Segunda, 28 Maio 2018 13:56

Basílica de Maria Auxiliadora: Casa aberta e acolhedora

Escrito por  ANS
Classifique este artigo
(0 votos)
A procissão com a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora fechou as celebrações em Turim A procissão com a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora fechou as celebrações em Turim Foto: ANS

Uma grande participação popular distinguiu as celebrações feitas dia 24 de maio, em Turim, Itália, em honra de Nossa Senhora Auxiliadora. “Trazemos hoje no coração um sentimento de profundo amor pela Mãe”, disse o Reitor-mor, padre Ángel Fernández Artime, na homilia da missa que presidiu em Valdocco.

 

Durante toda o dia, numerosas celebrações se sucederam no Templo salesiano. Às 11 horas dom Cesare Nosiglia, arcebispo de Turim, presidiu a Concelebração Eucarística e, falando do Sínodo dos Jovens, salientou as tantas dificuldades por que passam muitos deles no mundo e convidou todos a “ouvi-los e a levar a sério os seus problemas e as suas observações… Os jovens são capazes de gestos e empenhos de grande generosidade e vigor, tanto espiritual quanto social”.

 

Após a entrega a Maria Auxiliadora e o convite a rezar para pedir-Lhe a intercessão, deslocou sua atenção às pessoas mais fracas da sociedade: famílias em dificuldade, imigrados, refugiados, pobres… A exemplo de Dom Bosco e dos numerosos “santos sociais” turinenses, dom Nosiglia exortou os cristãos a “viverem” nas periferias, quer existenciais, quer geográficas, e a consolidar a aliança entre os “valores interiores, civis e espirituais, para redar uma alma não só aos indivíduos mas a toda a sociedade”.

 

De tarde, foi padre Artime a presidir a eucaristia na Basílica de Maria Auxiliadora. Para quem compartilha o carisma salesiano, explicitou que “a devoção a Maria Auxiliadora é a experiência da presença ativa e operante de Maria, que atua nos corações e nas obras: um relacionamento pessoal com ‘Aquela que tudo fez’, segundo dizia Dom Bosco”.

 

A seguir, intervindo sobre o valor da Basílica de Valdocco para todo o mundo salesiano, o Reitor-mor observou: “Maria mesma desejou que esta igreja fosse a sua casa. Não uma casa simples, onde se mora… mas uma Casa ‘Mãe’, da qual se recebe vida e impulso para se ir além: além fronteiras, além mares e montanhas, além de toda a imaginação! Casa aberta e acolhedora. De uma Família em saída!”.

 

À noite, a tradicional procissão com a imagem de Maria Auxiliadora fez ressoar os hinos de louvor e os cantos de agradecimento de toda a cidade de Turim à “Madona de Dom Bosco”.

Lido 526 vezes Modificado em Quarta, 30 Maio 2018 20:38

Deixe um comentário