Quinta, 11 Fevereiro 2016 23:13

Educomunicação abre novos horizontes no Salesiano Recife

Escrito por  Manoel Moura
Classifique este artigo
(0 votos)

Desde o início de 2015, o Colégio Salesiano Sagrado Coração, em Recife, PE, colocou à disposição da comunidade educativa a possibilidade de experimentar uma forma diferente de educar: a Rádio Dom Bosco e a TV Salé.

Como o próprio nome sugere, a educomunicação é uma área que se nutre dos saberes da Pedagogia e das Ciências da Comunicação. Ela usa das mídias no ensino e fomenta a construção da crítica midiática através da produção comunitária com fins educativos.É com esse olhar que, desde início de 2015, o Colégio Salesiano Sagrado Coração, em Recife, PE, colocou à disposição da comunidade educativa a possibilidade de experimentar uma forma diferente de educar: a Rádio Dom Bosco e a TV Salé. O objetivo é fazer um trabalho didático-multifacetado, desenvolvido pelos jovens comunicadores (estudantes) em um ciclo interativo, enfocando sempre a natureza humana, modificada, alterada e transformada diante do poder modelador dos fatores sociais.

Com esse propósito, os dois projetos se fundamentam na teoria das mediações e pretendem contribuir para a reflexão e a prática educomunicativa na escola. Nesse sentido, a proposta dialoga com a perspectiva mais participava e emancipatória da educomunicação, constituída por uma somatória de ideias, mas, principalmente, pelos ideais de fazer da rádio e da televisão instrumentos da educação voltados para os jovens e, assim, apresentar um novo horizonte de possibilidades para o campo da aprendizagem. É por isso, que a ênfase dessas ferramentas está situada no papel das ‘mediações’, fortalecendo a ideia de educar para a recepção.

 

Comunicação direta

Nessa perspectiva, a Rádio Dom Bosco e a TV Salé estão funcionando como meio de comunicação direta, criando situações para que o jovem, diante dessa nova ferramenta, possa recriar em perspectiva micro e macrossociológica a sua própria existência. Aodesenvolver aspectos intrínsecos à linguagem midiática, as ferramentas vão possibilitar ao estudante do Sagrado Coração experimentar a diversidade cultural, já que por trás de um texto de um programa radiofônico ou televisivo há um contexto social, histórico e político no qual ele está inserido, o que contribui para compreensão das mudanças sociais e a ampliação de conhecimentos.

Tudo isso de forma prazerosa e divertida de se realizar, envolvendo o encontro de ideias, criando práticas de cooperação, desenvolvendo capacidades sociabilizadoras e proporcionando a ampliação da percepção do processo de cada um em suas correlações sociais, culturais e estéticas. “A Rádio Dom Bosco e a TV Salé nos trazem novas vivências e aprendizados, projetando nosso futuro de forma mais integrada”, reforçou o aluno da 3ª série do ensino médio, Hugo Cavalcanti, que também é jovem comunicador.

Por isso, há nessa proposta inovadora uma preocupação com a interação de elementos ligados a conteúdos programáticos do ensino com a realidade vivencial do jovem em várias dimensões: a familiar, a escolar, a da política, da religião, da cultura e principalmente, a comunitária. A força mágica dessa ferramenta é colocada a serviço do processo educativo, na medida em que se criam condições para a ampliação do olhar do aluno, constituindo-se em elemento importantíssimo na formação intelectual, ética, moral, cultural e social dos nossos jovens.

 

Dimensões da comunicação

Essas experiências estão mostrando aos alunos que, para ser comunicador, ou melhor, produtor de mensagens, será preciso vivenciar e dominar as seguintes dimensões: 1) acesso e 2) gestão da informação, e capacidade de 3) integrar, 4) avaliar e 5) criar informação. Nos bastidores dessas dimensões, certamente o protagonismo juvenil será esboçado pela realidade da educomunicação que desafiará os estudantes a pensar cada passo para se fazer e produzir televisão.

Desse modo, como a Rádio Dom Bosco (do Sagrado Coração), que tem uma programação genuinamente marcada pela diversidade de interesses (Foco Pastoral, Hora do Recado, Top Five Internacional, Cala a Boca Já Morreu e Agenda Cultural), os programas da TV Salé (Dicas Salé e Papo de Fera) têm como pano de fundo a leitura e a produção crítica da comunicação, na medida em que os produtores principais, os próprios alunos, passam a ter domínio das técnicas de produção midiática.

Outro aspecto importante a ser ressaltado é que o trabalho educativo desses canais tem lugar especial no amplo projeto educomunicativo da Rede Salesiana de Escolas (RSE), devido à preocupação em levar em conta, também, as experiências culturais dos alunos. Para o aluno da 3ª série do ensino médio, José Matheus, a Rádio Dom Bosco e a TV Salé são formas de marcar presença no mundo dos acontecimentos. “Por traz das cameras temos a responsabilidade de ler, registrar e transmitir a sensação de estar presente naquele lugar e naquele momento”, disse o jovem comunicador.

A ideia é formar uma nova recepção, mudando a maneira como os estudantes e os demais componentes da comunidade educativa recebem, no atual panorama social-midiático, os conteúdos produzidos pelos meios de comunicação. Para Beatriz Venceslau, aluna da 1ª série do ensino médio, a Rádio Dom Bosco e a TV Salé são muito mais que organizações feitas por alunos do colégio. “Elas são janelas abertas que nos possibilitam ampliar a visão de mundo sobre assuntos importantes, ante uma mídia tão elitista e sensacionalista. São meios de colocar em evidência a nossa capacidade de interrogar e criar uma opinião própria sobre o que acontece na realidade”, afirmou.

De modo geral, os projetos colaboram para que os alunos percebam as interfaces dos produtos midiáticos, atualizando ou relendo constantemente suas interpretações para assumirem-se como emissores e interlocutores reais. A verdade é que, se até a década de 1980 foi fundamental formar para a recepção, agora é imprescindível educar nossos alunos para a emissão e a produção crítica e criativa da comunicação.

 

Manoel Moura é coordenador de Comunicação no Colégio Salesiano Sagrado Coração. É jornalista, mestre em Comunicação e doutorando em Educação e Tecnologia.

Lido 9432 vezes

Deixe um comentário