Quarta, 26 Julho 2017 15:47

Faz mais de 30 anos que o padre irlandês Patrick Naughton, SDB, serve, como missionário, os jovens da África do Sul. É atualmente o ecônomo da casa salesiana da Cidade do Cabo, cuidando ininterruptamente da juventude vulnerável, à qual dedicou sua vida. Os programas escolares administrados pelos Salesianos de Dom Bosco vão de uma formação de base para os jovens com pouco ou nenhum nível de instrução, até programas de capacitação específicos, orientados ao ingresso no mundo do trabalho. Todos os programas buscam reabilitar a dignidade e a autoestima dos alunos, e fornecer-lhes habilitações concretas segundo os respectivos talentos.

 

Segunda, 05 Dezembro 2016 13:15

“Felizes no tempo e na eternidade”, este era o desejo de Dom Bosco pelos seus meninos. Ainda hoje, em todo o mundo seus filhos fazem de tudo para garantir a seus alunos, a par da formação humana e espiritual, aquelas habilidades necessárias para conseguir um bom emprego e uma vida digna. É nesta moldura que o Instituto Salesiano Dom Bosco, da Cidade do Cabo, na África do Sul, firmou parceria com a conhecida marca Porsche e a sociedade importadora de carros “LSM Distributors”, para a formação e o encaminhamento de jovens necessitados ao mercado de trabalho.

Segunda, 28 Março 2016 17:18

A Suazilândia é um país espremido entre a África do Sul e Moçambique, com a mais alta taxa de pessoas contaminadas pelo HIV no mundo e com 69. 000 doentes de AIDS sobre quase um milhão de habitantes. Segundo o relatório anual das Nações Unidas, é considerado “o país menos saudável do mundo”. Nessa pequena porção de mundo, os Salesianos continuam a sua missão de tornar concreta a mensagem de Cristo.

Segunda, 09 Dezembro 2013 15:07

Foi realizada na sede da ANEC (Associação Nacional de Educação Católica do Brasil), em Brasília, no dia 6 de dezembro, a reunião do Comitê Administrativo (CAD) do Portal Futurum.

Sexta, 06 Dezembro 2013 14:30

O Papa Francisco escreveu na manhã desta sexta-feira, 6 de dezembro, ao presidente da República Sul-Africana, Jacob Zuma, uma mensagem expressando seu pesar pela morte do líder e símbolo da luta anti-racista Nelson Mandela.

Quarta, 12 Junho 2013 19:05

 

O “Dia mundial contra o trabalho de crianças e adolescentes” celebrado hoje, 12 de junho, não pretende ser apenas uma data no calendário, mas sim um chamado a um empenho mais intenso na oposição a tais fenômenos que, como demonstram várias boas práticas já ativas no mundo, podem realmente ser contrastados.

 

No final do mês de abril a Organização Internacional para o Trabalho (ILO, em inglês) publicou o seu último “Relatório mundial sobre o trabalho de menores”, que além de apresentar dados e estatísticas inerentes à matéria, oferece várias análises relativas aos temas relacionados ao trabalho de menores: a vulnerabilidade econômica e a proteção social.

 

Há atualmente cerca de 215 milhões de trabalhadores mirins no mundo, dos quais 115 milhões em condições assemelhadas à escravidão, ameaçados de extorsão por dívidas, e explorados por prostituição e atividades ilícitas, ou empregados em trabalhos muito dispendiosos, e arriscados para a saúde e a segurança. 60% trabalham na agricultura. São 15,5 milhões as crianças e adolescentes empregados no trabalho doméstico. Só um sobre cinco recebe pagamento, os outros trabalham dentro da família, sem remuneração.

 

A situação desses menores depende com frequência da situação das suas famílias: pais pobres, famílias desestruturadas, com baixos níveis de escolarização – todos fatores que aumentam as probabilidades para um menor de ser “vendido” ou ao menos de deixar os estudos e ser destinado ao trabalho desde a infância.

 

O Dia Mundial contra o Trabalho de Crianças e adolescentes 2013 concentra-se no tema do trabalho doméstico e quer lembrar como, se é verdade que uma situação familiar difícil pode favorecer o trabalho de menores, é também verdade que o retorno a uma situação familiar positiva pode salvaguardar o presente e o futuro de crianças e adolescentes.

 

Os especialistas de ILO observaram uma sensível redução de trabalho de menor quando se adotam projetos de proteção social:

 

No Brasil, a adoção do programa “Bolsa Família”, que prevê a doação de uma quantia fixa mensal às famílias com crianças para garantir-lhe a frequência escolar, mostrou uma sensível diminuição do trabalho de menores tanto no campo quanto na cidade; estudos feitos na África do Sul, Botswana, Maláui, Namíbia Tanzânia e Zimbábue, países em que mais de 50% dos órfãos vivem com os avós, têm mostrado um decréscimo de trabalho de menores quando se dá o auxílio-sustento aos idosos.

 

Em vista do Dia Mundial Contra o Trabalho de Menor, as procuradorias missionárias salesianas atuaram em campanhas de solidariedade, que atestam como a Congregação Salesiana é contra qualquer forma de exploração dos menores e a favor do desenvolvimento integral dos jovens em todos os países do mundo.

A procuradoria de Madri, por exemplo, lançou a campanha “Não estou à venda”, para denunciar o dramático problema da exploração de menores; a de Bonn, na Alemanha,  renovou o seu empenho com o projeto, na Índia, da “Kinderbank” (Banco da Criança): banco que permite aos pequenos, que trabalham regularmente, depositar as próprias economias com segurança, oferecendo-lhes ao mesmo tempo uma certidão de identidade civil.

 

InfoANS