Família Salesiana de Dom Bosco

Dom Bosco inspirou o início de um vasto movimento de pessoas que trabalham de diversos modos em favor da juventude.

Ele mesmo fundou a Sociedade de São Francisco de Sales (Salesianos de Dom Bosco), o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) e a Associação dos Salesianos Cooperadores (SSCC).

Incluindo estes e outros que surgiram em diversas partes do mundo, a Família Salesiana de Dom Bosco compreende hoje 30 grupos oficialmente reconhecidos com um total de mais de 400 mil e 500 membros.

Esses grupos vivem em comunhão recíproca, compartilham o mesmo espírito e continuam a missão iniciada por ele com vocações especificamente distintas.

O carisma de Dom Bosco continua a inspirar pessoas de boa vontade. Existem atualmente outros 30 grupos que desejam ser membros da Família Salesiana de Dom Bosco.

Fonte: Salesianos de Dom Bosco

 

Dom Bosco

Nascido em Castelnuovo d'Asti, no dia 16 de agosto de 1815, João Bosco foi educado pela mãe na fé e na prática coerente da mensagem evangélica.

Com apenas nove anos, teve um sonho e intuiu que deveria se dedicar à educação da juventude. Ainda garoto, começou a entreter os meninos de sua idade com brincadeiras alternadas com trabalho, oração e instrução religiosa.

Ordenado sacerdote (1841), escolheu como programa de vida: “Da mihi animas cetera tolle” (Gn 14,2 1) e começou o seu apostolado no meio dos jovens mais pobres, fundando o Oratório e colocando-o sob a proteção de São Francisco de Sales.

Com seu estilo educativo e a sua práxis pastoral, baseados na razão, na religião e na "amorevolezza" (Sistema Preventivo), levava os adolescentes e os jovens à reflexão, ao encontro com Cristo e com os irmãos, à educação da fé e à sua celebração nos sacramentos, ao compromisso apostólico, civil e profissional.

Fonte da sua infatigável atividade e da eficácia de sua ação foi uma constante “união com Deus” e uma ilimitada confiança em Maria Auxiliadora que ele sentia como mãe. Aos seus filhos salesianos deixou em herança uma forma de vida religiosa simples, mas solidamente fundada nas virtudes cristãs, na contemplação e na ação, sintetizadas no binômio: “trabalho e temperança”.

Escolheu entre seus jovens os melhores colaboradores de sua obra, dando origem à Sociedade de São Francisco de Sales (Salesianos de Dom Bosco). Junto com Santa Maria Domingas Mazzarello fundou o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora; e, com bons e ativos leigos, homens e mulheres, criou os Salesianos Cooperadores, para ajudar e apoiar a obra da educação da juventude, antecipando assim novas formas de apostolado na Igreja.

No Centenário de sua morte, que aconteceu no dia 31 de janeiro de 1888, João Paulo II o declarou e proclamou Pai e Mestre da juventude.

Seu corpo repousa na Basílica de Maria Auxiliadora, em Turim.

Foi beatificado em 2/6/1929 e canonizado em 1/4/1934

 

Sistema preventivo

São João Bosco foi um educador excepcional. Sua inteligência aguda e sua profunda espiritualidade levaram-no a criar um sistema de educação capaz de desenvolver a pessoa em sua totalidade – corpo, coração, mente e espírito. O sistema valoriza devidamente o crescimento e a liberdade, enquanto coloca o jovem no próprio centro de toda a ação educativa.

Para distinguir o seu método em relação ao sistema educativo de repressão, vigente na Itália no século XIX, deu ao seu novo método o nome de sistema “preventivo”. Com ele, procura prevenir a necessidade de castigo colocando o jovem em situação de ser capaz de ser o melhor que puder. É uma maneira agradável, amável e integral de abordar a educação.

“Este sistema apoia-se todo inteiro na razão, na religião e na amabilidade (amorevolezza)”, afirmava Dom Bosco.

Cria um clima capaz de tirar de dentro (educere) o melhor de cada educando, que o predispõe a mostrar-se claramente como é, que ajuda o jovem na aquisição de hábitos que lhe permitirão optar durante sua vida por tudo que é bom, saudável, alegre e promissor.

 

Fonte: Salesianos de Dom Bosco – www.sdb.org

 

 

Madre Mazzarello

 

O itinerário histórico-biográfico de Maria Domingas Mazzarello é relativamente breve (44 anos). Pode ser organizado em quatro etapas, marcadas por uma maturação progressiva na vida cristã e consagrada.

A 1ª etapa abrange 13 anos: do nascimento, em Mornese, no Alto Monferrato (1837) até a Primeira Eucaristia (1850). Esses anos transcorreram num ambiente familiar caracterizado por uma sólida vida cristã e por um trabalho incansável no campo. Inteligente, volitiva e dotada por uma rica afetividade, Maria Domingas se abriu à fé, orientada pelos pais e pelo sábio diretor espiritual padre Domingos Pestarino.

Na 2ª etapa (1850-1860) percebe-se uma particular interiorização da fé, a partir do encontro eucarístico, que a impele a doar sua juventude ao Senhor e a participar intensamente da vida paroquial, de modo especial através da União das Filhas de Maria Imaculada. Aos 23 anos foi acometida pela grave doença do tifo que produziu nela uma grande transformação. Deixa a vida do campo, não somente por causa da diminuição das forças físicas, mas principalmente pela clara intuição educativa. Dedica-se então à educação das meninas da vizinhança, abrindo uma sala de costura, um oratório festivo e um lar para as crianças sem família.

Na 3 ª etapa (1860-1872) pode-se vê-la sempre mais aberta aos desígnios de Deus. Em 1864, encontra-se com São João Bosco. Este encontro foi a resposta plena de Deus à sua ânsia apostólica. Juntos fundam, no dia 5 de agosto de 1872, uma nova família religiosa na Igreja, em prol da juventude. Dom Bosco é o Fundador e Maria Domingas, a Co-fundadora.

Na 4ª e última etapa de sua vida (1872-1881), Madre Mazzarello exercita sua maternidade espiritual através da formação das irmãs, das numerosas viagens, visitando as novas fundações, incrementando a expansão missionária do Instituto, pela palavra escrita e pela doação cotidiana de sua vida, consumando-a no exercício da “caridade paciente e benigna”.

Faleceu em Nizza Monferrato, no dia 14 de maio de 1881. Deixou às suas filhas uma sólida tradição educativa. Deus conferiu-lhe o dom do discernimento, tornando-a uma mulher simples e sábia. Foi beatificada em 20/11/1938 e canonizada em 24/06/1951. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 13 de maio.

 

Fonte: Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – www.cgfmanet.org

 

 

 

Salesianos de Dom Bosco

A Sociedade de São Francisco de Sales – Congregação dos Salesianos de Dom Bosco, foi fundada pelo próprio São João Bosco em 18 de dezembro de 1859.

Os Salesianos de Dom Bosco (SDB) formam uma comunidade que busca realizar em uma forma específica de vida religiosa o projeto apostólico do fundador: ser na Igreja sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres. A comunidade é composta por clérigos e salesianos irmãos que vivem a mesma vocação em fraterna complementaridade. São reconhecidos na Igreja como Instituto religioso clerical, de direito pontifício, dedicado às obras de apostolado.

Abertos às culturas dos países em que trabalham, os SDB procuram compreendê-las e acolhem seus valores para encarnar nelas a mensagem evangélica. As necessidades dos jovens e dos ambientes populares e a vontade de agir com a Igreja e em seu nome movem e orientam a ação pastoral dos SDB para o advento de um mundo mais justo e mais fraterno em Cristo. Em todas as regiões do globo, o compromisso dos Salesianos é com a promoção integral dos jovens através da educação e da evangelização.

Atualmente os Salesianos de Dom Bosco somam 15.560 sacerdotes e irmãos coadjutores, e estão presentes em 131 países, nos cinco continentes.

Fonte: Salesianos de Dom Bosco – www.sdb.org

 

  • Salesianos de Dom Bosco no Brasil

Os Salesianos estão no Brasil desde 1883, quando chegaram a Niterói, RJ, os primeiros missionários enviados por Dom Bosco. Ali fundaram o Colégio Salesiano Santa Rosa, primeira obra salesiana no país. Em 1885, os Salesianos se fizeram presentes também em São Paulo.

Atualmente, os Salesianos de Dom Bosco estão presentes em quase todos os estados brasileiros, divididos em seis inspetorias (regiões), nas quais mantêm escolas, entidades sociais e paróquias, entre outras obras.

Rede Salesiana Brasil

Inspetoria São João Bosco (ISJB)

Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT)

Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia (ISMA)

Inspetoria São Pio X (Inspetoria Salesiana do Sul do Brasil)

Inspetoria Salesiana São Luiz Gonzaga (Inspetoria Salesiana do Nordeste)

Inspetoria Nossa Senhora Auxiliadora (Inspetoria Salesiana de São Paulo)

 

 

 

Filhas de Maria Auxiliadora

O Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) nasceu do coração de São João Bosco e da fidelidade criativa de Santa Maria Domingas Mazzarello. Dom Bosco escolheu esse nome porque quis que o instituto fosse um monumento vivo de gratidão a Maria.

 

Em Turim, na Itália, a escolha de Dom Bosco de fundar uma instituição em favor das jovens resultou da solicitação de várias pessoas; da constatação do estado de abandono e pobreza em que muitas jovens se encontravam; do contato com vários Institutos femininos; da profundidade da sua devoção mariana; da confirmação do Papa Pio IX que o encorajou nessa direção; e por repetidos “sonhos” e fatos extraordinários que ele mesmo contou.

Contemporaneamente, em Mornese, a jovem Maria Domingas Mazzarello animava um grupo de jovens que se dedicavam às garotas da cidadezinha, com o objetivo de ensinar-lhes uma profissão, mas sobretudo com a determinação de orientá-las à vida cristã.

A certa distância um do outro, dois sinais de uma mesma mensagem: devia surgir também para as meninas e as jovens o ambiente educativo que já existia em Turim-Valdocco, para os meninos, criado por Dom Bosco. Maria Domingas Mazzarello foi co-fundadora ao dar vida, forma e desenvolvimento à nova instituição.

No dia 5 de agosto de 1872, o primeiro grupo de jovens pronunciou o seu “sim” como a Virgem Maria, para ser “auxílio”, sobretudo, para a jovens mais carentes.

 

 

Filhas de Maria Auxiliadora no Brasil

No dia 5 de março de 1892, partiram de Montevidéu, capital do Uruguai, 12 irmãs Filhas de Maria Auxiliadora com a finalidade de iniciar o trabalho do Instituto no Brasil. O grupo chegou a Guaratinguetá, SP, em 16 de março, para assumir a coordenação do Colégio Nossa Senhora do Carmo, primeira casa das FMA no país.

Hoje, há nove inspetorias das Filhas de Maria Auxiliadora de norte a sul do Brasil, nas quais as irmãs levam aos jovens o carisma educativo salesiano.

 

 

 

 

 

Salesianos Cooperadores

Em 1876, Dom Bosco fundou um dos ramos da Família Salesiana – a Associação dos Salesianos Cooperadores (SSCC) que é aprovada pela Santa Sé como Associação pública de fiéis, possuindo personalidade jurídica, eclesiástica e pública com sede em Roma. O Salesiano Cooperador é um leigo que busca viver o espírito salesiano nas situações cotidianas da vida e do trabalho. Forma com os familiares uma Igreja Doméstica, contribui para o crescimento humano e cristão dos seus membros e, como leigo, difunde os valores do carisma salesiano no próprio ambiente.

O centro e a síntese do Espírito Salesiano são a “caridade pastoral” que moveu Dom Bosco. O Salesiano Cooperador tem, onde quer que esteja, a preocupação de educar e evangelizar explicitada no pensamento: “honestos cidadãos e bons cristãos”. Desenvolve sua atividade com simplicidade, otimismo, criatividade, vivência comunitária, espiritualidade eucarística e mariana.

O Salesiano Cooperador está aberto a todas as formas de apostolado, mas cultiva como preferenciais: a catequese, a formação cristã, a animação de grupos, a assessoria aos movimentos juvenis e familiares, a colaboração em centros educativos e escolares, o serviço social entre os pobres, a comunicação social, o engajamento na pastoral vocacional, o trabalho missionário e dará uma especial atenção à participação nos conselhos tutelares, fóruns regionais e onde quer que se trate dos direitos da criança e do adolescente.

O Salesiano Cooperador pauta sua vida segundo o Projeto de Vida Apostólica, principal documento da Associação, que constitui-se de um elenco de artigos propondo formas cristãs de viver, relacionar-se e associar-se fraternalmente com todas as pessoas, sejam associadas ou não, de qualquer credo religioso, profissão, raça, condição social ou profissional.

Para tornar-se um Salesiano Cooperador, a pessoa deve procurar o Centro Local mais próximo de sua realidade de vida e aceita participar de um programa de formação inicial, com frequência variável segundo as circunstâncias locais e com a duração necessária ao seu próprio discernimento vocacional.

Fonte: Salesianos Cooperadores de São Paulo

 

Salesianos Cooperadores no Brasil

Província Nossa Senhora Auxiliadora (BSP)

Província Porto Alegre (BPA)

Inspetoria Salesiana do Nordeste do Brasil