Quinta, 12 Abril 2018 15:28

O coração da Igreja é jovem Destaque

Escrito por  Com informações Vatican News, Portal FMA e ANS
Classifique este artigo
(0 votos)
O coração da Igreja é jovem Foto: ANS

Com a Reunião Pré-sinodal, a Igreja Católica inicia a caminhada rumo ao Sínodo dos Bispos com um processo inédito de escuta e abertura de espaço aos jovens.

 

“O coração da Igreja é jovem precisamente porque o Evangelho é como uma linfa vital que a regenera continuamente [...]. Temos necessidade de recuperar o entusiasmo da fé e o gosto da busca. Precisamos encontrar novamente no Senhor a força para nos levantarmos das fraquezas, avançar, fortalecer a confiança no futuro. Precisamos ousar novos caminhos, mesmo que isso envolva riscos. Portanto, precisamos de vocês, pedras vivas de uma Igreja com um rosto jovem; mas não maquiado, não artificialmente rejuvenescido, e sim reavivado de dentro para fora”.

 

Essas foram as palavras do Papa Francisco na abertura da Reunião Pré-sinodal realizada nos dias 19 a 25 de março, em Roma, na Itália. Participaram presencialmente da reunião cerca de 300 jovens, provenientes dos cinco continentes e representando várias religiões e formas de pensamento (inclusive ateus). Além deles, cerca de 15 mil jovens de todo o mundo participaram do evento pela internet, acompanhando “online” as discussões em um dos seis grupos linguísticos: português, inglês, francês, espanhol, alemão e italiano.

 

Assim, de uma forma inédita e extremamente participativa, a Igreja Católica abriu espaço para escutar os jovens e receber suas colaborações, que serão utilizadas na preparação do próximo Sínodo dos Bispos, em outubro, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

 

Jovens protagonistas

No dia 19, após a saudação do cardeal Lorenzo Baldisseri, secretário-geral do Sínodo dos Bispos, o Papa Francisco iniciou os trabalhos da Reunião Pré-sinodal. “Falem com coragem, digam o que vocês gostariam de dizer. Se alguém se sentir ofendido, peçam perdão e continuem...”, exortou Francisco no início do seu discurso. Ele afirmou que, muitas vezes, fala-se sobre os jovens sem que estes tenham a oportunidade de opinar.

 

“Os jovens devem ser levados a sério! Parece-me que estamos rodeados por uma cultura que, por um lado, idolatra a juventude, tentando não deixá-la passar jamais, de outro, exclui tantos jovens de serem protagonistas”, considerou o Pontífice. “Na Igreja não deve ser assim. O Evangelho nos pede: a sua mensagem de proximidade convida a nos encontrarmos e nos confrontarmos, a nos acolhermos e nos amarmos seriamente, a caminhar juntos e a partilhar sem medo. Esta Reunião Pré-sinodal quer ser um sinal de algo muito grande: a vontade da Igreja de ouvir todos os jovens, ninguém excluído”, continuou ele.

 

O próximo Sínodo será também um apelo à Igreja para que redescubra “um renovado dinamismo juvenil”. O Papa recordou a Mensagem aos jovens do Concílio Vaticano II: “É também hoje um incentivo para lutar contra todo egoísmo e a construir com coragem um mundo melhor. É um convite a buscar novos caminhos e a percorrê-los com coragem e confiança, mantendo o olhar fixo em Jesus e abrindo-se ao Espírito Santo, para rejuvenescer o próprio rosto da Igreja”, afirmou o Papa Francisco. Ele concluiu suas palavras convidando os jovens a se exprimirem com franqueza e em toda liberdade: “Vocês são protagonistas e é importante que vocês falem abertamente. Garanto que sua contribuição será levada a sério”.

 

Escuta e partilha

A Reunião Pré-sinodal seguiu um cronograma de trabalhos bastante simples, alternando grupos de estudos para aprofundamento dos temas e plenárias para a organização de um documento de contribuição ao Sínodo dos Bispos. As discussões foram divididas em três partes. A primeira, “Desafios e oportunidades dos jovens no mundo de hoje”, foi dedicada ao aprofundamento da situação concreta das juventudes, de maneira a contribuir para que o Sínodo consiga traçar um panorama da realidade juvenil.

 

A segunda parte, “Fé e vocação, discernimento e acompanhamento”, foi dedicada à compreensão, por parte dos jovens, das palavras-chave do próximo Sínodo. Por fim, a terceira parte, “Ação educativa e pastoral da Igreja”, pretendeu tornar os jovens corresponsáveis pela ação educativa e pastoral da Igreja, identificando as formas mais eficazes para anunciar a Boa Nova aos jovens.

 

Jornada Mundial da Juventude

A Reunião Pré-sinodal encerrou-se no Domingo de Ramos, data em que é celebrada nas dioceses de todo o mundo a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Uma cópia do documento final foi entregue ao Papa Francisco após a missa na Praça São Pedro, por um jovem do Panamá, país que hospedará a grande JMJ de janeiro de 2019. Ele fez uma saudação e um agradecimento:

 

“Nós jovens acolhemos com alegria seu convite a participar desta Reunião Pré-sinodal. Suas palavras, no início do nosso encontro, muito nos encorajaram. Vivemos sem distinção de cultura ou fé este momento de comunhão em favor do trabalho pelos jovens. Neste documento, mais do que palavras, lhe entregamos a nossa vida e os desejos mais profundos de nosso coração. Confiantes no fato de que a Igreja continue escutando a voz dos jovens, esperamos que este Relatório ilumine o trabalho de todos os nossos bispos e de todo o povo de Deus neste processo sinodal”. O jovem terminou assegurando ao Papa suas orações.

 

Participação salesiana

Entre os participantes da Reunião Pré-sinodal estiveram jovens provenientes de presenças dos Salesianos de Dom Bosco, das Filhas de Maria Auxiliadora e de outros ramos da Família Salesiana.

 

A jovem Maria Eugenia Sehara Piñeyro, do Uruguai, representou o Movimento Juvenil Salesiano (MJS, que no Brasil recebe o nome de Articulação da Juventude Salesiana – AJS). “O encontro com jovens de diversos países é a maior riqueza. A expectativa é que esse encontro produza seus frutos e que se realize realmente o que se espera de nós, isto é, que possamos fazer ouvir as nossas vozes”, afirmou ela, ressaltando a amplitude do encontro, que foi aberto não só aos jovens que participam da Igreja.

 

A profundidade e o diálogo também foram os aspectos ressaltados pelo jovem Thulio Donizete Fonseca Silva, missionário da Comunidade Canção Nova, um dos grupos da Família Salesiana, e responsável pela juventude de língua portuguesa durante a reunião. “Os trabalhos foram muito bons, conseguimos por grupos linguísticos entrar bem no tema do Sínodo, que é a fé, o discernimento vocacional e toda a realidade da juventude”.

 

“Obviamente agradou-me muitíssimo quando o Papa Francisco veio nos visitar. O encontro foi muito familiar, íntimo, realmente belo. Ele nos motivou a falar dos nossos desejos e do que gostaríamos de mudar na Igreja, a falar sem receio e abrir os nossos corações”, contou Marketa Imlaufová. Delegada da Conferência Episcopal da República Checa à Reunião Pré-Sinodal, ela é também voluntária da organização salesiana SADBA. “Creio que, com esta reunião, a Igreja já deu um grande passo em direção aos jovens. Fazemos parte desse processo, porque o Sínodo se compõe de muitos passos e é como se a Igreja dissesse: ‘Ok, estamos interessados na vossa opinião’”, considerou ela.

 

Participaram ainda da Reunião Pré-sinodal, pelo Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, a jovem professora de uma escola FMA indiana, Anjana Teresa Thadathil, representante do Movimento Juvenil da Igreja Católica de rito Siro-Malabarese; irmã Cristina Vargas Diaz Granados, da Colômbia, representante das jovens religiosas; irmã Karla Marlene Figueroa Aguigurems, de Honduras, docente no Auxilium e representante dos educadores das Universidades e Escolas Católicas; e irmã Cynthia Calabig, das Filipinas, representando os formadores/formadoras na vida consagrada.

 

Lido 1229 vezes Modificado em Quinta, 12 Abril 2018 15:56

Deixe um comentário