Terça, 01 Novembro 2016 12:54

Polo Manaus realiza o ENAS

Escrito por  Vívian Marler
Classifique este artigo
(0 votos)

 O Encontro Nacional da Ação Social (ENAS) Polo Manaus foi realizado de 26 a 28 de outubro, na Casa Mornese na Inspetoria Salesiana Laura Vicuña, em Manaus, AM, e reuniu representantes das obras sociais dos Salesianos (SDB) e das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), presentes nas áreas do Pará, Porto Velho, Rondônia, Rio Negro e Manaus.

 A cada ano uma área é escolhida para realizar o evento do Polo Regional de Ação Social, e este ano Manaus reuniu cerca de 60 representantes que por meio dos palestrantes padre Agnaldo Soares e irmã Silvia Aparecida, diretores executivos da Rede Salesiana Brasil de Ação Social, do consultor Claudio Stacheira, e dos facilitadores padre Sebastião Alaertes de Camargo e José Jair Ribeiro trouxeram, durante os dois primeiros dias, assuntos relacionados ao carisma salesiano junto às obra sociais.

 

Ao longo do evento foi apresentado o Caderno de Identidade Educativo-Pastoral da Rede Salesiana Brasil – Social como instrumento de referência operativa para a ressignificação da ação social salesiana no território.

 

Um dos pontos colocados foi o trabalho realizado nas obras sociais da região. “É necessário que repensemos o modo de agir, de pensar como trabalhamos para saber se o que se faz nas obras sociais ainda é válido, se ainda surte o mesmo efeito que surtia anos atrás, ou precisamos mudar o mais rápido possível”, disse o padre Agnaldo Soares, diretor executivo da Rede Salesiana Brasil de Ação Social

 

Ao fazer uma revisão dos objetivos principais das obras sociais, padre Agnaldo reforçou a necessidade de se trabalhar a pastoral juvenil salesiana com mais vigor: “temos que dar respostas concretas à vida dos adolescentes e jovens tendo-os como protagonistas do processo educativo pastoral”.

 

Claudio Stacheira questionou sobre o reconhecimento da identidade institucional: “se cada um de nós não conhecer os objetivos, as bases não entenderão o DNA da instituição salesiana e o trabalho realizado poderá ser perdido”, informou incentivando o público presente a ser mais motivado.

 

“Não podemos ficar acomodados aguardando que o jovem venha em busca das obras, tem de fazer como Dom Bosco, que saiu em busca dos jovens e adolescentes, procurando-os em lugares de risco e levando-os para onde podiam aprender algo de bom”, disse exemplificando o trabalho realizado por Dom Bosco.

 

Padre Sebastião Camargo foi claro em apresentar que a pastoral é um dever de todos os envolvidos nas obras sociais: “a pastoral não é delegável, é uma responsabilidade de todos da comunidade educativa, mas que seja organizada e referência na dinâmica, efetiva e continua”.

 

Dentro das atitudes pedagógicas inspiradas na pedagogia de Jesus de Nazaré, sete pontos foram colocados para que o trabalho dentro das obras sociais possa ser realizado com excelência que são o aproximar-se, o escutar, o intervir, o propor, o experimentar o discernir, o comprometer-se e o partilhar.

 

Após os trabalhos em grupo do segundo dia, onde foram avaliadas as ações das instituições presentes, os representantes das obras salesianas (FMA e SDB) firmaram um acordo de compromisso para animação da Rede no Polo, onde todos os envolvidos irão cuidar da comunidade de vida de suas obras, terão uma experiência associativa onde a relação educativa-pastoral com adolescentes e jovens possam unir na familiaridade e confiança, incentivando o protagonismo juvenil por meio do acompanhamento, com o objetivo de os envolver e motivar sem perder o foco na educação e na fé, por meio de uma metodologia participativa.

 

Vívian Marler

 

 

 

 

 

Lido 776 vezes Modificado em Quinta, 03 Novembro 2016 21:47

Deixe um comentário