Quarta, 25 Abril 2018 18:08

Mia Couto palestra para estudantes do Santa Teresinha e do Liceu Coração de Jesus

Escrito por  Comunicação e Marketing – Colégio Salesiano Santa Teresinha
Classifique este artigo
(0 votos)
Mia Couto palestra para estudantes do Santa Teresinha e do Liceu Coração de Jesus Foto: New Face

Autor moçambicano reconhecido pelos maiores prêmios internacionais de literatura falou sobre suas produções e respondeu perguntas dos alunos

 

O escritor, poeta e biólogo africano Antônio Emílio Leite Couto, mais conhecido pelo pseudônimo de Mia Couto, realizou palestra especial para os alunos do Colégio Salesiano Santa Teresinha e Liceu Coração de Jesus no dia 17 de abril. Realizado em parceria com a editora Companhia das Letras, o evento contou com um bate-papo com os estudantes do Ensino Médio e 9º ano do Fundamental II. Os alunos foram preparados para recepcionar o autor convidado com a leitura de algumas de suas obras, produção de contos e outros projetos de Língua Portuguesa, Geografia e História.

 

No Liceu, desde 2016, o romance “Terra Sonâmbula” (1992) é leitura obrigatória para 1ª série do Ensino Médio. “Com essa experiência nossos alunos têm contato com um repertório de expressões literárias em português de Angola e Moçambique, na África. Também mergulhamos na história regional, durante o período da guerra de independência e guerra civil desses países, entendendo a relação entre as tradições locais e coloniais portuguesas. Obras como essa têm muito valor para construção de um imaginário nacional, plural e complexo, tal qual a sociedade brasileira”, explica a professora Vany Amorim.

 

“Estivemos diante de um dos maiores escritores da atualidade, que ultrapassa os limites de Moçambique e nos atinge com uma linguagem poética e questões universais”, comemora Márcio Mainardi, professor da equipe de Língua Portuguesa do colégio Santa Teresinha.

 

Entre os muitos prêmios literários internacionais que Mia Couto já foi vencedor estão o Neustadt, tido como o “Nobel Americano de Literatura”, e o Camões, em 2013. Comparado com intelectuais do porte de Gabriel Garcia Márquez e Guimarães Rosa, ele também é considerado um embaixador cultural de seu país ao posicionar-se como principal porta-voz da vida moçambicana nas últimas décadas. Sua extensa obra literária está traduzida e publicada em 24 países, sendo inclusive adaptada para teatro e cinema em alguns casos.

Fonte: Inspetoria Salesiana de São Paulo

Lido 141 vezes

Deixe um comentário