Quinta, 05 Abril 2018 17:52

Via Sacra da Fraternidade é tradição no Recife há 18 anos

Escrito por  Viviane Arruda
Classifique este artigo
(0 votos)
Via Sacra da Fraternidade é tradição no Recife há 18 anos Foto: Paulo Thiago

Os primeiros raios de sol brilharam ao som das orações e de cantos que vinham do Pátio de São Pedro, na manhã desta quarta-feira santa, 28 de março, no Recife. Desde as 6h, os fiéis se juntavam ao padre João Carlos em preparação para a tão esperada Via Sacra da Fraternidade. O pátio ficou repleto. Gente chegando de todo lugar, estudantes, donas de casa, trabalhadores, pessoas que conservam consigo a tradição desta caminhada que acontece há 18 anos.

 

A Via Sacra começou às 08h da manhã, com a coordenação do padre João Carlos e a bênção inicial do padre Paulo Sérgio Vieira, responsável pelo Vicariato Soledade. A primeira estação foi contemplada ainda no pátio de São Pedro. Os jovens da Escola Dom Bosco do Bongi carregaram a cruz e iniciaram a caminhada penitencial.

 

O percurso seria longo, cerca de 3 horas de meditação sobre a paixão, morte e ressureição de Jesus, nas suas 14 estações espalhadas pelo comércio do Recife. A cada momento, um grupo se alternava na “penitência” de carregar a cruz de madeira, pesando em torno de 100 quilos. Jovens, adultos, idosos, viúvas, homens e mulheres, levados a refletir sobre a sua vida e as dificuldades enfrentadas a cada dia.

 

A santa Missa, presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife, foi o ponto alto do dia. Dom Fernando enfatizou a importância de ações como essas e parabenizou todo o trabalho realizado pelo padre João Carlos e a Associação Missionária Amanhecer - AMA. Para o arcebispo, “a via sacra é uma tradição que leva as pessoas que estão nas ruas, os transeuntes, comerciários, entre outros, a penetrarem um pouco no mistério da paixão, morte e ressureição de Jesus”.

 

À luz do tema da Campanha da Fraternidade “Fraternidade e a superação da violência”, diversas personalidades da sociedade foram convidadas a dar seu testemunho sobre os serviços prestados nessa área. Entre elas, o Defensor Geral do Estado, Manoel Jerônimo, a Delegada da Mulher Ângela Patrícia, a Deputada Estadual Terezinha Nunes e Josenildo Sinésio, gerente da secretaria de Mediação de Conflitos Habitacionais do Estado de PE.

 

A repercussão na mídia foi total. Toda imprensa esteva presente para ser testemunha desse ato público da fé cristã.

 

Fonte: Nordeste Hoje

 

Lido 227 vezes

Deixe um comentário