Terça, 04 Setembro 2018 15:17

Família Salesiana participa do I Congresso de Comunicação da Signis Brasil Destaque

Escrito por  Ana Cosenza e Fládima Christofari
Classifique este artigo
(0 votos)
A RSB Comunicação foi representada no I Congresso de Comunicação por Fládima Christofari (à esquerda), Pe. João Carlos Ribeiro, Tatiana Lima, Ana Cosenza e Guido Fontgalland Jr. A RSB Comunicação foi representada no I Congresso de Comunicação por Fládima Christofari (à esquerda), Pe. João Carlos Ribeiro, Tatiana Lima, Ana Cosenza e Guido Fontgalland Jr.

“Consumo de mídias em tempo de mercado digital” foi o tema do I Congresso de Comunicação Signis Brasil, realizado nos dias 30 de agosto a 1º de setembro em Porto Alegre, RS. Com uma programação intensa de palestras, mesas redondas e grupos de discussão, o evento reuniu cerca de 70 comunicadores católicos, de todas as regiões do País e de veículos de comunicação ligados a diversas congregações religiosas.

 

A Família Salesiana participou do Congresso, representada por Padre João Carlos Ribeiro, diretor-executivo da Rede Salesiana Brasil de Comunicação (RSB-Comunicação); Ana Cosenza, editora do Boletim Salesiano; Fládima Christofari, coordenadora de Comunicação na Inspetoria Salesiana de Campo Grande (Missão Salesiana de Mato Grosso); Guido Fontgalland Júnior e Tatiana Kelly Lima, respectivamente gerente-executivo e coordenadora de prospecção da Editora Edebê Brasil.

“A Signis é essa articulação de profissionais e de veículos de comunicação inspirados na fé cristã e nós não podemos ficar de fora dela. A Rede Salesiana Brasil, as inspetorias, o Boletim Salesiano, as nossas rádios também precisam estar conectados nesse esforço de reflexão e de articulação. Participando deste encontro, nos inserimos junto a esses grupos que vêm trabalhando há muito tempo e se articulando na Igreja”, reforçou o diretor-executivo da RSB-Comunicação, Pe. João Carlos, SDB, quanto à participação dos comunicadores salesianos neste evento.

 

Comunicadores por uma cultura de paz

O objetivo da Signis ao realizar o Congresso foi promover a reflexão e a troca de experiências no âmbito da comunicação social, voltada a uma cultura de paz. “O Congresso é uma oportunidade de conhecer tendências globais e inovadoras, caminhos à evangelização com os meios de comunicação na perspectiva cristã católica”, considerou o presidente da Signis Brasil, frei João Carlos Romanini, OFMCap. O evento foi realizado em um clima fraterno, com palestras ministradas por especialistas inseridos no mercado e sempre seguidas de debates e questionamentos sobre como trazer essas reflexões para a realidade da comunicação católica no País. 

“Nós, como Igreja e comunicadores cristãos, precisamos entender o comportamento da comunicação na sociedade para sermos mais efetivos naquilo que é a nossa missão primeira: anunciar o Evangelho; sua mensagem de amor e de justiça”, afirmou frei Romanini na solenidade de abertura, realizada na manhã da sexta-feira, 31 de agosto.

Estavam presentes Carlos Ferraro, presidente da Signis América Latina e Caribe (ALC), irmã Helena Corazza, fsp, diretora do Serviço à Pastoral da Comunicação (Sepac) e primeira presidente da Signis Brasil, dom Devair Araújo da Fonseca, vigário episcopal para a Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, Ricardo Yañez, secretário-geral da Signis Mundo, Majo Centurión, vice-presidente da Signis ALC, e Maria Isabel Gatti, presidente da Signis Argentina. Helen Osman, presidente da Signis Mundial, não pode participar presencialmente, mas enviou uma mensagem em vídeo saudando a realização do Congresso e incentivando os comunicadores católicos brasileiros.

 

Conteúdo e veracidade da notícia

A Conferência Magna, ainda na parte da manhã, tratou sobre “Tempo líquido, mercado em mutação”. A jornalista e especialista em marketing Sioni Gonçalves, que ministrou a palestra, afirmou que o desenvolvimento tecnológico nos últimos 20 anos provocou mudanças profundas na sociedade e que “hoje nosso grande desafio é ‘aprender a aprender’, pois somos impactados com uma grande quantidade de informação diariamente. Nosso diferencial não é o meio digital; o que importa é o conteúdo, a veracidade da mensagem, a criatividade e a ética”.

Veracidade foi a palavra-chave na palestra sobre “A ética e a produção de conteúdo em tempo de fake news”, ministrada pela jornalista Paula Sperb, que tratou as ‘fake news’ sob dois aspectos: de um lado, a invenção e propagação de notícias falaciosas, que muitas vezes é proposital para atingir objetivos políticos. De outro, a atitude adotada por parte da sociedade de considerar como fake news todas as informações que contradizem suas convicções, provocando o descrédito do jornalismo e dos jornalistas.

 

Diferentes narrativas

A primeira mesa-redonda, em 1º de setembro, tratou sobre “Narrativas de Comunicação” e possibilitou um rico painel sobre as práticas comunicativas na atualidade. As formas inovadoras adotadas no ciberjornalismo foram apresentadas pela jornalista Carla Schwingel, uma das primeiras pesquisadoras brasileiras a tratar desse tema. O doutor em Comunicação Moisés Sbardelotto abordou a prática jornalística a partir das indicações do Papa Francisco nas exortações apostólicas Gaudete et Exultate e Amoris Laetitia.

Maria Isabel Gatti, presidente da Signis Argentina, e Óscar Prada, da Signis Colômbia, trataram sobre suas pesquisas acadêmicas a respeito de meios de comunicação católicos na América Latina. Já a doutora em Comunicação e diretora do SEPAC, irmã Helena Corazza, fsp, centrou sua exposição nas narrativas construídas a partir da comunicação como ferramenta educativa. Ela discorreu sobre o que é a Educomunicação e como esse trabalho é desenvolvido no País, com ênfase na atuação das Paulinas, congregação que representa, e das Filhas de Maria Auxiliadora em unidades da RSB-Escolas de todo o País.

 

Mudanças de paradigma e construção da paz

Após o almoço, os participantes refletiram sobre “Mudanças de paradigmas e convergência de mídias”, a partir de palestra do professor de Jornalismo na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Felipe Boff. A última mesa-redonda do Congresso foi sobre “Os meios de comunicação católicos e a construção da paz”. Maria Chiara de Lorenzo, gerente-geral da Signis Mundo e representante da Signis Service Rome, da Itália, e Ricardo Yañes, secretário-geral da Signis Mundo que atua a partir da sede em Bruxelas, na Bélgica, enfocaram as ações sociais da entidade, que está presente em mais de 100 países.

Nos dois dias do evento foram realizadas atividades em grupos, divididos em: Signis Jovem, Signis Rádio e Signis TVs. Também foram apresentados dois “cases” que reforçaram a produção colaborativa de programas da Rede Católica de Rádios (RCR): o Jornal Brasil Hoje, que é transmitido diariamente por todas as emissoras participantes da Rede, e a Rede de Notícias da Amazônia, que produz o “Amazônia é notícia”, jornal diário de 30 minutos que conta com 20 emissoras correspondentes, presentes em sete estados da Amazônia Legal.

 

Posicionamento político e apoio ao Papa Francisco

Um fato importante do Congresso de Comunicação foi a formatação do grupo da Signis Jovem, com a finalidade reunir a juventude católica para debater sobre o consumo de mídia, as novas tecnologias e principalmente a divulgação das informações a serviço da vida e da justiça. Uma das ações práticas do grupo, apresentada ao final do Congresso, foi lançar uma campanha de apoio ao pontificado do Papa Francisco, na qual os católicos são chamados a postarem mensagens nas redes sociais com a hashtag #FranciscoEstouAqui. Veja AQUI mais informações sobe a campanha.

“A postura política dos congressistas preocupados com a garantir da democracia no Brasil foi outro ponto muito positivo, porque o comunicador católico carrega consigo uma assinatura cristã e, por isso, devem ser defensores da justiça proposta pelo Evangelho”, destacou o presidente da Signis Brasil, frei João Carlos Romanini, OFMCap, sobre a moção assinada pelos participantes do Congresso sobre a conjuntura política brasileira, mais uma ação concreta dos comunicadores católicos a partir do Congresso.

O I Congresso de Comunicação da Signis Brasil encerrou com a celebração eucarística presidida por dom Devair Araújo da Fonseca e concelebrada pelos padres presentes, na qual os comunicadores participantes renovaram seu compromisso com uma comunicação pautada nos valores do Evangelho e voltada à construção de uma sociedade de paz, justiça e fraternidade.

 

SIGNIS Brasil – é uma associação católica de comunicação, com a missão de animar, unir os meios de comunicação católicos e de inspiração cristã do País e a formação de comunicadores, para se articularem no espírito de colaboração, interação para que exerçam seu carisma em colaboração, em vista dos objetivos comuns. É reconhecida pela Conferência Nacional dos Bispos (CNBB); filiada à Signis Mundial; ligada ao Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais e mantém diálogo e intercâmbio com a Signis AL e Caribe.

 

Rede Católica de Rádio – RCR – é uma associação, hoje, formada por cinco bases geradoras de rádio, vinculadas a organismos da Igreja Católica. O principal objetivo é realizar a comunhão entre as emissoras, produzindo e partilhando programação e conteúdos de rádio, como os programas Jornal Brasil Hoje e Igreja no Rádio, entre outros, a partir das diferentes regiões do Brasil.

Lido 1038 vezes Modificado em Terça, 04 Setembro 2018 15:32

Deixe um comentário