Segunda, 20 Agosto 2018 15:16

Com viagens pedagógicas, CNSA de Petrolina amplia as possibilidades de conhecimento

Escrito por  Thirza Santos – Colégio N. Sra. Auxiliadora
Classifique este artigo
(1 Voto)
A Serra da Capivara, no Piauí, foi um dos lugares visitados pelos alunos do CNSA A Serra da Capivara, no Piauí, foi um dos lugares visitados pelos alunos do CNSA Foto: Divulgação

O incentivo às diversas formas de aprendizagem é uma das práticas exercidas pela educação do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora - CNSA, inidade da RSB Escolas em Petrolina. Possibilitar vivências, que estejam fora do ambiente habitual da sala de aula e para além dos muros da escola, é uma metodologia que amplia as formas de assimilar o conteúdo, além de estimular nos estudantes o seu desenvolvimento integral.

 

As viagens, com finalidades pedagógicas, estão entre as diversas ferramentas que podem ser utilizadas para desenvolver uma prática disruptiva de educação. Através das interações com outros espaços físicos, culturais e sociais, o aluno amplia sua visão de mundo e tem a possibilidade de estudar in loco o conteúdo apresentado nos livros, estreitando os laços entre teoria e prática.

 

No Colégio Auxiliadora, só em 2018, já foram realizadas duas atividades neste sentido. Na primeira os alunos do Ensino Fundamental II desembarcaram no estado do Piauí. O projeto “Nossa Terra, Nosso Chão” levou estudantes dos 6º e 7º anos para o Parque Nacional da Capivara, Museu do Homem Americano e Fábrica de Cerâmica. Durante a viagem foram estudados tópicos de História, Geografia, Ciências e Artes. Outra experiência vivenciada pelos alunos do CNSA foi na cidade de Exu, terra do Rei do Baião. Crianças dos 5º anos do Ensino Fundamental I conheceram a história de Luiz Gonzaga e entenderam como a sua vida interferiu diretamente na cultura do município pernambucano. O aspecto religioso da cidade também foi apresentado para os alunos, que conheceram a Igreja de São João Batista, a qual foi construída pelo Barão de Exu, em pagamento a uma promessa que fez para que a doença cólera não afetasse a população.

 

Para a supervisora pedagógica do Colégio Auxiliadora, Conceição Lima, essas ações possibilitam ainda que os estudantes trabalhem em si aspectos como coletividade, senso de pertencimento e descobertas de si e do mundo. “Estas atividades permitem que os alunos estejam mais abertos, motivados pela diversão e ludicidade do momento. Isto faz com que desenvolva novas formas de aprender aquilo que, por vezes, em sala de aula teria uma maior dificuldade de assimilação. Nosso objetivo é promover ainda mais momentos como estes”, avalia a  psicopedagoga.

Lido 794 vezes
Logar para postar comentários

Busque por data

« Novembro 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Comentários