Terça, 27 Junho 2017 15:38

Como Dom Bosco usaria Snapchat, que história contaria no Instagram?

Escrito por  InfoANS Uruguai
Classifique este artigo
(1 Voto)

O pátio salesiano, cenário histórico privilegiado para encontrar-se e ser acompanhado na caminhada, encontrou no século XXI novas extensões e oportunidades que não conhecem limites de tempo nem de espaço. “Para Dom Bosco, casa, paróquia, pátio e escola não são espaços físicos, mas atitudes do coração entrelaçadas e misturadas entre si, nas quais a presença de alguém envolve a presença dos outros. São atitudes que nas casas salesianas não se declamam, mas se experimentam”, afirma Juan Pablo Massimelli, responsável pela Pastoral nos “Talleres Don Bosco”, em Montevidéu, Uruguai.

 

Mais de 80 animadores das casas salesianas de Montevidéu e Las Piedras, como de outros centros educativos católicos no Uruguai, participaram de laboratórios de formação sobre: animação e tempo livre, oração e celebrações, Igreja em saída, primeiro anúncio, acompanhamento, preparação e realização de eventos e Novos Pátios Salesianos.

 

O pátio, na tradição salesiana, é o lugar que representa o encontro com os jovens, para que estes possam compartilhar a própria vida e suas preocupações, no qual o educador se encontra com eles em seu ambiente, demonstra-lhes que ama aquilo que eles amam, e no qual surgem também propostas significativas de vida.

 

No tempo do Oratório de Valdocco, em Turim, Itália, não havia Facebook, WhatsApp, Instagram ou Snapchat. Hoje, no século XXI, as redes sociais fazem parte da vida cotidiana dos jovens, ambientes nos quais são forjadas as relações e favorecidos os encontros. É nesse contexto que o pátio salesiano se expande para preencher um novo espaço e ser também um pátio digital.

 

“Quando um educador e um jovem compartilham amizade num perfil, estão pondo em comum parte da própria vida que corre através dessas redes... Gera um desafio no modo de ser, de criar relação, de manter o espírito de família e a amorevolezza que leva a valorizar os outros e criar um clima de confiança”, explica Massimelli. Para ele, “o desafio é encontrar modos, meios e propostas para convidar os jovens a unir-se para percorrer um caminho que seja verdadeiro sopro de vida, ar fresco de Deus, presença do Espírito em suas vidas”.

 

Para animadores, educadores, sacerdotes e irmãs, continua o desafio de responder a essa nova realidade da melhor maneira possível, para que realmente os encontros nas redes sociais sejam um prolongamento do pátio da escola. Como Dom Bosco usaria Snapchat, que história contaria no Instagram?

Fonte: Info ANS

Lido 2132 vezes Modificado em Quinta, 29 Junho 2017 16:08

Deixe um comentário