amor, porque saberemos transmitir com a nossa vida o fascínio da sua presença, que replena de sentido, de júbilo, de paz toda a existência humana.

Unimo-nos a Vossa Santidade na saudação à Virgem com que entende iniciar o seu Pontificado. Nossa Senhora Auxiliadora continue a abençoar-lhe a vida, e torne fecunda a Sua nova missão.

Oferecemos a nossa oração para que, neste Ano da Fé, sua guia iluminada oriente a humanidade para o encontro com o Senhor.

Irmã Yvonne Reungoat FMA 

Bispos referenciais para a juventude de todo Brasil se reuniram nesta quarta e terça-feira, dias 12 e 13 de março, em Brasília, em um encontro conduzido pelo presidente da Comissão para Juventude da CNBB e bispo Auxiliar de Campo Grande (MS), Dom Eduardo Pinheiro.

 

Na ocasião, eles debateram questões como evangelização dos jovens no país, Jornada Mundial da Juventude, novo documento de estudo da CNBB – “Pastoral Juvenil no Brasil: Identidade e Horizontes” – e tudo isso com um tom de grande expectativa: a vinda do novo Papa ao Brasil, por ocasião da JMJ, em julho deste ano.

 

Eles estavam na sala de reuniões, na tarde de ontem, quando se deu a notícia da fumaça branca saindo da Capela Sistina, no Vaticano. A partir desse momento, a atitude não poderia ser outra: pararam tudo para assistirem pela TV o anúncio do nome do novo Sucessor de Pedro.

 

De acordo com o arcebispo de Passo Fundo, Dom Antônio Carlos Altieri, a vinda do Papa Francisco representará um marco profundo na história da Igreja no país e será uma concretização da Nova Evangelização, conforme encaminhado pelo Papa Emérito Bento XVI na Igreja Católica. “O novo Papa nos ajudará a atuar de forma renovada depois dessa Jornada. Seremos um foco de irradiação de muita graça para o mundo todo”, felicitou.

 

Legado da JMJ

 

Um dos assuntos de destaque entre os bispos foi o pós JMJ. A Jornada será um grande evento com a presença do Santo Padre e de jovens do mundo inteiro. Mas como extrair deste precioso momento legados para os jovens do país?

 

De acordo com o bispo auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Nelson Francelino Ferreira, a Jornada Mundial deve suscitar debates nas diversas instâncias da sociedade a fim de que se olhe não somente para os jovens da Igreja, mas na juventude como um todo e nas questões que a envolve como educação, emprego, drogas, ausência de verdadeiros valores etc.

 

“Creio que a Campanha da Fraternidade de 2013, o Ano da Fé, a visita dos símbolos da JMJ, a Semana Missionária e a própria Jornada vão deixar essa grande discussão sobre o cenário da juventude. Quero crer que, com isso, cada segmento social vai trazer repercussões práticas e, assim, presentear a juventude ampliando os seus horizontes”, afirmou.

 

Por fim, Dom Nelson ressaltou que os católicos não podem prender esses debates “dentro dos muros da Igreja”, mas, ao contrário, que a sociedade seja provocada a assumir sua responsabilidade diante da juventude.

 

Jovens Conectados

Quinta, 14 Março 2013 18:26

Papa Francisco celebra missa pela conclusão do Conclave

Escrito por

 

Às 17 horas (horário de Roma) desta quinta-feira, 14 de março, o Papa Francisco presidiu na Capela Sistina à missa de conclusão do Conclave que o elegeu. A celebração, restrita aos cardeais eleitores e às pessoas que trabalharam no Conclave, foi transmitida ao vivo por emissoras de rádio, televisão e sites de internet em todo o mundo.

 

As leituras da Missa - pro Ecclesia, pela Igreja, incluem um texto de Isaías (2,2-5) em que o profeta anuncia tempos de paz, em que serão transformadas em foices as espadas. A segunda leitura, da primeira Carta de São Pedro, recorda Cristo como pedra angular. Finalmente, o Evangelho (Mt 16, 13-19) contém a profissão de fé de Pedro, em Cesareia de Filipo e a promessa de Jesus: "Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas dos infernos não prevalecerão".

 

“Caminhar, edificar, professar Jesus Cristo crucificado” foi a ideia central da primeira homilia do Papa Francisco. Ele convidou os presentes a “caminhar sempre, na presença do Senhor, à luz do Senhor, procurando viver com irrepreensibilidade”.

 

"Quando não se confessa Jesus, confessa-se a mundanidade do diabo", alertou. A celebração, vista como o primeiro momento em que o Papa apresenta o seu "programa", contou em 2005 com uma homilia em latim de Bento XVI, mas o Papa Francisco optou por falar em italiano, sem qualquer texto.

 

CNBB

Enquanto muitos buscam mais informações sobre o recém-eleito Papa, propomos um episódio que confirma bem a sua paixão pelo esporte e, sobretudo, a sua devoção a Maria Auxiliadora.

 

Em 2008, durante um encontro, os dirigentes do time de futebol argentino “São Lourenço de Almagro”, com sede em Buenos Aires, fizeram a entrega ao então cardeal Bergoglio de uma camiseta do São Lourenço e de uma carteirinha social do Clube, qualificando-o “Sócio Centenário”. Na ocasião, ele recebeu também uma carta das autoridades do São Lourenço em que o convidavam a presidir a Santa Missa em ação de graças pelos ‘100 Anos do Time’.

 

O cardeal Bergoglio recordou o extraordinário time São Lourenço, que em 1946 se consagrou campeão, com os atletas Farro, Pontoni e Martino. E na celebração do centenário, disse que no São Lourenço nós “não pegamos cores de nenhuma parte: pedimo-las diretamente a Nossa Senhora”. Insistiu, além disso, para que “nunca Nossa Senhora Auxiliadora seja dissociada do clube, porque ela é a sua Mãe, desde quando o “São Lourenço” nasceu no Oratório salesiano Santo Antônio, sob a proteção da Maria SS.”.

 

São Lourenço de Almagro

 

O Time de futebol São Lourenço de Almagro foi criado em abril de 1908 no pátio do oratório salesiano “Santo Antônio”, no bairro de Almagro. Foi nesse espaço que o primeiro grupo de meninos que formavam a equipe começou a treinar, por meio do convite do padre salesiano Lorenzo Massa.

 

Hoje o São Lourenço de Almagro é um dos cinco grandes times de futebol argentino e carrega na camisa as mesmas cores de Maria Auxiliadora, que, em sua imagem típica, porta uma veste vermelha e um manto azul.

 

InfoANS

 

 

Durante dos dias 11 e 12 de março a Fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Nova Colina, tornou-se a sede de importantes momentos de estudo e reflexão sobre a vida salesiana entre as comunidades salesianas de São Francisco de Sales (Colégio Dom Bosco – Centro do Menor e Paróquia Nossa Senhora de Fátima) e Ji-Paraná. Foi neste lugar, afastado do centro urbano, que membros das comunidades salesianas realizaram a Assembleia Pré-capitular da área de Rondônia, continuando o processo de preparação ao Capítulo Inspetorial 2013.

 

A Comunidade São Francisco de Sales foi representada pelos padres Gilberto Cucas e Reginaldo Barbosa e pelos senhores Raimundinho e João Batista Dhin. O padre Alberto Rypel, pároco e diretor da comunidade Salesiana de Ji-Paraná, juntamente com o padre Antônio Carlos Cunha, foram os responsáveis pela acolhida aos membros da Comunidade São Francisco de Sales.

O encontro contou com a participação e assessoria do padre Antônio de Assis, que inicialmente, motivando os irmãos, refletiu sobre a importância da Assembleia Pré-Capitular dentro do processo de preparação ao Capítulo Inspetorial 2013 e leu para os presentes a mensagem do padre inspetor, Francisco Lima.

 

Ao final do encontro alguns participantes expressaram as suas avaliações sobre a assembleia "Foi um processo bem feito; desenvolveu-se em um clima de simplicidade, fraternidade, alegria; foi uma reunião serena e participativa; testemunhamos nosso sentido de pertença à Congregação e à Inspetoria; houve espírito de sacrifício para quem veio de Porto Velho; a metodologia foi acessível e fácil de ser trabalhada; não houve imposição de “esquemas”; a presença animadora do regulador do CI2013, o padre Bira trouxe firmeza e segurança; tivemos um banho de salesianidade; o ambiente da assembleia foi muito agradável… foram dias de confronto e conforto”, disseram.

 

Inspetoria Salesiana do Amazonas

Pagina 610 de 672