O reitor-mor, padre Pascual Chávez, enviou nesta quinta-feira, dia 28 de fevereiro, uma mensagem a toda a Família Salesiana em agradecimento ao Papa Bento XVI.

 

Leia a mensagem abaixo

 

Queridos irmãos e irmãs, todos os membros da Família Salesiana, amigos de Dom Bosco,

 

Hoje a sede de Pedro é deixada vazia, por causa da renúncia do Papa Bento XVI para continuar no exercício do ministério petrino, que lhe foi confiada há oito anos.

 

Nós, a família de Dom Bosco espalhada por todo o mundo, estamos profundamente agradecidos por este ato corajoso de serviço do nosso amado Santo Padre, e continuaremos  a acompanhá-lo com a nossa sincera simpatia e devoção, como ele mesmo pediu-nos, com a nossa constante oração.

 

Papa Bento XVI, que realizou muitos atos de bondade e carinho para com a nossa família, que era um verdadeiro dom de Deus para a Igreja e para o mundo de hoje. Despediu-se dizendo que ele não se sentiu sozinho, mesmo nos momentos em que parecia que Deus estava dormindo. Queremos assegurar-lhe que ele nunca vai estar sozinho, para seu ensino e sua esplêndida figura imponente permanecerá em nossos corações. A história vai mostrar a sua grandeza humana, seu vigor intelectual, a sua profunda vida espiritual, seu amor indiviso de Cristo, seu grande serviço à Igreja e ao mundo.

 

A Igreja de Deus não é um órfão. O Senhor Jesus, com a cabeça, e o Espírito de Deus, o seu advogado, o governo e orientar o tempo todo.

 

Do meu coração, eu peço para se juntarem a mim em fervorosa oração, juntamente com Maria, a partilha de vida e oração com os Apóstolos, enquanto esperamos com confiança e paz que Deus nos dê um novo pastor segundo o seu coração.

 

A conversão a que chamamos a Palavra de Deus neste tempo quaresmal é a melhor forma de petições a Deus por esta graça.

 

Com amor e lembrança na Eucaristia.

Roma, 28 de fevereiro de 2013

Padre Pascual Chávez V., SDB

Reitor-mor

 

InfoANS

 

Quinta, 28 Fevereiro 2013 18:45

Bento XVI em Castel Gandolfo

Escrito por

No início da tarde desta quinta-feira, 28 de fevereiro, o Papa Bento XVI foi levado de helicóptero para a cidade de Castel Gandolfo, nos arredores de Roma. Segundo informações da Sala de Imprensa da Santa Sé ele ficará na residência de verão por dois meses. Às 20 horas de Roma, 16 horas de Brasília, estará encerrado o seu pontificado.

 

A cidade de Castel Gandolfo fica a 30 km ao Sul de Roma, à beira do lago de Albano. A residência foi construída em 1626 pelo Papa Urbano VIII como residência de campo para passar o verão. Desde a sua construção, a Igreja já teve 31 papas, sendo que apenas 15 fizeram uso da residência em algum momento. Bento XVI, nos seus quase oito anos de pontificado, passou longas temporadas neste belo local, onde escreveu parte da trilogia 'Jesus de Nazaré'.

 

Durante a II Guerra Mundial, os aposentos onde ficará Bento XVI foram transformados em maternidade, onde nasceram 50 crianças, filhos de italianos que ali se refugiavam. Os pais das crianças, como forma de agradecimento ao Papa Pio XII (Eugenio Pacelli), colocaram o nome das crianças de Eugenio ou Pio.

 

A Residência Apostólica de Castel Gandolfo e os jardins ao seu redor ocupam 55 hectares, área maior que o Estado do Vaticano. Os jardins, com espaços projetados por Bernini, além das centenas de árvores, tem um espaço especial dedicado à Virgem Maria. Nas três vilas que formam o complexo (a Residência Papal, a Vila Barberini e outra destinada à administração), trabalham 55 pessoas, sendo que muitas vivem no local com suas famílias. O complexo também conta com exploração leiteira, produzindo cerca de 600 litros/dia, vendidos no supermercado Vaticano ou em leiterias locais. Ali também são criadas galinhas e produzidas verduras. A Residência Apostólica não possui grandes obras de arte, destacando apenas a beleza de algumas tapeçarias. A beleza do lugar e do lago de origem vulcânica suprem o que falta no interior da residência.

 

CNBB

Nesta quinta-feira, dia 28 de fevereiro, fecha-se oficialmente o pontificado de Bento XVI. Para saudar o Santo Padre, a Agência Info Salesiana coletou as ocasiões em que Joseph Ratzinger, como Romano Pontífice, visitou obras, casas ou ambientes salesianos animados pelos filhos de Dom Bosco.

 

A primeira visita de Bento XVI a uma casa salesiana ocorreu em julho de 2005, durante o seu primeiro ano de pontificado. Herdando uma tradição já iniciada por João Paulo II, o Santo Padre passou uma média de 20 dias entre os Alpes ‘valdostanos’, na Itália, hóspede da casa salesiana de Les Combes. Foi exatamente no retiro valdostano, à vista do Monte Branco e nos longos passeios por entre os bosques, que o Papa começou a elaborar a sua primeira encíclica “Deus Caritas Est”. O papa retornou à casa salesiana de Les Combes para passar as férias de 2006 e 2009.

 

Como bispo de Roma, Bento XVI esteve com os salesianos pela primeira vez no dia 24 de fevereiro de 2008, III Domingo da Quaresma, quando visitou a paróquia salesiana “Santa Maria Liberatice”, no popular bairro romano do Testaccio. A visita pastoral celebrava o centenário da inauguração e consagração da Igreja, ocorrida em 29 de novembro de 1908. Na ocasião, o Papa recordou também um dos párocos históricos daquela comunidade, o venerável Dom Luigi Maria Olivares, SDB, e convidou toda a comunidade paroquial “a perseverar no empenho educativo que constitui o carisma típico de toda paróquia salesiana”.

 

No ano seguinte, em 2009, ao longo da viagem apostólica a Camarões e a Angola, Bento XVI celebrou uma missa na paróquia salesiana São Paulo, de Luanda, no dia 21 de março. A celebração era dirigida especialmente ao clero, aos religiosos, aos catequistas e aos representantes de movimentos eclesiais de Angola e de São Tomé. A cerca de 3000 pessoas o Papa, com profunda humildade disse: “Seja-me permitida enfim uma palavra particular de saudação aos salesianos e aos fiéis desta Paróquia de São Paulo que nos acolhem na sua igreja, não tendo para isso hesitado em ceder-nos o lugar que habitualmente lhes cabe na assembleia litúrgica. Soube que se reuniram no campo adjacente e espero, no fim desta Eucaristia, vê-los e abençoá-los, mas desde já lhes digo: Muito obrigado! Deus suscite entre vós e por vós, muitos apóstolos que sigam as pegadas do vosso Padroeiro”.

 

Em sua viagem apostólica a Benin, na África Ocidental, no final de 2011, Bento XVI, embora não estando em visita a nenhum ambiente salesiano, pôde de certo modo beneficiar-se das atenções salesianas: a cama usada pelo Papa naqueles dias fora feita pelos jovens aprendizes da obra salesiana de Porto Novo. Por outro lado na cozinha da Nunciatura Apostólica, onde o Papa se alojou, trabalhavam as Filhas de Maria Auxiliadora  (FMA) e suas alunas.

 

A essas ocasiões, se acrescentam também as numerosas Santas Missas celebradas pelo Papa na Paróquia Santo Tomás de Vilanova, de Castel Gandolfo, por ocasião da Solenidade da Assunção de Maria SS. A missa na paróquia, animada pelos filhos de Dom Bosco desde os tempos do Papa Pio XI, foi um encontro no qual Bento XVI se mostrou muito fiel nos seus anos de pontificado (fidelidade só quebrada por alguma viagem a outras regiões do mundo).

 

InfoANS

Padre Filiberto Gonzáles Plasencia, conselheiro geral para a Comunicação Social dos Salesianos de Dom Bosco, está no Brasil desde o dia 16 de fevereiro, cumprindo um roteiro de visitas em todas as obras salesianas do país. Após passar pela Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, em São Paulo, ele seguiu para Fortaleza e posteriormente viajou para o Recife, PE, onde participou do Encontro de Animação Pastoral. O evento foi realizado entre os dias 21 e 23 de fevereiro e envolveu as escolas ligadas à Inspetoria Salesiana do Nordeste.  Padre Filiberto, participou do segundo dia de atividades do Encontro de Animação Pastoral. Na ocasião, o salesiano proferiu palestra e falou aos representantes das casas sobre a importância da comunicação para a vivência diária com os jovens. “Um salesiano é um comunicador de seu Deus. Comunicar, assim como o amor, como crer, está no centro da vida de um ser humano inteligente”, disse o conselheiro.

 

Entre os dias 24 e 25 de fevereiro, padre Filiberto foi para Campo Grande, MS, para visitar a Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT). Em sua passagem pela região, padre Filiberto visitou o Museu das Culturas Dom Bosco (MCDB) e o campus da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). No dia 25 de fevereiro, na sede da Missão Salesiana de Mato Grosso, o conselheiro se reuniu com Jornalistas, Publicitários, Radialistas e Relações Públicas, que atuam nas presenças da Missão Salesiana de Mato Grosso. No encontro, padre Filiberto agradeceu aos profissionais de comunicação que trabalham na inspetoria e pediu o empenho de todos na superação dos principais desafios do setor.

 

No dia 26 de fevereiro, padre Filiberto chegou à Inspetoria de Porto Alegre, RS, onde permanece até hoje, dia 28 de fevereiro.  Durante a sua visita, padre Filiberto se encontrou com a Equipe de Comunicação da Inspetoria, na Casa Inspetorial das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). No encontro, o conselheiro falou sobre os princípios fundamentais que regem a comunicação, baseado no Sistema Salesiano de Comunicação Social. Disse que precisamos "humanizar a comunicação". Citou Dom Bosco como modelo de comunicador, porque ele olhava para os jovens e via com o coração. Padre Filiberto também abordou temas mais práticos e técnicos da comunicação. Citou quatro aspectos importantes na comunicação salesiana: animação, formação, informação e produção. Finalizando os trabalhos, lançou um desafio para 2015, ano que será celebrado os 200 anos do nascimento de Dom Bosco. O desafio consiste em inculturar Dom Bosco na arte musical, na escultura e na pintura. Para isso, convidar artistas que façam obras de arte, tendo como modelo Dom Bosco aqui no Sul e no restante do Brasil.

 

Padre Filiberto passará ainda pelas inspetorias de São Domingos Sávio, em Manaus, AM; e São João Bosco, em Belo Horizonte, MG.

 

RSE Informa/Missão Salesiana de Mato Grosso/ Inspetoria Salesiana São Pio X

Quinta, 28 Fevereiro 2013 14:00

Bento XVI garante reverência e obediência ao novo Papa

Escrito por

Na manhã desta quinta-feira, 28 de fevereiro, o Papa Bento XVI teve um encontro com os membros do Colégio dos Cardeais, renovou seu compromisso de permanecer unido a todos, pediu que permaneçam em oração e declarou, solenemente, incondicionada reverência e obediência ao futuro Papa.

 

Assim como o cardeal Sodano, o Papa também citou a experiência dos discípulos de Emaús, afirmando que também para ele foi uma alegria caminhar em companhia dos cardeais nesses anos na luz da presença do Senhor ressuscitado.

 

Como disse ontem diante de milhares de fiéis que lotavam a Praça S. Pedro, a solidariedade e o conselho do Colégio foram de grande ajuda no seu ministério. “Nesses oito anos, vivemos com fé momentos belíssimos de luz radiosa no caminho da Igreja, junto a momentos em que algumas nuvens se adensaram no céu. Buscamos servir Cristo e a sua Igreja com amor profundo e total. Doamos a esperança que nos vem de Cristo e que é a única capaz de iluminar o caminho. Juntos, podemos agradecer ao Senhor que nos fez crescer na comunhão. Juntos, podemos pedir para que nos ajude a crescer ainda nessa unidade profunda, de modo que o Colégio dos Cardeais seja como uma orquestra, onde as diversidades, expressão da Igreja universal, concorrem à superior e concorde harmonia.

 

Leia a notícia na íntegra em CNBB

 

Pagina 581 de 637