Quinta, 19 Abril 2018 15:18

Museu do Índio mostra a história e a cultura de cinco etnias da Amazônia Destaque

Escrito por  RSB Informa
Classifique este artigo
(0 votos)
Criança Xavante, uma das etnias indígenas a que se dedica o Museu do Índio Criança Xavante, uma das etnias indígenas a que se dedica o Museu do Índio

Nesta quinta-feira, 19 de abril, celebramos o Dia do Índio. A data remete ao Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México, em 1940, tornando-se um marco da luta dos povos originários do Continente por seus direitos. Um dia de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e do respeito à sua cultura.

 

É comum, no Brasil, que atividades especiais aconteçam de norte a sul nesta semana. Nas escolas, os alunos pesquisam o tema, fazem trabalhos e recebem representantes de diversas etnias para homenagens e palestras. Os museus, especialmente os que dão atenção especial à cultura indígena, costumam ficar mais movimentados.

 

É o caso do Museu do Índio, mantido pelas Filhas de Maria Auxiliadora (FMA) em Manaus, AM. Fundada em 1952, a obra traz peças reunidas nas missões salesianas na Amazônia.

 

Acervo abrangente

 

Localizado no centro de Manaus, o Museu do Índio é uma das obras da Inspetoria Santa Teresinha. Considerada uma das mais completas entre os espaços que se dedicam à cultura indígena, reúne cerca de 3 mil peças – todas originais – que contam um pouco da história e da cultura de cinco etnias da Amazônia: Tukano, Tikuna, Banivwa, Yanomami e Xavante. O acervo está em exposição para fins educativos, de pesquisa e turístico.

 

Os visitantes encontram de tudo um pouco, em objetos distribuídos em seis salas: utensílios domésticos, armas e adornos, objetos de rituais, animais empalhados e artesanato. O Museu tem ainda uma loja de artesanato onde se pode comprar alguns produtos indígenas, principalmente cerâmica e objetos de cipó.

 

A biblioteconomista e editora do blog Caçadores de Bibliotecas, Soraia Magalhães, já visitou mais de 100 museus por várias cidades do Brasil, mas leva consigo um carinho especial pelo Museu do Índio. Foi o primeiro museu que ela conheceu, quando tinha 10 anos e estudava no Centro Educacional Maria Auxiliadora (CEMA), da RSB-Escolas, que fica ao lado do museu. “Durante as comemorações na Semana da Criança, a direção do colégio permitia que cada turma por série visitasse o Museu. De todas as salas, há uma que povoou minha imaginação por anos a fio. Consta de um funeral onde se pode observar um índio deitado em uma canoa circundado por representações em forma de máscaras. Ao mesmo passo que sentíamos curiosidade, nos alvoroçávamos por medo. Mas o ritual fúnebre é um momento festivo e belo para os indígenas”, recorda. 

 

Em 2015, Soraia retornou ao museu e fez uma matéria para seu blog Caçadores de Bibliotecas, tendo oportunidade de encontrar, mais uma vez, a memória dos povos indígenas ali retratados e suas próprias memórias afetivas. “O museu é muito bem cuidado, sempre foi. Nas salas se pode obter, por meio dos materiais expostos, uma visão da vida de homens e mulheres no ambiente das aldeias. Esse foi o primeiro museu que conheci em minha vida e dele guardo boas lembranças”, conclui.

 

Atualmente, o Museu tem como diretora Ir. Vírginia Denti, FMA, e conta com colaboradores distribuídos em funções como auxiliar administrativo, recepcionista, guia e serviços gerais e recebe a visita de muitos turistas, em sua maioria, de asiáticos e europeus, que estando em Manaus por diversos fins, se mostram encantados pela cultura indígena.

 

O Museu está localizado na Avenida Duque de Caxias, 296, no centro de Manaus. Funciona de segunda a sexta-feira, de 8h30 às 11h30, pela manhã, e 14 às 16h30, pela tarde. Aos sábados, abre apenas no turno da manhã. O valor da entrada é de R$10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

Fonte: RSB-Informa

Lido 1226 vezes
Logar para postar comentários

Busque por data

« Novembro 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Comentários