Quinta, 18 Janeiro 2018 14:15

Papa Francisco no Chile: “O Povo de Deus não precisa nem espera por super-heróis”

Escrito por  Info ANS
Classifique este artigo
(0 votos)
Papa Francisco no Chile: “O Povo de Deus não precisa nem espera por super-heróis” Foto: L'Osservatore Romano

Foi com festa e alegria que sacerdotes, consagrados e seminaristas acolheram o Papa Francisco na Catedral de Santiago, no Chile. “O esperamos tanto!”, disse, na saudação inicial e em nome de todos, o cardeal salesiano dom Ricardo Ezzati, arcebispo de Santiago.

 

O Papa usou “o binômio ‘Pedro-Comunidade’, porque a experiência dos apóstolos tem sempre este duplo aspecto, o pessoal e o comunitário. Vão juntos e não os podemos separar. Somos, sim, chamados individualmente: mas sempre para fazer parte de um grupo maior. Não existe ‘selfie vocacional’. A vocação exige que a foto seja tirada por um outro. Que vamos fazer!?”

 

O Papa Francisco referiu-se também aos escândalos com que se macularam alguns presbíteros (antes disso tivera um encontro privado com algumas vítimas de tais abusos) e condoeu-se pelo sofrimento das vítimas, das suas famílias, e pela dor daquela parte da comunidade eclesial sempre fiel: “Conheço a dor que significaram os casos de abusos contra menores; sigo com atenção quanto estão fazendo para superar tão grave e doloroso mal: doloroso pelo dano e sofrimento das vítimas, e das famílias que viram atraiçoada a confiança depositada nos ministros da Igreja”.

 

O Papa referiu-se também à realidade do Chile e aos desafios que devem ser enfrentados: “Esquecemo-nos de que a terra prometida está na frente: a promessa é para o futuro. Poderíamos quiçá cair na tentação de nos fechar, de nos isolar, para defender as nossas posições, terminando por fazer apenas lindos monólogos”. Prosseguindo, o Papa explicou que “o Povo de Deus não precisa nem espera por super-heróis: espera por pastores e consagrados que conheçam a compaixão, que saibam deter-se perante o que está caído”.

 

Concluiu convidando toda a assembleia a preparar no coração “uma espécie de testamento espiritual” calcado no modelo do cardeal chileno Raúl Silva Henríquez, SDB, e a renovar o próprio sim a Deus com “aquela linda oração que inicia dizendo: ‘A Igreja que eu amo é a Santa Igreja de todos os dias… a sua, a minha... A Santa Igreja de todos os dias…’”.

 

Lido 461 vezes

Deixe um comentário