Sexta, 20 Abril 2018 14:27

Marrocos: professores muçulmanos visitam os Lugares Salesianos

Escrito por  ANS
Classifique este artigo
(0 votos)

A obra salesiana de Kenitra, ativa em Marrocos desde 1937, organizou uma visita aos Lugares Salesianos, de 9 a 17 de abril, da qual participaram sete professores, todos muçulmanos, acompanhados pelo diretor do instituto, padre José Antonio Vega.

 

Na escola salesiana de Kenitra, os professores são exclusivamente muçulmanos e o curso sobre o Islã é obrigatório. O carisma salesiano difundiu-se pela presença constante dos Salesianos entre os jovens e muitos educadores consideram-se “salesianos muçulmanos”.

 

Na ocasião, o padre Vega organizou uma programação formativa que compreendeu a visita aos Lugares Salesianos: Valdocco, a cidade de Turim, as localidades dos Becchi, Colle Don Bosco, Chieri... As comunidades salesianas desses lugares, cientes dessa experiência, convidaram o grupo a compartilhar as refeições com os Salesianos, para conhecerem mais a fundo o significado da experiência.

 

A obra salesiana de Kenitra conta hoje com 1.400 alunos e 80 professores muçulmanos. Os vários setores da obra salesiana (escola materna, elementar, média e superior) vivem o diálogo com o mundo muçulmano na vida cotidiana, aplicam a pedagogia salesiana no respeito ao mundo que os rodeiam e dando testemunho do máximo respeito.

 

Dom Bosco é conhecido e amado por todos. Por isso, pareceu ter chegado o momento de responder a algumas sugestões dos próprios professores, que desejavam ter uma formação como “cooperadores” salesianos e queriam conhecer os lugares em que Dom Bosco nasceu e viveu. No início do ano escolar, a ideia foi lançada a um pequeno grupo e alguns deles a acolheram, pagando eles mesmos os custos da viagem.

 

A iniciativa tem como objetivo que professores, pais, jovens e ex-alunos possam viver essa profunda experiência de conteúdo salesiano.

 

Os participantes retornaram a Marrocos felizes e admirados: “Conhecia Dom Bosco há anos, mas agora sou capaz de entender muito mais, sobretudo, a razão do seu trabalho pelos jovens”, disse um dos professores ao final da experiência.

 

A obra salesiana em Kenitra conta também com uma pequena paróquia para estrangeiros, especialmente jovens estudantes universitários africanos, que na Eucaristia dominical reúne uma centena de fiéis de uns 30 Países.

 

“Em tudo o que fazemos, queremos ser uma ‘pequena ponte’ (é esse o significado do nome Kenitra) entre cristãos e muçulmanos. Esta pequena Igreja ‘de testemunho’ numa cidade 100% muçulmana é significativa para a vida da Igreja”, concluem os Salesianos em Marrocos.

Fonte: ANS

Lido 278 vezes

Deixe um comentário