Quarta, 01 Agosto 2018 15:32

Uma tarefa para os Coroinhas: “Caminhar para a santidade”

Escrito por  ANS
Classifique este artigo
(1 Voto)

O Papa Francisco reuniu-se ontem, 31 de julho, com perto de 60.000 coroinhas (ou acólitos ou ministrantes ou ajudantes de Missa), vindos a Roma de diversas partes do mundo, no âmbito da uma sua peregrinação programada para 30 de julho-3 de agosto. Nestes dias - em que a temperatura subiu para perto de 36° – milhares de crianças, adolescentes e jovens desafiam o calor para ouvir o Papa, que no seu encontro com eles na Praça de São Pedro lhes propôs nada menos que a tarefa da santidade.

 

“Trasformai o mundo com o amor a Cristo” – repetiu-lhes o Papa, com a força de quem no passado foi pároco e bem conhece o trabalho do Pequeno Clero. Muitas vezes é exatamente dentre os acólitos que germinam e florescem as sementes da vocação religiosa e sacerdotal.

 

“Que posso fazer eu, hoje, para ir ao encontro das necessidades do meu próximo?” – foi a pergunta quase inesperada que o Papa Francisco lançou aos pequenos participantes da XII Peregrinação Internacional “dos que servem no altar”. É que o Papa, enquanto pastor, sabe que o serviço no altar é mais do que apenas um momento do dia: é, antes, aquele encontro com Jesus que se deve prolongar no... serviço aos outros, aos necessitados.

 

O grupo dos “ministrantes” (ou “coroinhas”, ou ainda “acólitos”) é formado por meninos e meninas, rapazes e adolescentes de 8 a 15 anos que se dedicam principalmente ao serviço litúrgico da missa. Ser coroinha oferece a todos a possibilidade – extraordinária! – de estar perto de Jesus na Eucaristia e de servi-Lo diretamente.

 

Para ser coroinha não há necessidade de nenhuma habilidade especial: basta o desejo de se envolver numa coisa realmente bela, isto é, de poder estar perto do Senhor Jesus. Além disso, não é somente um serviço “para crianças”: é também para adolescentes e jovens que desejam viver um estilo de vida felizes.

 

No encontro com esses milhares de crianças e adolescentes, o Santo Padre insistiu numa ideia: a santidade. Disse a eles que “é uma missão grande, mas possível. Para alcançá-la, é fundamental transformar o mundo, vivendo o amor de Cristo”. E insistiu também no fato de que a santidade “não é para os preguiçosos. É preciso esforço!”. E que a tarefa dos coroinhas é: “Caminhar para a santidade!”

Fonte: ANS

Lido 155 vezes

Deixe um comentário