Quinta, 04 Janeiro 2018 14:43

Argentina: Salesiano é destaque no futebol de salão

Escrito por  Mauro Cucchiara e Fabricio Licata - www.elciudadanoweb.com
Classifique este artigo
(0 votos)

Rosario Leandro Alvarez, afetuosamente chamado de “Leito”, nasceu em Mendoza há 26 anos. Aos 19 decidiu ser Salesiano sacerdote, mas não consegue abandonar uma paixão que o marcou desde a adolescência: o futebol de salão. Neste ano conseguiu entrar na equipe do Desportivo Unión Central, participando da primeira divisão “B” de futebol de salão.

 

Conta-nos a sua história: “Pela manhã, logo que acordo, rezo em comunidade e, depois, dou aulas nas escolas Luisa Mora de Olguín, Dom Bosco ou São Domingos Sávio. Volto ao meio-dia para rezar um pouco e almoçar. À tarde, encontro os líderes do trabalho e os amigos...”. Leito acrescenta rapidamente: “Às sextas-feiras, aos sábados e domingos oriento na igreja as atividades dos nossos grupos juvenis, o Circo dos Malabaristas, a Companhia, Mallin e Oratório”.

 

Você ainda tem quatro anos de estudo dos 12 programados; nesse período como tem sido a sua relação com o esporte?

 

Com o esporte sempre tive uma predisposição especial; mesmo antes, estudava educação física; cheguei à cidade no ano passado e pedi licença para praticar o futebol de salão e me foi concedido.

 

Você tem uma grande inclinação para a atividade física, mas escolheu outro caminho; o que experimentou ao tomar essa decisão?

 

Comecei a ter uma vida espiritual e de serviço nos bairros pobres, e me perguntava: “Por que Deus me deu tanto assim? Família, estudo, alimento, e tão pouco para eles?”. Se me deu muito, o deu para compartilhar. Comecei a examinar muitas coisas da minha família e do trabalho entre os jovens; dei então aulas de futebol de salão aos jovens com síndrome de down e fiz uma experiência na prisão de menores. Isso me levou a perguntar se não seria esse justamente o desejo para a vida inteira. Foram quatro anos muito intensos. Um retiro vocacional gerou ainda mais dúvidas, além de ter tido outros sonhos na minha vida. A dúvida foi muito forte mas, no momento em que o disse aos meus pais, tomei a decisão definitiva e todas as preocupações desapareceram.

 

Leia AQUI a entrevista completa, concedida ao jornal El Ciudadano

Lido 436 vezes

Deixe um comentário